Crônicas do Clóvis

 

CRÔNICAS DO CLÓVIS

 

Pr. Clóvis Cunha 

 

 

 

Gaúcho de Pelotas, e torcedor-sofredor do Internacional, Clóvis de Aguiar da Cunha começou cedo o seu produtivo ministério, transferindo-se para Porto Alegre, onde se casou e teve duas lindas filhas com a sua amada Ilda. Aninhando-se na igreja do Passo d'Areia, frequentada pela esposa e familiares, procurou seguir os passos do apóstolo Paulo, nunca aceitando ser "pesado" à Igreja onde servia, trabalhando até a aposentadoria na Zivi-Hércules.

Nesse ponto da sua vida, resolveu transferir-se para Curitiba, para acompanhar seu genro na fundação de uma empresa ligada à área de informática, fixando-se com os seus descendentes na capital paranaense até os dias de hoje (2014).  

Durante todo seu tempo de ministério, participou da administração do "Concílio das Assembleias de Deus do Rio Grande do Sul", que se espalhou pelos estados do sul, chegando até ao Rio de Janeiro e à capital do país. 

Entre as muitas habilidades desenvolvidas durante sua vida, o Pr. Clóvis aprendeu a escrever crônicas muito bem, dando visibilidade ao seu dia-a-dia, sempre envolvendo a presença do Deus Altíssimo em tudo o que faz. São tantos os artigos registrado no seu blog, que precisaremos selecionar os que serão transcritos abaixo, à medida em que forem sendo divulgados.  

prcloviscunha.blogspot.com

 

 

Entra, puxa uma cadeira e senta, tchê!!! 

 

Há pouco tempo atrás, Roberto Carlos lançou num de seus CD’s uma música que propunha esta cena, onde a poesia era mais ou menos assim: "Amigo puxa uma cadeira, chega mais pra perto e fale o que quiser...”

É bem assim que se faz com uma visita, ou com um amigo chegado com quem temos prazer de conversar. Esta expressão era frequente há um tempo atrás, mas hoje a comunicação está um tanto avariada, e pouco tempo se tem pra puxar uma cadeira e levar um papo gostoso, sem hora pra terminar.

Mas foi exatamente isto que Jesus fez quando se convidou pra ficar aquela noite na casa de Zaqueu. Ele vê Zaqueu em cima da árvore, e logo percebendo que o baixinho tinha mais coisa pra dizer, dispara: “Desce de pressa porque hoje me convém pousar em tua casa”.

Já pensou se hoje a gente desse uma parada no dia-a-dia, e dissesse pra Jesus: “Pode entrar Jesus, puxe uma cadeira e sente.”? O que a gente diria pra Ele? O que Ele perguntaria pra gente? Ou ficaríamos estarrecidos, diante de uma visita tão Ilustre?

Que Deus nos ajude a ter tempo pra Jesus, e não só pra pedir, mas pra entender, perceber e discernir o que Ele realmente quer falar com a gente.

Então entre, puxe uma cadeira e sente, sem pressa para levantar, e converse com Ele agora.

 

AMIGO É AQUELE QUE QUANDO TODOS

VÃO EMBORA, ELE FICA

 

 Aí está uma relação muito interessante e ao mesmo tempo divina. Deus tratou Abrão de “Meu amigo”. Jesus disse aos doze, que estavam com Ele, que já não os chamava de servo, mas de “amigos”, por tudo que havia confidenciado com eles, pois aquilo não era relação de servo e senhor. 

 Amigos são provisões de Deus para nossas vidas. Por esta razão temos que ter em mente que eles não nos foram dados por Deus para serem usados a fim de suprir nossas necessidades, ainda que haja momentos em que eles se constituirão expressão prática de amor por nós. 

 Tem muita gente boa que não consegue nutrir uma amizade duradoura, porque acha que amigo é um banco, que quando precisa de dinheiro está lá para lhe dar a fundo perdido, ou pensa que amigo é aquela pessoa que está à sua espera para dizer "tudo bem" sempre, mesmo que as coisas que anda fazendo estejam extremamente na contramão do coerente. 

Amigos são gente pra quem temos que expressar preocupação pelo seu estado, quer seja de saúde, quer seja emocional, social... Amigos são aqueles pra quem empresto o ombro pra chorar, o ouvido pra ouvir, a mão estendida pra abençoar.

Que Deus neste dia permita a mim e a você, entender de forma clara e inequívoca, que nossos amigos estão aí para serem abençoados por nós, e que a finalidade deles existirem não é a de eu extorqui-los, mas para que eles não se sintam sozinhos, se é que desejemos ser pra eles amigos mais chegados que irmão.

 

 

VIVENDO UM DIA DE CADA VEZ

 

 

Não é muito difícil nas nossas pressas querermos atropelar o tempo para ganhar tempo, e na maioria dos casos acabarmos perdendo tempo. 

