Dorcas, uma mulher de testemunhos

 

DORCAS

UMA MULHER DE TESTEMUNHOS

 

 

Introdução

 

Essa personagem da Igreja Primitiva, chamada Tabita, mas também conhecida como dorcas, foi citada no livro de Atos dos Apóstolos, mais precisamente no capítulo 9, relatando sua vida repleta de boas obras e a sua morte. Ela foi ressuscitada pela ação do apóstolo Pedro, que foi chamado para isso. Leiamos o texto:
 
Havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido quer dizer Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. Naqueles dias, enfermando ela, morreu. Tendo-a levado, depositaram-na num quarto alto. Como Lida ficava perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, mandaram-lhe dois homens, rogando-lhe que não se demorasse em vir ter com eles. Levantando-se Pedro, foi com eles. Quando chegou, levaram-no ao quarto alto. Todas as viúvas o rodeavam, chorando e mostrando as túnicas e vestidos que Dorcas fizera quando estava com elas. Pedro mandou que todas saíssem do quarto; então se pôs de joelhos, e orou. Voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te! Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, assentou-se. Dando-lhe a mão, Pedro a levantou e, chamando os santos e as viúvas, apresentou-a viva. Foi isso conhecido por toda a Jope, e muitos creram no Senhor. Ficou Pedro muitos dias em Jope, com um certo Simão curtidor.
 
 
Cenários humildes
 
 
Jope era um lugarejo insignificante, uma aldeia, pode-se dizer, mas aparece na Bíblia por causa desse grande acontecimento: vivia ali uma pessoa importante, não um político, nem um milionário, mas uma pessoa que servia perfeitamente a Deus. Conclui-se daí que o que vale para Deus não é a opulência do lugar, mas o valor do ser humano que ali habita.
 
Nazaré era comentada sempre com demérito, e o mesmo deveria acontecer com Jope e outras localidades desse porte. Natanael, uma vez, comentou sobre a possibilidade do Messias ter nascido em Nazaré: “Porventura sai alguma coisa boa de Nazaré?” (Jo 1:46)  Porém, apesar da pouca importância que se dava a certos lugares, Jesus nasceu em Nazaré, e Tabita nasceu em Jope. Deus usa cenários humildes para desenrolar grandes acontecimentos.
 
Precisamos aprender que não é a roupa, nem a família de procedência, nem a questão social que atrai o prazer de Deus sobre nós, mas a nossa dedicação a Ele. Podemos até estar agradando aos homens, mas não a Deus.
 
 
A quem honra, honra
 
 
Quando servimos a Deus com alegria e obediência, Ele faz com que as pessoas mais envolvidas na obra estejam prontas a nos dar assistência. Pedro, o apóstolo, estava na localidade de Lida, próxima a Jope, e Deus remanejou seus passos para lá, interrompendo as maravilhas que estava operando e o deslocando para assistir a uma pessoa importante para Deus: Dorca. 
 
Até aqui, já podemos ver que vale a pena servir a Deus. Pode ser que o mundo não nos dê importância por essa nossa opção de vida, mas Deus, dá! Dorcas era tão conhecida publicamente e não vivia num lugar tão importante politicamente, mas Deus olha os valores por prismas diferentes. Deus a amava!
 
O verso 36 diz que “em Jope havia uma discípula e não uma seguidora de Jesus.”  Vamos aprender que discípulo é mais que seguidor, é aquele que está constantemente aprendendo, é aquele que reverencia ao Mestre, é o que tem uma vida moldada pelo Senhor.
 
Deus tem trabalhado, tem tentado mudar nossas vidas, e muitas pessoas não estão entendendo esse mover de Deus. Precisamos nos deixar disciplinar por Deus e assim Ele vai se preocupar conosco. É necessário que sejamos discípulos e não apenas crentes nominais; precisamos seguir Jesus a cada momento, estar à mão em qualquer circunstância em que Deus precise de nós, ter disposição para aprender tudo que Cristo ensinar — passo a passo. Só assim Deus passará a nos tratar melhor, para desfrutarmos das maravilhas do Reino de Deus.
 
 
Uma mulher de testemunhos
 
 
Outra coisa marcante nesse versículo 36 é que Tabita era cheia de boas obras e esmolas,  qualidade que a distinguia de outras mulheres. Por isso Pedro foi movido a largar tudo o que de bom estava fazendo e ir dar assistência a essa alma tão importante para Deus. Foi lá ressuscitá-la!
 
Dorcas confeccionava roupas e com essa habilidade ajudava às viúvas pobres do vilarejo. Quando Pedro chegou ao local onde ela estava, foi logo rodeado por essas viúvas que, chorando, mostravam a importância dessa mulher que morrera. Dorcas era mulher de bom testemunho. 
 
Não basta que sejamos crentes; precisamos trabalhar pelos outros, parar de ser materialistas. Assim como Jesus não tinha ambição no coração, Dorcas era liberta do materialismo. Era uma mulher altruísta, pois ajudava pessoas carentes. É um exemplo para nós.
 
 
As boas obras e a salvação
 
 
Muitas pessoas, ao serem libertas por Deus do catolicismo, acham que não precisam mais dar esmolas, fazer boas obras, pois essas ações, segundo o catolicismo, é que salvam as almas.  Mas Jesus não nos ensinou a parar de fazer isso! Está certo que não são as boas obras que nos salvam, mas as fazemos porque somos salvos! A visão divina é ao contrário daquela dos homens! É mandamento de Deus! Não podemos confiar que essas obras nos salvarão, mas Jesus é que o fará!
 
É o Espírito Santo quem gera em nós o amor de Deus, que nos leva a esse caminho de boas obras. É mandamento! Devemos deixar rastros de luz mesmo depois da nossa morte, fazer com que as pessoas sintam falta de nós. Não podemos ser como outras pessoas que vêm, saem, voltam, e nem são notadas pelos outros ao seu redor. São pessoas mesquinhas! Deus quer que sejamos as Tabitas do século XX, quer que sejamos salvos e testemunhemos para que isso aconteça com outras pessoas mais.
 
 
Olhar para os lados
 
 
Tem gente que só consegue enxergar a haste vertical da cruz de Cristo, aquela que sai da terra e aponta para o céu, mas existe também a haste horizontal, aquela que nos nivela neste mundo, dizendo que há uma responsabilidade sobre nossa vida aqui na terra. Temos que dar bons testemunhos!  Reflita sobre isso!
 
Você tem dado bom testemunho? Como será que seus vizinhos veem você? Como um crente de boas ações ou apenas como um crente que ora alto, ou como um crente que vive com a Bíblia embaixo do braço, quando vai para a sua igreja?
 
Se vivermos como Tabita, os milagres de Deus acontecerão nas nossas vidas. Podem estar certos de que os maiores milagres de Deus estão reservados para esse tipo de pessoas, para essas almas que deixam uma marca de luz por onde passam.  —  Até depois de mortas!
 
 
Considerações finais
 
 
A ressurreição de Tabita ficou conhecida como um fato notório naquele lugar. Muitos se converteram em Jope, por causa disso. Precisamos nos conscientizar de que almas são atraídas e salvas através dos nossos testemunhos e Jesus é glorificado nisso.
 
 
 
 
 
 
AUTOR
Pr. Bartolomeu Severino de Andrade
 

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 17/09/2013

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2018