Profetas de Israel

 

PROFETAS DE ISRAEL

HISTÓRIA BÍBLICA

 

 

 

Introdução 

 

Segundo uma boa definição do site www.fatos-biblicos.info, a palavra “profeta” vem do hebraico “nabique”, aquele que divulga uma mensagem recebida de outrem. Já os profetas de Deus, que é o nosso enfoque específico, são aquelas pessoas que recebiam a mensagem de Deus. Os falsos profetas, também chamados “adivinhadores”, “prognosticadores”, “agoureiros” e “feiticeiros” eram pessoas que mentiam, pois sua mensagem não lhes fora dada por Deus (Deuteronômio 13:1-5 e 18:10).

Assim, num sentido geral, toda a Bíblia pode ser chamada de “profética”, pois foi escrita por homens que receberam a revelação diretamente de Deus e que a comunicaram em seus livros, por inspiração do Espírito Santo, seja qual for o seu conteúdo (2 Pedro 1:16-21). 

 

Primeira profecia Messiânica

 

Como curiosidade, vale registrarmos que a primeira profecia messiânica do Antigo Testamento está configurada na afirmação de Deus de que colocaria inimizade entre a serpente e a mulher e descendentes. Ali, o próprio Deus profetizou que “O descendente [Jesus] ferirá a sua cabeça e ela ferirá o seu calcanhar.” (Gênesis 3:15)

 

1. Isaías profetizou que no dia em que o Senhor curar a ferida do povo, a luz da lua seria tão brilhante quanto a do sol, e que a luz do sol seria sete vezes maior.  (Isaías 30:26)

2. A informação é que o profeta Isaías teve dois filhos, mas a curiosidade está no tamanho enorme do nome do segundo filho: Sear-Jasube (Isaías 7:3) e Mar-Salal-Has-Baz (Isaías 8:3)

3. O povo passava pelas provações resultantes de mau comportamento e desobediência. Nesse momento Isaías advertia Efraim de que suas camas seriam curtas demais e seus cobertores muito estreitos. É como se dissesse que eles não se sentiriam em paz, e se sentiriam mal acomodados. (Isaías 28:20)

4. Isso saiu pela boca de Isaías, que Deus estava indignado com os povos, e disse que a Sua espada se embriagaria nos céus, e desceria sobre Edom para exercer juízo. (Isaías 34:5)

5. Em suas falações, Isaías comparou as atalaias de Israel aos cães mudos, pois nada sabiam (Isaías 56:10). Depois ele previu solenemente que a Babilônia seria varrida com vassoura da perdição, vindo a se transformar em possessão de corujas e lagoa de águas. (Isaías 14:23). Quanto à batalha interna a ser suscitada entre os próprios egípcios, ele podia ouvir o “gemido de pescadores”. (Isaías 19:8)

6. Já no final do seu livro, o profeta convida a todos que participem dos bens da nova aliança, uma espécie de novo êxodo, onde o deserto árido se transforma numa terra prometida fértil. É nesse contexto que surgiu aquela frase maravilhosa de que “as árvores baterão palmas”. (Isaías 55:12)

7. Isaías andou nu e descalço por três anos, por ordem de Deus. Na verdade, ele não andava totalmente sem roupas, pois acredita-se que ele abriu mão de suas austeras vestes proféticas, a sua túnica. Era costume de Isaías usar uma veste especial que consistia num saco grosso de pele de bode ou de camelo parecido com o saco de aniagem dos nossos dias, próprio para ensacar grãos. Entende-se que a ordem de “desnudar-se”, dada por Deus, desse uma ideia um profeta parecer nu quando não usasse seu traje costumeiro. Veja que a Bíblia faz menção a esse traje com outros dois profetas: Elias (2 Reis 1:8)  e João Batista (Mateus 3:4)

1. Profeta que manteve uma atividade intensa no seu ministério. Durante o reinado de Josias, por exemplo, Jeremias profetizou incansavelmente, durante 23 anos, da chegada de um exílio ao povo de Judá. (Jeremias 25:3) Deus o proibiu de se casar, pois isso, certamente, prejudicaria o seu desempenho como profeta. (Jeremias 16:1,2)

2. Embora só falasse aquilo que Deus mandava, Jeremias foi acusado e desacatado por pessoas do seu povo, sendo chamado publicamente de mentiroso. Eras pessoas arrogantes que não aceitavam palavras que não vinham de encontro aos seus interesses. Entre essas pessoas estavam Azarias e Joanã. (Jeremias 43:2)

