O valor dos dons espirituais

 

O VALOR DOS DONS ESPIRITUAIS

I Coríntios 12.12-30
 
 
 
 
 
Deus estabeleceu uma única Igreja. Dentro dessa Igreja, Deus distribuiu vários dons diferentes. Apesar de existirem muitos dons, não existe um dom que seja melhor do que o outro, nem uma pessoa que esteja em uma categoria mais elevada que a outra. Não existe, dentro da Igreja, crente de primeira, segunda ou terceira categoria; todos são iguais. Todos os que estão na Igreja foram batizados em um único Espírito, beberam de um único Espírito. O apóstolo Paulo fala sobre isso em 1 Coríntios 12:12-30.
 
 
 
1.  PRECISAMOS RECONHECER OS DIFERENTES DONS
 
 
 
Foi Deus quem estabeleceu a Igreja e foi Ele quem livremente decidiu derramar diferentes dons dentro dela. Assim, precisamos reconhecer os diferentes dons que Ele derramou. Por quê?
 
 
 
1.1   Por que o corpo possui mais de um membro?
 
 
 
Havia um problema dentro da Igreja de Corinto. Um grupo de cristãos estava desprezando outro grupo, e tudo isso por causa dos dons. Um grupo achava que o seu dom era mais importante e que, por isso, todos dentro da igreja precisavam exercitar apenas aquele dom, naquele ministério. Os que não concordavam eram desprezados, colocados de lado, como se fizessem parte da igreja.
 
A pressão era tão grande, que esse grupo começou a se sentir fora da visão da Igreja. A autoestima e o senso de pertencimento começaram a diminuir. Essas pessoas começaram a pensar que tinham problemas, que estavam em pecado ou desagradando a Deus. Pensavam, ainda, que por não conseguirem exercer o ministério ou dom considerado mais importante naquele lugar, não faziam parte da Igreja. Contudo, é necessário entender que o corpo de Cristo não é formado por um único membro. A Igreja não possui um único ministério (1 Coríntios 12:14-16). Você é tão importante na Igreja quanto qualquer outra pessoa, assim como o seu ministério.
 
 
 
1.2  Por que a Igreja possui mais de uma necessidade específica?
 
 
 
Um dos problemas das pessoas é ver o mundo apenas de acordo com as suas necessidades e aptidões. Era exatamente isso o que estava acontecendo na Igreja de Corinto. Os diferentes grupos estavam digladiando entre si porque cada grupo só conseguia enxergar as suas próprias necessidade.
 
Imaginemos a situação de uma igreja hipotética. O grupo que usa os óculos da oração diz que as pessoas estão pouco espirituais, que elas estão orando pouco e que essa é a maior necessidade da Igreja. O grupo que usa os “óculos do evangelismo”, porém, diz que as pessoas estão muito acomodadas, que elas estão evangelizando pouco e que essa, sim, é a maior necessidade da Igreja. Já o grupo dos “óculos das células” diz que as pessoas estão muito preguiçosas, que não estão multiplicando as células, que é disso que a Igreja precisa. Cada grupo enxergando a Igreja com os seus próprios óculos e levantando a sua necessidade específica como se ela fosse a mais importante ou a mais urgente. Mas Paulo aponta esse erro no versículo 17 deste mesmo capítulo.
 
 
 
 AUTOR
 
 
Airton Evangelista da Costa
www.estudos.gospelmais.com.br (2010)
 
 
 

Por: Pr. Aírton Evangelista da Costa

Publicado em 19/03/2014

Procedência - www.estudosgospelmais.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2018