A tentação dos dias atuais

 

TENTAÇÃO DOS DIAS ATUAIS

 

 

Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus. Pois Deus não pode ser tentado  pelo  mal, e Ele a ninguém tenta. Mas cada um é tentado quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. (Tiago 1:13-15)

 

As notícias que nos chegam diariamente devem fazer-nos refletir sobre os planos de Deus. No que tange, especificamente, a uma das polêmicas do momento, o “Casamento Homossexual”, estamos caminhando, ao que tudo indica, para sua universalização. Já são catorze os países que o adotaram (Holanda, Bélgica, Canadá, Espanha, África do Sul, Noruega, Suécia, Portugal, Islândia, Argentina, Dinamarca, Uruguai, Nova Zelândia e França.

No Brasil, embora não tenhamos o casamento homossexual aprovado em lei, a decisão do Supremo Tribunal Federal de reconhecer a união estável entre pessoas do mesmo sexo abriu a brecha que o permite.

Em muitos Estados já não se criam mais dificuldades para esse tipo de casamento. E já tramita no Congresso Nacional projeto de lei que oficializa o casamento homossexual no Brasil, bem como a adoção de crianças por casais homossexuais.

Os evangélicos, pelo menos aqui na nossa pátria, têm se oposto, com maior ou menor veemência, a essa conduta reprovada nas Escrituras. Mas, meus irmãos e minhas irmãs, estamos vivendo tempos maus. Eis que foi divulgado agora que a Catedral Nacional Americana, uma igreja episcopal em Washington, capital dos Estados Unidos da América, passou a celebrar casamentos homossexuais.

Essa igreja, ao longo dos seus 106 anos, transformou-se em um símbolo americano. Era visitada anualmente por milhões de pessoas. Em sua nave foram celebradas a posse de muitos presidentes norte-americanos, entre os quais Ronald Reagan e Gerald Ford. Do seu púlpito foi proferido o último sermão do Pastor Martin Luther King. Agora, porém, seus líderes apostataram e introduziram o casamento homossexual entre as cerimônias que presidem. Segundo Gary Hall, um de seus pastores, “realizar casamentos do mesmo sexo vai além da Igreja Episcopal. O movimento também é um oportunidade para influenciar a nação.”

Vejam bem a palavra usada por esse lobo em pele de cordeiro: ”oportunidade”. Uma das versões da Bíblia (Edição Contemporânea de Almeida, Editora Vida, 2001), ao narrar a tentação de Jesus, usa essa palavra referindo-se ao diabo: “Tendo o diabo acabado toda a tentação, ausentou-se d’Ele até o momento oportuno.” (Mateus 4:11)

Parece que um dos momentos oportuno é o atual. O diabo infiltrou-se na própria igreja e passa a tentar os crentes, alguns dos quais sucumbem, como os pastores da Catedral da Catedral Nacional Americana. Jesus, que o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, foi tentado pelo diabo. É o que diz o texto que está em Lucas 4:13. Ora, se o próprio Jesus foi tentado, por que não o seríamos nós?  Recordemos, porém, que está escrito:

 

Tudo isto lhes aconteceu como exemplos, e estas coisas estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos. Aquele, pois, que pensa estar em pé, cuide para que não caia. Não veio sobre vós tentação, senão humana. E fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis resistir, antes coma tentação dará o escape, para que a possais suportar. (1 Coríntios 10:11-13)

 

A oração é vital para que não caiamos em tentação. O próprio Jesus, ao nos ensinar a orar, disse que deveríamos pedir: “...Não nos deixes cair em tentação...” (Lucas 11:4). Peçamos a Deus que não nos deixe cair em tentação e peçamos misericórdia para os pastores da Catedral Nacional Americana.

 

 

AUTOR

Renato Melillo Filho, 2013

 

 

 

Por: elevados.com.br

Publicado em 22/05/2014

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2018