 O tic-tac do relógio que acabou de bater agora, não bateu antes e nem vai bater depois. Assim é ou deveria ser o nosso comportamento com relação ao dia que vivemos hoje: ele deve ser vivido agora e com intensidade. Nada vai nos ajudar, com preocupações quase sempre infundadas. 

A Bíblia fala muito deste dia-a-dia. Lá no deserto, Deus mandou maná para o povo, mas apenas uma porção por dia. Não era para estocar maná. Jesus disse que bastava ao seu dia o seu próprio mal, e foi além, quando nos incentivou a não andarmos ansiosos com o dia de amanhã. 

Não estou aqui fazendo apologia à falta de planejamento na vida, mas apenas refletindo que nossas ansiedades não ajudarão em nada, quando atropelamos o tempo, querendo fazer o que não é hora de fazer, ou sofrendo sem cabimento, uma vez que cremos num Deus que faz milagres acontecer.

Que hoje eu e você possamos olhar para este dia, encarando-o de frente, e avançando até o limite dele, tendo em mente que não podemos fazer mais do que nossas condições permitem, e entendendo, também, que Deus é Soberano sobre tudo. 

Viva um dia de cada vez, e deixe teus cuidados nas mãos de Deus!

 

 

O DIA EM QUE A GENTE PRECISA DIZER “NÃO!”

 

 

Assim como há tempo para tudo na vida, assim também tem aquela hora em que a gente responde com um sonoro NÃO. E nem sempre este NÃO é uma negativa (parece meio paradoxal isto), porque ele será benéfico para a vida do outro. 

Lembram da história de Lázaro, aquele amigo de Jesus que adoeceu e suas irmãs mandaram chamar a Jesus, e este NÃO foi de imediato, como elas “precisavam”? Ficou onde estava ainda por mais dois dias. Pois é, se Ele não diz NÃO naquela hora, o milagre da ressurreição de Lázaro não teria acontecido. Mas, entendam, não estou dizendo que tenho que dizer NÃO para que um milagre aconteça; o que estou dizendo é que o nosso NÃO, às vezes, é salutar. Ou NÃO?

Que neste dia a gente possa trazer à memória quantas vezes dissemos SIM e nos arrependemos de tê-lo feito; e quantas vezes dissemos NÃO, e livramos queridos nossos de verdadeiros vendavais na vida, e a nós também.

Que o Senhor nos ajude a responder da forma mais coerentemente possível aos apelos imediatos que recebemos todos os dias! Que a gente possa saber dizer SIM e NÃO na hora que eles precisam ser ditos, a fim de que nos tornemos cada vez mais abençoadores.

Tem vezes que um SIM é caminho para uma dor de cabeça e até pra uma inimizade, mas tem vezes em que um NÃO é a bênção de Deus pra mim e para o próximo. 

 

QUANDO PREZAR REQUER ESFORÇO

 

Atenção! Não estou me referindo a amar, mas apenas prezar. Estou falando de expressar com gestos a atenção, o carinho, o respeito, o reconhecimento do valor do outro, e por aí vai...

Na verdade e no dia a dia, isto não é tão fácil assim, inclusive dentro de casa, quando o cônjuge se esquece que o outro precisa de sua atenção, e até de um cafuné.  E sabe quando esta prática de prezar exige que eu me lembre que tenha que fazer, porque eu me esqueço?  É exatamente quando tenho parâmetros, ainda que equivocados, mas os tenho. São parâmetros como: O cônjuge do outro é diferente do o meu; Ah, se o meu fosse assim ou assado...! 

Temos que nos esforçar para prezar, mesmo quando nosso interesse em prezar só acontece visando lucros, momento em que entupimos o outro de carinhos e elogios, mesmo que falsos, burocráticos...

Que neste dia possamos dar uma espiada em nossas relações pessoais, a partir de casa, e ver até quando temos prezado verdadeiramente ao outro, e que parâmetros temos usado para balizar nossa atitude em prezar. Em casa, quantos abraços temos dado no cônjuge, demonstrando amor, respeito e interesse por ele? Ou eu tenho me esquecido de o abraçar? 

E com relação ao pai, à mãe ou ao irmão, quais são os gestos práticos que temos exposto, demonstrando como os prezo? E com relação aos amigos, colegas, irmãos da Comunidade, quantas vezes nestes últimos cindo dias deixamos vazar um gesto que denuncie quanto os admiramos e os prezamos, sem nenhum interesse além de ele se sentir prezado? 

Jesus, além de amar, prezou gente! Isto é fácil de notar através de uma leitura rápida dos Evangelhos, onde O encontramos expressando interesse por pessoas, como a Mulher Samaritana, Zaqueu, a Adúltera, Nicodemos, o cego à beira da estrada, e os Próprios 12 Apóstolos que escolheu.

Que Deus nos ajude em prezar ao outro, a começar pela nossa casa, mas com gestos práticos que digam que, de fato, eles são prezados por nós e não esquecidos de o serem.

 

PARE E PENSE!

