Mulheres Bíblicas

 

MULHERES BÍBLICAS

HISTÓRIA BÍBLICA

 

 

É muito comum assistirmos pregações e estudos destacando a importância das mulheres bíblicas, pois apesar da forma injusta como eram tratadas na época, muitas conseguiram ultrapassar as barreiras impostas e servir com dignidade ao Reino de Deus.

Com esse intuito, procuraremos mostrar uma série de fatos curiosos relacionados a mulheres que se destacaram nas Sagradas Escrituras, algumas por causa de seu parentesco com personagens bíblicos, outras por se submeterem à liderança de grandes homens da Igreja, outras de maneira totalmente anônima, sendo apenas citadas, mesmo sem serem identificadas para a posteridade.

Como anexamos a citação bíblica para cada fato, nosso leitor poderá ampliar seu conhecimento ao pesquisar os textos de forma a tomar conhecimento do contexto.

 

A PRESENÇA FEMININA NA GENEALOGIA DE JESUS

 

A genealogia de Jesus registrada no Evangelho de Mateus ressalta Sua descendência a partir de Abraão, descendo por Isaque, Jacó e Judá. A partir daí, salta aos olhos uma participação feminina nessa genealogia, através de Tamar, filha de Judá, e assim por diante.

TAMAR -  Ela foi gerada por Judá, sendo neta de Jacó, bisneta de Isaque e consequentemente tataraneta de Abraão (Mateus 1:3);

RAABE -  É a mulher de Jericó que hospedou os espiões de Josué, ajudando indiretamente na invasão e conquista daquela cidade. (Mateus 1:5 e Josué 2)

RUTE -  Essa mulher era moabita, casada com Boás, vindo a transformar-se na bisavó do rei Davi (Mateus 1:5  e Rute 4:13-17)

BATE-SEBA -  Ela era esposa de Urias quando foi pretendida pelo rei Davi, vindo a tornar-se mãe do rei Salomão. (Mateus 1:6 e II Samuel 11:14-17)

MARIA  -  A mãe de Jesus, colocando-se ao serviço de Deus, mesmo tendo que enfrentar os problemas culturais da época. (Mateus 1:16)

A chegada de Jesus a este mundo passou por essas cinco mulheres e damos graças a Deus pelas suas vidas, não por aquilo em que elas pudessem ser julgadas, mas pelo simples fato de participarem como mães nessa genealogia. 

 

AS  MULHERES DOS ESPELHOS

 

 

A maioria das pessoas não dá a devida importância a essa atitude das mulheres hebreias por ocasião do êxodo. Quando o tabernáculo móvel começou a ser construído no deserto, toda a matéria-prima utilizada vinha de doação do povo ali envolvido. Às mulheres coube doarem seus espelhos de bronze/cobre (figura acima) para serem derretidos e, com isso poder-se fabricar os utensílios a serem utilizados no altar de holocausto (Êxodos 38:8).

Parece ser uma atitude simples, mas vamos lembrar que não havia espelhos de vidro naquela época, e esses espelhinhos de cobre/bronze precisavam ser polidos exaustivamente até o ponto de poderem refletir a beleza das mulheres, durante o demorado processo de maquiagem. Era uma peça bem cara. Imagine-se, agora, as mulheres abrindo mão desses instrumentos, como será que elas conseguiram desenvolver a maquiagem a que estavam acostumadas? 

 

A IDADE DAS MULHERES BÍBLICAS

 

 

Todos nós sabemos que não é educado comentar-se sobre a idade das mulheres e, talvez, seja esse o motivo de não de tratar sobre isso também na Bíblia. Para se ter ideia, a única mulher cuja idade foi mencionada nas Sagradas Escrituras foi a de Sara, esposa de Abraão, talvez pelo fato curioso de ela engravidar aos 89 anos de idade. Talvez tenha sido essa a única forma de se enaltecer o milagre divino dessa gravidez. (Gênesis 23:1)

 

JOQUEBEDE, A MÃE DE MOISÉS

 

 

Do casamento de Joquebede e Anrão nasceram duas pessoas expressivas do Antigo Testamento: Moisés e Arão (Êxodo 6:20). Quando Moisés nasceu, os meninos eram condenados a serem jogados no rio, pois crescia muito a população dos escravos hebreus, o que representava uma ameaça ao futuro dos egípcios. Tentando salvar a vida do irmãozinho recém-nascido, a irmã mais velha de Moisés colocou o bebê num cesto que flutuava sobre o rio Nilo, indo parar no palácio, onde se banhava a filha do Faraó. Ela interessou-se em adotá-lo, mas soube que o menino era hebreu, e foi “aconselhada” pela irmã dele a deixá-lo com uma ama hebreia até que se criasse e depois voltasse para o palácio. Foi por essa “coincidência” que Moisés foi criado pela própria mãe Joquebede e depois voltou para a mãe adotiva (filha do Faraó), chegando um dia ao cargo de administrador do Egito. (Êxodo 2:9)

 

A MULHER SUNAMITA

 

 

Essa mulher era rica, casada e morava em Suném, e certa vez convidou o profeta Eliseu para almoçar em sua casa. Convencida dos valores espirituais desse homem, comunicou ao marido que construiria um quarto para ele no terraço da casa, para que ele utilizasse sempre que passasse por Suném. Assim fez e assim passou a acontecer. 

