Astrologia & Astronomia

 

ASTROLOGIA & ASTRONOMIA

 

 

DEFINIÇÃO 

 

Etimologicamente, a palavra Astrologia vem da soma das palavras gregas “Astron” (astros, estrelas, corpos celestes) e “logos” (palavra, estudo). 

Os próprios astrólogos e seguidores costumam se contradizer, ao defini-la. Uns a definem como uma linguagem simbólica, outros como uma forma de arte, outros como uma forma de vidência, enquanto que outros ainda a definem como uma ciência social e humana.

Essa última facção defende que as posições relativas dos corpos celestes podem definir as personalidades das pessoas, as relações humanas e até outros assuntos mundanos. Até hoje, porém, nenhum astrólogo apresentou qualquer evidência oficial ou científica acerca da eficácia desse método.

Para evitar muito aprofundamento, vamos mostrar como apenas dois segmentos importantes da sociedade definem a Astrologia:

Comunidade científica: A consideram como uma pseudociência e até como uma superstição; 

Comunidade Cristã: Espiritualmente, ela é considerada como um ramo do esoterismo oculto junto à alquimia e à magia, tida como a arte de predizer o futuro pela posição dos corpos celestes.

 

ASTROLOGIA & ASTRONOMIA

 

Segundo o site Wikipedia, os registros mais antigos dizem que a Astrologia surgiu três mil anos antes de Cristo, influenciando a ciência antiga chamada Astronomia.  De acordo com o estudioso Edino Melo, a origem da Astrologia passa pela Babilônia, Grécia, Índia e China, havendo registros de horóscopos traçados na Grécia no ano 2154 a.C. 

Até a Era Moderna, Astrologia e Astronomia não conseguiam ser entendidas separadamente, começando a separação dos conceitos com Ptolomeu, no século 18, quando a Astrologia foi retirada oficialmente do meio universitário. 

Durante muito tempo a Astrologia restringiu-se à observação do movimento dos objetos astronômicos, mas recentemente os astrólogos têm usado as informações dos astrônomos para organizar uma tabela chamada “Efemérides”, de acordo com a posição dos corpos celestes.

A ferramenta principal da Astrologia é o Horóscopo, também chamado de Carta Natal, Carta Astrológica, Mapa de Nascimento ou apenas como Carta. Para interpretar esse mapa, é importante a posição dos corpos celestes em relação aos signos do zodíaco e relação trigonométrica desses corpos entre si, entre outras coisas. Segundo os astrólogos, esses estudos preveem eventos cíclicos dos quais depende a sobrevivência humana, como a chegada de frio, de chuva, etc. 

Um grande número de astrólogos praticantes e de "filósofos” da astrologia veem a Astrologia como uma arte baseada em conhecimento técnico, conhecimento tradicional e uma concepção sistêmica do universo.

Uma das ideias que são base da Astrologia é que o posicionamento dos astros, no momento do nascimento de uma pessoa, tem relação com seu caráter e portanto seu destino, mas não há consenso entre os astrólogos sobre como se processa esta relação. 

Para quem não sabe, o mapa astral é definido como a leitura da suposta influência que os astros têm sobre as pessoas, a partir do seu nascimento, conforme o signo daquele período do ano (Áries, Touro, Gêmeos, etc.) Os signos são distribuídos em 12 divisões feitas em constelações que integram um cinturão imaginário, cujo nome é zodíaco. 

 

 

 

A ASTROLOGIA E A BÍBLIA

 

A Astrologia induz as pessoas a consultarem objetos mortos como astros e planetas, ao invés de consultarem ao Deus Vivo, atraindo o Seu juízo sobre aqueles que a consultam e praticam.  O profeta Isaías. falando sobre os astrólogos que se levantavam no seu tempo, proclamou que eles eram como o restolho e que o fogo os queimaria (Isaías 47:13,14). Já o apóstolo Paulo enfrentou uma mulher seguidora dessas artimanhas, expulsando dela os demônios que a induziam àquelas adivinhações. (Atos 7:42,43)

Caso alguém duvide dos fortes vínculos da Astrologia com o ocultismo, e que essa prática atraia demônios àqueles que a sigam, como diz 1 Coríntios 10:20, dê uma olhada nos sites ligados a esse assunto, para ver a miscelânea espiritual ali envolvida. 

