As borras de Moabe

 

AS BORRAS

DE MOABE

 

 

 

 

Moabe esteve descansando desde a sua mocidade, como o vinho sobre os resíduos, não foi mudado de vasilha para vasilha, nem foi para o exílio. Por isso conservou o seu sabor, e o seu cheiro não se alterou. Mas vêm dias, diz o Senhor, em que lhe enviarei derramadores que o derramarão, e esvaziarão as suas vasilhas, e romperão os seus odres.  (Jeremias 48:11,12)

E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito. (Romanos 8:28)

 

Existem textos da Bíblia que são de difícil entendimento. Este, de Jeremias, por exemplo, é um texto bastante misterioso, que utiliza padrões culturais de uma época distante, mas que contém uma grande revelação.

Sentimos que a Palavra de Deus está vindo pesada, hoje, e gostaríamos que todos passassem a entender certas coisas que até hoje não passavam de mistérios.  Essa mensagem veio forte ao nosso coração, hoje, e esperamos que a misericórdia de Deus caia sobre nós, para que possamos transmitir tudo aquilo que nos chega ao coração, e também que todos possamos ser abençoados por este ensino que ministraremos a partir de agora.

 

A ESTAGNAÇÃO DE MOABE

 

Fixando-nos no texto de Jeremias, torna-se necessário registrar que outras traduções dizem que Moabe estava descansando sobre suas fezes, e outros ainda, sobre suas borras. Seja qual for o nome, são resíduos que permanecem na composição do vinho, interferindo no seu sabor, na sua coloração e até no seu processo de fermentação.

O único modo de se retirar esses resíduos do vinho em fabricação, é proceder a uma troca sucessiva de vasilhames, até que a borra desapareça. É muito semelhante ao que fazemos quando queremos esfriar leite, derramando o líquido de uma caneca para outra. Muitas vezes, só um especialista consegue perceber a persistente presença de borra, depois de vários despejamentos do vinho, de vaso em vaso. Assim, mais trocas se fazem necessárias.

Outra explicação que se faz necessária, aqui, é que quando a Bíblia fala de Moabe, está se referindo aos moabitas, um povo da época de Abraão, que não estava de acordo com a vontade de Deus. O vinho usado como exemplo, tipifica o povo moabita aparentando uma beleza externa.  Quando fala de “descanso”, parece que o texto fala de uma coisa boa, mas se prestarmos bem atenção, logo veremos que não é nada de bom, pois a borra criada é resultado de falta de atividade, de disponibilidade, gerando uma má qualidade no próprio vinho.

Como não houve trabalho, atividade, como Deus não enviou derramadores, Moabe estagnou-se, manteve suas borras, continuou parado, descansando sobre as suas impurezas.  Embora alguns aparentem que tudo está bem, bastar Deus dar uma sacudidela e a borra aparecerá em grande quantidade. Conhecemos muita gente assim: são muito serenos enquanto ninguém toca neles, mas mexa com eles para ver quanta borra está ali escondida! 

É normal que no começo da vida cristã as pessoas se mostrem sem objetivos, mas continuar assim depois de dez anos, já passa a ser preocupante! Não é da vontade de Deus que permaneçamos descansados, sentados sobre os nossos defeitos! É preciso que haja transformação de vida em todo o nosso modo de viver, pois rotina não combina com vida espiritual. Se éramos acostumados a fofocas quando conhecemos a Jesus, e depois de vários anos de convivência com Deus continuarmos com essa prática, isso é borra na tua vida, meu irmão!  Uma boca que não consegue glorificar a Deus, jamais conseguirá profetizar as coisas de Deus, jamais conseguirá falar das coisas divinas. Isaías, por exemplo, antes de se transformar no grande profetas que foi, teve seus lábios queimados por brasas do altar. Tinha lábios impuros, dizem as Escrituras, mas transformou-se num profeta de Deus.

 

TUDO CONTRIBUI PARA O BEM

 

Interrompemos um pouco, agora, essa linha de pensamento de Jeremias, para podermos entrar no texto de Romanos: quando o lemos, destacamos a expressão todas as coisas, que significa a totalidade de todos os acontecimentos na vida de uma pessoa com Deus. Tudo que possa nos acontecer, de uma maneira ou de outra, concorrem, contribuem para o nosso bem.

A mente humana tem a tentação de classificar algumas coisas que acontecem à sua volta, mas se você realmente ama a Deus, entenderá que todas as coisas em que você está pensando agora, estão contribuindo para o seu bem, mesmo aquelas coisas difíceis de compreender, que não têm explicação humana, aquela circunstância difícil, em que você olha para um lado, para o outro, e se pergunta como pode aquilo estar lhe acontecendo.