 

Eu sei, por mim mesmo, como está difícil de fazer uma parada. Uma parada daquelas que se abre, caso não esteja previsto, um espaço na agenda apenas para pensar.  Pensar no que deu nossa vida, nossos sonhos, nossas metas, no que deu nosso entusiasmo, nossa força de vontade depois de tantos contratempos, de tanta reviravolta que a vida dá...

O fato é que precisamos parar, para ver que rumo temos dado à vida que Deus nos deu. Neste corre-corre do dia esquecemos que nosso físico, nossa mente, nosso coração precisam de uma pausa, de uma parada, até porque não somos máquinas. Foi exatamente isto que Jesus provocou em Zaqueu, o baixinho da Bíblia, quando o surpreendeu naquela árvore, e disparou: “Zaqueu desce depressa porque hoje me convém ficar em tua casa.”

Por isto, neste dia, convido a vocês para comigo darem uma parada, a fim de nos avaliarmos, e avaliarmos a situação atual como um todo, ver se estamos no rumo certo... E veja que chamo de rumo certo ao conjunto de realizações e satisfação com uma consciência tranquila, sabendo que o que temos e fazemos está a serviço não apenas de nós mesmos, como também do nosso próximo. Então, pare e pense! 

 

A DOR DO OUTRO

 

Como a dor não se permite medir, assim não se consegue sentir a dor do outro, mesmo sendo nosso filho, ou qualquer outra pessoa por quem a gente tem apreço e estima. 

A Bíblia conta a história de Jó, e o estado precário que foi parar sua saúde, e diz que uns amigos dele foram visitá-lo, mas não podendo sentir a dor do físico e da alma de seu amigo, ocuparam-se em conjecturar a respeito do motivo do estado de seu amigo. 

O profeta Isaías diz, a respeito de Jesus, que Ele levou sobre Si a nossas dores, e que por conta de Seus ferimentos e dor, nós fomos sarados. 

Que a gente possa se nutrir de um pingo de compaixão pelos que sofrem dor, mesmo que distantes, e se comportar como um intercessor pela vida deles, pois um dia poderemos ser nós a sentir a dor, e necessitarmos de alguém que nos ajude a tê-la aliviada.

 

A NOITE

 

A noite é o período do dia que já significou a parada geral para o repouso do dia de trabalho, com exceção para os que, na época chamados guardas-noturnos, com seus apitos, percorriam as ruas das vilas, dos bairros e das cidades vigiando as casas. Em algumas cidades do Brasil elas eram identificadas, até a década de sessenta, principalmente, por uma estrela colocada no umbral da porta. Mas é também à noite que parece aumentar a febre dos doentes, a agonia de quem perde o sono por conta das dificuldade que roem até a alma. 

Foi também numa noite fria e sem graça que Jesus começou Sua caminhada final até a cruz, pra ser nosso Salvador, aliás uma noite fria por dentro e por fora.  Sobre a noite o Salmista canta, que o “choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”.

Se suas noites têm sido escuras e chorosas, guarde no coração a esperança de que o dia já vai começar a clarear, através do sol que aquece coração e alma, trazendo vida com jeito de vida, e com fragrância de vida.

Que a gente consiga paciência para deixar noite passar, pois o sol logo ocupará o lugar da lua, e aí dia claro será.

 

SEGREDOS

 

Um segredo, por ser um segredo, quase sempre é um ato de confiança de quem nos conta algo em tom de desabafo ou em pedido de ajuda. Assim, é necessário que se faça silêncio a respeito. Via de regra ele acontece entre duas pessoas, e se passar disto corre o grande risco de deixar de ser segredo.

Conta-nos a Bíblia que uma certa mulher, em Samaria, que tendo o filho morto em casa, foi atrás do profeta Eliseu, e quando se aproximava da casa dele, seu auxiliar lhe perguntou: “Está tudo bem em tua casa?”, ao que ela respondeu: ”Está tudo bem!”.  O segredo da morte do filho era só dela e do profeta a quem ela revelaria o real estado das coisas em sua casa. Que a gente possa ter a sabedoria de cuidar da boca, de forma que o segredar de um amigo ou parente, não encontre saída pelos nossos lábios, mas esconderijo no nosso coração e na nossa mente.

 

SER LEMBRADO

 

Tem gente que parece ter o dom de só lembrar de coisas ruins ou de pessoas que lhe fizeram mal, esquecendo-se de de lembrar daquelas que lhe são prezadas. Independente do status, da posição social, de ser feio ou bonito, da distância, enfim, é bom ser lembrado. Melhor ainda quando parece que não se é nada e mesmo assim lembram da gente. A lembrança faz o outro se sentir valorizado e animado com a vida.

A Bíblia registra o acontecimento quando o Rei Davi se lembrava da casa de Saul, e perguntou aos assessores se ainda havia alguém vivo naquela família, de modo que ele pudesse ajudar. Disseram-lhe que ainda havia um filho vivo de Saul, que era aleijado dos pés. Lembrando dele, Davi mandou buscá-lo e, a partir daquele momento, Mefibosete passou a comer na mesa do rei.

