A tríplice redenção de Jesus

 

A TRÍPLICE REDENÇÃO

DE JESUS

 

 
 
 
 
Quem deu crédito à nossa pregação, e a quem se manifestou o braço do Senhor? Ele foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca. Não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos. Era desprezado, e o mais indigno entre os homens, homem de dores, e experimentado no sofrimento. Como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; contudo, nós o consideramos como aflito, ferido de Deus, e oprimido.  Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós.  Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a sua boca; como cordeiro foi levado ao matadouro, e como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca.  Pela opressão e pelo juízo foi tirado.
 
E quem pode falar da sua linhagem?  Pois foi cortado da terra dos viventes, pela transgressão do meu povo foi Ele atingido.  Deram-lhe sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte, embora nunca tivesse cometido injustiça, nem houvesse engano na sua boca. Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão.  Ele verá o trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos, e as iniqüidades deles levará sobre si. Pelo que lhe darei uma porção entre os poderosos, e com os fortes repartirá ele o despojo, porque derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores. Pois ele levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu. (Isaías 53:1-12)
 
 
O versículo 5 deste texto centraliza e sintetiza tudo o que o capítulo 53 nos diz. Fala de Jesus 700 anos antes da Sua vinda a este mundo. Por isso este capítulo é conhecido como a “Profecia Messiânica”.  Foi dito, ou melhor, predito ali, que Jesus assumiria, absorveria todos os nossos pecados, abrindo-nos um caminho de volta para Deus, uma vez que a humanidade estava como ovelha desgarrada, errante.
 
Jesus viria, então, para reunir a humanidade, o imenso rebanho que habitava a superfície da terra.  Era preciso que alguém pagasse o preço do resgate, para conseguir tal libertação. Jesus foi esse homem!
 
 
 
SALVAÇÃO ETERNA SEM JESUS
 
 
 
Se passarmos os olhos pelo Antigo Testamento, veremos que muitos homens gozaram de imenso prestígio perante Deus, mas nenhum deles reuniu capacidade de resolver a salvação eterna para a humanidade. Tomaremos apenas três como exemplo: Abraão, apesar da sua espiritualidade, um dia falhou, sendo possuído por um espírito de medo; Moisés, o grande legislador, foi líder de uma quantidade muito grande de pessoas, enfrentando com braço forte toda sorte de problemas, mas apesar da sua autoridade, mostrou falhas perante Deus; Elias, profeta poderoso, clamava a Deus por uma nação apóstata, pedia fogo, chuva e sequidão aos céus, e Deus honrava seus pedidos, desafiava as potestades com muita fé, desafiou o rei Acabe e sua mulher Jezabel, porém também falhou, não reunindo condições de salvar a humanidade.
 
 
 
SALVAÇÃO COM JESUS
 
 
 
Apenas Jesus pôde fazer o que nenhum servo do passado conseguiu, dando Sua vida no Calvário para expiação do meu pecado, do teu pecado.  Jesus, como homem, venceu o mundo, venceu a carne, pois nenhuma falha se viu n’Ele, nenhuma mentira se ouviu de Sua boca.  Sua alma foi a mais nobre que já passou por este mundo.
 
Ninguém teve mais amor pelos seus semelhantes do que Jesus. Quando Ele chegou a Jerusalém, observando, ao longe, aquela cidade apóstata, Ele chorou, lamentando por aquele povo que matava e apedrejava os profetas que O antecederam, e que também foram enviados por Deus.
 
 
Que intensidade de sentimentos tinha aquela alma!  Nossas lágrimas, por outro lado, não conseguem comover muito, pois nossa alma é cheia de sentimentos desagradáveis; nossas lágrimas não são puras, pois misturam-se com lágrimas vertidas por inveja, raiva, mesquinharias, etc.
 
Jesus foi verdadeiro Deus, mas foi também um homem perfeito, vencendo o diabo, a carne, o pecado e as tentações. Jesus tinha os olhos fixos em Deus Pai, e nada conseguia tirá-Lo do Seu objetivo previamente traçado.  Jesus desbloqueou o caminho dos homens para Deus.
 
Na agonia da cruz, no momento em que perguntava por que o Pai Lhe abandonara, logo Ele mesmo se apressa a dizer que tudo estava consumado. Ali estavam refletidos todos os pecados da humanidade. Jesus coloca, então, o Seu Espírito nas mão de Deus, pois estava consciente de que a obra fora cumprida com perfeição. Nem o diabo, nem os homens teriam o que dizer. 
 
 
No momento em que foi dita a frase “Está consumado!”, coisas extraordinárias aconteceram, mas só comentaremos um dos fatos marcantes: o véu do Santíssimo ter-se rasgado de cima a baixo. A partir daquele momento, o homem passava a ter um contato direto com Deus, dispensando o intermédio de sacerdotes. O caminho estava desbloqueado. Essa é a maior prova de que o sangue de Jesus transformara-se num sacrifício perfeito, aceito pelo Pai.
 