É assim que funciona! Se você ama a Deus, se você crê em Deus e nas Suas verdades, a Palavra vai se cumprir, essas coisas terão que acontecer, e você terá que possuir paciência e resignação para enfrentar esse duro período.  O grande problema é que você não tem essa visão, vive lutando com Deus, reclamando, não conseguindo ver lógica, sob o prisma humano, nos acontecimentos da vida!  É mente humana tentando entender os desígnios de Deus. E isso não é possível!

A expressão todas as coisas inclui coisas boas, coisas razoáveis e também coisas más. Inclui a totalidade dos acontecimentos da vida daqueles que amam a Deus.  Aqui se incluem os problemas com filhos, esposa, desemprego, etc.  E lá vem a pergunta: “Por que comigo?”   É Deus trabalhando!  Acredite nisso!  Acostume-se a essa realidade!

Acreditamos que essas palavras estejam sendo dirigidas à Igreja do Deus Vivo, às almas redimidas, aquelas que foram compradas pelo sangue de Jesus, e não para os pecadores, que desconhecem a vontade de Deus. Estamos falando para as almas que receberam o perdão pelos seus pecados, um dia.  É para esse povo, que tem o seu nome escrito no Livro da Vida, e que um dia verá a glória de Deus, que falamos neste momento.

Todas as coisas que estão acontecendo tem um motivo. Não lute contra Deus! Tenha paciência, pois daqui a pouco tempo Deus abrirá as janelas do céu para você, e tudo isso se dissipará!  Deus está apenas querendo destruir maus hábitos antigos na tua vida, coisas distorcidas, tendências maléficas provenientes do teu passado. São fardos do Egito, se pensarmos no povo de Israel, os quais queriam arrastar consigo os resíduos de um tempo de ignorância, quando viviam no meio de incrédulos.

Deus pode destruir essas deformações, pois precisamos ter a formação do Senhor, precisamos cultivar em nós o caráter de Cristo.  Essa carne caída tem que se desfazer, hoje, se for possível!  Deus vai trabalhar na tua vida até que você perca essa mania de mentir no emprego e até na Igreja!  De nada adiantam as aflições, as pergunta de “por quê”.  Não lute contra Deus! Submeta-se! Deus quer te mudar, renovar hábitos antigos, o linguajar mundano que persiste em você. Tem gente gritando “Aleluia!” na igreja, e no dia seguinte está contando piadinhas sujas para os seus colegas de trabalho. Deus costuma permitir esses momentos de lutas, para que consigamos enxergar o problema grandioso que se aloja dentro de nós!  A mentira, por exemplo, é a filha mais velha de satanás. Ele mente desde o princípio de todas as coisas. E a gente procura imitá-lo!  Nessas horas, as portas se fecham, não entendemos mais nada e começamos a lutar contra Deus, a reclamar, a nos lamuriar.  Deus não vai conviver conosco em meio a mentiras! 

 

A TRIBULAÇÃO USADA COMO INSTRUMENTO

 

Agora, podemos votar ao texto de Jeremias, constatando que este é o caso dos moabitas. O texto diz que eles estavam vivendo uma realidade em que não podiam manifestar a graça de Deus nas suas vidas.  Veja bem que os moabitas eram da linhagem de Abraão, ligados à árvore genealógica do Povo de Deus, mas estavam se misturando às suas borras, uma postura que não combina com a sua descendência espiritual. A mão de Deus precisava intervir e mudar a situação.

Precisamos entender que se as coisas ruins não acontecerem na nossa vida, não teremos oportunidade de nos purificar. Moabe não saiu do lugar, nem levado cativo. Se fosse, pelo menos aprenderia muita coisa, com o sofrimento do cativeiro. Tudo ali estava no mesmo, desde o início. Moabe não foi passado de vasilha para vasilha, não se aperfeiçoou.

Não adianta termos cinqüenta anos de fé, se não conseguimos nos levantar da borra em que estamos instalados confortavelmente!  Deus quer qualidade e não borra! Deus quer nos sacudir até que saia de nós o cheiro característico da estagnação e apareça, no lugar, o cheiro de Nosso Senhor Jesus Cristo. Este processo de transferir de vaso para vaso é muito bom, é um tratamento muito saudável e purificador, transformando-se numa experiência para melhor.  Você pode, por exemplo, ter que sair de perto de seu pai, da sua mãe, iniciar vida nova no meio de estranhos, mas isso não deverá lhe trazer medo, pois será apenas uma mudança de vaso, um remexer naquilo que não pode ficar parado. 

 

 

A NECESSIDADE DE DERRAMADORES

 

Deus diz, no texto, que mandará derramadores com passos apressados, para que a borra saia para sempre.  De repente, você se vê diante de um problema, não entende mais nada, como uma filha que tenha se comportado mal, lhe envergonhado, etc. É Deus te mudando de vaso! O melhor remédio é perdoar a filha, colocar o problema nas mãos de Deus.  Nunca se pode esquecer a mensagem do nosso segundo texto: “Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus.”

