A velha Nova Era

fazer download deste artigo

 

 

 

 INTRODUÇÃO


O homem, desde a sua criação, sempre teve a tendência de desobedecer aos preceitos divinos, amadurecendo ideias diferentes, chegando ao ponto de organizar grupos para divulgar essas ideias e colocá-las em prática. Desde Adão, Satanás tem colocado no coração do homem a ideia de que cada pessoa pode ser como Deus e isso se enraizou muito, com o passar do tempo.

É incontável o número de pessoas que estão vendendo suas almas ao diabo ou participando de rituais de magia negra, buscando fama e fortuna, e esse elevado nível de misticismo, em que está mergulhada a população mundial, tem prejudicado e impedido o seu crescimento espiritual.

No Brasil, poucos foram os presidentes e equipes de governo que não se envolveram com feiticeiras, ou que não procurassem por alguma forma de ocultismo. É notório que os países onde a prática do ocultismo é institucionalizada, vivem em lamentável estado de miséria material, pois suas populações sofrem com doenças e são infelizes, sem esperança, sem vontade de lutar contra essa condição, motivo pelo qual estão sempre às voltas com atos de violência, morte e destruição. É o caso da Índia, Tibet, Coréia do Norte, alguns países africanos, sul-americanos, e vai por aí.

O nosso país, infelizmente, tem se candidatado a fazer parte desse grupo. Lamentavelmente, nosso povo tem posto sua fé em muitos deuses e apenas uma parcela menor está firmada verdadeiramente no Deus verdadeiro. Essa orientalização que o Ocidente vem sofrendo tem encontrado um solo produtivo no nosso país, conseguindo resultados alarmantes. Estão se instalando por aí os dalais-Lamas, xamãs, pais-de-santos e toda espécie de praticantes do ocultismo, assim como os esotéricos, os místicos e adivinhadores, uma série de aventureiros que desfrutam dos horários nobres da televisão como se fossem personalidades internacionais.

Sem orgulho nenhum, já somos o maior país espírita do mundo e, como resultado disso, nos vemos mergulhados num mar de lama, corrupção, roubos, fraudes e golpes dos mais variados. Nosso país está sendo conhecido lá fora como o país dos “jeitinhos”, um eufemismo que substitui a palavra falcatrua. Porém, é muito natural que isso esteja acontecendo, uma vez que são os próprios governantes quem estão se aconselhando com certos “mestres” que aportam por aqui, ou que tem se criado por aqui.

Entrando efetivamente no assunto proposto por este trabalho, que é a NEW AGE, traduzida para o português como Movimento Nova Era, podemos começar dizendo que a História vem mostrando há muito tempo homens que tiveram a ousadia de criar uma nova ordem social, política e religiosa, logicamente interferindo na área financeira, tudo segundo ideias mundanas, as quais têm trazido bastante preocupação às pessoas que objetivam servir a Deus acima de todas as coisas. 

De um modo geral, o Movimento Nova Era surgiu para retratar o crescimento do misticismo oriental e ocultista na nossa cultura ocidental, fazendo apologias à "Era Aquariana", que alguns místicos afirmam já estar acontecendo e cujo objetivo é trazer um novo tempo de iluminação. É uma espécie de filosofia que absorve todas as religiões, um conjunto de crenças, seitas, práticas e ideologias, que negam os valores espirituais do Cristianismo.

Assumido desde o princípio por muita gente famosa ou anônima, o movimento mostra ensinamentos que se misturam com fragmentos de vários dogmas e religiões já existentes, tendo o panteísmo como um dos pontos fortes, ou seja, defendendo que “Deus é tudo e que tudo é Deus”.
Como a distorção é a arma preferida das seitas e movimentos heréticos, a Nova Era não poderia ser uma exceção. Como suas ideias logo mostram ser contrárias aos ensinos divinos, só se pode concluir que são de procedência maligna, de origem demoníaca, merecendo, então, toda uma ação contrária de nossa parte, pessoas que creem no Deus Altíssimo, alertando a população para o que vem embutido nas entrelinhas dessas doutrinas modernistas, suas incoerências, e como as ações se encaixam nas profecias apocalípticas do final dos tempos.

O movimento Nova Era foi mentalizado na segunda metade do século XIX, mas estrategicamente só foi divulgado cem anos depois, em 1975, de modo a dar tempo para que suas ideias fossem amadurecidas e seladas nas mentes das pessoas inocentes para, só depois, se tornarem conhecidas pelas massas.

Pelo que se percebe, trata-se de um movimento que pretende, com ideias muito antigas, cuja prática já fora tentada anteriormente, contrariar os caminhos que a humanidade vem trilhando, colocando em dúvida as religiões tradicionais, seus sacerdotes, acusando líderes de serem mercadores de esperança, comparando-os e rebaixando-os ao nível dos políticos demagogos.

A base do sistema Nova Era é a fé num Governo Interno do nosso planeta, não por “alguém de fora” (como Deus). Esse governo funcionaria através de uma hierarquia de seres espirituais, supostos Mestres de Sabedoria.

O movimento compõe-se da união de religiões e filosofias orientais, gnose e espiritismo, tudo temperado com uma boa quantidade de doutrinas esotéricas (secretas). Assim, num ambiente tão propício, é óbvio que são bem-vindas todas as variações existentes de ocultismo, como clarividência, astrologia, hipnose, ufologia, yoga, etc. Para dar um ar mais trágico ainda, incentivam uma espécie de renascimento da feitiçaria da Antiguidade, da reencarnação, do misticismo e do panteísmo. Diante dessa salada indigesta, fica claro que não sobrará lugar, nesse meio, para o Deus dos cristãos.

Segundo a pesquisa que fizemos, percebe-se que uma nova sempre foi propagada e esperada pelas várias sociedades secretas, como os Iluminados, a Maçonaria e a Sociedade Teosófica, cada um a seu tempo, mas formando um único, poderoso e perigoso bloco. A Nova Era apresenta-se, então, travestida de uma espécie de nova religião, usando uma doutrina como cortina de fumaça, de modo a dar respaldo às verdadeiras atividades secretas do movimento.

O curioso é que essa nova doutrina não apresenta nada de novo, pois sustenta seus pilares no velho e pernicioso espiritismo, mesclado às antigas feitiçarias europeias e recheado com as mais diversas crenças esotéricas e mitológicas que se tem conhecimento.

Para atingir seus objetivos, a Nova Era prega a união de todos os credos (ecumenismo), tendo o Catolicismo e as religiões pagãs como seus maiores aliados. Para divulgar isso, utiliza-se do cinema, da literatura, música, colégios e televisão, buscando aumentar as fileiras dos adeptos, militantes e patrocinadores.

Finalmente, entraremos entrando num ponto preocupante para os evangélicos: os símbolos da Nova Era. Depois de grande pesquisa, relacionamos e historiamos os principais símbolos usados pelo movimento, não raras vezes sendo exibidos nas camisetas de moças e rapazes que servem a Jesus, nos brinquinhos, anéis, materiais escolares, etc., tudo sendo usado da maneira mais inocente possível. Valendo-nos daquela famosa frase de Jesus, “...quem comigo não ajunta, espalha...”, nosso propósito é alertar, despertar nossos jovens e adolescentes para o perigo que correm de estarem inconscientemente fazendo propaganda das campanhas de Satanás.

Como o vocabulário usado nesta pesquisa apresenta palavras estranhas ao dia a dia das pessoas, tivemos o cuidado de organizar um glossário (pequeno dicionário) em ordem alfabética, no final deste trabalho. Assim, sempre que o leitor tiver dificuldade em saber o sentido de uma palavra, busque o Glossário para elucidação.

 

CAPÍTULO I  —  DEFINIÇÃO DO MOVIMENTO

 

1.1  Visão de fora

 

O movimento Nova Era, também chamado de “Nova Ordem Mundial”, ou ainda de “Nova Consciência Cósmica”, é um conjunto de doutrinas religioso-filosóficas, que tem por objetivo a união do homem com a divindade, mediante a elevação do espírito até a iluminação, sugerindo que o homem pode chegar a ser um deus.  Sua fundadora, a russa Madame Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891), era uma médium espírita ligada ao Budismo e ao Lamaísmo, que aprendeu muito das crenças do Oriente, onde morou por muito tempo. Durante dez anos ela ficou sob a influência de um espírito maligno (para ela um mestre) que lhe transmitiu as bases do chamado “Plano”.

Como médium espírita, recebia mensagens de um “mestre da sabedoria”, o tibetano Djawal Khul, através de escrita automática ou visões, mensagens essas que foram publicadas em sete volumes, que vieram a compor o livro “Doutrina Secreta”, documento até hoje determinante para o movimento Nova era.

Por orientação demoníaca, todo esse plano deveria ser mantido em segredo durante cem anos, o que não o impediria de penetrar em diversas camadas seletas da sociedade, para que, quando fosse manifestado publicamente, não provocasse um choque muito grande, e recebesse boa aceitação.

A inglesa Alice Bailey (1890-1949), a terceira presidente do movimento, que imigrou para os Estados Unidos, foi quem estabeleceu o verdadeiro alicerce para o movimento Nova Era, sendo reconhecida até hoje como sua “sumo-sacerdotisa”

Quando à revelação do movimento, isso só aconteceu em 1975, exatamente cem anos depois da sua fundação, quando o “Plano Político, Econômico e Religioso” foi apresentado como uma Nova Ordem Mundial a ser estabelecida.  A base do sistema de ideias desse movimento era a fé num “Governo Interno” do nosso planeta, através da hierarquia de seres espirituais ou supostos “mestres de sabedoria”.

Segundo a “Revista Zero”, uma das divulgadora do movimento, os participantes da Nova Era a encaram como uma maneira diferente de viver e conceber o mundo. Porém, constata-se que essas pessoas não sabem exatamente que fazem parte de uma conspiração perigosa, seguindo inocentemente a uma série de novidades que lhes parecem uma nova, divertida e cômoda maneira de viver.

Imagine uma rede de pescador onde cada nó significa um centro, um grupo, uma célula, uma organização que tem mais ou menos uma afinidade com os alvos do movimento!  Até 1991, contava-se com mais de dez mil nós em todo o mundo, tendo como alvo em comum a transformação da sociedade da Nova Era.

Segundo Raimundo F. de Oliveira, autor do livro “Heresiologia”, um escritor que tem dedicado sua vida a desmascarar esse movimento, e uma série de seitas heréticas, “pega pesado”  quando o define dizendo que se compõe de uma fartura de doutrinas orientais e esotéricas.

Para ele, a Nova Era adota filosofias orientais como o Budismo, Taoísmo, Hinduísmo e alguma coisa do Cristianismo, dando preferência às atividades ocultistas e ao misticismo, como a alquimia, magia, meditação transcendental, técnicas de visualização, quiromancia, clarividência, astrologia, hipnose, ufologia, yoga, etc. É baseada nessas filosofias e crenças que a Nova Era utiliza pirâmides, estatuetas, incenso, cartas de tarô, pendentes, cristais, florais, pêndulos, runas, etc., práticas veementemente combatidas pela Bíblia Sagrada.

Raimundo ainda diz que as doutrinas da Nova Era definem o pecado como uma invencionice de religiões organizadas, e também que Jesus foi apenas mais um ser iluminado a aparecer por aqui.  O céu, para o movimento, é o NIRVANA budista, enquanto que o inferno é o que colhemos aqui, na forma de “Karma negativo”.

Terminando, Raimundo de Oliveira diz que a Nova Era se considera o cumprimento das profecias bíblicas sobre o final dos tempos, com o surgimento de MAYTREIA, seu líder mundial, ou seja, o Anticristo.

 

1.2  Visão Interna

 

Vejamos, agora, como os próprios mentalizadores e seguidores da Nova Era definem seu movimento:

Segundo o escritor Lauro Trevisam, um de seus mais entusiastas defensores, a humanidade passou pela Fase Infantil (homem voltado para o seu interior), a Fase adolescente (sonho de uma vida melhor), a Fase da Mocidade (quando o mundo evoluiu com as grandes invenções), e a atual Fase da Maturidade (Era de Aquarius), cada uma delas com uma duração aproximada de 2.000 a 2.500 anos.

Continuando em seus devaneios, Trevisan afirma que a primeira foi a Era de Touro (4304 a 2154 a.C.), um tempo de força bruta, quando surgiram os povos assírios e babilônicos; Depois veio a Era do Carneiro (2154 a 4 a.C.) quando surgiu o povo hebreu, cuja existência foi tão fartamente documentada na Bíblia; em seguida veio a Era de Peixes (4 a.C. a 2146 d.C.), com o surgimento do Cristianismo; finalmente chegou a Era de Aquarius (2146 a 4296 d.C.) com a descoberta de um poder infinito e de uma Sabedoria Infinita no meio da humanidade, quando o homem passa a ser divinizado.

Continuando, tratamos agora sobre um artigo de Mirna Orzich (Revista Destino, abr/91), quando diz que o movimento seria uma espécie de Era Renascentista nas áreas espiritual, ecológica e cultural, um casamento naquilo que elas têm de positivo.

Já a sensitiva Carmem Balhestero, na mesma revista, afirma que, segundo a Astrologia, cada era astrológica dura em torno de 2.150 anos, e que no final do século XX o mundo estaria vivendo o final da “Era de Peixes”, iniciada mais ou menos na mesma época em que surgiu o Cristianismo. Garantiu que a partir daí estaríamos vivendo a “Era de Aquarius”, cuja porta de entrada é a Nova Era. Concluiu dizendo que, “...com a “Era de Aquário”, Jesus Cristo, o grande avatar [?!?], sairia de cena, dando lugar ao patrono máximo de Aquários: o mestre Saint Germain.”

Segundo afirmam os astrólogos, sempre que o sol muda de sinal no zodíaco, ocorrem mudanças radicais na cultura humana, principalmente na religião. Assim, confirmaria-se o fim da religião cristã e o surgimento de uma “Nova Religião Mundial”, que oportunizaria o aparecimento de uma “Nova Ordem Mundial”, comandada por um governo único e um sistema econômico mundial também único.

Maria Estalayo (Revista Ano Zero, mai/91), diz o seguinte: “Numa visão simplista, a Nova Era parece ser o resultado de uma convivência entre hippies e yuppies, mas atrás dessa aparência estão ocultas as sementes da mais profunda e radical revolução ousada pelo ser humano. Estes conspiradores de Aquários pretendem transformar o mundo com a ajuda de duas ferramentas expressivas: o misticismo e a eletrônica.”

Segundo a maioria dos líderes do movimento, tudo começa com o aparecimento de Maitreya, o novo líder mundial, que já estaria vivendo entre nós em algum lugar, desde 1970, porém só é conhecido pelos principais seguidores do movimento.

O que estaria planejado, na realidade, para quando Maitreya tiver assumido o poder, é que ele tomaria o controle do mundo como alguém que foi nomeado por Lúcifer, seguindo às suas instruções. Em seguida, um sistema de controle mundial seria estabelecido, e somente quem pudesse controlar as vias de abastecimento é que poderia dominar o mundo.

Durante a implantação da Nova Era, quem pretendesse uma licença para trabalhar no comércio ou em negócios, precisaria assumir um compromisso de lealdade a Maitreya. Cada cidadão da Terra receberia um número cujo uso seria obrigatoriamente regulamentado e que seria indispensável para todas as transações financeiras, e até para compras menores, como uma espécie de cartão de crédito universal. Para que tudo isso fosse implementado, seria necessário que todo o dinheiro do mundo fosse abolido.

 

1.3  Estrutura funcional

 

O centro de planejamento oculto do movimento Nova Era é chamado de “Lucis-Trust”, que originalmente foi chamado por Madame Helena Blavatsky como “Lúcifer Publishing Company”, centro que dispõe de muitos meios para levar adiante a implantação da “Nova Era Mundial”. 
Há muitos subgrupos subsidiados por eles como, por exemplo, a “World Goodwill” (Boa Vontade Mundial) e a “Arcane School”. Por sinal, essas duas instituições já possuem ramificações no Brasil, sendo que a segunda mantém cursos secretos, por correspondência, para discípulos e líderes da Nova Era.

 

CAPÍTULO II  —  RAÍZES HISTÓRICAS

 

2.1  Os Iluminados

 

Antes que o movimento Nova ERA fosse colocado em prática, outros semelhantes já existiam, todos com o mesmo fim: desacreditar o Cristianismo e tudo o que tivesse servido de parâmetro para os cristãos.

Em 1750, por exemplo, viveu em Frankfurt, Alemanha, um ourives chamado Amschel Moses Bauer, que usava uma placa vermelha diante de sua loja, ostentando os dizeres “Rotes Schild”, que significa mais ou menos “O Condado do Fogo” em português. O filho desse homem, seguindo o caminho do pai, chegou a trocar o sobrenome de sua família, de “Bauer” para “Rotschild”, mandando cada um de seus filhos para cidades diferentes da Europa como Londres, Nápoles, Viena, Paris e a própria Frankfurt, com o intuito de organizarem um controle sobre os governos locais, através das finanças de cada país. Foi assim que começou a história dessa instituição chamada “Os Iluminados”.