Como profeta ele sentiu que o maior desejo dessa mulher era ter um filho de seu marido já velho, sonho que foi realizado. Um dia o menino adoeceu e morreu, e a mulher sunamita colocou o corpo do menino sobre a cama em que o profeta costumava dormir. 

Onde Eliseu estava, levantou-se e partiu em direção a Suném, pois sentia que algo tinha acontecido com aquela família tão caridosa. Chegando, deitou sobre o corpo do menino morto, fixou seus olhos nos olhos dele, sua boa sobre a boca dele, suas mãos sobre as mãos dele e o corpo do menino começou a se aquecer. Deitou novamente sobre o corpo dele, quando o menino espirrou sete vezes e abriu os olhos.

 

JEZABEL, A ESPOSA DO REI ACABE

 

 

Essa mulher era terrível! Como esposa do rei Acabe, ela fazia o que quisesse com o marido. Ela chegava a escrever cartas para autoridades como se fosse o rei, selava-as com o sinete dele, exigindo, ameaçando e perseguindo pessoas (1 Reis 21:8). Ela mandou matar muitos profetas do Deus Altíssimo, sendo que Elias fugiu das mãos dela para preservar sua vida (1 Reis 19).

 

JEZABEL, A PROFETIZA DE TIATIRA

 

 

A profetiza da Igreja de Tiatira, pelos seus poucos valores morais, por ser uma prostituta, ela foi apelidada de “Jezabel”, quando surgia comparativos de sua semelhança moral com a Jezabel do rei Acabe. Essa mulher se considerava a profetisa da Igreja de Tiatira, dando-se o direito de dar ensino aos membros da comunidade, seduzia-os a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas aos ídolos. Um problema sério!  (Apocalipse 2:20)

 

LÍDIA, A PRIMEIRA CRISTÃ DA EUROPA

 

 

A primeira mulher em solo europeu a se converter ao cristianismo foi Lídia, quando Paulo foi movido a passar de Trôade para a Macedônia. Assim que aceitou a Jesus, Lídia convidou a Paulo e comitiva a hospedarem-se em sua casa, que se transformaria na primeira igreja de Filipos e na Europa (Atos 16:14).  A foto acima mostra uma capela que representa o lugar onde Lídia teria sido batizada pelo apóstolo Paulo. 

 

AS MULHERES TAMBÉM SONHAM

 

 

Apesar de bastante ser citado o fato das mulheres serem sonhadoras, existe apenas uma citação bíblica sobre uma mulher sonhando. Vamos recordar daquela cena em que Jesus estava perante Pilatos, o qual não sabia o que fazer com o Mestre, pois não via culpa alguma n’Ele que servisse para condená-Lo. Naquele texto, podemos ver a sua esposa de Pilatos dizendo a ele que sonhara um sonho a respeito de Jesus, e que nesse sonho ela sofria muito com o que estavam fazendo com Ele (Mateus 27:19).  Pois essa é a única oportunidade em que a Bíblia fala sobre uma mulher sonhando.

 

FINÉIAS: A MORTE DE UMA MULHER GRÁVIDA

 

 

Alguns relatos bíblicos se referem ao roubo da arca por inimigos de Israel, que sofreram doenças enquanto tinham a arca em seu poder. Homens que a tocavam, não sendo ou sacerdotes completamente puros, morriam fulminados instantaneamente. Diante dessas terríveis doenças causadas pela presença da "Arca" do Senhor Deus de Israel, os filisteus se viram numa necessidade de se livrarem do objeto sagrado; então, a mandaram para a cidade de Gate, e logo após para Ecron, sendo sempre rejeitada, o que acarretou na sua devolução ao povo de Israel.

Num desses roubos contados pela Bíblia, uma mulher grávida chamada soube do roubo da Arca da Aliança, fato que culminou com a morte do seu marido e de seu sogro. O sofrimento lhe impôs um parto prematuro e a sua própria morte em seguida. (I Samuel 4:19,20)

 

NOEMI: UMA SOGRA CONSIDERADA COMO MÃE

 

 

A única vez em que se pode ler na Bíblia de mulheres se beijando, aconteceu quando Noemi se despediu das suas duas noras moabita Rute e Orfa, dando um beijo em cada uma delas (Rute 1:9,14). Vale aqui registrar que essa mulher foi a única sogra a receber menção honrosa no Antigo Testamento (Rute 4:14-17).