3. É curioso, mas o sabão já existia na época desses dos profetas Jeremias e Malaquias, conforme citações bíblicas deles. (Jeremias 2:22 e Malaquias 3:2)

4. Esse profeta gostava muito de ver e comparar o Senhor e outras pessoas a determinadas coisas. Por exemplo, considerava a Babilônia com “um cálice de ouro nas mãos de Deus”, por ela ter embriagando todas as nações (Jer 51:7). Depois, comparou o Senhor com um “martelo de guerra” (Jer 51:20). Finalmente, comparou Jeconias, o filho do rei Jeoiaquim, a um “vaso quebrado”, uma pessoa sem muito valor. (Jeremias 22:24-28)

5. Deus autoriza Jeremias a mandar uma mensagem a todos os que estavam no exílio, de que Semaías havia profetizado sem ordem do Alto, transformando-se num mentiroso. Como castigo, o Senhor determinou que esse profeta não teria uma descendência, e não veria o bem que Deus viria a fazer ao povo. (Jeremias 29:31,32)

 

 

1. Elias foi um profeta que viveu em Israel nos tempos do rei Acabe, quando foi introduzida a adoração ao deus Baal. Por tudo isso, Deus usou Elias para fazer milagres e trazer julgamento sobre a nação de Israel. Elias foi muito perseguido por Jezabel, esposa do rei Acabe, sendo que Deus o orientou a fugir e esconder-se em cavernas. Lá ele foi alimentado por corvos que lhe traziam pão e carne duas vezes por dia, enquanto bebia a água do rio Jordão. No final de sua vida, 

2. Nas suas profecias, Elias previa que não choveria por três anos, em Israel. Depois desse tempo de seca, Elias voltou e desafiou os profetas do rei Acabe. Ele construiu um altar, encharcou de água e depois pediu para Deus enviar fogo e, como resultado, o fogo destruiu tudo que estava no altar. Só após a morte desses profetas de Baal é que Elias pediu a Deus por chuva e, depois de três anos, ela veio. (1 Reis 18)

3. Enquanto Elias estava caminhando pelas margens do rio Jordão, ele foi levado para o céu dentro de um carro de fogo puxado por cavalos de fogo. Eliseu foi seu sucessor no ministério. (2 Reis 2)

 

 

1. O profeta Zacarias recebeu 8 visões da parte de Deus, para que admoestasse ao povo israelita. Na segunda visão, ele teve a oportunidade de contemplar a quatro ferreiros. (Zacarias 1:20)

2. Na quarta visão, ele viu a Satanás e o Anjo do Senhor ao lado do sumo sacerdote Josué (Zc 3:1); na oitava visão, viu cavalos de quatro cores diferentes: vermelhos, pretos, brancos e baios (Zc 6:2,3); em outra, viu 4 carros passando entre duas montanhas de metal (Zc 6:1); falando sobre a vida do Senhor, o profeta viu o Monte das Oliveiras se fendendo em duas partes. (Zc 14:4)

3. Pela boca desse profeta Deus previu que cavalos e cavaleiros invasores seriam castigados. Segundo a profecia, todos os cavalos dos inimigos seriam feridos de pânico e cegueira, enquanto que seus cavaleiros seriam acometidos de loucura. (Zacarias 12:4)

 

 

1. Sucessor do profeta Elias, Eliseu foi líder dos filhos dos profetas de Israel, na conhecida Escolha de Profetas, na época do rei Jeorão, mais ou menos 850 anos a.C. Seu status de grande profeta pode ser medido pelo fato do Senhor Jesus ter mencionado seu nome. (Lucas 4:27)

2. A cura de Naamã marcou a carreira de Eliseu, como profeta. Ele foi procurado por Naamã, acometido de lepra, sendo aconselhado a mergulhar 7 vezes no rio para que se curasse. Calcula-se que o presente oferecido pelo capitão do exército sírio equivalesse hoje a 48 mil dólares: 350 quilos de prata, 72 quilos de ouro e 10 trajes de tecidos finos. (II Reis 5:5)

3. Um grupo de lenhadores cortava troncos à beira do rio para erguerem uma casa, tendo a companhia do profeta Eliseu. Um dos homens errou a machadada e a ferramenta afundou no rio. Diante da tristeza do homem, Eliseu tomou uma vara, lançou-a no lugar onde caíra o machado e o mesmo flutuou. (II Reis 6:5,7)

4. No momento em que Elias estava para passar para Eliseu o seu ministério de profeta, perguntou o que ele gostaria de receber, o que provocou aquele pedido inesperado e que até hoje é comentado nas reuniões dos filhos de Deus: “Quero uma porção dobrada do seu espírito!”  Porção dobrada era o direito que o filho primogênito de um israelita tinha. O curioso é que Elias operou oito milagres, enquanto que Eliseu operaria o dobro: 16 milagres. 