Alguns anos depois, em 1773, unindo-se a mais doze homens de negócios, eles fundaram o “Conselho dos Treze”, elegendo o professor universitário Adam Weishaupt, um padre jesuíta, como homem responsável pela elaboração de planos mais amplos para o estabelecimento de um governo mundial. Antes, porém, ele teria sido iniciado como sacerdote de Lúcifer.  Três anos depois, esse conselho passou a chamar-se “Ordem dos Iluminados”, usando como símbolo da sociedade uma pirâmide com um olho, tendo a sua parte superior separada do resto. Esse olho, segundo o escritor William Karn, seria o olho de Satanás, emblema que passou a ser usado por todas as sociedades secretas existentes no mundo.

 

2.2  A Maçonaria

 

Em 1782 aconteceu um congresso onde foi selada a união entre a ordem dos Iluminados e da Maçonaria, quando os participantes juraram nunca revelar o que foi tratado naquela reunião. Dois anos depois, o alemão Zwak organizou num livro os planos que foram traçados por aquele congresso: acabar com os governos bons, as propriedades particulares, o direito à herança, o patriotismo, extermínio das religiões e romper com a instituição da família. Para isso, seria instalado um governo mundial que controlasse essas atividades e sentimentos. Para se ter ideia da força de tal empreendimento, uma cópia desse livro foi mandada para os homens encarregados de desencadear a Revolução Francesa em Paris. Nos anos que se seguiram, materiais impressos desse movimento caíram nas mãos  do  Clero  e  de  governantes,  o  que  inviabilizou,  por  algum  tempo, a implantação de suas ideias.

Em 1829, houve uma reunião dos Iluminados em Nova York, quando foram criadas as primeiras ideias do “Comunismo”, formando-se uma série de grupos subversivos encarregados de fomentar guerras e revoluções em alguns países. O dinheiro levantado pelo grupo foi usado para financiar e divulgar os livros “O Capital” e “Manifesto Comunista”, escritos por  Karl Marx e Engels.

Com a morte de Weisshaupt, em 1840, assume em seu lugar Albert Pike, quando passou-se a elaborar planos para três grandes guerras e algumas revoluções. A Primeira Guerra Mundial foi planejada com o propósito de tornar possível a instituição de um governo comunista na União Soviética, enfraquecendo o Czar econômica e politicamente. A Segunda Guerra Mundial serviria para a expansão do domínio comunista e arruinar o Cristianismo, enquanto que a terceira deveria, conforme esses planos, ser desencadeada entre o sionismo político e o Islamismo.  Todos os povos deveriam ser envolvidos nesses conflitos.

Em 1870, Albert Pike escreveu uma carta (que se tornou pública) onde nomeava maçons de grau superior para controlar a totalidade da Maçonaria, que por sua vez se tornaria o centro internacional do movimento, graças ao seu trabalho clandestino. No ano seguinte, numa outra carta, Pike detalhava os planos luciferianos, dizendo coisas do tipo:


“...e a maioria da humanidade, crédula como ela é, desiludida com o Cristianismo sem rumo e ansiosa por um ideal, procurar, sem no entanto saber a que ou a quem deve adorar. Então ela será madura para receber a pura doutrina luciferiana, que será anunciada mundialmente. Isto acontecerá como consequência de um movimento reacionário, trazendo a destruição simultânea do Cristianismo e do ateísmo.”

 

Em 1898, numa outra carta ainda, pode-se ler:

 

“Nós adoramos a um Deus, porém O adoramos sem superstição. A vocês, soberanos e instrutores generais, dizemos o quê vocês devem repetir aos irmãos dos graus 32, 31 e 30: A religião maçônica deverá ser mantida por todos nós, que somos iniciados nos graus superiores, na pureza da doutrina luciferiana. Sim, Lúcifer é Deus. Infelizmente, Adonai também é Deus. Porém, Lúcifer, o deus do bem e da luz, luta a favor do humanismo, contra Adonai, o Deus da escuridão e do mal.”

 

Com o correr dos anos, algumas sociedades secretas foram participando conscientemente dessas ideias planejadas, enquanto que outras desconheciam que estavam participando de uma revolução satanista, tomando conhecimento apenas daquilo que os “cabeças” achavam necessário e apropriado.

A influência dessa sociedade cresceu tanto que conseguiu convencer o Presidente Roosevelt, dos Estados Unidos, a imprimir na nota de um dólar a pirâmide partida, junto da inscrição latina “Novus Ordo Sclorum”, que significa “Nova Ordem do Século”. Quem sabe, está aí a resposta por quê essa moeda vem dominando a economia do mundo, desde aquela época.

Outras sociedades secretas foram surgindo, com o decorrer do tempo, segundo o livro “As Sociedades Secretas governam o Mundo” (Pierre Mariel), lançado pela Livraria Bertrand, de Lisboa, onde são contados vários “segredos” dessas sociedades secretas como a Maçonaria, a Rosa-cruz e outras.

 

2.3  Sociedade Teosófica

 

Em 1875, a vidente espírita russa Helena Petrovna Blavatsky (1821-1891) fundou a “Sociedade Teosófica” em Nova Iorque, uma seita ocultista, após ter recebido supostas revelações mediúnas sobre o conhecimento do Plano da Nova Era. Sua sucessora, a britânica Alice Ann Bailey (1880-1949), também médium espírita, cinco anos depois recebeu dos “mestres do universo” informações sobre a “Nova Era Mundial”, fundando em 1922 a editora chamada “Lúcifer Publishing Company”, que se encarregaria de divulgar suas ideias. Em um de seus livros, ela fala de um combate a ser conduzido com armas mentais, que precisaria alcançar até a área dos sentimentos da humanidade. Em 1962, surgiu na Escócia, relacionado com o movimento hippie, a Comunidade Findhorn, passando a ser considerada como o Vaticano da Nova Era.

Madame Bailey orientou seus seguidores de que a Nova Era deveria permanecer na clandestinidade até 1975, período em que deveria ir aumentando silenciosamente as fileiras de simpatizantes e preparando as estratégias para o seu lançamento público. No ano da divulgação, surgiu uma nova líder do movimento, Marilyn Fergusson, que publicou um livro chamado “A Conspiração Aquariana”, hoje considerado o “livro de culto” do movimento.

Atualmente, essas ideias já estão difundidas em todas as camadas sociais do globo, nos órgãos estatais dos mais diversos países, na mídia e também nas organização religiosas. É bom que se diga que todas as filosofias e seitas que insistem no fato de que o homem é um deus, e que a divindade é uma força cósmica impessoal, sem dúvida favorecem e ajudam a divulgar o movimento Nova Era.


CAPÍTULO III  —  UMA NOVA RELIGIÃO

 

O movimento não tem apenas objetivos políticos e econômicos, mas também de ser uma nova religião. Assim se considerando, dispõe de suas próprias “escrituras sagradas”, orações e mantras, como também de centros espíritas, como a “Comunidade Findhorn” (Escócia), fundada em 1962, e o “Instituto Esalen” Califórnia (Estados Unidos). Nesse meio também são encontrados sacerdotes e gurus, um “messias” proclamado, bem como profetas e pessoas com forças sobrenaturais, capazes de fazerem “grandes sinais de maravilhas”.

A seguir, procuraremos mostrar as diversas faces do movimento NOVA Era, quando travestida de religião.

 

3.1  Profecias

 

Antes de mais nada, é necessário que entendamos o que são profecias, essa conhecida palavra bíblica que tem sido utilizada indevidamente. Quando Deus queria que uma mensagem fosse transmitida à humanidade, Ele não precisava esperar pelo acontecimento de um fato para que se tornasse conhecido; Ele preferia que a mensagem fosse divulgada bem antes, de modo que o fato já se tornasse plenamente conhecido antes mesmo de chegar a ocasião.

Quase todos os projetos de Deus eram anunciados de forma profética aos homens, e é por esse motivo que a Bíblia é um livro universal, abrangendo todos os lugares e todas as épocas. Se atentarmos, por exemplo, para a morte horrenda de Jesus, vemos que ela foi prevista mais ou menos 700 anos antes pelo profeta Isaías, conforme registro no capítulo 53 do seu livro.

A palavra profecia, do grego “prophetcia”, já traz em seu significado o esclarecimento de que era a predição do futuro por um profeta, um presságio. É bom esclarecer, entretanto, que as profecias entregues por Deus aos profetas nem sempre eram plenamente entendidas, porque estavam relacionadas a acontecimentos futuros, a lugares diferentes, com utensílios diferentes, costumes diferentes, enfim, em situações possivelmente desconhecidas.

Para que possamos ter um perfeito entendimento daquilo que desejamos, precisamos primeiro conhecer o previsto. A Bíblia toda tem o objetivo definido de nos preparar para o previsto tempo do fim. Desde o livro de Gênesis o Senhor nos tem preparado para o Apocalipse. É por isso que a Bíblia deve ser encarada como a Palavra de Deus, viva e dinâmica, e não apenas como um livro histórico.

O movimento Nova Era, desde a sua criação, sustenta suas colunas em “profecias” de algumas pessoas, em visões, em “mensagens” recebidas de “espíritos superiores”. Por esse motivo, achamos por bem falar um pouco das profecias bíblicas, que de um modo ou de outro serviram de parâmetro para os “novos profetas” que criaram esse movimento.

 

3.2  Profetas

 

Baseados no peso de pessoas como Isaías, Jeremias e outros, chamados de profetas, os seguidores da Nova Era passaram a chamar seus mentalizadores também de profetas.

As maiores profecias do movimento foram feitas por duas médiuns espíritas, a russa Helena Petrovna Blavatsky (1875) e a inglesa Alice Bailey (1880). Foram elas que receberam as primeiras “mensagens” do além, ou seja, o Plano para o futuro da humanidade, como se fossem os novos Mandamentos.

Depois, com o movimento “hippie” (1960), surgiu na Escócia a Comunidade Findhorn, e na metade do século, a atriz Schirley McLaine passa a se destacar nos Estados Unidos, sendo considerada a “Musa do Novo Tempo”, que além de atriz e guru, participa do movimento como escritora. Além dela, também apareceu a escritora Marilyn Fergusson, na Escócia, através do livro “A Conspiração Aquariana” (1975).

O grande nome brasileiro, e com prestígio internacional, é Paulo Coelho, que se define como “um homem em busca de Deus e da verdade”. Antes que alguém pense que é verdade, vale destacar que aos 22 anos de idade ele já se envolvia com magia negra e há alguns anos recebeu na Holanda um anel de mago, que ostenta duas cobras entrelaçadas. Durante o governo de Fernando Collor de Melo, ele foi convidado a “bater um papo” com esse presidente no palácio, onde conversaram sobre o “Futuro do país”.

No Brasil, ainda podem ser destacados como mensageiros da Nova Era o astrólogo carioca Pedro Tornaghi, o psicólogo e apresentador de TV Luiz Antônio Cessaretto, os diretores da Revista Zero Sérgio Coelho e Pedro Camargo, além de outros dois conhecidos escritores: Alexandre Mansur e Lauro Trevisan.

 

3.3  Doutrina

 

O movimento proclama mundialmente que o homem é um deus, parte da divindade, da “consciência cósmica” e da “força”. A única coisa necessária ao homem seria desenvolver a sua divindade, através da expansão da sua consciência, utilizando meditações, yoga, mentalizações, etc.

Para a Nova Era, Deus não é uma pessoa, mas uma energia em movimento. Assim, não existe o que se chama de Deus, pois tudo é Deus. É interessante que, ao mesmo tempo em que os mestres do movimento Nova Era dizem que rejeitam o conceito bíblico sobre Deus e a autoridade das Escrituras, curiosamente eles citam textos bíblicos para justificarem sua posição, usando como prova um documento que publicamente rejeitam.

Sobre a Trindade, eles dizem o seguinte:

 

“O Pensamento Eterno é um; em essência são dois - inteligência e Força; e quando eles são soprados, uma criança nasce; esta criança é Amor. E assim o Deus triúno se explica, a quem os homem chamam Pai-Mãe-Filho.”  O problema é que a própria Bíblia diz o contrário: Na natureza do único e eterno Deus há três pessoas eternamente distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Todas as três são o mesmo Deus.”

 

Sobre Jesus Cristo, especificamente, eles dizem o seguinte: “Ele construiu o que Buda havia construído. Foi um judeu ideal, nascido em Belém da Judéia. Sua mãe era uma judia chamada Maria e como criança ele foi diferente de todas as crianças.” 

Sobre a volta triunfal de Cristo para buscar Seu Povo, o movimento diz que está acontecendo através da Comunidade Findhorn (Escócia), através da existência de Maitreya, o messias.

Como religião, a Nova Era tem como carro-chefe a reencarnação contínua (procedente do hinduísmo e budismo), negando que exista uma morte definitiva. Segundo eles, o homem vai renascendo em novos ciclos de vida, dependendo da vida anterior que teve. Essa lei automática, chamada “Karma”, domina o ciclo das novas encarnações, até que o indivíduo tenha se desenvolvido a um tal nível de perfeição, até que ele possa se dissolver no “Nirvana” e sua existência se extinguir. Eles dizem o seguinte: “Se você não conseguir êxito da primeira vez, tente de novo!”  A isso dão o nome de “iniciação”, também chamada de “consagração”, a qual foi denominada abertamente como “luciférica”, não só por David Spangler (um de seus líderes) mas também na obras iniciais de Helena Blavatsky e Alice Bailey.

Spangler, por sinal, em um de seus muitos livros, escreveu o seguinte:


“Lúcifer está agindo em todos nós a fim de nos levar a um estado de perfeição. Quando entrarmos numa nova era da perfeição do ser humano, cada um de nós chegará ao ponto que chamo de ‘iniciação luciférica’. Este é o portão especial, pelo qual o indivíduo tem de passar para chegar à presença de sua luz e sua perfeição.”

 

Ele também afirmou publicamente que “...a verdadeira luz de Findhorn é a luz de lúcifer, o qual deveria também iluminar o mundo.” Além de tudo isso, eles também acreditam em óvnis e seres extraterrestres, dos quais supostamente também recebem respostas.

Assim, o que se pode concluir, a este ponto do nosso trabalho, é que essa “Nova Ordem Mundial” e esse “Novo Governo Mundial” são completamente anticristãos, abolindo princípios cristãos, substituindo-os por outros pagãos.

 

3.4  O Novo Messias

 

Uma figura-chave para essa nova religião mundial é Maitreya, cuja vinda o movimento publicou internacionalmente no dia 25 de abril de 1982. No Brasil, isso foi publicado no jornal “O Globo” de 03/05/82, através de grandes anúncios:

 

“Eis o Cristo. Cristo está agora entre nós. Ele não vem para nos julgar, porém para ajudar a humanidade e para inspirá-la. Ele é Maitreya, o ‘educador deste mundo’ e da ‘nossa geração humana’, uma pessoa para a qual existem diversos nomes: O Messias dos judeus, o Quinto Buda dos budistas, o Mahdi dos muçulmanos e o Krishna dos hindus.  Agora ele se revelará para nos conduzir a uma nova era. Sua presença nos garante que não haverá uma terceira guerra mundial.”

 

O escocês Benjamin Creme, precursor de Maitreya, afirma que esse novo messias já está vivendo em algum lugar da Terra, porém o local exato é do conhecimento de apenas alguns de seus discípulos. Já existem até o seu “mapa astral”, mostrando, inclusive, que ele nasceu no ano de 1962, inaugurando oficialmente a Nova Era no mundo, ou a “Era de Aquário”.

Segundo os teosofistas, Maitreya veio ao mundo pela primeira vez há 2.000 anos, precisamente na Palestina, através do seu discípulo Jesus, que agora é considerado o Mestre Jesus. Também afirmam que por estes dias atuais, o próprio Senhor Maitreya reaparecerá como um grande “Instrutor do Mundo”, a fim de transformá-lo e de resolver os problemas que incomodam a humanidade.

 

3.5  Quem é Maitreya

 

A tradição esotérica expõe que todas as religiões afirmam a ideia de uma revelação especial que será dada por um futuro Mestre: o Cristianismo espera pela volta de Cristo; os budistas esperam a chegada de outro Budhha; os muçulmanos esperam a aparição de Iman Mahdi; os hindus esperam a Bodhissattva e os judeus ainda estão esperando o seu Messias.

Os estudiosos esotéricos, particularmente Alice Baliley, no seu livro “A reaparição de Cristo”, afirma que todos esses diferentes nomes acima correspondem a um só nome, o Mestre do Mundo, o Instrutor do Mundo, o Senhor Maitreya.

 

3.6  Os Novos Mandamentos

 

O que transcrevemos a seguir é o que chamam de “A Grande Invocação”, uma oração que deverá se tornar uma prece mundial, pronunciada por Maitreya e transcrita a seus discípulos, expressando verdades comuns a todas as grandes religiões e já usada pelo mundo todo por pessoas de várias religiões e credos.  Por essa invocação, pode-se pedir ajuda aos mestres cósmicos.

 

Do ponto de luz na mente de Deus flua luz às mentes dos homens, que a luz desça à Terra.

Do ponto de Amor no coração de Deus, flua amor aos corações dos homens; que o Cristo volte à Terra.

Do centro onde a vontade de Deus é conhecida, guie o propósito, as pequenas vontades dos homens, propósito que os Mestres conhecem e a que servem.