Lendo o capítulo 48 de Gênesis, vemos o exemplo de Jacó, que luta com Deus até às portas da eternidade. Ninguém teve cheiro pior do que Jacó, desde a sua infância. Sempre foi astuto, oportunista, sempre conseguia vantagem em tudo. Jacó, originalmente, quer dizer “enganador”.  Veja que ele enganou a seu irmão Esaú e a seu pai Isaque, no leito de morte.

Jacó tentou negociar até com Deus! Quando teve a revelação divina, vendo em sonhos aquela   escada cheia de anjos, e que todas aquelas terras seriam dele, propôs a Deus que o ajudasse em troca dos seus dízimos. Não contribuiria pelo prazer de dar, mas como uma lucrativa alternativa de negócios! Queria “ajeitar” o seu futuro com as bênçãos de Deus!  Se Deus não lhe abençoasse, continuaria sentado sobre suas borras!

 

Continuando na leitura do capítulo 48 de Gênesis, podemos ver a mudança na vida de Jacó, pois depois de um período inteiro de tratamento, vem a transformação. O último golpe na sua vida, foi a notícia da suposta morte do seu querido filho José (capítulo 37), que na verdade fora vendido como escravo, pelos seus irmãos invejosos. Tudo foi ocasionado pela inveja, e isso é borra!  Você não pode ter isso na sua vida!  Jacó chorou dias e dias, dizendo não haver consolo para sua dor, e que desceria à sepultura carregando essa dor no coração.

Parece impossível que Deus tenha usado a perversidade dos filhos de Jacó para poder trabalhar na sua vida, mas foi isso mesmo! Deus trabalha duro no coração que é duro! Deus estava determinado a transformar o Jacó enganador num Israel, o pai das doze tribos do Povo de Deus.

O mesmo capítulo 48 registra a morte desse homem que fora mau, mas que se transformara numa pessoa gentil. Pôde pôr seus pés fora da cama, pouco antes de morrer e glorificar o nome do Senhor.  Foi humilde depois da transformação, suplicando pelo perdão do seu filho, transformado no segundo homem mais forte do Egito.

Deus foi misericordioso com Jacó, pois transformara-se num homem abençoado, diante da morte. Até Faraó, o dono do mundo da época, foi buscar uma bênção, no leito de morte de Jacó.  Ele profetizou mais que seu pai Isaque e seu avô Abraão, morrendo transformado e abençoado. Sem borras !!!  Deus pode libertar você dessas borras, dessa vida inferior, desse mau cheiro que você exala! Muitos de nós exalamos um cheiro que não agrada a ninguém. E somos filhos de Deus!

Deus quer mudar o perfume da tua vida. Você precisa chegar a um estágio em que, ao chegar num lugar, influencia para o bem e não para o mal. Deus quer eliminar essa borra e te transformar em algo mais puro. Deus quer mudar o teu caráter, a tua natureza! Deus quer fazer Cristo transparecer na tua vida!

Identifique, agora, qual é o problema que está contigo, esse peso amarrado ao teu pescoço! Chega de queixa, fofoca, orgulho...!  Liberte-se dessas borras! Liberte-se dessas borras! Deixe de ser Jacó e transforme-se num Israel! Se você se identifica com a graça de Deus, peça-Lhe perdão pela borra que atrasa a sua purificação; peça a Deus que tire essa coisa nociva que o acompanha há anos! Peça libertação! Peça uma vida cristã em plenitude!

O fato de Deus mandar derramadores é uma coisa boa na nossa vida, pois enquanto Deus está nos mudando, coisas boas vão se desprendendo das coisas más, que o marasmo e a acomodação se encarregaram de unir numa massa improdutiva.  Sai o vinho de um vaso para outro e deixa para trás as borras que vinham se incorporando ao seu sabor final e ao seu perfume.  Deus está querendo modificar o teu aroma e o teu sabor. No verso 11 Jeremias fala de aroma e sabor. Pelo fato do vinho estar parado, descansando, sem que ninguém o toque, o aroma e o sabor não sofrem qualquer tipo de alteração. É a mesma situação de Moabe: nada lhe acontecia!

 

SABOR

  

Sabor fala de qualidade, pois nada é ingerido se não possuir a soma de um conjunto de ingredientes e requisitos. Se nos compararmos ao vinho, meus irmãos, o nosso caráter representará o sabor.  Deus muitas vezes mexe com nossa vida, para modificar o nosso caráter, que é o sabor da nossa individualidade.