Que Deus nos ajude, de forma que possamos surpreender aos outro lembrando deles, e mostrando que lembramos, seja com uma expressão ou até mesmo com um ajuda que possa contribuir para seu bem.

 

 

PELAS AVENIDAS DA VIDA

 

 

Vezes há em que a gente anda tão desacelerado pela vida, que a própria vida se encarrega de nos punir por andarmos em velocidade tão reduzida, numa via que é expressa para cada um de nós. Os motivos são vários, desde desânimo até falta de fé.

Foi neste estado que Deus encontrou Adão, tentando se esconder d’Ele, quando naquele fim de dia foi ao seu encontro, e chamou-o pelo nome: “Adão!...” A perturbação que Adão mostrou naquele momento, até parecia que ele havia estacionado no acostamento da avenida!

Que o Senhor nos ajude a andar na velocidade que a avenida da vida nos permite, sem exageros, mas avançando com entusiasmo e determinação, e mesmo em meio aos acontecimentos do dia, a gente não desista de viver, e de acelerar nesta avenida que Deus desenhou para nós.

 

QUANDO APERTA O NÓ

 

Sabe aquele nó que foi dado, e que não poderia ter sido dado? Pois é, ele só é desfeito quando achamos a ponta que para de apertá-lo e aí, então, soltamos as amarras, e desfazemos o mesmo.

É assim mesmo, no nosso dia-a-dia. Por vezes deparamos com situações que se assemelham com um nó; um nó daqueles que parecem que nunca será desfeito. Porém, de repente achamos uma saída não só pra aliviar, como para desfazê-lo.

Foi disto que tratou o apóstolo Paulo, quando escreveu: “Sofremos pressões de todos os lados, mas não estamos arrasados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos [...]”

Que a gente tenha a postura dos que vencem, e que em meio às situações de apertos sejamos firmes na fé e na esperança, até porque tudo passa, pois sabemos que em Deus faremos proezas.

 

VIRE A PÁGINA

 

Quando parece que a história vai acabar, percebe-se que temos outra página pra escrever na vida, e da vida. Os acontecimentos, as adversidades, as ventanias que nos sobrevêm, por vezes, nos dão a impressão de que tudo acabou, que não tem mais jeito, mas é exatamente nesta hora que precisamos virar outra página do livro que estamos escrevendo. 

Foi assim na vida de tantos heróis da Bíblia. Sansão, por exemplo, depois de ser iludido por Dalila, perdeu a força. Ao ficar cego, colocaram-no junto aos pilares do templo de Dagon, mas ele não se deu por vencido:  virou a página e escreveu outro capítulo de sua vida, pedindo a Deus que devolvesse sua força só mais uma vez. E a força lhe foi restaurada.

Que Deus nos ajude a termos coragem e fé suficiente pra não empacarmos no rascunho desta página que parece que não acabar nunca, mas que consigamos virá-la  e continuar a escrever um novo capítulo de nossa vida, sabendo que lá na frente vamos nos encontrar-nos com o Autor e Consumador de nossa fé: Jesus Cristo.

 

SE ARREPENDIMENTO MATASSE...

 

O diferencial entre ARREPENDIMENTO e REMORSO está no fato de que enquanto o primeiro gera mudança de atitudes e posturas, o segundo só nos chateia por temos errado contra alguém, inclusive causando-lhe prejuízos. Por vezes, nossas palavras, nossos gestos, nossas decisões, nossas atitudes e até nossas manias e são motivos de arrependimento, e não raras vezes de retratação, acompanhada de um pedido sincero de perdão.

O arrependimento gera uma mudança radical em quem, de fato, se arrepende. Infelizmente, nem sempre tem condições de repor o que se perdeu, principalmente em ações e decisões que fazem parte de um passado muito distante.

O apóstolo Pedro, depois de ter negado por três vezes a Jesus, chorou muito de arrependimento, mas quando encontrou com Jesus de novo, interrogado pelo Mestre se ele O amava, Pedro respondeu três vezes: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo!”

Que Deus nos dê de Sua graça para que em tempo o arrependimento gere em nossas vidas e corações mudanças que traduzam o nojo que sentimos pelo que fizemos, e nos mostre o rumo certo da caminhada que agrade ao coração Paterno de Deus.

 

 O DIA ESTÁ TERMINANDO

 

Os últimos acontecimento que temos presenciado pela mídia, no que diz respeito aos mais variados aspectos da vida em sociedade, nos indicam que já chegamos na parte fina do funil, ou seja, estamos nos encaminhando para o fim do dia da humanidade. 

A profanação do sagrado exibida neste fim de semana durante a parada gay, não só chocou os cristãos protestantes e católicos, como demonstrou a falta de respeito e de diálogo civilizado por parte dos simpatizantes daqueles, que parecem querer ser blindados, e que a qualquer manifestação contra suas atitudes, chamam de homofobia, aliás termos mal empregado na discussão do assunto em pauta na sociedade brasileira.