Do centro a que chamamos raça dos homens, cumpra-se o Plano de Amor e de Luz. E mure-se a porta onde mora o mal.

Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano na Terra.

 

3.7  Um Jesus turista

 

Os seguidores da Nova Era costumam dizer que Jesus pregava sobre as pegadas de Buda e que Ele estivera na Índia naqueles 18 anos em que a Bíblia nada menciona sobre Sua trajetória na Terra. A pergunta é: Como será possível que Sua família nunca tivesse mencionado essa viagem que durou tanto tempo? Até a falta de fé de Seus irmãos foi mencionada, mas nunca mencionou-se que Ele tivesse estado no Tibet ou na Índia.

Os vizinhos, as pessoas de Nazaré, onde Ele foi criado, também nunca o mencionaram. Como era normal procurarem defeitos em Jesus, seria normal também que O criticassem pelo fato de ser um “iogue” ou um “avatar”.  Algum “fofoqueiro” tragicamente teria aumentado aquela famosa frase bíblica de Mateus 6:3: “Ora, o que se pode esperar de alguém nascido em Nazaré e que tenha passado tanto tempo na Índia e no Tibet?” 

Jesus sempre sofreu muitas perseguições e críticas pelo fato de não concordar com certos cumprimentos das leis judaicas, mas em nenhum momento O acusaram de que estivesse envolvido com o misticismo oriental. “Não é esse o carpinteiro?” era a pergunta feita pelas pessoas que O conheciam de vê-Lo crescer na sua cidade. Em nenhum momento alguém mencionou que Ele fosse filho do carpinteiro que chegou de uma longa viagem de um país distante, chamado Índia.

 

CAPÍTULO IV  —  Estratégias do Movimento

 

São muitas as estratégias utilizadas pela Nova Era para conseguir influenciar as pessoas. A princípio, busca formas simpáticas, acomodadoras, aparentemente sem segundas intenções, para só depois infiltrarem as suas ideias.

 

4.1  Ecumenismo

 

Uma das formas mais cômodas de trazer os seguidores de diversos segmentos religiosos para a Nova Era é através do Ecumenismo, defendendo a ideia de que é possível essa integração de credos religiosos.

Existe uma organização, chamada “Conselho Mundial de Igrejas”, que tem trabalhado com grande empenho para a união das diversas religiões, incluindo aí as totalmente pagãs. Numa reunião plenária, em Vancouver, Canadá, em 1983, por exemplo, contaram com a presença de representantes das mais diversas religiões pagãs, como hinduístas, indígenas, budistas, etc., num congresso patrocinado pelo FMI - Conselho Monetário Internacional. Durante as votações da reunião, cada vez que algum segmento cristão aprovava as religiões pagãs como “irmãs”, era aplaudido pelo plenário, passando a gozar de simpatia geral.

Durante todas as discussões e defesas de teses no congresso, o Cristianismo ia sendo criticado pelo fato de considerar Jesus Cristo como Deus. Afinal, para os demais segmentos religiosos, se Jesus fosse deixado de lado, o resto até que poderia ser resolvido e todos poderiam seguir debaixo de um único credo.

A Igreja Católica Romana, apesar de aceitar há muito tempo a mistura do Cristianismo com o ocultismo, tem tentado uma aproximação com os meios evangélicos, acenando a bandeira do ecumenismo.

Por falar nisso, é bom observarmos que a doutrina de salvação da Igreja Católica Romana está se aproximando mais do plano da Nova Era do que dos ensinos bíblicos. Em 1988, quando o Papa João Paulo II esteve na Índia, aceitou receber o símbolo “Tilak” na sua testa, sendo assim introduzido ou “iluminado” nos mistérios do Oriente.

Quanto à “Oração pela Paz”, que ele promovia com líderes de religiões pagãs, reflete bem o seu esforço para a unificação das religiões. No Brasil, principalmente nos estados nordestinos, a cada dia que passa diminuem as diferenças entre o Catolicismo e o ocultismo africano, deixando a população religiosa em profunda confusão.

A Legião da Boa Vontade (LBV) tem se encaixado como um perfeito elo entre as religiões, com o objetivo de promover esse tal ecumenismo, e cremos que ninguém desconhece as raízes espíritas da LBV, travestida de instituição benfeitora, caritativa, educadora, etc.

 

4.2  Terapias e massagens

 

Segundo a Nova Era, para alguém viver com saúde plena, que chamam de “Saúde holística”, seria necessário que a pessoa se encontrasse num estado de equilíbrio com as forças cósmicas. A yoga seria uma das técnicas usadas para se entrar nesse tal estado de equilíbrio, uma vez que, segundo eles, a meditação produz um relaxamento muscular e mental.

Até aí, parece que nada pode nos atingir. Porém, o problema é que quando se produz o tal vazio espiritual, escancara-se uma porta para os espíritos de pessoas já mortas, a visualização de certos fenômenos, etc., uma larga avenida para inserir-se ideias sem restrições. O estado de vazio espiritual, que parece deixar a pessoa flutuando, abre caminho para infiltração de ideias perigosas, dependendo de quem estiver manipulando o processo.

Segundo os orientais, as massagens “do-in” são feitas na sola dos pés, porque ali se localizam pontos que se ligam energeticamente com cada parte do corpo humano. Por exemplo: um problema estomacal pode ser resolvido com uma massagem num ponto específico que fica debaixo do segundo dedo do pé direito, crença diante de um mínimo conhecimento sobre o sistema nervoso. Na realidade, espíritos são invocados nessas sessões, aparentemente físicas e relaxantes.

É com base nessas teorias do “do-in” que atualmente são produzidas as “palmilhas magnetizadas” e os “colchões magnéticos”, que  produzem uma ativação na circulação sanguínea, tira dores, stress, enquanto introduz no usuário os princípios harmônicos cósmicos para a saúde.

A “Cristalterapia” (terapia feita com cristais), também se fundamenta nos mesmos princípios de integração cósmica e equilíbrio energético do corpo, ou equilíbrio do corpo com o cosmos. Aqui vale registrar o que a conhecida médium Augusta Maria declarou sobre isso: “Cada cristal dentro desta técnica representa um orixá (demônio)”

Para que não se pense que essas coisas estão distantes, escondidas, ou que seja fruto de exagero, experimente abrir os sites que falam de saúde holística, Nova Era, Era de Aquarius, etc.  Em Florianópolis, por exemplo, uma livraria se encarrega da venda de literaturas e objetos, enquanto o Centro Esotérico administra cursos, palestras, promove meditações, com terapias alternativas, como o tratamento Reiki, visando a “harmonização e reequilíbrio energético”, massagens e orientações, tudo através de consultas ao Tarô, instituições sem fins lucrativos, mantidas por doações espontâneas de associados e venda de objetos e livros esotéricos, artigos que podem ser adquiridos através de uma loja virtual.

Enquanto voluntários colocam-se à disposição para sustentar uma associação desse tipo, lamenta-se a falta de interesse de boa parte dos evangélicos para prestar serviços em favor do crescimento do Reino de Deus. É preocupante a inversão de valores observada nos dias atuais.

 

4.3  Ecologia

 

Segundo a revista “Ano Zero”, se tivéssemos que definir a Nova Era numa ideia, a melhor escolha seria “Consciência Ecológica”. Na verdade, todos os movimentos ligados à Ecologia estão direta ou indiretamente ligados à Nova Era, contando com o patrocínio de empresas e fundações de grande porte, principalmente empresas multinacionais, publicamente envolvidas com o movimento, patrocinando mega eventos como a “Eco 92”, realizado no Rio de Janeiro.

 

4.4  Lavagem Cerebral

 

Quando uma pessoa simpatiza e se envolve totalmente com os princípios da Nova Era, ela torna-se um ser humano insensível, bloqueando sua consciência de tal forma que faz coisas terríveis contra a sociedade. Muito pouca gente sabe que Sirhan, o assassino de Robert Kennedy, estava profundamente envolvido com essas ideias. O primeiro livro que ele pediu para ler, depois de ser aprisionado, foi “The Secret Doutrine” (A doutrina secreta), escrito por Madame Blavatsky, fundadora da Sociedade Teosófica. Ele simplesmente deu um tiro no peito do Senador Kennedy, numa reunião política, diante de uma multidão.

Segundo a autora desse livro, “...o homem é intrinsecamente divino e tem o direito de praticar a verdade dentro do seu ponto de vista, independente de todos os demais e evidências ao contrário.”  Esse homem estava profundamente influenciado por essa filosofia.

Segundo o Hinduísmo, o mundo material é ilusório e a Lei do Karma prevalece. Assim, matar Bob Kennedy foi um ato perfeitamente lógico. Podemos ter certeza de que Bob Kennedy foi morto da mesma forma como o foram John Kennedy, Martin Luther King e outras pessoas famosas, coincidência ou não, nos  anos 60, primeiros momentos de instalação da Nova Era.

 

4.5  Misticismo

 

O misticismo tem sido um instrumento poderoso nas mãos dos membros do movimento, pois essas práticas de adivinhações atraem as pessoas menos esclarecidas, passando a dominar seus passos. Ao se aproximar os finais de ano, é comum ver-se as estações de TV entrevistando as mais proeminentes figuras do misticismo nacional, para saber o que esses “guias” predizem para o próximo ano.

A Nova Era se utiliza de práticas como o “Tarô” (baralho para adivinhações), “Runas” (alfabeto de origem vicking), “I Ching” (ensinos de origem chinesa), talismãs e amuletos como medalhas, anéis, etc., cristais para conduzirem energia (pirâmides, etc.), a Astrologia (predições pelos astros, de origem caldeia) e uma Medicina Alternativa (Do-in, Iridologia, Cromoterapia, Musicoterapia, Hioroterapia, Tai-Chi-Chuan e Acupuntura).

 

4.6  Sexo Livre

 

Segundo as ideias do movimento, o sexo deve ser livre, dispensando as burocracias dos casamentos. Defendem a ideia, inclusive, de que as pessoas que fazem sexo com parceiros variados, são mais desenvolvidas, podendo vir em outro sexo na próxima encarnação, e numa outra como “gay”.

Para completar a roupagem liberal quanto ao sexo, a Nova Era também defende a prática do aborto e promove a liberdade para o homossexualismo e outras perversões sexuais.

 

CAPÍTULO V  —  O PLANO DA NOVA ERA

 

A literatura do movimento se refere frequentemente a um documento chamado “O Plano”, usado como oração-modelo pelos adeptos, assim como fazem os cristãos com o “Pai Nosso”.

Constando de uma série de metas, esse plano foi divulgado originalmente por Madame Helena Blavstsky, mas só anunciado detalhadamente em 1975, cem anos depois da sua concepção. Seus primeiros passos consistem em ganhar um grande número de simpatizantes, através de atividades pacíficas e antimilitares e em defesa da natureza, passando em seguida a assumir uma postura crítica, cética e destrutiva frente às religiões que defendam a imortalidade pessoal. O modus operandi é através de técnicas orientais de ocultismo, como meditação, yoga, zen (terapias de relaxamento), hipnose, cura psíquica (visualização do pensamento positivo), etc.

 

5.1  Plano Original

Abaixo apresentamos, na íntegra, “O Plano” da época da Madame Helena Blavatsky, extraído da página 18 do livro “Dark Secrets of the New Age” (Os segredos nebulosos da Nova Era).

• Estabelecer uma nova religião mundial, uma nova ordem política e social;

• A nova religião mundial será o renascimento dos mistérios da Babilônia;

• O plano será concretizado quando o messias da Nova Era assumir o controle, momento em que o número 666 será aplicado e a nova religião estabelecida;

• Espíritos cósmicos ajudarão a inaugurar a Nova Era, aclamando seu homem-deus como mestre do mundo;

• Paz, Amor e União serão slogans da religião;

• O ensino da Nova Era abrangerá o mundo todo;

• Os líderes da Nova Era irão demonstrar que Jesus não era o Cristo;

• O Cristianismo e outras religiões serão integrados na nova religião mundial;

• Os princípios cristãos serão desacreditados e eliminados;

• As crianças serão seduzidas espiritualmente nas escolas para promover a Nova Era;

• A humanidade será levada a crer que o homem é deus;

• A ciência e a religião serão unificadas;

• Cristãos que resistirem a este plano serão exterminados.

 

5.2  Regulamentação do Plano

 

Na época do lançamento público do plano (1975), houve uma atualização, ou modernização bastante clara dos propósitos de Madame Blavatsky, dividindo o Plano em diversos programas de ação.


• Criação de um sistema universal de cartões de crédito;

• Obrigação de se subordinar a vida pessoal aos objetivos de um diretório mundial;

• Criação de uma central mundial para a distribuição de alimentos, controlando o abastecimento da humanidade, onde as propriedades privadas de crédito, transporte e produção de alimentos seriam entregues a esse diretório mundial unificado;

• Criação de um sistema de impostos mundialmente unificado;

• Introdução de um serviço militar obrigatório, em escala mundial;

• Reconhecimento da necessidade de submissão a um controle mundial, com relação a assuntos biológicos, como a densidade populacional e os serviços de saúde;

• Desde a infância, o homem deverá receber, principalmente nas escolas, orientações satânicas para a divulgação da Nova Era;

• Acabar com o patriotismo, abrindo todas as fronteiras;

• Garantia mundial a um mínimo de liberdade e bem-estar;

• Criar no homem uma dependência a Satanás, fazendo com que desacredite de Jesus Cristo;

• Para efeito de controle religioso, político e social do mundo, os homens deverão ser identificados por um sistema numérico, cujo somatório seja 666, o qual deverá ser gravado a laser na mão direita ou na testa de cada pessoa (ver Apocalipse 13);

• A unificação da ciência com a religião faz parte de uma doutrina anarquista, a fim de que o homem confundido não encontre mais o caminho de Deus.

• Toda vez que a situação governamental sai do controle, uma nova era se inicia. No momento atual, é necessário fazer da humanidade uma nova Babilônia;

• Todo o comando deverá estar nas mãos de Satanás, através dos espíritos seguidores;

• Com toda a humanidade plenamente envolvida, ficará mais fácil para Satanás comandar a situação;

• Como o Cristianismo, o Judaísmo e o Islamismo são religiões “destrutivas”, seus paradigmas e doutrinas deverão ser transformados;

• Eliminar a família, pois o amor material é prejudicial;

• Oficializar a Eutanásia (antecipação da morte para pessoas inválidas, velhos, doentes terminais e pobres), transformando em culto o momento da morte dessas pessoas, pois dessa forma poderão voltar numa outra vida, gozando de uma situação melhor.

 

5.3  A divulgação oficial

 

Em 31 de dezembro de 1986, ao meio-dia (horário de Greenwich), aconteceu uma meditação simultânea em todo o mundo, como parte de um evento chamado “Dia da Cura Mundial” ou “Instante de Cooperação Mundial”. O objetivo desse mega evento era fortalecer o “campo de força”. Entre outras coisas, o autor dessa meditação declarava: “Eu sou co-criador com Deus, e o novo céu está chegando porque a boa vontade de Deus é expressa através de mim [...] é verdade, sou o Cristo de Deus.”

Diante do exposto acima, recomendamos a leitura de 1 Tessalonicenses 5:3, que diz o seguinte: “Quando andarem dizendo: ‘Há paz e segurança’, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo algum escaparão.”

 

CAPÍTULO VI  —  PATROCINADORES E MILITANTES

 

Como já dissemos anteriormente, a partir de 1975 as doutrinas deveriam ser divulgadas mundialmente, usando-se todos os meios de comunicação disponíveis. Desde aquele ano, instituições pacifistas, religiosas e filantrópicas vem sendo criadas com a finalidade de funcionarem como “testas de ferro” para o movimento, mascarando a introdução gradual das ideias do movimento.

Através do evento Eco 92, por exemplo, realizado na cidade do Rio de janeiro, um verdadeiro culto à natureza foi promovido pela ONU, como se isso bastasse para a recomposição de um mundo que vem sendo devastado física e espiritualmente através da História.

Vejamos, agora, quais os meios utilizados pela Nova Era para internacionalizar o movimento, promovendo uma verdadeira lavagem cerebral em toda a humanidade, desde a mais tenra idade:

 

6.1  Cinema

 

As crianças e os jovens têm sido influenciados por uma “onda da fantasia”, destacando-se os filmes  “E.T.”, “Guerra nas Estrelas”, “Contatos Imediatos”, “Ghost”, para não nos estendermos mais, todos eles enveredando para um mundo imaginário. Também poderiam ser citados os filmes “Juventude Transviada”, “Hair”  e  “Embalos de Sábado à noite”, todos eles marcando e mudando a vida de muitas pessoas.

 

6.2 Rádio

 

O rádio, pela ausência de imagens, não pode ser usado na mesma proporção que outros meios de comunicação, mas também tem cooperado com o movimento. Podemos mencionar um programa chamado “Alquimia”, patrocinado pela Rádio USP-FM, e outro com o nome de “Músicas da Nova Era”, com Mirna Grzich pela Rádio Guarany de Belo Horizonte e Rádio Eldorado de São Paulo, possivelmente ainda no ar.  Nesse meio também pode ser citado o radialista Antônio Gaspareto, outro simpatizante do movimento Nova Era.