 

1. Malaquias foi o homem que Deus usou para falar ao Seu Povo depois do cativeiro da Babilônia. Nessa época, o povo de Deus ainda estava sob o domínio persa, o templo fora restaurado, mas a infidelidade continuava, pois as pessoas estavam desanimadas, sentiam saudades dos antigos reinos. Foi esse cenário que exigiu a presença do profeta Malaquias, a mando de Deus, e que trouxe antipatias por parte dos líderes religiosos.

2. Existe uma frase de Malaquias que tem dado muito o que falar, quando ele afirma que os homens estão roubando a Deus. Ele estava dizendo que o fato dos homens deixarem de entregar os dízimos na Casa do Senhor é o mesmo que estar roubando a Deus. (Malaquias 3:8,9)

3. É curioso, mas o sabão já existia na época desses dos profetas Jeremias e Malaquias, conforme citações bíblicas deles. (Jeremias 2:22 e Malaquias 3:2)

4. Malaquias também foi autor de uma profecia messiânica, quando falava da vinda do “Sol da Justiça” (Malaquias 4:2)

 

 

1. Daniel tinha 18 anos quando o povo de Deus e todos os utensílios do templo foram levados para o exílio da Babilônia pelo rei Nabucodonosor. Vale registrar que Jerusalém ficava a aproximadamente 1.500 quilômetros de Babilônia. Mesmo sendo fiel aos princípios bíblicos, ele foi alçado a cargos oficiais do Império, pois Deus o amava. Ele era procurado para desvendar os sonhos do rei. (605 a.C.)

2. Durante o exílio babilônico existiam preocupações com dietas e saúde. Conta a Bíblia que o profeta Daniel e seus amigos Sadaque, Mesaque e Abede-Nego mantinham uma dieta a base de legumes, e que isso os mantinha mais saudáveis e bonitos. Na verdade, eles se negavam a comer as iguarias oferecidas pelo rei.  (Daniel 1:11-15)

3. Daniel, Mesaque, Sadraque e Abede-Nego faziam parte do grupo de jovens sem defeitos, boa aparência, doutos em ciências, instruídos em toda a sabedoria, de modo que assistissem no palácio do rei e lhes ensinasse a cultura e a língua dos caldeus. (Daniel 1:4)  O rei não compeliu os jovens hebreus a renunciarem à sua fé em favor da idolatria babilônica, mas esperava alcançar isso gradualmente. 

 

 

1. Como Moisés era filho de escravos hebreus, e a vida dos meninos que nasciam eram ameaçadas pelo governo egípcio, sua mãe mandou que a irmã dele o pusesse num cestinho de vime e deixasse que as águas do Nilo o levassem até alguém que o adotasse. Foi levado até o local do palácio real onde a filha do Faraó se banhava com suas ajudantes, adotado por ela e criado numa vida de luxo do Egito. (Êxodo 2:1-10)  

2. Moisés, esse líder do povo hebreu, oferece uma quantidade incontável de fatos curiosos, dada a sua gigantesca participação na história do Povo de Deus. Uma delas é que ele mesmo se considerava “pesado de boca e pesado de língua”, tentando explicar sua falta de eloquência para desempenhar as funções de líder, quando fosse obrigado a falar em público. Acredita-se que, além da falta de eloquência, poderia estar lhe oprimindo defeitos na fala como ser gago ou fanho. Uma terceira opinião dos estudiosos é que ele não se considerava culto o suficiente para tal situação. (Êxodo 4:10)

3. Por ter matado um soldado egípcio que ferira um hebreu, Moisés fugiu para Midiã, onde viveu 40 anos como um humilde pastor de ovelhas. 