Na maioria das vezes que Deus quer mexer no nosso caráter, no nosso sabor, Ele manda derramadores que restringirão a nossa liberdade. Quando Deus patrocina mudanças no nosso ambiente, Ele está mexendo no nosso caráter, corrigindo-o. Sabor fala de caráter, não se esqueça! 

 

AROMA

 

Aroma, por sua vez, faz de expressão. Quando você vê os desenhos animados, os autores materializam o aroma, o cheiro das coisas, como se fosse uma fumacinha que se encaminha para o ar.  Um bom caráter expressa um bom aroma; um mau caráter expressa mau cheiro, sem dúvida.

Apesar do cheiro e sabor parecerem a mesma coisa, não é assim. O sabor é que determina o aroma. Você sabia que existem cozinheiros que sabem que o feijão está com pouco sal, apenas pelo cheiro? Parece impossível, mas se pensarmos que o cheiro é determinado pelo sabor, a coisa deixa de ser tão estranha. O cheiro é a expressão, é aquilo que sai, que vem, que comunica.

Espiritualmente, o que seria o cheiro, ou o aroma?  São as nossas palavras, a nossa presença, nossos gestos, nosso caminhar, tudo aquilo que exterioriza o nosso ser. Tem pessoa que anda acabrunhada, ombros caídos, semblante entristecido... Outras, ao contrário, têm brilho no rosto, cabeça levantada, sorriso constante...  São os seus aromas mostrando o que têm por dentro.

“Eis que enviarei derramadores...”, diz o Senhor.  Hoje estamos num lugar, amanhã estaremos em outro... Deus vai mexendo com o nosso sabor, vai aperfeiçoando, vai restringindo a nossa liberdade, até que o nosso aroma se assemelhe ao aroma que exala de Cristo.

Houve uma época da minha vida onde Deus teve que restringir a minha liberdade, mexer o meu caráter, pois algo não ia bem: eu fazia minha própria escala de valores.  Como resultado, Deus me tirou do púlpito por onze meses, tratou do meu caráter nesse período, modificando o meu sabor naquilo em que eu estava errado.  E o meu aroma, a partir daí, passou a ser outro! Passei a exalar um perfume melhor; as coisas de Deus que eu falava passaram a despertar apetite nos outros.  Meu sabor adaptou-se à vontade de Deus, e meu aroma passou a transmitir Deus para os outros.

Você sabe do que estou falando! Não existem pessoas que tornam agradável permanecermos junto delas? Exteriorizam alegria, paz, sabedoria... É aroma, é expressão de Deus na suas vidas!  Essas pessoas foram trabalhadas por Deus! Todo aroma que transmitimos é resultado do trabalho de Deus na nossa vida.

Diz nosso texto que o Senhor vai mandar derramadores, que farão Moabe andar a grandes passos, despejando seus vasos e rompendo seus odres. Esse trabalho de operação de Deus no nosso caráter pode quebrar, pode romper coisas!  Essa operação pode ser dolorosa! Odre, para quem não sabe, é o recipiente onde se coloca o vinho, e os derramadores poderão vir com uma violência tão grande que os tais odres correrão o risco de se romper.

Muitas vezes o processo é doloroso, mas temos que entender que é Deus fazendo essa obra, mudando o nosso interior, para que nos tornemos, mais tarde, em pessoas de expressão agradável, que venham a despertar nos outros um apetite pelas coisas de Deus.  É incrível quando uma pessoa está a falar das coisas de Deus e os ouvintes não se sentem despertados! É a expressão que está errada!  O aroma não está bom, não está agradando, resultado de sabor que não está no ponto.

A coisa é simples, mas requer disponibilidade. O sabor está sem sal, e o aroma, por conseguinte, não é bom.  Quando o caráter está errado, a Palavra não reflete nada de confiável.  As pessoas ouvem, podem até gostar, mas não se convencem, não mudarão de atitudes.

 

 

 

CONCLUSÃO

 

Que Deus investigue a nossa vida! Que Deus persista em trabalhar conosco! Que haja derramadores constantes no nosso dia-a-dia! Que nosso caráter possa ser trabalhado, aprimorado e como resultado passemos a exalar o perfume de Cristo!  Que passemos a despertar o apetite espiritual nos outros!

Essa é a fórmula mágica que Deus criou, para que sejamos uma bênção onde quer que estejamos, e se cumpra todas as promessas das Escrituras nas nossas vidas.

 

AUTOR

Pr. Bartolomeu Severino de Andrade

 

Esta pregação aconteceu em 05/09/1992, tendo por local a Igreja ADI, em Tubarão/SC. Os trabalhos de gravação, formatação e edição foram produzidos por Walmir Damiani Corrêa  —  www.elevados.com.br.

 

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 23/03/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2022