 

6.3  Nintendos

 

Os vídeo-games são o grande ataque da Nova Era a partir dos anos 90, através de jogos que conduzem crianças a pesquisarem as profundezas do inferno, enquanto que outros dão pontos para cada atropelamento conseguido, para cada “furada de sinal”, dirigindo um carro em velocidade desvairada. Isso vai inserindo descaradamente nas crianças e nos adolescentes uma busca por um estado de anarquia (por sinal uma das proposições da Nova Era). Apesar da aparência de entretenimento, os videogames têm sido um dos maiores veículos satanistas para excluir crianças e adolescentes do meio familiar.

 

6.4  Literatura

 

Na literatura, uma avalanche de materiais esotérico/místicos têm invadido as prateleiras das livrarias e bancas de revista. Hoje, é impossível entrar nesses locais sem perceber que 80% do material à venda é dessa natureza.

Internacionalmente, destacam-se a atriz norte-americana Schirley McLaine e o escritor brasileiro Paulo Coelho, em obras como “Conspiração Aquariana”, “Formações pessoais e Sociais na Era de Aquário”, “Dançando na luz”, “Em busca do Eu”, “Minhas Vidas”, “Brida”, “O diário de um Mago”, “O Alquimista”, etc.

Além de Paulo Coelho, no Brasil, também pode ser destacado o nome do escritor Lauro Trevisan, com seus livros “Aquarius – A Nova Era chegou”, “O poder Infinito da Oração”, “Viagem a dois Planetas”, “Os poderes de Jesus Cristo”, “O Homem Só”,  O Poder Interior”, entre outras obras.

Muitas revistas apoiam discretamente as ideias, podendo-se destacar duas que foram lançadas abertamente para divulgar o  movimento: “Destino” e “Ano Zero”.

 

6.5  Música em geral

 

Como um dos meios mais comuns de influência sobre as massas, a músicas é usada com essa mesma finalidade. Inicialmente, foi lançada a “Terapia Musical”, de Alice Bailey, através da qual o ser humano alcança o estado alfa, uma situação mental onde a sua capacidade de concentração, discernimento e julgamento dos fatos fica altamente reduzida. Nesse estado, qualquer informação inserida na gravação será plenamente recebida e armazenada no subconsciente, e até mesmo no seu inconsciente.

Grande parte das músicas-tema de cinema, como no filme “Fantasia”, trazem na sua composição mensagens subliminares, aquelas que ultrapassam o limiar de audibilidade, ou seja: a menor intensidade de um som pode ser percebida pelo ouvido do observador.

Segundo a Psicologia, é o estímulo que não é suficientemente intenso para que o indivíduo tome consciência dele, mas que, quando percebido, atua no sentido de alcançar um efeito desejado.

Alguns músicos, compositores e intérpretes estão perfeitamente envolvidos mundialmente com o estilo Nova Era, podendo-se citar “Charriot of Fire” (Carruagens de Fogo), que é tema de olimpíadas, e também músicas de Jean Michel Jarre e de Ravi Shankar. 

No cenário brasileiro, em vários discos ouvidos ao contrário foram encontradas mensagens subliminares de louvor a Satanás. Gravações de Roberto Carlos, Xuxa Meneghel, Raul Seixas, Emílio Santiago e outros compõem uma enorme lista de cantores pesquisados, confirmando sua existência.

 

6.6  Estabelecimentos Escolares

 

Nos ambientes escolares, talvez de forma inconsciente, professoras têm levado seus aluninhos a manterem contato com diversos símbolos da Nova Era e, até mesmo, com práticas místicas, através da mentalização e estudo de alguns livros esotéricos e ocultistas. 

Nos currículos escolares o assunto aparece sob títulos como “Imaginação Criativa”, “Pensamento Criativo”, “Dinamização da Mente”, etc. Devagar, vão iniciando as inocentes crianças no ocultismo tenebroso, através de palestrantes especialmente convidados, sem aviso prévio ou esclarecimentos sobre do que se trata.

Outra área pela qual esta forma de satanismo está atuando nas escolas é através da arte, pelas dramatizações, teatrinhos, balé, desenho e música,

Outra forma de envolvimento dos estudantes com o satanismo são os festejos de “Halloween”, conhecidos aqui como “Dia das Bruxas”, sempre no dia 31 de outubro, festejos que nada têm a ver com a cultura brasileira, mas com a colonização dos Estados Unidos, trazidos pelos ingleses, escoceses e irlandeses.

Para completar, vale mencionar que os materiais escolares estão impregnados de símbolos da Nova Era. Procure observar!

 

6.7  Os roqueiros

 

Sempre que se tenta anexar o Rock ‘n ‘roll ao consumo de drogas, e às ideias do movimento Nova Era, acontece uma reação muito forte por parte dos seus seguidores. Mas, seria coincidência o fato desse tipo de música ter aparecido no mesmo momento em que as doutrinas da Nova Era começaram a ser anunciadas ao mundo?

Para se confirmar o perfeito casamento entre esse tipo de música e a Nova Era, basta observar como são os integrantes das bandas de “Heavy Metal”, normalmente pessoas mal-encaradas, mal vestidas, que exibem os principais símbolos da Nova Era em seus blusões de couro ou em tatuagens em partes visíveis de seus corpos, sempre divulgando ideias de rebeldia, mostrando sempre sua rejeição pelos valores morais e espirituais, com fortes ideias de rompimento com tudo o que já existe.

É público e conhecido que seus integrantes fazem pactos com os poderes das trevas para que consigam ter sucesso e consigam enriquecer. Tudo isso pode ser testemunhado nos títulos das músicas, nas suas letras, nas capas dos discos, nas tatuagens agressivas, no comportamento liberado e irreverente a tudo o que possa ser ligado a Deus. Afinal, por que será que uma banda colocaria seu nome de “Sepultura”, “Faith no more” (Fé nunca mais), “Nirvana”, “Guns n’ roses” (Armas e rosas), “Cure” (Cura), “Máquina Mortífera” e outros? E veja que todos esses grupos usam e abusam dos símbolos esotéricos que temos comentado. Se seus membros estão mergulhados no mundo das drogas, então, nem precisamos mencionar.

Para que não permaneça nenhuma dúvida sobre o que estamos dizendo, vamos agora analisar nomes de algumas músicas interpretadas por essas bandas: “Não quero ser seu amigo”, “Sinos do Inferno”, “Fascinado pela rua”, “Os braços de Orion”, “A barbárie começa no lar”, “Estou procurando rachaduras nas calçadas”, “No religion” (Sem religião), e assim por diante.  Por sinal, um membro da banda que gravou esta última música mencionada, se deu ao trabalho de explicar suas ideias quanto a ela: “No religion fala de não viver em ilusões, pois a realidade é dura. Precisamos deixar o culto e ir à luta. Apenas rezar não resolverá. Levante-se, deixe a religião de lado e diga não a tudo que está errado ...”

Cada uma dessas bandas mencionadas usa abertamente os brasões e símbolos que caracterizam as suas ideias, como o pé de galinha, as cruzes invertidas, a cruz suástica do nazismo, a mão chifrada e outros. Seguindo a Deus é que esse tipo de gente não está!

 

6.8  Televisão

 

Deixamos a televisão para o final, e não foi por acaso. Como é o maior veículo de comunicação, a TV transformou-se no carro-chefe de divulgação das ideias da Nova Era, passando a produzir uma variedade de programas onde o ocultismo aparece de maneira inicialmente disfarçada e depois passa a ocupar todo o espaço do enredo, principalmente nas novelas.

Entre esses artifícios, podemos mencionar a invocação de mortos, esconjuração de espíritos, clarividência, levitação de objetos através do poder da mente, espadas mágicas e amuletos caracterizando o mundo da geração jovem, além de feitiços, bruxas e mágicos, os quais sempre têm um papel importante no campo do ocultismo. Antigamente, havia um programa chamado “Abacadabra”, pela Rede Bandeirantes, que era totalmente produzido para defender as ideias da Nova Era.

Os desenhos produzidos pelos Estúdios Disney são infiltrados de elementos satânicos, homossexuados, imagens pornográficas disfarçadas e “conselhos” que só a mente tenra das crianças e adolescentes conseguem captar, através de mensagens subliminares e até abertas.

Vários casos foram provados em que crianças e pré-adolescentes tentaram matar seus pais, aconselhados pelos personagens dos desenhos. Quando as pessoas adultas vão pesquisar na fita, nada consegue ser visto por eles.  Repetimos que só as crianças conseguem ouvir ou ver tais imagens e sons.

Como exemplo desses desenhos, podemos mencionar “O Rei Leão”, onde o leãozinho é nitidamente homossexual, “A Pequena Sereia” e outros. Vale afirmar que os maiores cargos de direção dos Estúdios Disney são ocupados por homossexuais assumidos, como o exemplo de um diretor que abandonou a esposa para se juntar a um homem, e assim por diante.

Finalmente, vale mencionar a avalanche de seriados com personagens diabólicos, como “Jiraia”, “Change Man”, “Jaspion”, Power Rangers”, “Pokemon”, “Digimon”, “Teletubbies”, “Dragon Ball”,  e outros.

 

6.9  Militantes célebres

 

Ultimamente, podemos destacar nos Estados Unidos a atriz-guru Schirley MacLaine, como escritora e Robert Muller, ex-Secretário-Geral Adjunto da ONU. No Brasil, destacam-se o astrólogo carioca Pedro Tonaghi, o psicólogo e apresentador de TV Luiz Antônio Cessaretto, os diretores da revista “Ano Zero” Sérgio Coelho e Pedro Camargo, além dos escritores Paulo Coelho, Paulo Trevisan e Alexandre Mansur.

Dentre essas pessoas citadas no Brasil, o principal nome é Paulo Coelho, que se define como “...um homem em busca de Deus e da verdade”, mas que é conhecido como “O Grande Bruxo”.

 

6.10  Entidades religiosas

 

Pierre Weil, no seu livro “Sementes para uma Nova Era”, publica uma lista resumida de mais de 50 organizações religiosas internacionais que se integram na defesa das ideias da Nova Era. Mostramos aqui apenas aquelas que, de uma forma ou de outra, são conhecidas no nosso país: Ordem Rosacruz, Centros de Estudos Tibetanos, Centros de Taichi, Centros de Xen e Za Zen, Ramana Maharishi, Ramakrishna, Institutos de Yoga, Lojas Maçônicas, Meditação Transcendental Maharishi Mahesh, todas as organizações ligadas à sua fundadora Alice Bailey, Organizações Budha Maithreya, Mórmons, Quakers de George Fox, Seicho-no-iê, Sociedades de Antroposofia de Rudolf Steiner, Sociedades Budistas, Sociedade Teosófica Blavatsky, Conselho Mundial de Igrejas, entre outras.  Por causa do aninhamento do Papa João Paulo II com instituições pagãs da Nova Era, somos obrigados a citar a participação da Igreja Católica Romana, não como simpatizante, mas como participante descompromissada.

 

6.11  Patrocinadores

 

Como patrocinadores podemos destacar a IBM, a Fundação Rockfeller, Esso, Rede Globo, McDonalds, Fundação Roquete Pinto, Fiorucchi, Ford, Golden Cross, Fundação Roberto Marinho, O Boticário, Johan Fabber, Fundação Xuxa Meneghel, Fundação Bradesco, etc.

O número dessas empresas cresce a cada dia, incentivadas por abatimentos no Imposto de Renda, logicamente através de campanhas mascaradas pela defesa da Ecologia, da paz, etc.  A Fundação Rockfeller, por exemplo, tem financiado a instalação de clínicas de aborto, e o funcionamento de um seminário que confunde as bases do Cristianismo tradicional. É dessa forma que essas heresias estão sendo implantadas dentro das próprias Igrejas.

Além das empresas e fundações, também participam a própria ONU (Organização das Nações Unidas), o FMI (Fundo Monetário Internacional) e a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a educação, ciência e Cultura), fomentando e incentivando movimentos pacifistas e o funcionamento do Conselho Mundial de Igrejas, o Clube de Roma, a Comissão Trilateral, instituições ecológicas e feministas, diversas ONGs e outros. O Papa João Paulo II sempre esteve a serviço do movimento, enquanto pregava a unificação da ciência e da religião, uma Nova Era disfarçada de Cristianismo.

 

CAPÍTULO 7  —  SÍMBOLOS DA NOVA ERA

 

A época em que vivemos notabiliza-se pelo progresso do uso da imagem, tanto nas publicações como no cinema, no vídeo e nos computadores. A propagação multifacetada da Nova Era tira um proveito incrível na população, através dos símbolos místicos impregnados de influência maligna na orientação da mente humana. Esses símbolos são largamente divulgados em embalagens industriais, logomarcas, roupas, etiquetas, comerciais de televisão, cartazes, imprensa, etc. Nós precisamos saber reconhecer tais símbolos, para poder evitá-los.

Segundo Milton Vieira, que escreveu o livro Símbolos da Nova Era, simbologia é “...um conjunto de símbolos destinados a memorar fatos ou exprimir crenças, próprio de uma religião, de um povo ou de uma cultura, abrangendo várias civilizações.”  Vieira completa que a palavra símbolo origina-se do grego “symbolon”, que significa amarrar ou atar junto.

A seguir estaremos mostrando e comentando os principais símbolos utilizados pela Nova Era, emblemas que têm uma carga maligna muito forte, podendo vir a influenciar pessoas apenas ao serem observados, caso a pessoa não esteja bem preparada espiritualmente para isso.
Sem querer amedrontar os leitores, sugerimos que as pessoas peçam fortalecimento espiritual e proteção da parte de Deus, antes de tomarem contato com tais símbolos, e que não deixem as crianças manusearem o que será mostrado daqui para a frente.

 

7.1  Uma epidemia

 

Em virtude do fascínio que os símbolos têm exercido sobre o homem, não é surpresa que Satanás aproveite-se dessa arma para colocar marcas naqueles que estão sob o seu comando. É impressionante como os símbolos pagãos se tornaram frequentes, atualmente, em brindes de propaganda, brinquedos, materiais escolares e em outros objetos. Eles tanto podem estar fixando a imagem de conhecidas “griffes” no ramo de confecções, como podem aparecer como ornamento pessoal (brincos, anéis, medalhas, etc.), ou em frases de camisetas populares, brasões de equipes esportivas, ou pichados em muros.

As camisetas com slogans em inglês costumam dizer coisas que os usuários nem sequer imaginam: “Obsessão de matar”, Sou mais um alucinado atrás do dinheiro”, “Nem o amor constrói”, “Sou filho da Nova Era”, “Sou filho da perdição”, “Somos as melhores prostitutas na noite”, etc.

Esses sinais, porém, não representam nenhuma revolução do século XX, nem foram criados com o Movimento Nova Era, pois todos têm raízes no ocultismo e crenças de civilizações passadas, fazendo parte dos sistemas religiosos pagãos dos povos primitivos da Idade Média, e do esoterismo, que sempre viveu à sombra das coisas divinas. Essas simbologias têm sido utilizadas para identificar práticas religiosas, principalmente entre os grupos iniciados em determinados mistérios e classes sacerdotais.

O cuidado que os cristãos devem ter com relação a esses símbolos deve ser permanente, pois quem usa esses símbolos está se tornando mensageiro daquilo que o símbolo expressa. Satanás está convencendo aos jovens que gostam de acompanhar a moda a usarem essas aberrações, pois é uma tendência o fato da geração atual ir atrás daquilo que é proibido, daquilo que choca às gerações anteriores. Assim, os jovens passam a divulgar certas coisas nas suas roupas, pendurá-las nos pescoços, tatuá-las no corpo, etc.

Como diz Milton Vieira, “infelizmente isso não é o fim, mas o começo do fim”, pois não se pode prever quanto essa onda vai durar, até que resolvam inventar outra forma de ataque. Pode-se antever “tempos trabalhosos” com relação ao combate a essas práticas.

 

7.2  Cristo, um Garoto-Propaganda

 

O nome de Jesus é sagrado, estando acima de qualquer outro no céu ou na terra, não podendo ser exposto indevidamente como uma mercadoria de consumo. Satanás, porém, tem interesse em ver o nome JESUS  popularizado vulgarmente, como se fosse o nome de qualquer artigo ordinário que se queira vender, como se fosse Tião, Zezinho, Brahma, Skol, Lux, Omo, Bombril e outros, fazendo com que fique bem usado e gasto, e vá perdendo, cada vez mais, o Seu brilho.

Que fique claro que não é proibido usar camisetas que exibam o nome de JESUS, mas ao fazê-lo, temos que nos comportar de modo a dar testemunho de Seu valor. Nossa conduta, no momento em que ostentamos esse nome no peito, é a maior propaganda que Jesus espera que façamos d’Ele.

Estamos alertando para tudo isso porque os seguidores da Nova Era estão fabricando camisetas com o nome CRISTO em inglês, tendo a letra “T” substituída por uma cruz virada ao contrário, uma das simbologias que o movimento utiliza, jogando por terra o maior símbolo do Cristianismo, ridicularizando-a.

Também já foram vistas camisetas estampando um jacaré com uma prancha de surfe debaixo do braço, na qual se lê o nome JESUS. E olhe que jacaré é da família dos dragões, reconhecidamente uma figura que tipifica Satanás, na Bíblia!

