Clamar pelo sangue

 CLAMAR PELO SANGUE

 

 
 
Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos oferece na revelação de Jesus Cristo. Como filhos obedientes, não vos conformeis com as concupiscências que antes tínheis na vossa ignorância. Como é santo Aquele que vos chamou, sede também santos em todo o vosso procedimento, pois está escrito: Sede Santos, porque Eu sou santo.

Ora, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata e ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, a qual por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o qual, na verdade, foi conhecido ainda antes da fundação do mundo, mas manifesto nestes últimos tempos por amor de vós, que por Ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus.

Tendo purificado as vossas almas na obediência à verdade, que leva ao amor fraternal não fingido, amai-vos ardentemente uns aos outros de coração, tendo sido regenerados, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela Palavra de Deus, a qual vive e é permanente. Toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Seca-se a erva, e cai a flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que vos foi pregada.   (1 Pedro 1:13-25)
 
 
Nessa Carta, dirigido pelo Espírito Santo, o apóstolo Pedro estava se dirigindo às pessoas que já tinham tido o privilégio de conhecer a Deus, ou seja, os povos da Galácia, Capadócia, Bitínia e Ásia. Ali Pedro lembrava-lhes de onde tinham vindo, o que lhes tinha acontecido, sempre visando reforçar-lhes a fé, aquecer-lhes o ardor, uma vez que estavam sendo vítimas de perseguições, e seus corações estavam começando a se endurecer.
 
 
As palavras de Pedro, nessa Carta, foram realmente inspiradas, falando do precioso sangue de Jesus, do poder de Deus, transformando-se num apelo às consciência.  A verdade é que, com as lutas, tendemos a esquecer de Deus, mas Ele continua sendo o mesmo, e está vivo.  Ali Pedro tenta resgatar as verdades de Deus, que estavam escondidas bem no íntimo daquelas pessoas, lembrando-lhes que Deus é o mesmo ontem, hoje e sempre.  Nós é que mudamos!
 
Nos versículos 24 e 25, Pedro diz que a carne (nosso corpo) é como a erva, pois se vai, perece, mas a Palavra de Deus permanece. O que Deus disse, está dito, o que Deus prometeu, será cumprido!  Deus vela por nós da mesma forma que uma mãe vela pelo seu bebezinho: com muito amor e paciência. Nenhuma palavra d’Ele voltará vazia. Os valores continuam os mesmos. Se alguma coisa saiu do normal, foi com você!
 
CARREGUE A SUA CRUZ
 
 
 
O apóstolo Paulo, na sua Carta a Timóteo, escrita da prisão, conta as decepções que as pessoas da Ásia lhe estavam dando, lembrando porém que Lucas, o próprio Timóteo e outros continuavam firmes com ele, tendo sempre em mente que os fundamentos de Deus estavam como sempre estiveram.
 
Nada abatia Paulo, nem as decepções com amigos, nem a prisão, nem as perseguições...  Paulo não passava suas dores para os outros. Deus é mais forte do que as obras do diabo, e a luta não conseguiria arruinar sua fé. Paulo não estava sozinho, não se sentia sozinho, pelo contrário, sentia que Deus o assistia naqueles momentos.
 
A cena para ser lembrada é essa: Paulo encontrava-se num tribunal injusto, ficou só, sem defesa, cercado de inimigos, nem um só olhar familiar nas galerias...  Estava sozinho, cercado de olhares hostis, sentindo sobre seus ombros o medo das trevas. Mas, no seu íntimo, sentia que o Senhor o estava assistindo, sentia que o Senhor o levaria para a glória.  Paulo olhou para Jesus! 
 
 
Assim acontece conosco nos dias de hoje: Deus continua dizendo que não estamos sozinhos, mas a maioria de nós não tem o discernimento de senti-lo.  Ele está conosco. No momento em que não conseguirmos enxergar olhares amigos, devemos olhar para Jesus. Deus nos erguerá!  Deus é mais do que tudo!
 
Era esse sentimento, essa fé que Pedro estava tentando resgatar no seio daqueles povos, para quem estava mandando a primeira Carta. Pedro estava lhes lembrando que o sangue de Jesus continua ao nosso dispor! Se atentarmos para essas verdades, encontraremos virtudes e poder para suplantar as coisas negativas que nos cercam.  O preço do resgate de nossas almas foi o sangue de Jesus Cristo.
 