Num artigo, John Ankerberg e John Weldon (site Chamada da Meia-noite) dizem que o Cristianismo se opõe à Astrologia por três razões bem claras: 

 

1) Deus condena o conselho dos astrólogos babilônicos (Isaías 47:13,14), chamando a Astrologia de prática inútil, ou seja, sem valor;

2) As predições dos astrólogos, baseadas no movimento dos astros não os salvariam do juízo divino (Deuteronômio 4:19; 17:1-5; 18:9-11; 2 Reis 17:16; 23:5; Jeremias 8:2; 19:13; Ezequiel 8:16; Amós 5:26-27). 

3) A Astrologia faz com que as pessoas transfiram sua lealdade a Deus para as coisas que Ele mesmo criou, da mesma forma como alguém poderia dar todo o crédito a uma obra de arte, esquecendo de quem a produziu. 

 

 

ERROS CIENTÍFICOS DA ASTROLOGIA

 

a) A Astrologia guia-se pelo conceito de Ptolomeu (90-168 d.C.), segundo o qual o Sol girava em torno da Terra. Porém, a partir de Galileu Galilei (1564-1642) constatou-se a existência dos demais planetas. 

b) Como a Terra se move aproximadamente 50 segundos a cada ano, desde que a Astrologia foi inventada teríamos uma diferença de dois meses a menos no tempo. A pergunta é a seguinte: Como as influências da Astrologia podem ser calculadas, se as constelações, os signos nem estão mais no mesmo lugar?

c) O futuro a Deus pertence! Essas previsões astrológicas não têm lógica, nem sustentação. 

Durante os anos de 1967 e 1968 foi realizado um estudo de pesquisa com quase três mil casais, dos quais 16% vieram a se divorciar. Como os astrólogos defendem que pessoas do signo X se compatibilizam perfeitamente com as pessoas do signo Z, pesquisou-se o signo daquelas pessoas que se divorciaram e chegou-se à conclusão de que tais “compatibilidades” não influíram em nada quanto à ocorrência da separação, não havendo nenhuma diferença com os casos que denunciavam “incompatibilidades” astrais. Os planetas não influíram nas “brigas”, assim como as “incompatibilidades astrais” não provocaram separações em outros casais que se mantiveram juntos.  

 

         

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

Aproveitamos algumas considerações da dupla John Ankerberg e John Weldon para fecharmos este artigo sobre Astrologia. Eles compararam a “luz dos astros” com Jesus, chamado de a”Luz do mundo”, sendo o Criador dos astros e de todo o universo. Eles citam João 8:12, advertindo que todos aqueles que seguirem à luz de Jesus não andarão mais em trevas. 

Quanto a procurar pelas adivinhações da Astrologia para direcionar a sua vida, Jesus convida: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei [...] e achareis descanso para a vossa alma" (Mateus 11:28-30).

Na Palavra de Deus encontramos revelações claras de que nossas vidas estão nas mãos de Deus. Davi revela-nos no Salmo 139 que Deus tudo conhece e que não podemos fugir da presença d’Ele, em hipótese alguma. Daniel, o profeta, declara ao rei Belsazar que a sua vida está nas mãos do Deus Criador, todos os seus caminhos. (Daniel 5:23).

E os nossos escritores citados terminam assim: 

Diante de nós está a escolha a ser feita: saber o que dizem os astros a meu respeito, ou saber qual a vontade de Deus para a minha vida. Convém recordarmos as palavras do apóstolo Paulo na sua Carta aos Romanos: "E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12:2). 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

 

MELO, Edino. A Bíblia: Religiões, Seitas e Heresias. Série “Ferramentas”  (Vol. II). Campinas: Transcultural Editora, 2005. 

WIKIPEDIA, a Enciclopédia Livre.  Nostradamus. Artigo postado em www.wikipedia.org/wiki/Nostradamus. Pesquisado em 25/10/2012.  

ANKERBERG, John; WELDON, John. Astrologia.  Postado no site www.chamada.com.br.  Pesquisado em novembro de 2012.

 

 

AUTOR

Walmir Damiani Corrêa

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 14/07/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2020