 

PÉ-DE-GALINHA

 

Por servir de logotipo para uma famosa empresa de confecções, este símbolo é ago ra muito conhecido. Na verdade, seu desenho representa uma cruz invertida, com os braços quebrados e caídos, sugerindo uma suposta vitória de Satanás sobre a cruz de Cristo, tudo isso dentro de um círculo que representa o inferno.

Na década de 60 foi muito usada pelos hippies como símbolo ecológico, representando uma árvore de cabeça para baixo.

Ela já era usado nos rituais de magia negra durante a Idade Média, com o nome de “Pé-de-bruxa” e como “Pé-de-duende”, época em que era visível a figura de Satanás esculpida em madeira. Atualmente é muito usada pelos roqueiros. No Brasil é usado descaradamente pelo grupo musical Oludum, da Bahia.

Em 1958 o filósofo inglês Bertland Russel, ateu convicto e simpatizante assumido do comunismo, conseguiu com que o símbolo fosse usado por grupos estudantis britânicos, para que se conseguisse um acordo de paz com os comunistas. Passou a ser conhecido, então, como um pretenso símbolo de paz.

 

ANARQUIA

 

Politicamente, representa a abolição de todo tipo de lei ou governo, pois o trabalho de Satanás é criar o caos onde Deus criou a perfeição. Consta de um círculo (o planeta) transpassado por três traços apontando para diferentes direções.

Este símbolo também pode ser chamado de "Asmodeus", um dos quatro príncipes de Satanás. É muito comum ver-se esse símbolo pichado em muros, em automóveis, nos materiais escolares, em roupas de metaleiros, nas camisetas de grevistas... Ele sempre caracteriza a pretensão de um estado de confusão, rebeldia e desordem. Por falarmos em roqueiros, apesar deste símbolo ter aparecido entre os seguidores da música punk, agora é usado pelos roqueiros em geral.

A história deste símbolo não é tão antiga quanto algumas outras. Durante a ebulição política europeia no final do século XIX, o símbolo da anarquia começou a ser usado para identificar o movimento sindicalista que pretendia anarquizar os governos estabelecidos, pregando rebelião contra a propriedade privada, e sonhando com uma situação onde o indivíduo ficasse emancipado da tutela governamental.

Praticamente ninguém fala sobre isso, mas se prestarmos atenção na letra da música “Imagine”, de John Lennon, veremos que essas ideias foram defendidas sutilmente por ele, um grande simpatizante das ideias do movimento hippie e, por conseguinte, de todo o movimento Nova Era.

Sintetizando, admitindo-se ou não, essa ideia significa o caos, a negação do princípio de autoridade e de propriedade, resultando obviamente em desordem e confusão, pois os anarquistas, na sua teoria política, consideram toda forma de governo como um mal a ser extirpado.

 

BORBOLETA

 

Este é um dos principais símbolos do movimento Nova Era, que apareceu inicialmente na página no livro “Sementes para uma Nova Era”, de Pierre Weil. Segundo o autor, a lagarta representa o estado atual deste mundo, quando passa ao casulo, representando um processo de morte e transformação. A borboleta seria a manifestação da nova consciência na terra, ou seja, o movimento Nova Era.

 Os adeptos do movimento acreditam que todos os valores morais, espirituais, sociais, políticos e econômicos precisam morrer, dando lugar a algo novo. Assim como a horrorosa lagarta se transforma numa linda borboleta, o mesmo acontece com os homens, que passam de uma era antiga para uma nova.

 

BONECO DO PINK FLOYD

 

Este símbolo é muito usado principalmente em adesivos nos vidros traseiros dos automóveis, mostrando um boneco espiando por trás de um muro, representando  as  pessoas covardes que  esperam  por  uma  melhor  oportunidade  para  agir. 

Seu desenho surgiu com a música “Another brick in the wall” (Um outro tijolo no muro) da banda de Pink Floyd (1966), entre outras músicas como “Astronomia dominada”, “O Gnomo”, “Porcos em voo”, "Confortavelmente anestesiados"...

A figura mostra um boneco espiando por trás de um muro, representando as pessoas covardes que esperam por uma melhor oportunidade para agir.

 

MANCHA LOUCA

 

É um dos sinais mais conhecidos entre todos os símbolos divulgados pela Nova Era, aparecendo principalmente em adesivos, na parte traseira de automóveis, onde possam forçosamente ser vistos.

Não dá para entender o fascínio que essa mancha tem exercido sobre as pessoas, mas temos certeza de que são poucos os que conhecem a sua origem e o objetivo da sua existência.

Também chamada de "Mancha de Sangue", ela ridiculariza, zomba sobre o sangue vertido por Jesus na cruz do Calvário.  É o símbolo mais divulgado entre os satanistas da Nova Era.

 

YIN e YANG

 

Este símbolo já era usado filosoficamente pelos chineses, milhares de anos antes de Cristo, tornando-se popular através do Imperador Fu Shi, autor do livro “I Ching”, chamado por alguns como “Livro das Mudanças”. Este livro introduz a técnica da acupuntura, tratamento para a quase totalidade das doenças, segundo seu autor, que mais tarde escreveu o livro “Clássico de Medicina Interna do Imperador Amarelo” (2.880 a.C.), onde expôs a teoria de que o Universo é o campo de batalha de duas forças opostas.

Segundo seus defensores, o desenho representa a dualidade (Yin e Yang) que existe no organismo humano, encaixando-se no seu sistema de tratamento pela acupuntura, quando as forças se encontram equilibradamente. segundo eles, com o surgimento de uma doença, acontece um desequilíbrio, e o conserto só poderá acontecer através das agulhas da acupuntura.

Enquanto algumas filosofias mostram o dualismo do bem e do mal, entre as trevas e a luz, Yian e Yang mostram um equilíbrio entre os dois, defendendo uma convivência pacífica entre eles. Define que um lado sempre contém algo do outro e que, assim, nada é totalmente bom, nem totalmente mau.

A Nova Era interfere nessas crenças orientais, dizendo que Deus e Lúcifer se completam, pois as forças opostas são parte da mesma perspectiva divina. Assim, o diabo não seria tão ruim como dizem.

O movimento absorveu o símbolo e a idéia, mostrando o bem e o mal girando num mesmo círculo, nunca se encontrando, mas vivendo em perfeita harmonia e equilíbrio. Estariam presentes aí as idéias ecumênicas já comentadas antes?

Segundo as filosofias orientais, YANG representa o sexo masculino, a luz, a história, o lado direito do corpo, o lado positivo e o sol, enquanto que YIN representa o sexo feminino, a escuridão, o lado negativo, o lado esquerdo do corpo, e a Lua.

O símbolo é muitíssimo usado em roupas, bijuterias, materiais escolares, etc., e até como logotipo de algumas empresas famosas. Ao mesmo tempo em que no Oriente este símbolo identifica religiões como o Confucionismo, o Budismo,e o Taoísmo, no Ocidente simboliza mitos, magia, astrologia e feitiçaria.

As duas partes podem aparecer em vermelho e branco, mas é muito mais comum em branco e preto.

 

AS CRUZES DA NOVA ERA

 

A cruz, por configurar a morte de Cristo, por representar o derramar do Seu sangue no Calvário, acontecimento que oportunizou a Salvação para todos aqueles que creem, tem sido um dos símbolos mais atacados pelos satanistas e qualquer segmento alheio ao Cristianismo.

Sucessivamente aparecem novos modelos de cruz que procuram zombar ou ridicularizar a obra de Cristo na cruz do Calvário. Algumas dessas cruzes, como são mais conhecidas, procuraremos historiar melhor seu significado e sua mensagem satânica, enquanto que outras, menos conhecidas, apenas serão citadas, por sabermos pouco a respeito elas. 

Entre elas podem ser citadas a "Cruz Patriarcal", com duas hastes, a "Cruz da Bruxaria", dentro de um círculo, que caracteriza o começo da vida humana e querendo dizer que quando o círculo desaparece, a cruz que permanece passará a representar a queda do homem na matéria. Um puro panteísmo.

Também pode-se citar a "Cruz do Brasão do Quinto Senhor", que aparece dentro de um triângulo e de um circulo, a "Cruz de Âncora" e outras menos divulgadas.

 

A CRUZ INVERTIDA

 

É mais uma forma que Satanás encontrou para ridicularizar o mais importante símbolo da fé cristã: colocou-a de cabeça para baixo. Porém, a julgar pela quantidade de pessoas que usam este tipo de cruz, Satanás tem hoje um grande número de seguidores, como os roqueiros, os grupos musicais da Bahia, como o Oludum, por exemplo, além dos seguidores inconscientes, as pessoas que este trabalho de pesquisa deseja atingir.

Se quisermos confirmar a tendência obscura desse símbolo, basta que procuremos assistir ao clip gravado pela banda “Gorillas”, nas músicas Eastwood” e  “1904” onde seu integrante Murdock, o mais esquisito e sinistro, ostenta  a tal cruz de cabeça para baixo pendurada em seu pescoço. Como adereço é confeccionada em couro e com um barbante de seda brilhante.

 

CRUZ EGÍPCIA

 

Também conhecida como "Ankh", "Cruz Tau", "Cruz Ansata", ou ainda como "Cruz com Laço", é muito usada em camisetas, adesivos, etc., imitando um hieróglifo. Era comum ser vista nos sarcófagos e tumbas dos faraós, para representar a imortalidade da alma, o conhecimento cósmico e o intercurso sexual. Os bruxos a utilizavam em rituais de encantamento, fertilidade e divinação, simbolizando desprezo pela virgindade.

A Nova Era, inclusive, ensina que é a sexualidade que purifica o ser humano, elevando o espírito e embelezando o corpo. Isso é uma volta ao paganismo antigo, cujos deuses  promoviam as danças com barulho excessivo, as orgias, a prostituição ritual, etc.

Ela chegou a ser usada pelos praticantes de feitiçaria, ao planejarem algum tipo de abuso sexual. No Egito antigo, ela era  colocada   sobre   o   corpo   para   ajudá-lo  na passagem d para a espiritual.

Enquanto os mexicanos a usavam para simbolizar a fertilidade, os irlandeses a consideravam uma prova de sabedoria. Na época dos antigos persas e arianos da Índia, toda pessoa admitida nos mistérios do deus Mithra recebia a gravação dessa cruz na sua testa.

Seu traço horizontal representa a Terra, enquanto que o vertical representa o céu.

 

CRUZ DE CARAVACA

 

É muito considerada atualmente entre os místicos, também sendo confundida com a "Cruz Patriarcal". Começou a ser conhecida no século XIII na Espanha, numa época em que os mouros perseguiam os cristãos.

Numa missa, na cidade de Caravaca, quando um padre recebeu a visita de líderes mouros, não encontrando a cruz normal para “rezar” a missa, aceitou usar uma outra chamada “Cruz Patriarcal”, que estava de posse dos visitantes, trazida de Jesusalém, cruz essa que possuía dois braços  na horizontal.

Segundo se conta, o líder mouro viu a figura de Jesus sobre a hóstia exibida pelo padre, no momento em que a levantava. Até hoje é grande o número de caravanas que vão até aquela cidade para admirarem a figura dessa cruz.

 

CRUZ SUÁSTICA

 

Essa cruz, também conhecida como "Cruz Gamada", passou a ser conhecida quando começou a simbolizar o movimento nazista de Hitler, durante da II Guerra Mundial.

A palavra suástica vem da língua sânscrita e significa “assim seja”, ou “está tudo bem”, indicando vida, movimento, prazer, felicidade e boa sorte.

Três mil anos antes de Cristo ela já era usada pelos budistas na Índia  e  na  Europa  pré-cristã,  servindo  como  um  amuleto para atrair boa  sorte e afastar os maus espíritos. Na China, foi-lhe atribuído o significado de perfeição, enquanto que no Japão, significava o infinito. Esse símbolo também se fez presente na Pérsia, Itália, Chipre, Inglaterra, França, Escandinávia e em quase toda a totalidade dos povos antigos. Para a Nova Era, hoje em dia, essa cruz simboliza o movimento cósmico.

Para terminar, vale salientar que a suástica foi localizada em cemitérios pré-históricos mexicanos, paraguaios e norte-americanos.

 

CRUZ SATÂNICA

 

Também conhecida como "Cruz da Interrogação", mostra nNa haste vertical é acrescentado um ponto de interrogação ao contrário, enquanto que no cruzamento das hastes é desenhado um círculo, símbolo da imortalidade para o esoterismo.

O ponto de interrogação, logicamente, questiona a divindade de Cristo e a validade do Seu sacrifício na cruz do Calvário. É usada pela Nova Era e pelo Satanismo.

 

ROSA-CRUZ

 

Nenhum símbolo em formato de cruz é considerado tão esotérico, quanto este, que apareceu na Alemanha no século XVII, para identificar uma sociedade esotérica secreta.

Parcialmente desabrochada no centro da cruz, a rosa representa a alma do homem, abrindo-se e desenvolvendo-se na medida em que recebe mais luz.

Para os membros dessa sociedade, a cruz é o corpo físico do homem e seus braços estão estendidos em saudação ao sol, que representa a luz maior. No centro dessa cruz aparece uma rosacruz dentro de uma rosa, representando o homem como microcosmo, e a cruz maior como o macrocosmo. Em cada braço da cruz aparece o pentagrama, a conhecida estrela de 5 pontas.

 

LUA e ESTRELA

 

Nesse símbolo estão representados a deusa-lua (Diana) e a estrela da manhã (Lúcifer). Quando a Lua aparece desenhada de frente para a estrela, é símbolo de magia negra, mas quando aparece de costas, torna-se um símbolo do satanismo.

Esse logotipo é mais significativo pelo que representam suas figuras do que pela importância no sistema esotérico. A estrela, desde a mais remota Antiguidade, tem uma vasta gama de significados, enquanto que
a Lua tem maior  importância sobre a humanidade em todos os tempos.
As duas figuras juntas mostram a interação dos astros como um sistema único formando o Universo como um todo. Na antiga Caldeia, por exemplo, acreditavam num casamento entre o Sol e a Lua.

Na Nova Era, porém, a estrela e a Lua Minguante simbolizam a capacidade inerente ao homem para se auto-transportar em viagens através do cosmos.

Estes símbolos são muito usados em joias e adereços, e também como decoração de gabinetes de magos e bruxos.

Apesar de usado pela Astrologia e pela magia negra, este símbolo é exibido nas bandeiras de vários países de maioria islâmica, como a Turquia e a Tunísia.

 

O NÚMERO DA BESTA

 

Indiscutivelmente, não há sinal mais polêmico, discutido e pesquisado como este, talvez por ser mencionado biblicamente em Apocalipse 13:18. Apesar das pesquisas, até agora ninguém conseguiu encontrar uma explicação satisfatória para o mistério deste número mencionado nas Escrituras Sagradas.

O que mais nos chama a atenção é que a Nova Era tem incentivado muito a sua divulgação, e adotado o mesmo como um dos seus principais símbolos. Os motivos para tal preferência ainda são ignorados, mas é certo que Satanás está por trás disso, uma vez que a Bíblia diz que este é o “Número da Besta”.

 

SIGNO DE LÚCIFER

 

Este sinal é o símbolo da bandeira de Lúcifer. O círculo representa o planeta Terra (reino de satanás), enquanto que o ponto representa os homens (instrumentos a serviço deste reino).
Além da explicação acima, o  símbolo  exibem  uma  conotação sexual: numa visão aérea, enquanto o círculo simboliza a Lua (princípio feminino), o ponto simboliza o Sol (princípio masculino) assumindo a forma de um pênis ereto.
No boletim maçônico de agosto de 1931, o artigo “O ponto dentro do círculo” afirma que este símbolo já era usado na Antiguidade como adoração ao falo (pênis).

 

MÃO CHIFRADA

 

Existe uma série de sinais feitos com as mãos, que recebem nomes diferentes, como Mão Chifrada e Mão  Boba. O sinal normalmente é utilizado como uma saudação, mostrando os dedos polegar e mínimo abertos, sendo que os demais ficam fechados, mas existem variações para isso.

Todas as pessoas já devem ter visto esse sinal em adesivos de automóveis e principalmente numa marca de artigos esportivos, chamada “Hang-Loose”, que pode ser traduzido como “Segurar frouxamente”, incentivando a prática sexual até não conseguir-se levantar da cama.

De um modo geral, significa frouxidão, relaxamento, estado de embriaguez, de prostração e até de negligência. Segundo a ideia, tudo o que uma pessoa for fazer para o progresso, deverá fazer “frouxamente”, “largadamente”.

Por outro lado, esse gesto também significa o rebaixamento e queda da Trindade (os três dedos abaixados), enquanto que os dois levantados formam o chifre que simboliza o diabo, que logicamente estaria em supremacia.

Satanás chama a todos pela sua “mão de frouxos”.  Vale ainda lembrar que esse símbolo é muito usado entre surfistas, roqueiros, etc., como se fosse uma saudação entre eles.

Quando Xuxa Meneghel passou a usá-lo na TV, causou muita polêmica no país, chegando-se a noticiar alguns boatos de que ela teria feito pacto com Satanás, com o objetivo de alcançar fama e fortuna.