Que Deus nos abençoe, e que como cristãos, discípulos de Jesus, a gente possa se comportar de forma que, ao mesmo tempo que não os odeia, também não tolera, nem compactua com o que anda na contra-mão do que Deus estabeleceu desde o princípio.

E que a gente fique antenado, porque o desfecho da história está mais perto do que se imagina. O dia está terminando!

 

QUANDO PARECE QUE A DEMORA PREVALECE

 

O dia passou, a febre não cedeu, a dor continua, a solução não aparece, a noite chegou e nada aconteceu e, neste meio tempo, o relógio não foi capaz de acelerar para que as coisas se resolvessem; continua em seu tic-tac, numa velocidade de sessenta segundos por minuto... É desta forma que, via de regra, nos comportamos quando parece que a demora conspira contra a gente.

Quando as irmãs de Lázaro mandaram avisar Jesus que seu irmão estava doente, Jesus se demorou ainda dois dias onde estava, conta a Bíblia. Para Jesus, ressuscitar a Lázaro ou curá-lo não fazia nenhuma diferença, mas para Marta e Maria, que achavam que Jesus se demorara demais, quanta diferença faria!

Que a gente possa ter em mente, que nem sempre o que precisamos ou queremos chega exatamente na velocidade da nossa pressa, mas sempre chegará na hora de Deus para nós.

Que o Senhor nos abençoe neste dia, de forma que possamos vivê-lo desfrutando da experiência de esperar sem pressa, na certeza que o que precisamos e pedimos, Deus nos dará na hora certa.


OS PÉS QUE AVANÇAM

 

Vocês já repararam na geometria dos seus pés, ou na velocidade como eles se deslocam? Já sentiram a força do impacto deles quando bateram em algum objeto pelo caminho?  Pois é, são esses pés que nos levam pra nosso dia a dia, perto ou distante, que nos colocam no avião para irmos além fronteiras, e também que nos encaminham para a cama, para essa simples atividade de deitar para o descanso.

Que neste dia, eu daqui e vocês daí, possamos prestar atenção para onde nossos pés estão nos conduzindo. Na sua determinação de caminhar na e sob a direção de Deus, o Salmista recita um dos Salmos muito conhecidos, onde ele diz: “Lâmpada para meus pés é a tua palavra, e luz para meu caminho!”  O profeta Isaías ainda declara: “Formosos são, sobre os montes, os pés dos que anunciam boas novas, que proclamam a paz, e que anunciam coisas boas...”

Que nossa caminhada seja uma caminhada de bênção, sucesso e vitórias, e que nossos pés nos levem por caminhos agradáveis, até chegarmos no fim da jornada nossa de cada um.

 

PESO PESADO

 

Esta expressão lembra Boxe, Judô, Taekwondo, mas não é sobre isto que quero refletir com vocês neste dia, mas sobre alguns pesos que carregamos ou colocamos sobre o outro.

Já pensaram no peso do silêncio dentro de casa, onde um não fala com o outro; onde os cônjuges obstruem o diálogo? Já pensaram ou sentiram o peso do desamor, quando o que precisava ser dito com jeito, foi feito de qualquer maneira e com intuito de arrebentar com o outro? Já pensaram no peso de se referir ao outro, quando poderia ser com cortesia, mas se optou pelo esculacho? Já pensaram no peso do desprezo, quando uma palavra ou gesto poderia engradecer a si mesmo e ao próximo? Já pensaram no peso de uma depreciação, quando é tão fácil apreciar e elogiar?

O apóstolo Paulo, numa de suas cartas, registrou: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.” 

Isso começa em casa. Que Deus nos ajude, nestes tempos de competitividade, a mantermos nossa humanidade, e o jeito de gente feitos à imagem e semelhança do Criador, de forma que não sejamos pesos pesados, mas sejamos facilitadores da vida, diminuindo a carga do outro e, consequentemente, a nossa própria.

 

CHAMADOS À SOLIDARIEDADE

 

Palavras como solidário, compaixão e dó tem desaparecido do vocabulário e ação do mundo dos viventes hoje em dia, de forma que certas pessoas que vamos encontrando pelas ruas, e sempre as mesmas ruas e pessoas de todos os dias, parecem fazerem parte do paisagismo como que embutidas no dinâmico painel da vida. 

O mendigo de hoje não nos toca o coração como noutros tempos, e a gente não quer nem saber se está com fome de pão ou de “vida fácil”; o malabarista do sinal vermelho não nos move a contribuir após a tentativa de demonstração de suas peripécias; com relação ao porteiro do prédio, tem vezes que se passa por ali, e não lhe damos nenhum bom dia!  São figuras que vão aparecendo e formando o paisagismo nosso de cada dia, e com isto amortecendo nosso espírito de solidariedade, e disposição de servir o outro.

