Maria Madalena: personagem do Novo Testamento

 MARIA MADALENA

PERSONAGEM DO NOVO TESTAMENTO
 
 



IDENTIFICAÇÃO
 
 
 
Maria Madalena é descrita no Novo Testamento como uma das seguidoras mais dedicadas de Jesus Cristo, figura proeminente em todas as vertentes cristãs. 
 
Popularmente também se acredita que Madalena era o seu sobrenome, outro engano, uma vez que esse conceito de parentesco não existia entre o povo judeu. O correto, segundo a maioria acredita, é que ela era chamada de Madalena porque era natural de Magdala, cidade localizada na costa ocidental do Mar da Galileia.
 
Quanto à sua origem, ela nasceu na cidade de Magdale, em Israel, falecendo em Éfeso, na Turquia.
 
 
 
SUAS CRENÇAS
 
 
 
 
Conforme lemos em alguns textos bíblicos (Lucas 8:2, Lucas 11:26 e Marcos 16:9), Maria Madalena acreditava que Jesus era realmente o Messias. Depois que O conheceu, ela nunca mais deixou de segui-Lo, estando presente durante todo o tempo de crucificação e trabalhos funerais.
 
Junto com ela estavam Maria de Nazaré (a mãe de Jesus), e outras mulheres (Mateus 27:56, Marcos 15:40, Lucas 23:49 e João 19:25). 
 
No final do dia seguinte, o sábado, Madalena ela se encarregou de comprar certos perfumes para preparar o corpo de Jesus, seguindo os costumes e crenças da Cidade Santa. Na manhã do domingo, bem cedo, dirigiu-se ao sepulcro, e assim que chegou lá começou a chorar copiosamente diante da entrada, quando viu no lado de dentro dois anjos vestidos de branco, sentados exatamente onde o corpo de Jesus fora colocado.
 
Esse era o quadro sobrenatural que começava a se desenhar. Os anjos perguntaram a ela por que chorava e o que buscava ali, quando olhou para trás e viu Jesus, de pé, só que ela não O reconheceu. Jesus também lhe perguntou por que estava chorando. Durante esse diálogo ela ficou atônita, aproximou-se do Mestre e exclamou em hebraico: “Rabbuni”, que quer dizer “Mestre!
 
Jesus, sem perder mais tempo, pediu a ela que procurasse pelos Seus amigos, os Seus discípulos, para avisar-lhes que a ressurreição tinha se consumado, conforme deveriam estar esperando. Madalena foi procurar por eles, anunciou-lhes que tinha visto o Senhor (João 20:18; Mateus 28:1-10; Marcos 16:1-11; Lucas 24:1-10; João 20:1-2).
 
 
 
 
AS MARIAS LIGADAS A JESUS
 
 
 
 
Essa foi a última vez que Maria Madalena foi mencionada nas escrituras do Evangelho Canônico. Mas existem muitas confusões com outras Marias que foram aparecendo entre os personagens do Novo Testamento.
 
A Igreja Católica Romana, por exemplo, costuma identificá-la como “A mulher pecadora” de Lucas 8:2”, da qual saíram sete demônios, mas a moderna exegese desmente categoricamente. 
 
Também não existe nenhum fundamento bíblico para que ela seja confundida com a prostituta arrependida dos seus pecados, e que pediu perdão a Jesus.  Por falar nisso, também não há qualquer menção de que ela tenha sido uma prostituta.
 
Mais uma confusão acontece quando a confundem com Maria, a irmã de Marta e Lázaro, que moravam na cidade de Betânia. Além disso, ainda existe aquela mulher que chorou aos pés de Jesus, e que ungiu Seus pés com bálsamo.
 
Para encerrar esse tópico, precisamos registrar a opinião do escritor Doug Batchelor, que ao escrever seu livro “Aos pés de Jesus”, diz estar convencido de que Maria Madalena, Maria de Betânia (irmã de Marta e Lázaro), a pecadora de Lucas 7 e a adúltera de João 8 tenham todas sido a mesma pessoa.
 
Somos de opinião de que certas coisas não são mais importantes do que outras. Vale mais o que elas fizeram, do que quem elas foram. 
 
 

HERESIAS SOBRE MARIA MADALENA
 
 
 
 
Além das confusões acima sobre a identidade de Maria Madalena, ainda existem outras considerações que cheiram tipicamente a heresia. Alguns autores contemporâneos defendem que ela tenha sido uma APÓSTOLA de Jesus, que tenha sido ESPOSA de Jesus, chegando a ter filhos com Ele. Esses escritores acusam os autores dos livros do Novo Testamento de esconder essas “verdades”, pois elas teriam o poder de alterar os Evangelhos.
 
Logicamente, esses escritores se basearam em livros não-canônicos, apócrifos, gnósticos para chegarem às suas conclusões.
 
Dan Brown tornou célebre o argumento de que a pessoa que aparece à direita de Jesus, no quadro “A Última Ceia” de Leonardo Da Vinci, era a nossa personagem Maria Madalena e não o apóstolo João.
 
Praticamente todos os teólogos e historiadores sérios consideram inaceitável e totalmente destituída de qualquer credibilidade a história narrada nesse romance fictício de Dan Brown. Argumentam que Leonardo da Vinci se inspirou no Evangelho de João (João 21:20), num trecho que fala do "discípulo amado", que seria o próprio apóstolo João,  e não propriamente nas passagens referentes à instituição da Última Ceia, sendo São João Evangelista, apresentado como o jovem imberbe pintado ao lado de Cristo na célebre obra renascentista.
 
Ainda poderíamos citar a existência de um livro chamado “Evangelho de Maria Madalena”, mais um livro com pretensões de fazer parte do cânon do Novo Testamento.  Segundo esse livro gnóstico, Madalena teria sido uma discípula de suma importância à qual Jesus teria confidenciado informações que não teria passado aos outros discípulos, sendo por isso questionada por Pedro e André. Ela surge ali como confidente de Jesus, alguém, portanto, mais próximo de Jesus do que os demais.
 
 
 
REFERÊNCIAS
 
 
 
MARIA MADALENA. Wikipedia, a enciclopédia livre. Consultado em 22/07/2020.
 
ALMADA, Gonçalo Portocarrero de. Maria Madalena, a apóstola dos apóstolos. Observador, consultado em 22/07/2017.
 
REVISTA ÉPOCA. A companheira de Jesus. 
 
EVANGELHO QUITIDIANO.ORG. Santa Maria Madalena, penitente
 
PORTAL G1. Rosto de Maria Madalena recriado por brasileiros é apresentado na França. Consultado em 27/07/2015.
 
EL PAÍS.  Maria Madalena era “uma mulher rica” não uma prostituta.
 
 
 
AUTOR DA PESQUISA
 
 
Walmir Damiani Corrêa
www.elevados.com.br
 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 23/07/2020

Procedência - Internet

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2020