O ambiente mais propício para a saudação com esse símbolo é entre os artistas ligados ao rock’n’roll, simbolizando  o  louvor  usado  em rituais satânicos. O pior é que como  os  jovens  da  atualidade  têm  muita facilidade em aderir a tudo  que  expresse revolta, desobediência, é normal que eles se cumprimentem com tal saudação.

Embora certos jovens utilizem essa saudação inocentemente,   em  momento  algum  ela  deixa  de  ser  uma invocação de demônios feita pela Nova Era, e pelo Satanismo.                                                                                

     

CHIFRE DO MAU-OLHADO


Também chamado de Chifre Italiano, faz parte da cultura simbológica de diversos povos sul-americanos, africanos, mexicanos, etc., em várias épocas.

Seu uso foi ali introduzido pelos sacerdotes druidas da Escócia e Irlanda, utilizado como instrumento para castrar animais e pessoas.

Atualmente, ele é confeccionado como pequena jóia em  ouro, marfim (ou plástico imitando o marfim) como pendente em  correntinhas de pescoço ou pulseiras, usado inclusive por pessoas cristãs.

Também costuma ser visto pendurado em paredes de salas de visita das residências, sempre com o objetivo de afastar mau-olhado.

De um modo geral, seu significado místico é afastar mau-olhado, trazer sorte e fortuna, pois Satanás tomará conta e protegerá as finanças da pessoa que o usa.

 

RAIO, A FORÇA CÓSMICA

 

O raio encontra-se entre os mais significativos símbolos do esoterismo. Também conhecido como S Satânico ou S Quebrado, o raio era temido e ao mesmo tempo adorado por muitos povos da Antiguidade.

Esse símbolo chega aos nossos dias com força total entre os místicos de todo o mundo, como manifestação divina com poder benéfico e como força destrutiva com poder maléfico.

As escolas teosóficas e esotéricas dão particular atenção ao estudo dos 7 Raios, encontrando neles a mais clara expressão simbólica das características dos homens, que podem agrupar-se em sete tipos: vontade, sabedoria, inteligência ativa, harmonia, ciência como conhecimento concreto, devoção e magia cerimonial ritualística.

Muitas  griffes  de  confecções  e material esportivo usam um raio na sua  logo,  procurando  ligar  seu  produto  aos super-heróis dos desenhos de TV.  A  Zoomp, por exemplo, é  uma  das mais conhecidas, sendo  imitada  por  empresas  de  pequeno porte, tanto no interior como nas grandes capitais.

Ultimamente, esse raio pode ser visto na testa do bruxinho Harry Potter, como uma espécie de cicatriz, atitude que passou a ser imitada por muitos meninos da atualidade.  Como se pode ver, a haste da letra “p” do nome aparece estilizada com um raio.

Sua utilização em massa é feita pelo movimento Nova Era, pelo Satanismo e pela bruxaria em geral.  De um modo geral, o uso do raio mostra reconhecimento do poderio de Satanás e uma predisposição para estar a seu serviço.

           

RAIO DUPLO 


O seu significado oculto encontra raízes na Mitologia Grega, sendo a arma de Zeus, o maioral dos deuses gregos, que aumentava o seu poder quando empunhava sua arma com esse formato de dois esses estilizados, que lembram instantaneamente o desenho de dois raios. Segundo a Mitologia, Zeus costumava lançar raios, sempre que se aborrecia.

Esse símbolo também foi adotado por Hitler durante a II Guerra Mundial, para identificar a sua Polícia Secreta, a temível “SS”, que às vezes aparece como um único “S” estilizado, imitando um caractere do alfabeto rúnico dos antigos povos germânicos e escandinavos.

Atualmente, a Nova Era e o satanismo utiliza-se deste símbolo com dois esses estilizados, tanto em adesivos promocionais como em roupas de metaleiros e tatuagens no próprio corpo, em broches, simbolizando louvor e invocação a Satanás. Para quem duvida dessa última observação, observe como são escritos os dois “ss” do nome da banda de rock.

 

CABEÇA DE BODE

 

O bode sempre esteve presente na história da humanidade, desde os seus primórdios. No Candomblé, por exemplo, o sangue de bode tem um significado especial na iniciação dos “filhos-de-santo”, na “Feitura da Cabeça”, sendo um dos símbolos mais malignos entre os satanistas de todos os tempos.

Entre outras, na figura do bode pode apresentar uma vela acesa entre os chifres, num sinal de desdém ao Cordeiro de Deus, e como ritual para obtenção de favores das entidades espíritas.

Ele é um ser andrógeno (macho e fêmea ao mesmo tempo), dando ênfase especial ao sexo. Se conseguirmos ver bem os detalhes do desenho, observaremos que ele tem seios e um pênis ereto com duas serpentes entrelaçadas nele.

Este símbolo recebe vários nomes como Deus Chifrudo, Bode de Mendes, Bafomé, que em inglês significa Baphomet, entre outros.  Todos  os  nomes  são  uma  forma  satânica  de  zombar  de Cristo, o  Cordeiro de  Deus que morreu pelos pecados da humanidade.

No livro sobre feitiçaria chamado “Símbolos Ocultos Ilustrados”, por exemplo, seu autor, o Dr. Bruns, diz que Bafomé “é o deus cornífero dos feiticeiros, o símbolo do sexo encarnado.”

Símbolo também dos antigos Cavaleiros Templários, essa figura macabra é muito utilizada em diversos rituais satânicos de Candomblé, bruxaria e até pela Maçonaria. 

 

A MAGIA DOS TRIÂNGULOS


O triângulo tem sido uma manifestação finita na magia ocidental, normalmente utilizado em rituais para invocar espíritos, apresentando algumas variações dependendo da instituição que o utiliza, como a Maçonaria, a Nova Era, o Satanismo e a bruxaria em geral. É a partir dele que aparecem outros símbolos como as pirâmides, que serão estudadas a seguir.

Segundo as crenças ocultistas pagãs, se ele for usado com uma ponta para baixo será  chamado de “Triângulo da Terra”, “Triângulo da Pirâmide” ou de “Triângulo do Fogo”, e assim por diante. São afirmações que não vêm de um satanista qualquer vestido com capuz preto, mas de escritores renomados como George Steinmetz, no seu livro “Its hidden meaning” ou seja “O seu significado oculto” , lançado em 1948.

 

PIRÂMIDES

 

Nenhum outro símbolo ou monumento encerra tanto mistério e fascina o homem de maneira tão extraordinária quanto a pirâmide, principalmente a partir dos anos 1980, quando seu uso virou moda. Ela costuma ser vista sobre escrivaninhas de escritório ou consultório médico, mesinhas de sala de estar nas residências, em estantes, e até como brinco para as orelhas, normalmente feita em cristal.

Vista pela ótica do misticismo, ela pode emanar energia positiva, sorte para quem estiver por perto, ficando aí a pergunta sobre que procedência teria tal energia, qual sua fonte geradora, e com que objetivo ela é emanada.

A verdade é que o Diabo consegue dar energia a qualquer objeto, desde que haja pessoas dispostas a acreditar nisso. Pelo menos, à luz da ciência, não há como uma forma geométrica de pirâmide irradiar qualquer forma de energia. 

Historicamente, as pirâmides, que tinham até a altura de um prédio de 48 andares, eram construídas para servir de túmulos para os corpos mumificados dos faraós, colocados ali acompanhados de todos os seus bens, como ídolos, obras de arte, riquíssimos tesouros e até armas. Conta a História que muitos de seus servos optavam em suicidarem-se, para que seus corpos pudessem continuar junto ao corpo do seu senhor.
A pergunta que se faz é a seguinte: Será que num lugar como esse, onde aconteciam tremendas barbaridades, pudesse estar presente algum tipo de energia positiva?  Só uma força satânica muito grande seria capaz de convencer tanta gente de uma maluquice dessa!  Para se ter ideia das sandices que são ditas, há até quem acredite que as pirâmides foram construídas por seres extraterrestres!

Porém, é bom registrar que além dessa utilização macabra, as pirâmides funcionavam como enormes relógios solares, controlando cientificamente as horas, dias, estações e até mesmo os séculos. Também funcionava como observatório astronômico.

Veja agora o que diz o escritor Milton Vieira, no seu livro “Os símbolos da Nova Era”, sobre o assunto pirâmide: “Os registros de como eram construídas as pirâmides e outros monumentos da época, perderam-se no tempo, como tantas outras informações sobre o passado remoto. No entanto, a qualquer momento, poderá ser descoberta alguma pista ou um achado que esclareça o assunto de uma vez por todas, acabando com especulações infundadas e sem nexo, atendendo à vontade de Satanás, que é desviar a atenção do homem do Criador, e voltá-la para as coisas criadas e para a criatura, vivendo de suposições e firmados num banco de areia movediça.”

 

O OLHO DA PIRÂMIDE

 

Calcula-se que o desenho dessa pirâmide com um olho vem de mil anos antes de Cristo, na Mesopotâmia, e aparece atualmente nas cédulas de um dólar,  nos Estados Unidos.

Nos dias atuais o desenho simboliza a seleta “Ordem dos Liberalistas”, que formaram uma religião de adoração mística sobre os “Mistérios das Escrituras”. Eles estão no controle do olho de Lúcifer e crêem que são os escolhidos de Satanás para controlarem as finanças do mundo.

Este símbolo dá sabedoria aos magos financeiros que controlam os sistemas comerciais e financeiros e um dos mais potentes do poder de adivinhação. Saiba que encantamentos,  maldições,  controle  psíquico  e  toda corrupção concebível é preparada através deste emblema.

Outra explicação dada sobre esse desenho é que o pequeno triângulo separado como topo da pirâmide, representa onde  estão  os  poucos   que   foram   escolhidos diretamente por Lúcifer ou por seus demônios.

  

OLHO DE SATÃ

 

Um pouco diferenciado daquele da pirâmide, este símbolo com olho é usado em rituais de magia negra e está presente na simbologia de quase todas as sociedades secretas. Conhecido entre os egípcios desde a Antiguidade, reapareceu durante a Idade Média, apesar da ferocidade do movimento da Inquisição, desembocando de maneira triunfal na feitiçaria moderna.

No Egito Antigo, a simbologia envolvendo olhos era muito forte, assumindo diversos significados quando colocados nos túmulos: era podemos exemplificar os nomes “Olho da Divindade”,  (deuses velando pela vítima de maldição) e “Olho de Hórus”.

Atualmente, foi acrescida ao Olho de Satã uma lágrima em forma de losango, ou seja, dois triângulos (um superior e outro inferior), que representariam a interação da Terra. Essa lágrima representa também o choro de Satanás por todos aqueles que estão fora do seu alcance, pois segundo a Nova Era, um dia ele que julgará essas almas desobedientes. O símbolo é usado pela Nova Era e pela Maçonaria.

 


FITA ENTRELAÇADA

 

Este símbolo é muito usado em logotipos empresariais, como do Unibanco, cartazes publicitários, sociedades secretas, etc. Seu significado oculto está intimamente ligado ao infinito, à perfeita união cósmica entre o bem e o mal que, esotericamente, são iguais e eternos. O laço da fita não mostra começo nem fim, como se fosse uma peça única, assim como o Universo que, segundo eles, ninguém sabe quando começou ou acabará.

O desenho também significa que a caminhada da vida vai sempre adiante, sem qualquer ponto de interrupção, através de “novas encarnações”.

Este emblema é bem mais novo do que os outros, explicando a interação do homem com as forças do cosmo, ou seja: o homem unido ao visível e ao invisível, ao poder de supostos mestres de outras dimensões, seres evoluídos, dotados de grande inteligência.

Ao observar-se cuidadosamente a composição do desenho, pode-se ver três algarismos “6” entrelaçados, como se estivessem de mãos dadas,  desencadeando a formação do número “666”, o número da besta. Seria apenas uma coincidência?  Tanto a Nova Era como a Maçonaria utilizam este símbolo.

 

ARCO-ÍRIS

 

É, sem dúvida, um dos símbolos mais destacados da NOVA ERA, usado abertamente nos impressos e materiais publicitários de instituições de ensino, comércio e indústria, e até mesmo por administrações governamentais ligadas a esse movimento.

Exemplificando esse último caso, podemos lembrar uma administração municipal de Tubarão, há anos atrás, que usava o arco-íris seguido da expressão “Um novo tempo”.

Para a Nova Era, o arco-íris representa a vida em sua plenitude,  surgindo por ocasião da chuva e do sol, dois elementos fundamentais para a vida do planeta. Já os esotéricos defendem  que  ele  significa  a  ponte  que  liga  a alma do homem às forças cósmicas e até ao próprio Lúcifer.  Segundo eles, o arco-íris liga duas extremidades, simbolizando a sublimação espiritual, momento em que o homem alcança um outro estágio em sua forma de viver, o mesmo que aconteceu com Buda e outros seres iluminados.

Enquanto a Bíblia mostra o arco-íris como um símbolo de grande significado no Antigo Testamento, quando Deus fez uma aliança com os homens através de Noé, a Nova Era, lhe dá uma outra interpretação, uma conotação esotérica, apresentando-o pela metade, simbolizando uma imitação da aliança de Deus com o homem. Porém, como está pela metade, simboliza uma aliança quebrada, sem efeito.

Existe um formato especial, que é o arco-íris ligado a uma estrela, desenho que simboliza o caminho do homem, o eu superior”, ou seja, Lúcifer.

 

FIDO DIDO

 

Esse personagem surgiu recentemente nos Estados Unidos, inicialmente para identificar uma griffe de confecções e depois para uma fábrica de perfumes conhecida internacionalmente, passando, em seguida, a ser exibido em camisetas dos jovens, disparado a melhor forma de divulgar esses símbolos.

A figura retrata um jovem da sociedade moderna, demonstrando uma loucura insana no seus traços, lembrando um personagem “muito louco”, cabelos arrepiados, olhar de espanto, um estado geral de loucura.

Quem  já  frequentou  ambientes  de  música  alta,  regada  a  drogas e bebidas, logo lembrará de alguém já visto nessas condições, com gritos histéricos, andar desengonçado, dizendo “To muito louco!”, balançando-se freneticamente, como se estivessem possuídos por alguma ser sobrenatural.

Pelo fato de representar tudo ao contrário do que deveria ser um filho de Deus, pode-se dizer que Fido Dido é uma deturpação e vulgarização de um homem normal.

Além de um símbolo que produz boas vendas para público jovem, ele tenta inserir coisas estranhas, que demonstram, no mínimo, falta de sensatez e equilíbrio espiritual.

Normalmente este personagem é apresentado na companhia de  frases inglesas,  que significam “Filho da Perdição”, “Fido não é contra ninguém”, “Fido é juventude”, “Fido não tem idade”, “Fido vê tudo”, “Fido não julga nada”, “Fido é inocente”, “Fido é poderoso”, “Fido vem do passado”, “Fido é o futuro”, entre outras.

Como os jovens não conseguem entender o significado de todas essas frases em inglês, saem pelas ruas exibindo essas mensagens demoníacas impressas no seu peito, ou nas costas, dizendo a todos que são “filhos da perdição”, que estão fazendo parte de um movimento que  inaugura  uma  Nova Era, que  se  identificam  com uma figura “muito louca”, que por sua vez não se identifica com nenhum dos bons costumes sadios que vêm do Supremo Criador, procurando fazer tudo que possa ser alheio a qualquer tipo de julgamento.

Para encerrar, vale registrar que o termo Fido Dido vem de um dialeto francês que, traduzido para o português, seria “Filho do diabo”.

  

SÍMBOLOS MITOLÓGICOS

 

A mitologia grega e romana não poderiam ficar de fora dessa festa que é a Nova Era, oferecendo seus símbolos, crenças e deuses como instrumentos de enriquecimento dos temas aquarianos.

É por esse motivo que nosso estudo optou pelo nome "A velha Nova Era", pois apesar da aparência de novidade, ela se fundamenta nas mais remotas crenças mitológicas e práticas de feitiçaria.

  

TRIDENTE DIABÓLICO

 

O desenho surgiu entre os satanistas da Idade Média, tornando-se presença indispensável nos cultos demoníacos, rituais de bruxaria e magia negra.

Historicamente, o tridente é uma das mais antigas ferramentas agrícolas utilizadas pelo homem, tendo a forma de uma forquilha de três pontos. Esotericamente, porém, a ferramenta é conhecida como o cetro do deus grego Netuno, o dominador dos mares.  Segundo o que ensina a Mitologia, Netuno era filho  de Saturno e irmão de Júpiter e Plutão, e esposo de Anfitrite, uma família bonita e feliz.

O tridente de Netuno apresentava setas em cada uma das três pontas, como se fossem anzóis. Assim o peixe era fisgado, não conseguindo se livrar dessas pontas. É por esse motivo que associaram o tridente ao Diabo, pois quando ele “fisga” uma vítima, ela dificilmente conseguirá se libertar. Cada ponta simboliza, também, as três crenças “destrutivas” radicais: o Judaísmo, o Islamismo e o Cristianismo.

Por falar nisso, a este ponto do estudo já dá para constatar um relacionamento muito estreito entre a Mitologia e o Satanismo, dando para observar que suas crenças costumam se misturar numa mesma panela.

Como se pode ver no desenho, o tridente está virado para cima, e seu cabo estiliza uma cruz (de cabeça para baixo, para variar), sendo muito usado em cerimônias de magia negra.