 
 
O SANGUE LIBERTA
 
 
 
Foi também o sangue de Jesus que libertou aqueles crentes e liberta a nós ainda hoje. O sangue continua à nossa disposição, o mesmo sangue puro e incontaminado, que ao escorrer pela terra, no Calvário, provocou fenômenos como terremotos, relâmpagos, etc.  O diabo teria que soltar nossas almas, afinal não foi com coisas corruptíveis que Deus nos resgatou da nossa vã maneira de viver. Clame pelo sangue de Jesus!
 
Em Bagé, uma irmã não conseguia mais comunhão com Deus, enfrentando lutas e  depressão. Ao frequentar uma reunião do Círculo de Oração, tentava e não conseguia orar, mas nos últimos instantes, clamou, e uma voz lhe encheu o coração:  “Clame pelo sangue! “  Ela começou a clamar e o céu se abriu. Ela clamou e Deus respondeu!  Pelo sangue, ela obteve a vitória.
 
Outro fato passou-se comigo mesmo, em Santana do Livramento, há anos atrás, quando tudo estava contra mim. Resolvi subir a um monte e orar. Deus, então, me deu uma visão: um pasto verde, e uma coisa vermelha, um vermelho que eu nunca tinha visto, líquido, e que vinha em minha direção.  Deus falou comigo: “O sangue de Jesus está sobre ti!”  Desci daquele monte, renovado e vitorioso pelo sangue de Jesus de Nazaré.  Clame pelo sangue!
 
 
Este sangue que clamamos, este sangue vertido por Jesus, não é apenas um pagamento de resgate pelos nossos pecados; é também uma arma poderosa de defesa contra o diabo!  Não há pecado que o sangue não cubra!  A partir do momento em que estamos cobertos pelo sangue, o diabo não nos atingirá mais.
 
Em Apocalipse 12:9-11 lê-se claramente que é pelo sangue de Jesus Cristo que o diabo é vencido. Em Hebreus 9:14 lê-se que as nossas consciências são purificadas das obras mortas (pecados) pelo sangue de Jesus, tudo isso para que possamos servir ao Deus Vivo.
 
Somos, portanto, resgatados pelo sangue. Nossas consciências culposas são também purificadas pelo mesmo sangue de Cristo, e ele é ainda uma poderosíssima arma que Deus põe nas nossas mãos para vencermos ao maligno.
 
Busquemos, portanto, a cobertura do precioso sangue de Cristo, o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.  Ao orarmos, devemos pedir:  Ó, Senhor Jesus, cubra-nos com o Teu preciosíssimo sangue!
 
 
 
O TESTEMUNHO DE LUTERO
 
 
 
Martinho Lutero, o iniciador do Protestantismo, certa feita dormia, e foi despertado pelo diabo, que tinha em suas mãos um livro, no qual estavam registrados os pecados de Lutero. O diabo leu-o e Lutero perguntou se tinha mais algum pecado seu para ser lido.  O diabo saiu e voltou com um segundo livro. Leu mais uma série de pecados de Lutero. Novamente Lutero perguntou se tinha mais alguns. O diabo, então, buscou mais um, o terceiro livro, e leu os últimos pecados dele. 
 
 
 
Lutero, então, após certificar-se de que não haveria mais pecados a serem mencionados, tomou os três livros, lançou mão de uma caneta, riscou os três com tinta vermelha, na capa, e disse ao diabo:  “O sangue já me libertou!”  O diabo não tinha mais argumentos, pois o sangue de Jesus Cristo purifica todo o pecado.
 
Assim está escrito, e assim nos é ensinado. Não olhe para trás, não olhe para o passado.  Deus nos dá vitória agora e para sempre.

 
 
 
AUTOR
 
Pr. Bartolomeu Severino de Andrade
 
 
 
Esta pregação aconteceu em 03/11/1991, tendo por local a Igreja ADI, em Tubarão/SC. Os trabalhos de gravação, formatação e edição foram produzidos por Walmir Damiani Corrêa  —  www.elevados.com.br.

 

 

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 04/04/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021