A parábola do bom samaritano, contada por Jesus, a disposição de Jesus em parar Sua caminhada, “só pra atender um cego marginalizado”, e Seu choro junto ao túmulo de Seu amigo Lázaro, diz o quanto Ele nos ensinou a sermos solidário, e compassivos.

Que a gente se pergunte, de vez em quando: Em meus passos, que faria Jesus?

 

E SE O FIM DA LINHA FOSSE HOJE?

 

Embarcamos pra uma viagem no dia que nascemos. Nosso choro trouxe risos para um número imenso de pessoas, a começar por nossos pais, espalhando-se pela casa toda, e depois pela vizinhança e familiares, e a notícia correu... Tem gente começando a viagem hoje, como tem gente chegando ao fim da linha hoje. São viagens cheias de surpresas, cheias de acontecimentos, lotadas de emoções, de vitórias, percalços, etc.

Como estamos encarando nossa viagem? O que realmente estamos levando na bagagem, ou que tamanho é a nossa bagagem? Há excesso de peso que nos faz cansar?

Jesus, entendendo que uma viagem sempre requer disposição, embora o cansaço inerente a ela faz-nos um convite, que vale a pena considerar e aceitar, Ele diz, e está registrado nos Evangelhos: “Venham a mim todos vocês que estão cansados, e sobrecarregados e eu os aliviarei...”

Que neste dia, eu e vocês, que estamos embarcados nesta viagem da vida, tenhamos a coragem de dar uma espiada no que realmente estamos carregando na bagagem, e nos livrar do que representa um excesso de peso, até porque o fim da linha pode ser hoje. O que temos na bagagem nos deixará passar pelo controle de bagagens, ou será um obstáculo?

 

COMO UM SOCO NO ESTÔMAGO

 

Tem situações que nos deixam exatamente assim. Seja pela notícia da morte súbita de alguém de nosso relacionamento, ou mesmo mero conhecido, seja por causa de uma surpresa desagradável, ou ainda pela insegurança em virtude de acontecimentos adversos e alheios à nossa vontade. É como se a gente tivesse levado um soco na boca do estômago.

Todavia, diz o Salmista: “Quem descansa no Senhor não teme más notícias; seu coração está firme e confiante no Senhor.”

Que este seja um dia daqueles pra gente provar este descansar em Deus, ter plena consciência que Ele cuida de nós o tempo todo. Façamos nossa parte, que Ele garante fielmente a Sua.

 

DEVAGAR OU VELOZ, PRA FRENTE SEMPRE!

 

Marcar passo não é o intento da grande maioria dos que vivem. Ser rápido, e por vezes atropelar o tempo, tem sido uma sistemática de muita gente, nestes tempos pós modernos. Precisamos, no entanto, aproveitar o tempo, fazer de forma que não retrocedamos, ainda que haja trechos por onde temos de passar com cautela, e sem pressa.

Jesus disse que “aquele que lança mão do arado, e olha pra trás, não é digno d’Ele”, o que significa que precisamos avançar, mesmo que as circunstâncias e momentos nos digam que é pra retroceder.

Que a gente neste dia possa estar esperto, a fim de que nossa caminhada, representada pelo nosso dia a dia, sempre cheio de atividades e tarefas, não seja marcado por retrocessos resultantes de uma má administração do tempo, ou por conta de uma decisão equivocada. Que Deus nos ajude a sermos prudentes, e corajosos, avançando sempre com fé, nesta longa estrada da vida.

 

INCLUSIVE NAS HORAS DESAGRADÁVEIS

 

É fato que não vivemos alegres o tempo todo, pelo menos com aquela alegria que se estampa no rosto. Ora por causa de uma situação difícil, ora por causa de um dissabor, e não poucas são as ocasiões em que parece que a alegria foge de vez, dando lugar a um estado de desagrado.

As horas desagradáveis acontecem em lugares e momentos inusitados, muitas vezes: na sala de aula, quando parece que a gente é o único que não domina o assunto; no meio da galera, quando a gente diz uma coisa que não cabe para aquela hora; quando recebemos uma bronca de pessoas que nos conhecem, mas que por inúmeros fatores torna aquela hora desagradável. Eu podia escrever um livro sobre o “fator desagradável”, porque a lista se espicha.

Que neste dia, a gente tenha em mente e no coração que, inclusive nas horas desagradáveis, Deus está por perto para, se preciso for, nos carregar no colo e dizer o quanto somos preciosos aos Seus olhos. 

Uma das horas desagradáveis para o Moisés, que abriu o Mar Vermelho, foi quando Deus lhe diz: “Desce lá porque teu povo se corrompeu...”.  Quando ele desce do monte depara-se com seu povo cultuando um bezerro de ouro, porque “achavam” que Moisés os tinha abandonado no deserto.

Que Deus nos ajude, quando em meio a um momento desagradável, perceber que, inclusive ali, Ele está conosco.

 

"SEM COMPARAÇÃO..."