Ele identifica seu usuário como pessoa que rompeu totalmente com Deus, uma vez que subjugou  a cruz de Cristo nas mãos de Lúcifer, oferecendo-lhe a vitória sobre sua alma.

A Nova Era criou um desenho estilizado do tridente, conforme a figura apresentada, usado para representar as transformações nas crenças populares, a mudança da fé e dos valores preservados pela humanidade ao longo dos séculos, como a família, o sentimento pátrio, as instituições religiosas e outros. O semicírculo superior representa uma interrupção da vida, sinalizando o mando e a autoridade de Netuno.

 


NETUNO

 

É mais uma versão do tridente mitológico, desta vez ligado a Netuno. Como se pode ver, nele está representada uma cruz virada para baixo, partindo de um semicírculo superior.

Todo o desenho simboliza a transformação da crença: o semicírculo representa o planeta Terra que será governado por Maitreya, enquanto que a cruz pendurada ao contrário significa que todas as crenças anteriores (Cristo) foram destruídas, subjugadas.

 

URANO

 

Este último é muito difundido atualmente através de uma mulher muito estranha chamada de Gaia, personagem do desenho “Capitão Planeta”. Ela toma conta da natureza como se fosse um espírito, sempre usando  os  pretensos poderes de um anel. Ali fica claro que tudo pode ser construído na natureza sem a interferência de Deus.  A Nova Era adora usar esta simbologia.

Segundo a Mitologia Grega, Urano é pai de Saturno, deduzindo-se, então, que é avô de Netuno.  Uma família importante.

Este símbolo representa um sinal de compromisso com as forças ocultas.  Sua forma mostra um círculo que possui, no seu interior, um círculo preto menor, representando continuidade, imutabilidade e eternidade. A seta, que sustenta o grande círculo, tem sua ponde para baixo, simbolizando o feminino, a fertilidade, apontando sempre na direção inferior. O conjunto também diz respeito às pessoas que alcançaram um grau superior de evolução espiritual, como os mestres das religiões orientais.


PLUTÃO

 

Este símbolo caracteriza a “união planetária”, a construção de uma “aldeia global”, com a perspective do nascimento do novo planeta Terra, numa união sem fronteiras, acima dos credos, cor e raça. Dentro da Nova Era também simboliza a “paz universal”. 

Como Plutão era irmão de Netuno, na Mitologia Grega, seu símbolo é semelhante ao tridente do irmão, mas tendo um círculo flutuando no lugar da seta central. Ele era considerado o rei dos infernos e o deus dos mortos.

Pouco deveríamos falar sobre alguém que é rei do inferno, mas nosso estudo nos força a continuar. A figura compõe-se de uma cruz de cabeça para baixo.

Segundo a Astrologia, simboliza o planeta Plutão, mas segundo o Esoterismo representa uma irmandade universal dos seres celestiais que ajudam na evolução do homem. Como a cruz do Calvário aparece invertida, compreende-se que a fraternidade pretendida funciona ao contrário, mostrando a rejeição de Cristo.

A figura é utilizada em rituais secretos por alguns segmentos do esoterismo, como símbolo de pactos com entidades cósmicas. O mesmo símbolo já foi visto também em sessões espíritas como ponto riscado dos espíritos incorporados em médiuns.

 

PÁSSARO SAGRADO

 

É um pouco complicado pesquisar-se sobre as figuras da Mitologia e das civilizações antigas, tal a profusão de personagens e sua multiplicidade de utilização. Sobre o Fênix, por exemplo, seu nome aparece ligado a outro pássaro chamado Íbis, mas os relatos garantem tratar-se da mesma figura.

Para os egípcios, o fênix era considerado um pássaro sagrado, símbolo do deus-sol, responsável pela fertilidade na época das cheias do rio Nilo. Além disso, era considerado o deus da sabedoria e inventor da escrita, um grau de divindade relacionado à morte, ao julgamento das almas e da espiritualidade.

Segundo as crenças mitológicas originais, o fênix vivia por vários séculos, sendo que a cada mil anos queimava-se entre ervas mágicas, ressurgindo das cinzas para uma nova vida. Foi essa propriedade mística que passou a considerar esse pássaro como o símbolo da imortalidade da alma.

Não se espante, mas o diabo conseguiu colocar na cabeça de um grupo de cristãos, na Idade Média, que o fênix tipificava Jesus na Sua ressurreição.

Atualmente, esse símbolo costuma ser usado pela Nova Era em camisetas, adesivos de veículos, no logotipo de griffes de confecções, de uma fábrica de automóveis. Normalmente aparece misturado a outros símbolos e escritas hieroglíficas.

 

MERCÚRIO

 

O signo astrológico de Mercúrio tornou-se um símbolo tradicional dos travestis. Na mitologia grega, Hermes (a versão grega de Mercúrio) e Afrodite (a deusa do Amor) tiveram um nenê chamado Hermaphroditus. A criança possuía tanto os órgãos masculinos quanto os femininos. Foi daí que se originou o termo "hermafrodita".

Além disso, acredita-se que alguns rituais associados à adoração  de   Afrodite  teriam  envolvimento  com   castração, travestismo e homossexualidade.

Este símbolo, na sua totalidade, condensa tanto representações do sexo masculino (a lua crescente em cima), como do sexo feminino (a cruz embaixo), enquanto que um anel representaria o individual, criando um cômodo equilíbrio entre as duas partes.

 

PENTAGRAMA

 

O Pentagrama, também conhecido como Estrela de cinco pontas, é um símbolo antiqüíssimo ligado à bruxaria e à magia negra, oferecendo interpretações místicas. Por exemplo, tanto foi usado pelos seguidores de Pitágoras como o símbolo da perfeição como, em outra época, como um amuleto de boa sorte e proteção contra maus espíritos.

Atualmente, ainda é usado por um segmento mais fechado da Ordem Rosa-Cruz, enquanto que a Nova Era o considera um emblema do princípio inspirador do bem, tanto no mundo como no homem.

A interpretação dada a este símbolo é que com duas pontas para cima representam Lúcifer e seu reino e com duas pontas baixo mostra o homem como “deus”, no lugar de Deus.

As pontas de cima atraem energias positivas, enquanto que as de baixo têm efeito contrário. Muitas bandas de rock’n’roll fazem adoração a diante deste símbolo em troca de sucesso garantido.

Este símbolo costuma aparecer com algumas variações, no seu desenho, podendo ter um círculo em redor, com oito flechas partindo da sua parte traseira para direções diferenciadas, tendo a imagem da cabeça de bode no seu centro (ridicularizando o bode da expiação de Levíticos 16).

Também é comum ter um homem com os braços levantados e as pernas separadas, acompanhando o desenho das pontas da estrela, representando a essência humana.

Representando a chave do portal que liga o mundo diretamente com Satanás, este símbolo é considerado por muitos como o mais importante da Alta Magia. É bom registrar que cada ponta representa um principado: Leviathan, Asmodeo, Astaroth, Lúcifer e Belzebu, cada um deles sendo festejado em festas particulares durante o ano.

Além de ser muito usado por satanistas e bruxos, em rituais satânicos para invocação de demônios, base para muitos rituais e ações, o Pentagrama também é largamente usado pela Nova Era e pela Maçonaria.

O mais triste é que este símbolo tem sido usado atualmente como logotipo de igrejas, talvez em confusão com a estrela de seis pontas, a chamada “Estela de Davi”.


 

HEXAGRAMA

 

Já o Hexagrama, também chamado de “Estrela de seis pontas” mostra uma justaposição de dois triângulos entrelaçados, um com a ponta para cima e outro com a ponta para baixo.  Na época dos reis Davi e Salomão essa estrela passou a ser um dos símbolos mais sagrados entre os hebreus, apesar de já conhecido muito antes pelos egípcios. A estrela de Davi ainda é o símbolo nacional de Israel até os dias de hoje.

Porém, vale registrar que existem diferenças no desenho símbolo de estrela  com  a “Estrela de Belém”, em  alusão à estrela que guiou os magos ao encontro do menino Jesus. Porém, enquanto a estrela isolada lembra o nascimento de Jesus, a mesma estrela dentro de um círculo representa os cristãos aprisionados por Satanás, numa grande demonstração da superioridade de Satanás sobre o Messias.

A interpretação esotérica é de que a ponta de cima tipifica o sexo masculino, enquanto que a ponta para baixo é o sexo feminino. O entrelaçamento simboliza o casamento perfeito entre os dois sexos, enquanto que o cruzamento perfeito das linhas representa o entendimento e a compreensão mútua. A Nova Era também o considera como símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmicas.

Além na Nova Era, o hexagrama também é muito usado pelos magos em cerimônias de encantamento, conjuração de espíritos, purificação, reforço de poderes psíquicos, etc. Nesse momento, o símbolo mostra a cabeça de um ancião dentro da ponta superior (São Cipriano, o bruxo), seus braços abertos nas pontas laterais superiores e assim por diante. O triângulo que aponta para baixo representa uma diminuição de energia, enquanto que o triângulo aponta para cima representa a ascensão dos seres que pretendem ser divinizados.

Fica muito claro que tanto o lado hebreu-cristão quanto o esotérico não passam de crendices por parte de pessoas místicas e um engano do Diabo. O uso desses símbolos em jóias de ouro, pendurados em correntinhas, não passa de amuletos de sorte, principalmente, nada mais perigoso em termos espirituais.

Para encerrar, veja o que o feiticeiro David J.Meyer disse no seu livro “Dançando com os demônios: “Quando o triângulo masculino penetra o triângulo feminino, produz a estrela de seis pontas, o selo de Salomão, ou Hexagrama, o símbolo mais maligno da feitiçaria.”.   Será que vale a pena continuar a explicar alguma coisa sobre esse símbolo, sua utilidade, quem está certo, quem está errado, e assim por diante?

 

OM

 

Esse é o símbolo universal da Yoga, que quando é pronunciado torna-se o mais poderoso dos mantras.  Ele através dele que é o universo se cria, se conserva e se dissolve, o som-semente que desenvolve o centro de força da “Terceira Visão”, também chamada de “Terceiro Olho”.

Essa “força” seria responsável pela intuição, meditação e pelos fenômenos da telepatia e clarividência, utilizada pelo Satanismo, um dos nove portais (chakras) utilizados pelos demônios para agirem na vida dos satanistas.

O símbolo, atualmente, é utilizado pelo Hinduísmo, pela Nova Era e, logicamente, pelo Satanismo.

 

CASAL TRANSPESSOAL

 

O que se vê nesta figura é um casal, que, na sua união, representam o ômega, a última do alfabeto grego, que significa o fim. Essa letra foi escolhida pela Nova Era como representação da família, acreditando que esse sistema de união esteja chegando ao seu final, como defende o escritor Pierre Weil.

Acabando a organização familiar, a sociedade abre-se para absorver a nova ordem que está sendo implantada.

Eles pregam liberdades individuais, sem a necessidade dos laços civis e religiosos já existentes, defendem a legalidade do aborto, a insubmissão filial, a abolição de qualquer crença religiosa, a prática liberal do sexo e o tratamento de igualdade entre pais e filhos.

É notória a “normalidade” com que tratam da prática sexual liberada, da infidelidade conjugal, da rejeição aos segmentos religiosos, da gravidez fora do casamento, do lesbianismo, homossexualismo, etc. Realmente estão focados numa nova época, num novo tempo, numa nova convivência entre as pessoas.

Segundo as ideias da Nova Era, o ser humano não deve pertencer a nenhuma família, mas ficar sempre livre para buscar novos parceiros, afirmando que a sucessiva troca de parceiros proporciona uma elevação espiritual.

 


FEMININO E MASCULINO

 

É o símbolo utilizado pelo movimento feminista, que prega a liberação da mulher, movimento que ganhou sua maior importância a partir de 1960, na mesma época em que se implanta a Nova Era no mundo. O ano de 1975 foi instituído pela ONU como o Ano Internacional da Mulher. 

Satanás, sem dúvida, está  por trás desse movimento aparentemente social, pois conseguiu deturpá-lo, distorcê-lo, direcionando sua luta numa  disputa  em  termos  profissionais das mulheres contra os homens.

A idéia que passou a ser pregada é que o homem escravizou a mulher, e que ela precisava obter sua liberação a qualquer custo. Ao invés de ser uma defesa da mulher,passou a ser uma luta contra o homem.

Vale registrar, também, que dentro dos estudos genéticos, o círculo com seta para cima representa o sexo masculino, enquanto que aquele com seta para baixo  representa  o  sexo  feminino.

O movimento Nova Era tem usado esses símbolos em materiais escolares, etc., logicamente com uma deturpação dos valores tipicamente científicos, tentando mostrá-los simplesmente como símbolos de macho e fêmea.

 

CAVEIRA

 

Existem muitas variações entre esses símbolos que estão sendo estudados e denunciados. Sobre a caveira, por exemplo, veremos que ela pode aparecer dentro de uma estrela de cinco pontas, transformando-se numa variação dos pentagramas.

Quanto à caveira tradicional, também conhecida pelo nome de Exu Caveira, que aparece com dois ossos cruzados abaixo, é o símbolo antigamente utilizado pelos piratas, servindo para indicar a presença de demônios. Ela é uma personificação de Satanás.    

 

O GATO SAGRADO

 

Apesar dos gatos serem considerados entre os principais animais de estimação, ele também é um dos preferidos para serem sacrificados em cerimônias de magia negra e outros tipos de macumbaria, principalmente os de cor preta.

Um fato interessante é que ao mesmo tempo em que os gatos são vítimas de cerimoniais macabros para uns, são considerados deuses para outros. No Egito, por exemplo, o gato era a deusa bastet; no budismo, representa a sabedoria, a prudência e a vivacidade. Quanto ao ocidente, se forem  pretos,  os gatos passam a ser considerados como um símbolo de má sorte.

Na Idade Média, associados à bruxaria, os gatos eram perseguidos impiedosamente, principalmente os de cor preta, acusados de serem a própria personificação do Diabo. A coisa chegou a tal ponto que quase se extinguiu a população de gatos da Europa, o que resultou numa superpopulação de ratos, quando aconteceu a terrível peste bubônica.

 

NEW AGE

 

Logicamente, este item não trata de uma figura, mas de uma expressão que é usada como tal. Traduzida para o português significa “Nova Era”, e é principalmente estampada em roupas e em materiais escolares. Há bem pouco tempo as canetas esferográficas coloridas BIC divulgaram bastante a marca “New Age” do movimento do mesmo nome.

 

DRAGÃO

 

Nenhum povo do mundo cultuou mais a figura lendária do dragão do que os chineses, seguidos pelos japoneses, usando-a em manifestações religiosas e culturais. O dragão é considerado um portador de boa sorte e afastador de maus espíritos. No ocidente, porém, o dragão personifica o mal, a destruição.

Cada povo tem o direito de adorar o bicho que deseje, mas é bíblico que o dragão personifica Satanás, conforme registrado em Apocalipse 12:3. 

O dragão é uma das figuras mais difundidas pela Nova Era, estando impressa onde quer que se fale em heresia e demonismo, principalmente nas tatuagens nos corpos dos roqueiros.

Tanto este símbolo é o  verdadeiro  sinal  de  pacto  com Satã, que todas aquelas pessoas que conservam a figura do dragão onde vivem, passam a ter perturbações de ordem espiritual. 

 

CRISTO É VIDA

 

Esta frase já deve ter sido vista em chaveiros, adesivos de veículos. Apesar de parecer uma afirmação cristã, ela é usada pela Nova Era como uma distorção e vulgarização da frase “Cristo é A vida”. 

Se pararmos para descobrir a diferença, a frase bíblica que utiliza o artigo “A” quer dizer que Jesus é “a vida”, e não qualquer vida, como a frase da Nova Era propõe. Nessa última, a água também tem vida, a árvore, etc.

Esta frase da Nova Era está por aí em roupas, broches, adereços, e podem estar sendo usados por cristãos desavisados.    

 

 ESCARAVELHO

 

O escaravelho é um tipo de besouro cuja imagem é utilizada em cerimoniais ocultistas, para mostrar que seu portador possui poderes e é uma fonte de proteção em relação a outros poderes dentro do Satanismo.

Também conhecido como “Belzebu”, sua figura geralmente é encontrada nas paredes de igrejas de seitas satânicas.

De uns anos para cá sua figura tem sido usada em colares e correntinhas de pescoço, como se fosse um simples amuleto. O escaravelho (ou besouro) aparece no filme de desenho animado “Aladdin”, dos Estúdios Disney.
       

 

UNICÓRNIO

 

Este símbolo que caracteriza a liberdade e a promiscuidade sexual, incluindo a homossexualidade, o  lesbianismo, bissexualidade, a  fornicação, o  sexo grupal e tudo o mais que a nossa mente consiga imaginar. Assim como a ave Fênix, este símbolo também representa o Anticristo.

No seu original, trata-se de um cavalo mitológico, com um chifre fino  na  sua testa,  símbolo  greco-romano que data de 20 séculos antes de  Cristo, entre os mesopotâmios, cujo uso persistiu até a Idade Média.