 

AGAR: DUPLAMENTE ESCRAVA 

 

 

Como se sabe, Sara duvidou das palavras de Deus de que ela teria um filho em idade já avançada (89 anos). Servindo-se de um costume da época, Sara encarregou sua escrava egípcia Agar a deitar com seu marido Abraão, para que o filho prometido viesse através dela.  Agar deu à luz a Ismael e quando foi mandada embora, chorou diante da possibilidade de perder seu filho no deserto. Essa é a mais antiga referência bíblica a alguém derramando lágrimas. (Gênesis 21:16)

 

VIÚVAS LEVIANAS: CUIDADO COM ELAS

 

 

Não é coisa do século XXI, caros leitores! Na sua primeira carta a Timóteo, o apóstolo Paulo advertiu-o sobre a ação de viúvas levianas, as viúvas mais jovens que se tornavam ociosas, andando de casa em casa, tornando-se faladeiras e intrigantes. (1 Timóteo 5:13)

 

MULHERES PROVOCANTES

 

 

Mais uma comprovação de que essas coisas sempre existiram. Estamos agora nos tempos de Isaías, mais ou menos 700 anos antes de Jesus. Já nessa época ele criticava as filhas de Sião que se exaltavam, exibindo olhares provocantes, andando como se estivessem dançando, para destacar os ornamentos dos seus pés. Na sua forma rude de dizer as coisas, Isaías afirmou que Deus as desnudaria, tirando-lhes os ornamentos femininos como anéis, toucas, colares, brincos, braceletes, diademas, cintos, caixinhas de perfume, amuletos e véus. (Is 3:16-24)

 

A MULHER ANÔNIMA DA 2ª EPÍSTOLA DE JOÃO

 

 

A segunda epístola do apóstolo João é endereçada a uma mulher cristã, talvez uma viúva, pois em momento algum é citado o nome de um pretenso marido, apenas uma menção ao fato de alguns de seus filhos estarem no caminho da verdade. Essa mulher, porém, estava mantendo amizades indiscriminada com incrédulos, o que poderia lhe trazer problemas espirituais futuros para ela e para a sua comunidade (II João 1-13).  Quando se fica ouvindo coisas de todos os lados, há uma grande possibilidade de que alguma coisa ruim se manifeste ali. 

 

AS MULHERES PRISIONEIRAS

 

 

Durante as operações de guerra do povo de Israel, o Senhor permitia que Seus soldados se apropriassem das mulheres formosas entre os prisioneiros, mas com a condição de que elas raspassem suas cabeças e cortassem suas unhas. (Deuteronômio 21:12)

 

RAINHA VASTI  x  RAINHA ESTER

 

 

A rainha Vasti é contada em versos e prosas como uma mulher lindíssima, maravilhosa, e que enchia o rei Assuero de orgulho. Porém, sua beleza deve ter lhe subido à cabeça, pois transformou-se numa pessoa desobediente a seu marido, chegando ao ponto de envergonhá-lo perante a corte real. Seu prêmio foi a destituição da posição de rainha, sendo que Assuero colocou em seu lugar a Ester, outra bela mulher, só que de origem hebreia. (Ester 1:16-22)

 

LÓIDE, A AVÓ DE TIMÓTEO

 

Entre as mulheres mais operosas na Igreja Primitiva, destaca-se Lóide, a avó de Timóteo. Ela foi mencionada numa carta de Paulo no Novo Testamento (2 Timóteo 1:5). A figura acima foi extraída de um quadro do artista Rembrandt. 

 

A MULHER DE LÓ

 

 

Mesmo anônima, essa mulher se destaca na Bíblia pela sua desobediência, pela qual é sempre lembrada e tema de mensagens nas igrejas de todo o mundo cristão. A esposa de Ló “olhou para trás” na fuga de Somoda, mesmo tendo sido prevenida para não fazer isso. Como se vê pela representação artística acima, pela sua atitude, ela foi transformada numa estátua de sal. (Gênesis 19:12-26 e Lucas 17:32)

 

ANA LUTOU PELO SEU SONHO

 

 

Ana ia frequentemente ao templo para orar, sempre pedindo ao Senhor pela bênção da gravidez. Ela orava tão rápido e incessantemente que parecia estar embriagada. O filho que Deus lhe deu foi Samuel, que ela prometera entregar no templo para o serviço do Senhor. Assim veio ao mundo o profeta Samuel. (1 Samuel 1:12-15)

 

MIRIÃ FOI ACOMETIDA DE LEPRA

 

Entre as personagens femininas importantes que aparecem no Antigo Testamento, localizamos MIRIÃ, irmã mais velha de Moisés e de Aarão, líder que acompanhou a travessia do deserto junto com o povo de Deus. A imagem acima ilustra como ela seguiu o cestinho do bebê Moisés até o local do palácio onde a filha de faraó se banhava (Êxodo 2:1-10). 