 

A vida é cheia de situações comparáveis, com as quais se faz correlações, e por conta disso não raras são as ocasiões em que se ouve dizer: “Tempo bom foi aquele...”, “comida igual a de minha mãe ninguém faz.”, “meu filho mais velho não é como o mais novo...” e assim vai uma lista de comparações, muitas delas sem necessidades e sem cabimentos, outras cabíveis de serem feitas.

A Bíblia conta a história dos dois filhos do patriarca Isaque com Rebeca. É do conhecimento geral a predileção de Rebeca por Jacó, que acaba se fazendo passar por seu irmão Esaú, com o consentimento de sua mãe, chegando a enganar seu pai. Aí está um exemplo negativo de comparação e predileção, que desemboca numa tragédia familiar de grandes proporções.

Que seja a Graça de Deus a ser comparada com o estado de muitas vidas à margem da estrada, o nosso referencial de comparação. Que Deus nos ajude a usarmos comparações que nos edifiquem e edifiquem aos outros, tais como, “Se não fosse a ajuda dele, não sei o que seria de mim...”, ou ainda, “Se não fosse Deus ter interferido, sabe-se lá onde andaríamos.”

Que a gente, neste dia, possa refletir no fato e na realidade das comparações que fazemos ao longo de nossos dias, e descartar aquelas que, de um jeito ou de outro, acabam causando algum malefício, seja pra gente mesmo ou para o outro. Que a nossa comparação seja feita com relação a valores eternos, básicos e vitais, de forma que possamos dizer que realmente é sem comparação o jeito que vivo hoje, com o que eu vivia antes.

 

AGORA SEI...

 

Normalmente esta expressão vem após uma descoberta, ou após uma tempestade na vida, ou ainda através de uma surpresa e, não raras vezes, por conta de uma decepção.  Para o Salmista Davi, ela é a manifestação da sua fé, quando ele registra em um de seus Salmos: “Agora sei que o Senhor, salva o seu ungido; ele lhe responderá dos seu santo céu com a vitoriosa força de sua destra.”

Que neste dia eu e vocês possamos exercitar nossa fé em Deus, agindo e vivendo como filhos que sabem, agora, que o Pai nunca os decepciona, e que ainda que pareça tarde, Ele nunca se atrasa.

 

OLHAR SOMENTE A TI, SENHOR

 

Tem horas na vida que a gente se encontra, ou se mete num beco sem saída, seja por conta de uma situação externa, que de repente se formou, seja por conta de uma decisão tomada, sem avaliar alguns detalhes quase imperceptíveis, e que acabaram nos deixando num mato-sem-cachorro.

Mesmo nessas horas, Deus tem as saídas pra gente.  Precisamos fixar nossos olhos n’Ele, e não na força das circunstâncias que conspiram para a falência.

Contam os  evangelhos que após Pedro ter negado a Jesus, Ele, agora ressuscitado, o encontra na praia, e lhe pergunta por três vezes, “Pedro tu me amas?”, ao que o apóstolo, na terceira vez lhe respondeu: “Senhor tu sabes todas as coisas, tu sabes que te amo!” Naquele momento todo o olhar e atenção de Pedro estavam voltados para o Senhor.

Que neste dia a gente possa se permitir, independente das circunstâncias, ou da força com que elas nos solapam, manter nosso olhar fixo no Senhor. Aquele que além de saber onde estão os recursos que precisamos, luta a nosso favor desde os céus.

 

A HORA E A VEZ

 

Na era da instantaneidade, não são poucas as vezes em que antecipamos o momento, e que a resultante na maioria dos casos é igual a um momento sem muita qualidade. É a compra feita precipitadamente, a doação incentivada pela emoção pura e simples, o julgamento da vida do outro sem conhecer de fato que se passa, e por aí vai.

Os Evangelhos contam a história de um paralítico que era colocado junto a um tanque público onde, de vez em quando, um anjo agitava as águas. O primeiro enfermo a se lançar nelas era curado. Um dia, Jesus chegou por ali, e perguntou ao paralítico por que ele não entrava na água, ao que ele respondeu que sempre que lhe levavam até lá um outro entrava antes dele.  Jesus o curou, mesmo sem que ele precisasse entrar no poço. Era a hora e a vez daquele homem.

Que Deus nos dê calma e paciência, pra não atropelarmos o Seu tempo pra nós, mas que a gente saiba se comportar de tal forma que, chegada nossa hora e vez, recebamos aquilo que nossas preces tanto enfatizam diante do Pai.

 

E A CIÊNCIA SE MULTIPLICARÁ

 

A Era da Informação, como se tem chamado os tempos presentes, tem trazido muito conforto, agilidade, como também muita dependência. Ficamos à mercê da máquina, ou melhor dizendo, da tecnologia. Nota-se o caos instalado, quando o escritório, ou mesmo nós em casa, por algum acidente de percurso, ficamos sem internet. 

Mas ainda somos gente pensante, intelectualizada, e isto precisa se evidenciar a cada manhã em nossa vida. Quando o profeta Daniel da Bíblia, disse muito tempo atrás, que “...a ciência se multiplicará”, seu olhar estava voltado pra além do horizonte visível, e imaginário.