 

 

1. Amós era pastor de ovelhas em Judá quando Deus o chamou para alertar ao povo de Israel de que seria destruído. Isso aconteceu durante o opulento reinado de Jeroboão II. Como a mensagem parecia ridícula, ela não foi aceita pelos sacerdotes, nem pelo povo em geral. Amós defendia-se que não era profeta, era apenas um boiadeiro e um colhedor de sicômoros, mas que o Senhor lhe mandara dizer aquela palavra. (Amós 3)

2. Através desse profeta, Deus convocava Israel ao arrependimento, num momento em que era governada pelos reis Uzias e Jeroboão. Era uma época em que a nação prosperava, mas o pecado destruía tudo. O mais curioso é que, descendo das colinas, Amós falava ao povo sobre a constelação de Órion e seu significado. (Amós 5:8)

3. O profeta Amós teve uma visão do Senhor segurando uma ferramenta chamada “prumo”, que serve para determinar o nível numa construção. (Amós 7:7)  Ele mesmo também teve uma visão de um cesto cheio de frutas. (Amós 8:1,2) 

 

 

1. Entre as profecias de Ezequiel está aquela em que os homens serão salvos da morte por possuírem sinais da testa. (Ezequiel 9:4-7)

2. Que ordem estranha recebeu esse profeta! Ele teria que deitar 390 dias para o lado esquerdo e depois 40 dias para o lado direito. Segundo o texto, isso representava a maldade da casa de Israel (Ez 4:4-6). Em outra ocasião, Ezequiel recebeu ordens de Deus para fazer um buraco numa parede e depois fugir (Ez 12:5-7). Em outro caso de parede de alvenaria, Ezequiel teve a visão de uma grande saraiva (chuva de pedra) que estava derrubando a parede. (Ez 13:10-14)

 

 

1. Samuel era filho de Elcana e Ana, descendentes de Levi. Ele teve dois filhos: Joel, o primogênito, e Abias, o segundo filho. (1 Samuel 2:1-11 e 1 Crônicas 6:28)

2. No primeiro livro de Samuel, vemos o registro da unção do rei Saul (1 Sm 10), a unção de Davi para rei em Israel (1 Sm 16), a histórica luta entre Davi e Golias (1 Sm 17), e a morte do próprio profeta (1 Sm 25). 

3. Depois de muito errar e assustado com os ataques dos filisteus, o rei Saul resolve orientar-se com uma feiticeira, onde acontece a “aparição” do profeta Samuel que teria vindo para aconselhar ao rei. Logicamente, tudo isso não passava de uma fraude. (1 Samuel 28)

1. Esse era um profeta complicado! Primeiro Deus lhe mandou ir a Nínive levantar um clamor contra aquela grande cidade, mas ele acovardou-se e tentou fugir, pegando o primeiro navio que encontrou. (Jn1:1-3). Deus não se deu por vencido e mandou uma tempestade para que ele não pudesse fugir, mas Jonas dormia nos porões do navio, para fúria dos demais passageiros (Jn1:4-15). Descobrindo que ele fugia do Senhor e por isso lhes sobreveio tal desgraça, jogaram Jonas no mar, quando um grande peixe o tragou, ficando dentro dele por 3 dias e 3 noites. (Jn 1:17) Desesperado, tendo a cabeça coberta por algas, Jonas orou ao Senhor pedindo por livramento, pois estava se sentindo literalmente nas profundezas. E o Senhor voltou atrás, fez com que o peixe vomitasse ao profeta e ele, finalmente pôde ir a Nínive cumprir a tarefa da qual queria fugir. (Jn 2:10)

2. Clamando que em 40 dias Nínive se subverteria, isso fez com que o povo cresse no Deus que lhe estava mandando aquela profecia. Quando a notícia chegou ao rei, rasgou suas vestes, vestiu-se de saco e assentou-se sobre cinzas. Pessoas e animais entraram num jejum completo. Quando Deus viu que os ninivitas se converteram do mau caminho, retirou Sua decisão. Mas Jonas, complicado como era, ficou irado com a decisão de Deus, pois as coisas que Deus mandou que ele profetizasse, não mais se cumpririam. Não passava de um homem necessitado de amadurecimento espiritual na presença de Deus. (Jonas 4:1-11)

 

1. Comentando sobre a queda de Nínive, Naum a comparou com uma cisterna, uma cidade transformada num tanque cujas águas estavam fugindo, escapando. (Naum 2:8)

2. Falando ao rei da Assíria, o profeta Naum criticava a preguiça que por lá acontecia, mencionando os “pastores dorminhocos” nas montanhas, e os “nobres descansados” nas vilas. (Naum 3:18)