Com o advento da Nova Era, ele não poderia ficar de fora. O cavalo branco, representando coragem, pureza, ousadia, intrepidez e fidelidade, passa a ser símbolo da castidade ou da sexualidade sublimada, a forma mais elevada  de  se  encarar  o  relacionamento  íntimo  entre  os sexos masculino e feminino.

Alguns esotéricos acreditam que o pequeno chifre do unicórnio dá intuição às pessoas, ou seja, aquela sensação de que algo vai acontecer. Este símbolo pode ser visto na capa de um livro da série “Harry Potter”.   

  

ELEFANTE

 

Embora seja um animal muito querido pelas pessoas, o elefante suplanta em significado esotérico a maioria dos animais, principalmente na Ásia. Na Índia, por exemplo, ele é considerado o deus Ganesha, com poderes para ajudar a vencer todos os obstáculos; no Tibet, ele é tido como o poder sustentador do mundo, representando a força, a vitória e a prosperidade.

Durante a Idade Média, o elefante era tido como um símbolo de castidade, temperança e precaução.

Atualmente, estatuetas de  elefantes  são  usadas  de  costas  para as  portas para as portas de residências, de modo que possam ser vistas por quem passe por ali.  Parece ser uma crença inofensiva, sem maiores implicações, mas isso tem a ver com o uso de elefantes durante as guerras, quando era comum tapar as entradas das casas a serem invadidas, com a colocação de um elefante na sua frente, evitando assim que as pessoas que estivessem no interior fossem mortas ou aprisionadas.

Além dessas estatuetas de louça, com a parte traseira virada contra a porta, as pessoas costumam usar a figura de elefantes em jóias de ouro, ou simplesmente miniaturas das suas presas, confeccionadas em marfim, madeira, plástico e até em pedra de cristal leitoso.

Todas as pessoas que usam esses símbolos, o fazem de maneira consciente, pois os próprios vendedores se encarregam de divulgar o lado místico da coisa.

 

POMBA COM UM RAMO

 

Uma pombinha carregando um raminho no bico é um símbolo bíblico (Gênesis 8:11) que foi deturpado e vulgarizado pela Nova Era, passando a simbolizar a paz pretendida pelos aquarianos, cuja esperança é que as águas da Era de Peixes sequem, dando lugar ao novo tempo que se instala.

 

ASTROLOGIA

 

Os símbolos do Zodíaco sempre foram usados na adoração a Satanás, reuniões de ocultismo a deuses e deusas que sempre buscaram a concupiscência de Ishtar.  A conjuração dos espíritos de fertilidade era feita através do uso desses emblemas, onde eram produzidos todo tipo de sensualidade imoral em homenagem aos deuses da procriação. 

Os praticantes do zodíaco confessam a Baal e Lúcifer como seus deuses.

 

O PALHAÇO

 

É comum ver-se figuras de palhaços decorando quartos de crianças, bibliotecas, consultórios médicos e de dentistas, pois ele faz parte de uma cultura universal.

Alguém poderia perguntar o que está fazendo a inocente figura do palhaço nesta coletânea de símbolos do esoterismo e da bruxaria, uma vez que ele “só” traz alegria para as pessoas.

Vamos explicar: é flagrante como esse tipo de artista dificilmente vai bem na sua vida, não conseguindo sucesso financeiro,  apesar   de   sua  fama  e  dedicação.  Normalmente acabam como alcoólatras, viciados, pessoas jogadas pelas sarjetas da vida.

Um pouco de história: A profissão de divertir os outros vem desde os teatros dos primórdios, envolvendo deuses e deusas. No passado, havia uma festa chamada “Dionisíacas”, que acontecia três vezes por ano, época em que as pessoas pintavam seus rostos de vermelho, usavam pés de bode a fim de homenagear Dionísio (deus da colheita), sempre acontecendo isso em peças teatrais de estilo tragicômicas.

Seiscentos anos antes de Cristo, um homem chamado Téspis introduziu um novo sistema de teatro, que apresentava três partes: uma cômica, uma satânica e uma terceira mais jocosa e até obscena. Os personagens usavam máscaras assemelhando-se aos palhaços que conhecemos.

Cento e cinquenta anos depois, na Roma Antiga, a comédia firmava-se definitivamente, mas o palhaço continuava cada vez mais mal afamado. Nos enredos eram introduzidos figurantes escravos, prisioneiros e condenados à morte, que durante o espetáculo eram assassinados “ao vivo”, jogados em fogueiras, crucificados ou atirados aos leões.  A personagem que funcionava como carrasco nessas situações era um homem vestido de palhaço, tendo sua cara pintada para não ser reconhecido.

Só pelos anos 300 d.C., aproximadamente, com a oficialização do Cristianismo como religião oficial, é que esses espetáculos desapareceram. Para concluir, lembramos que durante a Idade Média os palhaços eram usados como o “bobo da Corte”, uma figura ridicularizada por todos.

Os esotéricos acham que o palhaço vive o drama real da vida, aspirando uma outra situação, mas nunca a alcança, pois a vida é um contínuo teatro.

Estatísticas mostram que em cada 10 crianças insones ou sobressaltadas, oito tinham figuras de palhaços no seu quarto de dormir ou personagens assemelhados. São crianças que se tornavam nervosas, agitadas, e só apresentaram uma mudança de quadro após a retirada dessas coisas do seu quarto.

  

OUTROS SÍMBOLOS

 

São incontáveis os símbolos utilizados pela Nova Era e por todos os segmentos esotéricos, da bruxaria e do ocultismo em geral. Pararemos por aqui, pois não há espaço para tudo o que eles inventam.

 

CAPÍTULO VIII  -  A NOVA ERA E A BÍBLIA

 

A seguir, relacionaremos algumas afirmações e ideias defendidas pelo movimento Nova Era, acompanhadas de uma clara refutação bíblica, mencionando-se o texto envolvido no assunto, para dirimir qualquer dúvida.

REENCARNAÇÃO: O HOMEM PAGA POR SEUS ATOS EM VIDAS SUCESSIVAS -  Romanos 6:23 garante que Jesus já pagou o preço e nos deu acesso à vida eterna.

TUDO É RELATIVO E INTERDEPENDENDE, POIS DEUS E OS HOMENS SÃO IGUAIS - Gênesis 1 mostra que Deus é soberano, o Criador de todas as coisas e que a Sua criação é distinta entre si.

NO PANTEÍSMO TUDO É DEUS E TUDO É DIVINO, INCLUSIVE O MAL - Gênesis 8:21 diz que o coração do homem é mau por natureza e mostra Deus decidindo o que fazer com a natureza e com o homem.

O HOMEM É O CENTRO DO UNIVERSO, O PADRÃO E A MEDIDA DE TODAS AS COISAS  -  No Teocentrismo, Deus é o Centro, o padrão e a medida de tudo. Romanos 11:36 diz que todas as coisas são d’Ele, por Ele e para Ele, eternamente.

TODAS AS RELIGIÕES SÃO BOAS E LEVAM A DEUS; A FÉ CRISTÃ É APENAS UM CAMINHO - Atos 4:12 diz que só há salvação em Jesus, o que é confirmado em João 14:6, quando mostra Jesus dizendo: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim.”

A MORTE É SÓ UMA PASSAGEM PARA A PRÓXIMA ENCARNAÇÃO -
Diz Hebreus 9:27 que o homem morre apenas uma vez, aguardando depois pelo julgamento eterno.

A ÉTICA DA NOVA ERA: TUDO É RELATIVO E NENHUM VALOR É ABSOLUTO - Gálatas 1:6 garante que tudo depende da vontade absoluta de Deus. Essa é a ética cristã ensinada na Bíblia Sagrada.

O MAIOR PROBLEMA HUMANO É IGNORAR O SEU POTENCIAL.
O maior problema humano é ignorar a justiça de Deus, pela fé em Jesus Cristo. Pelo menos é o que se lê em Romanos 3:22,23.

A SOLUÇÃO PARA O HOMEM É MUDAR SUA MENTALIDADE E RECONHECER SUA PRÓPRIA DIVINDADE. A solução para o homem é arrepender-se dos seus pecados (Mateus 3:2) e  continuar desviando-se deles (Atos 3:26), pois Jesus é a única solução.

O CONHECIMENTO VEM PELA PRÁTICAS OCULTAS DIRIGIDAS POR ESPÍRITOS - O apóstolo Pedro diz em 1 Pedro 2:18 que devemos crescer na graça e no conhecimento do Salvador Jesus Cristo, conselho confirmado pelo apóstolo João em João 5:39.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Uma coisa nós podemos concluir, com certeza, depois da viagem que fizemos por esse Circo de Horror: A Nova Era é bíblica!!!.

Sua aparição foi prevista em vários textos das Escrituras Sagradas, pois os apóstolos e discípulos cansaram de alertar para esse momento que estamos vivendo agora, chamando-o de “começo do fim”.  Já estamos cansados de ler sobre isso!

Já no Antigo Testamento os pagãos tentaram opor-se à autoridade do único Deus. Veja o que Deus mandou dizer ao Seu Povo, registrado no livro de Deuteronômio: “Não se achará entre ti [...] nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos, pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor.”  (Dt 18:10-12). Deus não queria ver Seu Povo misturado com os pagãos. Nunca quis!

Apocalipse 13:11-18, livro que foi escrito por João no primeiro século da Era Cristã, relata profeticamente o que está acontecendo agora, que as pessoas seriam marcadas com números, etc. O que nos conforma é que quando essas coisas estiverem acontecendo, o Senhor já terá selado e marcado todos aqueles que forem Seus escolhidos, os que optaram em viver à sombra de Jesus, pessoas que não serão atingidas por esses males. Isso está registrado no capítulo 7 de Apocalipse, com a promessa de que a Igreja gozaria da proteção de Deus por tempo suficiente para que a Sua missão fosse concluída.

Sem dúvida, a Nova Era surge como um cumprimento profético, e os cristãos serão, mais do que nunca, criticados como retrógrados inúteis e empecilhos para o alcance da “paz mundial”, das “conquistas da ecologia” e da “evolução do ser humano”.  Pelo que dizem, todos serão bons, menos os cristãos.

Cabe, então, a nós, colocar em prática o “Orai e vigiai para que não entreis em tentação.”  O Apocalipse nos revela a grande vitória de Cristo e Sua Igreja sobre as bestas do mar e da terra, pois o Cristianismo é a única e real segurança do ser humano, e a fiel Igreja de Cristo é vencedora sobre todas essas coisas apregoadas.

O movimento Nova Era deve se tornar uma motivação a mais para que o cristão leve adiante a mensagem do Evangelho, pois as pessoas têm uma grande sede de Deus, necessidades que Satanás procura saciar com suas mentiras.


James Hefley, no seu livro “Os heróis da Fé”, diz o seguinte:

 

O soluço de um bilhão de almas na Terra me soa aos ouvidos e comove o coração. Esforço-me, pelo auxílio de Deus, para avaliar; ao menos em parte, as densas trevas, a extrema miséria e o indescritível desespero desses milhões de almas sem Cristo. Medita, irmão, sobre o amor do Mestre, amor profundo como o mar; contempla o horripilante espetáculo de desespero dos povos perdidos, até não poderes censurar, até não poderes descansar, até não poderes dormir. (HEFLEY, 1963)

 

Chegou o momento de preparação para a guerra e os verdadeiros cristãos estão se sobressaindo entre os demais, nessa batalha sem tréguas. É como diz Milton Vieira: “Ou há uma reação inaugurando um novo tempo no Cristianismo, ou descobrir-se-á, tarde demais, que o caminho estreito era bem mais estreito do que se pensava.”

Que ninguém se deixe convencer pelo ensinamento sedutor de que existe uma possibilidade de se construir um paraíso aqui na Terra, uma solução sem arrependimento ou abandono do pecado. Isso não é bíblico! Isso não é de Deus.

Temos à nossa frente, portanto, uma decisão: ou nos separamos de tudo o que se relaciona com o movimento NOVA ERA, ou estaremos entrando nas fileiras organizadas cuidadosamentepor Satanás. É como gritava o profeta Elias para o povo em pecado: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-O, mas se for Baal, segui-o...” (1 Reis 18:21)

Encerrando, o que podemos esperar de um movimento que procurar contato com fadas, duendes e gnomos, que procura traços da personalidade nas partes do corpo humano, que espera aperfeiçoar-se através da relação sexual, que sugere o uso do anel da “Sagrada Cobra do Amor” como talismã dos 77 poderes? 

O que esse movimento não mostra é um líder que, na sua história, tenha sustentado 5.000 pessoas com cinco pães  e dois peixes; que curasse os enfermos de qualquer enfermidade, fosse cego, coxo, leproso, possesso, etc., que ressuscitasse mortos...

A Bíblia mostra Jesus como “Grande Deus e Salvador”, que triunfou sobre a morte, ressuscitando dentre os mortos. Ele não foi um homem bom e extraordinário, um profeta, uma consciência cósmica, e outros títulos que o movimento aquariano proclama, mas o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, Criador de todas as coisas, permanecendo para sempre como o caminho, a verdade e a vida.

 

GLOSSÁRIO

 

ACUPUNTURA -  Ciência oriental cuja teoria está baseada na existência da energia cósmica no corpo, polarizada em aspectos positivos e negativos, conhecidas pelo nome de Yin e Yang.

ALMA SUPERIOR -  Para os seguidores da Nova Era, é Lúcifer.

ARCO-ÍRIS - A ponte que o homem constrói para chegar ao reino de Lúcifer, por meio de iniciações, meditações, visualizações, etc.

ASPIRANTES - Pessoas que executam as ordens no reino de Lúcifer, destruindo formas antigas e construindo novas.

AVATAR  -  Falso profeta (Jesus), aquele que prepara o caminho para o anticristo.

CABALA - Interpretação ocultista da Bíblia, cujos ensinos aparecem totalmente deturpados. Ensina-se para os iniciados que a sua interpretação é mais profunda, e com esta cilada os levam para uma doutrina totalmente antibíblica.

EDUCAÇÃO HOLÍSTICA  -  Compõe todas as formas de meditação e de treinamento psicológico, tais como Yoga, Psicologia Transpessoal e o Pensamento Positivo. Inclui-se aí os movimentos ecológicos de proteção ao meio ambiente e animais, as campanhas de desarmamento, os projetos contra a fome, outros caritativos e a comercialização de produtos naturais e saudáveis.

ERA  -  Basicamente, é o nome que se dá para um período geralmente longo, cujo início e fim são marcados por acontecimentos marcantes, os quais dão origem a uma nova concepção das coisas. O início de uma nova era envolve toda uma nova estrutura e, logicamente, o final de outra, através de fatos relevantes.

EU SUPERIOR  -  Título dado a Lúcifer pelos seguidores da Nova Era.

FAMÍLIA GLOBAL  -  Refere-se a toda a humanidade alcançada pelas doutrinas do movimento Nova Era.

GRANDE MENTE UNIVERSAL  -  Outro título dado a Lúcifer.

KARMA  -  Conjunto de ações dos homens e suas consequências.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

BÍBLIA VIDA NOVA. Comentários de Russel Shed. Editora Vida Nova.

CRADALL, Alex. O que é a Nova Era.

CUMBEY, Constance. Os perigos ocultos do Arco-Íris. Shreveport: Huning Hous, INC, 1986.

DOERS, Valter. O movimento Nova Era e os Cristãos.

FERREIRA, Júlio Andrade. Apocalipse Ontem e Hoje. São Paulo: Editora Os Puritanos, 1983.

HEFLEY, James C. Heróis da Fé. Tradução de BOYER, Orlando. Chicago,EUA: The Moody Bible Institute. 1963.

JORNAL DO BRASIL, edição de 17/07/1991.

JUCKSCH, Alcides. Ecumenismo e evangelizações. Gramado: Editora Conhecer a Bíblia, 1998.

NOGUEIRA, Célio Alves. Nova Era. Apostila de jul/1991.

PERERTTI, Frank E. Este mundo tenebroso. São Paulo: Editora Vida, 1989.

RESENDE, Daisy Gomes de. Nova Era: uma revolução mística. Rio de Janeiro: S.João do Meriti, 1991.

REVISTA ANO ZERO  -  Ano I, nº 1, mai/1991.

REVISTA DE DOMINGO  -  jul/1991.

REVISTA DESTINO. Ano II, nº 21, abr/1991.

SCHLINK, M. Basilea. Nova Era à luz da Bíblia. Curitiba: IEM Brasil, 1992.

UARUB, Peter. Nova Era.

WEIL, Pierre. Sementes para uma Nova Era.  Petrópolis: Editora Vozes, 1981.


REFERÊNCIAS DA INTERNET


www.elnet.com.br
www.novaera.org
www.vivos.com.br/67.htm-51k
www.umanovaera.bighost.com.br/-2k
www.eusouluz.iet.pro.br/index1.htm
www.editorarecord.com.br.default.asp=7-55k
www.olavodecarvalho.org/livros/nenovaera.htm-12
www.novaeracdz.cjb.net
www.carm.org/Portugues/novaera.htm
www.geocities.com/Athens/Atrium/3336/index.htm
www.chamada.com.br/mensagens/index.php?op=list&id=17
www.tabernaculonet.com.br
www.google.com.br  (símbolos) 

 

AUTOR DA PESQUISA 

  

 Prof. Walmir Damiani Corrêa

 

 

 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 02/11/2013

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021