Durante a viagem pelo deserto ela murmurou contra Moisés, juntamente com o sacerdote Arão, seu outro irmão (Números 12:10), e por essa rebeldia ela foi castigada por Deus, sendo atacada de lepra. Essa doença terrível afastava a pessoa do convívio da sua comunidade. Moisés teve compaixão da irmã e intercedeu por ela, sendo que Deus a curou e ela ficou viva até quase o final da travessia. 

A curiosidade ligada a toda essa história é que Miriã foi a única mulher acometida de lepra, nos registros da Bíblia Sagrada.

 

REBECA, A ESPOSA PROMETIDA A ISAQUE

 

 

Essa história mostra o primeiro registro bíblico de uma mulher cobrindo sua cabeça com um véu. Isso aconteceu na ocasião em que ela avistou Isaque chegando, o seu futuro marido “encomendado”, como era costume da época e daquele povo. A Bíblia conta que “assim que o viu, apressou-se em cobrir a sua cabeça.” (Gênesis 24:65)   Era um sinal de respeito. 

 

RAQUEL, A ESPOSA DE JACÓ

 

 

Cansado dos problemas que teve com Labão, o seu ardiloso sogro, Jacó resolveu fugir com a sua esposa Raquel, para tentar iniciar uma vida própria, na sua terra natal. Aproveitando a ausência do seu pai, Raquel furtou alguns de seus ídolos (Gênesis 31:19,20). A ilustração acima é obra de Rodolfo Amoedo.

 

MARIA DE BETÂNIA:  A PUREZA SUSCITANDO CRÍTICAS

 

Este é um dos temas mais abordados nas mensagens pregadas nas igrejas cristãs, quando as irmãs Maria e Marta (irmãs de Lázaro) estavam hospedando Jesus. Enquanto Marta se ocupava com os afazeres da casa, os preparativos para servir ao Mestre, sua irmã Maria se colocava aos pés d’Ele para ouvi-lo. Quando Marta reclamou que a irmã não a estava ajudando, Jesus se apressou em defendê-la, dizendo que enquanto Marta se inquietava com coisas menores, Maria escolheu a melhor parte, ou seja, aprender a Palavra de Deus. (Lucas 10:38-42)

Em outra oportunidade, após a morte e ressurreição do seu irmão Lázaro, a família promovia um banquete para festejar o milagre, e Maria derramou uma libra de nardo puro sobre a cabeça de Jesus. Trata-se de um perfume caríssimo, acondicionado em vasos de alabastro. Outra vez ela foi criticada, desta vez por Judas Iscariotis, dizendo que tal preciosidade deveria ser guardada e não despejada de uma vez sobre a cabeça de uma só pessoa. (Marcos 14:3 e João 12:1-8)  

 

RAABE, A MERETRIZ

 

 

Raabe era uma prostituta que morava em Jericó, e  que escolheu acreditar na obra do Deus de Israel, abrindo sua casa para abrigar e esconder dois espiões mandados por Josué para estudar as possibilidades de invasão daquela cidade.  (Josué 2:4)

Apesar de ser prostituta, ela tinha qualidades que, hoje em dia, é difícil de se encontrar, até mesmo entre as mulheres que servem a Deus. Além de ser uma mulher de fé, Raabe foi corajosa, e misericordiosa. Como prêmio pela sua atitude, ela e toda a sua família foram retirados em segurança da cidade, por ordens do comandante Josué, com tudo o que lhes pertencia. Mais tarde, ela casou-se com Salmon, que viria a ser o pai de Boaz (marido de Rute), avô de Jessé e bisavô do rei Davi. Assim, Raabe passa a fazer parte da genealogia do Senhor Jesus.

Para se ter ideia da grandeza e repercussão desse ato, Raabe faz parte de um grupo mínimo de mulheres na galeria dos grandes heróis da fé, citada em Hebreus 11, sendo citada no Novo Testamento (Tiago 2:25 e Hebreus 11:31), como mulher justificada diante de Deus pela sua fé.  

 
 

 AUTOR DA PESQUISA

Walmir Damiani Corrêa

Por: elevados.com.br

Publicado em 07/06/2016

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2019