 

1. Miquéias profetizou na época dos reinados de Jotão, Acaz e Ezequias, de que a ação do Senhor sobre Seu Povo faria com que os montes se derretessem, os vales se fenderiam, da mesma forma como a água se precipita pelos abismos. (Miquéias 1:4)

2. No seu tempo, o profeta Miquéias criticava as autoridades constituídas em Israel, dizendo que os sacerdotes ensinavam por interesse e os profetas adivinhavam por dinheiro. (Miquéias 3:11)

1. O profeta Habacuque é lembrado por causa de sua mensagem de avivamento para seus dias, a qual, pela sua profundidade, alcança também a Igreja de hoje. Sua palavra sustenta os filhos de Deus, os cristãos de nossos dias, diante do grande risco de sermos infectados pela mornidão espiritual que assola algumas de nossas igrejas, como já acontecera ao tempo de João e está narrado em Apocalipse 3:15,16. 

2. O fato pitoresco na vida de Habacuque era a forma como ele descrevia as suas visões. Ele dizia que as visões chegavam a ele como se fossem raios saindo das mãos do Senhor. Ele costumava dizer que era nisso que se escondia a sua força. (Habacuque 3:4)

 

 

 

 

 

1. Praticamente todos os grandes profetas conhecidos pertencem aos tempos do Antigo Testamento, sendo que Malaquias encerra os livros registrados ali. Depois desses, passaram 400 anos até que surgiu um novo profeta, de nome João Batista, filho do sacerdote Zacarias e Isabel, prima de Maria. Segundo os registros bíblicos, Maria, também grávida, foi visitar sua prima Isabel, e ao saudá-la, o feto dentro de Isabel saltou e ela foi cheia do Espírito Santo. A diferença de idade entre os primos é de alguns meses. (Lucas 1)

2. João Batista pregava no deserto, onde profetizava a chegada do Messias, do Salvador. Sua pregação era contundente, objetivando levar os homens ao arrependimento dos seus pecados. Aqueles que acreditavam nas suas palavras era batizados nas águas do rio Jordão. (Mateus 3:1-12)

3. No meio daqueles homens que ali apareciam para ouvir as palavras de João Batista e serem batizados por ele, um dia apareceu Jesus, imediatamente sendo reconhecido por João Batista, pois a força espiritual que os ligava era muito forte. (Mateus 3:13-17)

 

 

1. Oséias profetizou na época dos reinados de Jotão, Uzias, Acaz e Ezequias em Judá e de Jeroboão em Israel. A mando de Deus ele procurou por esposa a Gômer, uma mulher de prostituições. Depois de algum tempo e de gerar a três filhos, ela começou a se afastar do marido e foi em busca do afeto de outros amantes. Oséias tinha conhecimento de que essa história se parecia muito com o que aconteceria com Israel. (Oséias 1)

2. Nota-se, com clareza, que é normal as pessoas se utilizarem do seu meio ambiente para exemplificar aquilo que estão vendo. O profeta Oséias, discípulo de Amós, era acostumado com a companhia dos animais de criação, e não fez a menor cerimônia em comparar Israel com uma “vaca rebelde”. (Oséias 4:16)

 

 

O profeta Ágabo, pouco mencionado na Bíblia, fazia parte daquele grupo missionário mandado de Jerusalém para ensinar em Antioquia. Ali ele profetizou, pelo Espírito, que estava por vir uma grande fome em todo o mundo, e que aconteceria no tempo de Cláudio. Isso suscitou uma campanha de mandar ajuda para a Judeia, usando os missionário Saulo e Barnabé. (Atos 11:27-30)

 

 

 

 

O PROFETA DE JUDÁ

 

Existe um profeta nos relatos bíblicos cujos nome não foi revelado. Apenas se sabe que “um homem de Deus” veio de Judá para encontrar-se com o rei Jeroboão, em Betel. Após destruir os altares e outros deuses, esse profeta recusou-se a comer na casa desse rei, recusando o convite.  (1 Reis 13:7,8)

 

JEDÚTUM

 

Esse profeta é do tempo do reinado de Davi, quando o rei decidiu separar pessoas para profetizarem com harpas, alaúdes e saltérios. Coube a Jedútum e seus filhos profetizarem com harpas, em ações de graça e louvores ao Senhor. (I Crônicas 25:1-3)

 

PESQUISADOR

Walmir Damiani Corrêa

 

 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 29/05/2016

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2019