Que neste dia, que sinaliza mais um fim de semana chegando, eu daqui e vocês daí possamos desfrutar da tecnologia disponível, sem nos deixar escravizar por ela, mas como bênção em nossa vida, desfrutá-la, e aplica-la de forma sábia e inteligente.

 

MANIAS, CACOETES & CIA.

 

Parece que somos fascinados por nossas manias e cacoetes: eles fazem parte de nossa rotina diária, e porque não dizer da vida. No entanto, precisamos ver até que ponto estes “atributos” não nos causam maiores danos. 

Nossas manias, por vezes, podem afetar nossos relacionamentos, a começar em casa, se estendendo pelo “nosso mundo” afora. Nossos cacoetes, dependendo da hora e lugar, podem transmitir um péssimo conceito a nosso respeito.

O irmão do Pródigo, na parábola contada por Jesus, parece ter essa mania de se achar por baixo, quando diz a seu pai, por ocasião do retorno de seu irmão: “... há tantos anos te sirvo e nunca desobedeci uma ordem tua; mesmo assim nunca me deste um cabrito pra me alegrar com meus amigos.”

Que nossas manias sejam a de viver a vida em toda a sua exuberância, e que nosso cacoete seja rir, mesmo que tudo conspire pra chorar.

 

QUANDO AMANHECE

 

O amanhecer tem sido desejado por inúmeras situações e pessoas: o vigia que anseia pelo amanhecer, o acompanhante no hospital que não vê chegar a hora do dia clarear, a mãe preocupada com a febre do filho e fica a olhar para o relógio, que parece não avançar na hora, e por aí vai um monte de etc.

Foi a mesma sensação das mulheres que de madrugada foram ao túmulo de Jesus, naquele primeiro dia da semana histórica, logo após a Sua morte. Chegando lá, não só o amanhecer aconteceu no céu do Jardim, como também na vida daqueles discípulos: Jesus havia ressuscitado!

Se por acaso seu céu está fechado, ou parece que a noite não dá lugar para o amanhecer na sua vida, lembre-se que Deus “está de mãos estendidas para te abençoar, e ouvidos bem abertos pra ouvir a tua prece”, e os primeiros raios de sol de um novo amanhecer estão prestes a brilhar, provocando vida e vida com abundância.

 

O DIA EM QUE A GENTE NASCEU

 

Independente do número do dia, do nome do mês e até da hora que nascemos, o fato é que viemos ao mundo. Uns vieram em berço esplêndido, outros em humildes choupanas; uns vieram acompanhados do ou dos gêmeos; Jesus, por exemplo, nasceu numa estrebaria. O mais incrível é que antes de nascer, como diz o Salmista, “ainda em substância informe”, Deus já nos conhecia.

Que neste dia, a gente possa refletir no fato de que estamos sempre cuidados por um Deus que nunca nos quis ver jogados no mundo, se não que a gente vivesse, crescesse, e andasse de forma altaneira e firme, olhando para frente e para o alto.

Que, independente da data de nosso nascimento, dos medos que abrigamos em nossa mente e coração, e das desconfianças para com a vida, possamos viver uma vida que Deus nos deu, e que só Ele tem a autoridade de tirar. Que, enquanto vivos, façamos a nossa parte, aliás, parte que nos foi conferida no dia do nosso nascimento, qual seja, viver.

 

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA X

PROCLAMAÇÃO DA VERDADE

 

Quando em 15 de novembro de 1889, Marechal Deodoro da Fonseca, na Praça da Aclamação assume a chefia do Governo Provisório estabelecido, havia a antevisão de um País que pudesse corresponder ao lema de sua bandeira que quatro dias depois seria hasteada tremulante nos céus do Brasil, qual seja Ordem e Progresso. O tempo passou, muita coisa aconteceu, e hoje é mais do que hora de se proclamar a verdade nesta Nação Brasileira.

Foi Jesus quem disse: “Vocês conhecerão a verdade, e a verdade libertará vocês... se pois o Filho libertar vocês, verdadeiramente vocês serão livres.”

Que Deus nos ajude na condição de brasileiros que amam esta Nação, a nos constituirmos cada dia, como intercessores, junto a Ele, através de nossas preces, e súplicas, ao mesmo tempo que vamos fugindo da corrupção e desvio de caráter que parece ser o estilo presente.

Que sejamos livres de verdade, com fé e esperança, na certeza absoluta, que Deus está de olho nesta Nação fazendo a sua parte, guardando, protegendo e abençoando.

Enquanto isto enfrentemos com brio esta luta entre a proclamação da República há 125 anos passados e a proclamação da verdade que liberta, de fato, neste 2016 que vivenciamos todos os dias.

 

 

  

Pr. Clóvis Cunha e esposa (Curitiba)


 

Por: Pr. Clóvis Cunha

Publicado em 17/10/2013

Procedência - prcloviscunha.blogspot.com

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2018