Enoque, o homem que andava com Deus

 

ENOQUE

O HOMEM QUE ANDAVA COM DEUS

 

 

Introdução

 
Ao estudarmos o período antediluviano da Bíblia Sagrada, no capítulo 5 de Gênesis, vemos pouquíssimas pessoas sendo citadas. Confirme conosco, mas as Escrituras falaram inicialmente de Adão e Eva e de seus primeiros filhos Caim e Abel. Abel foi morto e Caim fugiu da presença do Senhor, após matar a seu irmão, indo morar em Node, a oriente do Éden (Gn 4:16).
 
Como a própria Bíblia registra que Adão e Eva tiveram vários filhos e filhas depois de saírem do Éden (Gn 5:4), dá-nos a entender que a mulher com quem Caim se juntou era sua irmã. Não dá para entender diferente. Desse casamento de Caim nasceu ENOQUE, o nosso atual personagem.
 
 
O nascimento de Enoque
 
 
O nome Enoque vem da língua hebraica, significando instrutor, iniciador, sendo gerado por Jarede (Gn 5:18). Para se ter ideia da importância da sua passagem por este mundo, Enoque gerou ao tão comentado profeta MATUSALÉM, e faz parte da genealogia de Jesus (Lucas 3:37). 
 
Se analisarmos a expectativa de vida da época, Enoque viveu muito pouco (365 anos). O que pode explicar isso é que Enoque não teve morte natural, pois foi transladado para junto de Deus sem conhecer a morte, e isso deve ter interrompido uma vida longa igual a de seu pai Jarede e seu filho Matusalém. Seu filho Matusalém, por exemplo, teve o maior período de vida da história bíblica, vivendo, ao todo, 969 anos. 
 
Voltando à lista genealógica de Gênesis, veja como Enoque participou dos começos da história bíblica, transformando-se no sétimo nome mencionado na lista genealógica do capítulo 5 de Gênesis, a partir de Adão: ADÃO gerou a SETE, que gerou a ENOS, que gerou a CAINÃ, que gerou a MAALALEEL, que gerou a JAREDE, que gerou a ENOQUE, que gerou a MATUSALÉM, (...)
 
 
O mundo antediluviano
 
 
Essas poucas gerações do mundo antes do Dilúvio foram suficientes para gerar uma civilização espiritualmente corrompida, não correspondendo às expectativas de Deus ao criar a humanidade. Nada do que Deus “achou bom” na criação permaneceu bom.
 
Não se sabe como Enoque conseguiu viver à margem dessa corrupção espiritual, mas a Bíblia diz com todas as letras que Enoque “conheceu a Deus”. Não sabemos se foi pela natureza (Salmo 19:1), pelo decorrer dos dias (Romanos 1:16), pela Sua Palavra (Lucas 4:4), pela ação direta do Espírito Santo (João 14:26) ou por meio de sonhos (Gênesis (20:6).
 
 
Características de Enoque
 
 
O fato da Bíblia afirmar que “Enoque andou com Deus”  (Gn 5:22) já mostra a excelência do caráter de Enoque, que era um homem fiel e temente a Deus.
 
As ciências que estudam o ser humano afirmam que quando passamos a “andar” com alguém, há uma grande tendência de assimilarmos valores e hábitos dessa pessoa, alterando nossa postura, nossa linguagem e nosso comportamento. Se Enoque andava com Deus, fica claro que ele iria se encher de Sua presença. 
 
Vejamos algumas tendências dessa convivência com Deus:
 
a) Dar prioridade a Deus em nossa vida (Mc 8:34);
b) Deixar-se ser guiado pelo Espírito Santo (Mt 4:1);
c) Ouvir Sua Palavra e aplicá-la em nossa vida (Gn 12:1);
d) Optar por viver em separação (1 Ts 5:22) e santidade (Mt 5:8);
e) Ser humilde (At 20:19) e submisso (2 Co 9:13).
 
Como diz a própria Bíblia, Deus se agradou tanto de Enoque que o tomou para si (Gn 5:24), trasladando-o diretamente para o Céu (Hb 11:5), o primeiro arrebatamento bíblico, segundo os teólogos. 
 
 
Deus resolve “recomeçar”
 
 
Deus considerava a civilização antediluviana tão perdida, que resolveu acabar com ela e começar tudo de novo, segundo o Seu plano inicial. Enoque foi trasladado num carro de fogo, enquanto que Noé e sua família foram salvos na própria arca do dilúvio. 
 
Se espiritualizarmos tudo isso, diríamos que Noé representa o povo de Israel que atravessará a Grande Tribulação, enquanto que a civilização que desapareceu nas águas representa o mundo futuro, que sofrerá os horrores narrados no Apocalipse; Enoque, por sua vez, simboliza a Igreja, que será arrebatada antes disso tudo acontecer (1 Ts 4:16,17). 
 
 
Enoque, um profeta
 
 
Segundo Judas 1:14, Enoque foi considerado um profeta escatológico, antevendo a segunda vinda de Cristo e pode ter sido um pregador na sua época, alertando às pessoas que viviam no mundo que conhecia sobre o juízo divino que estava por vir (dilúvio)
 
 
Lições de Enoque
 
 
O Senhor tem um lugar reservado para todos que, como Enoque, decidirem viver para Ele. Um futuro maravilhoso aguarda aqueles que andarem com Deus até o fim. Que o Senhor levante muitos outros “Enoques” em nossa geração.
 
 
 
 
 
 
 AUTOR
Walmir Damiani Corrêa
 

 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 25/09/2013

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021