Deus recebe, então, o crente físico, cansado, que poderá ter vitória, satisfazer totalmente a justiça de Deus. Jesus venceu tudo para a nossa justificação, subindo aos céus e sentando-se à direita de Deus Pai, de onde voltará um dia para buscar o Seu Povo.
 
Os que pertencem ao Povo do Senhor, os que honraram a Jesus com suas vidas, podem viver libertos, pois o versículo 5 do nosso texto-base afirma categoricamente que Ele foi moído pelas nossas iniquidades. Cada tapa, cada pontapé, cada estocada de lança, cada arranhar de espinho, cada ferimento transformou-se em abertura para o céu, para que nós pudéssemos permanecer na presença de Deus. Cada ferimento é uma porta para o céu, por onde poderemos penetrar.
 
 
Visão dolorosa, mas verdadeira! O livro de Hebreus diz que abriu-se para nós um novo caminho!  A Sua carne ia sendo aberta e simultaneamente caminhos novos iam se abrindo para todos nós. É por esses caminhos que podemos caminhar para a glória. 
 
Nossas transgressões vêm de todo o nosso ser: corpo, alma e espírito.  Uma parte do nosso ser, o espírito, vai recebendo graça a partir do momento em que vamos crendo nessa redenção. Adquirimos vida em nosso espírito quando recebemos Jesus em nosso coração.  Nossa alma, temos que fazê-la se parecer com a de Jesus, corrigindo-a de acordo com a nossa realidade. A obra de Jesus no Calvário tem a ver com a nossa libertação.
 
Eu, com 16 anos de idade, era drogado, brigava, usava armas de fogo; hoje, não consigo mais estender minhas mãos nem para bater numa criança! Alma deformada e agora transformada! Houve uma convulsão! Nossos pecados estavam em Jesus no momento em que Ele se contorcia na cruz!
 
Sou amigo de um homem chamado Paulo Roberto Resende de Oliveira, que era homossexual, ladrão, assassino, e tudo o que é de ruim.  Sua alma era o santuário de Satanás.  Na prisão, recebeu a visita de um missionário, e a obra de Deus foi fantasticamente rápida: em dois meses foi convertido, em seis meses era um pregador do Evangelho, e em um ano era um missionário no Amazonas. Hoje, é Pastor Evangelista!
 
Suas paixões foram libertadas pelo sangue de Jesus! Seja qual for o problema no teu coração, faça como Paulo Roberto: Venha para Jesus!  Você será salvo e purificado pelo sangue do Senhor Jesus!
 
 
Em último lugar, o texto diz que pelas Suas pisaduras fomos sarados. Jesus foi ferido pelas nossas transgressões, e o castigo que nos traz paz estava sobre Ele, plantando a Sua paz dentro de nós. Ele opera na carne, no lado de fora, naquilo que tira a nossa saúde! Jesus nos atinge o espírito, a alma e o corpo.  Se você está enfermo, desenganado, a última palavra é de Jesus, e não do médico!  Foi pelas Suas pisaduras que nós fomos sarados!  Resumindo, Jesus tem influência tríplice sobre nós: dá vida ao nosso espírito, dá paz à nossa alma, e dá saúde ao nosso corpo.
 
Concluindo a nossa mensagem de hoje, podemos ler os três primeiros versículos da 3ª Carta de João, enviada ao querido irmão Gaio: 
 
 
Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma. Muito me alegrei quando os irmãos vieram e deram testemunho da tua verdade, como tu andas na verdade.  (3 João 1-3)
 
 
Quando João diz “todas as coisas”, está se referindo à alma, ao espírito e ao corpo, detendo-se no ponto saúde do corpo assim como da alma, e no final alegrando-se pelo fato de Gaio ter recebido a verdade, a vida no espírito, por Jesus. Jesus fez essa obra completa em Gaio, e isso regozijava ao espiritual apóstolo.
 
Eu tenho testemunhado que não vou a médicos, depois que me converti.  Jesus me dá saúde na alma, no espírito e por conseguinte, no corpo.  Esse é o resultado da minha fé. Cada um vive segundo a sua fé, e a minha é muito grande!
 
Dias atrás, uma senhora veio participar de um culto de sexta-feira à tarde aqui na igreja, pois estava com uma operação marcada, prognosticada pelo médico em exames. Porém, ela foi curada naquele culto e o médico teve que reconhecer, através de novos exames, de que essa pessoa não precisava mais de cirurgia. Eu, particularmente, ainda não sei o que é uma internação hospitalar! 
 
A obra de Jesus é tríplice e total!  Assim como vai bem a tua vida, é bom que andes em verdade.
 
 
 
AUTOR
 
Pr. Bartolomeu Severino de Andrade
 
 
 
Esta pregação aconteceu em 25/10/1992, tendo por local a Igreja ADI, em Tubarão/SC. Os trabalhos de gravação, formatação e edição foram produzidos por Walmir Damiani Corrêa  —  www.elevados.com.br.
 

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 06/04/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2022