Jesus, a rocha inabalável

 

JESUS

A ROCHA INABALÁVEL

 

 

Deixando, pois, toda a malícia, todo o engano, fingimentos, invejas e toda a sorte de maledicências, desejai ardentemente, como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual, para por ele crescerdes para a salvação, agora que já provastes que o Senhor é bom. Chegando-vos para Ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio real, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo. Pois na Escritura se diz: Vede, ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido. Ora, para vós, os que credes, essa pedra é preciosa. Mas para os descrentes, a pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como a principal de esquina, e: Uma pedra de tropeço e rocha de escândalo. Tropeçam porque são desobedientes à palavra, para o que também foram destinados. Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.  Antes não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; antes não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançaste misericórdia.  (1 Pedro 2:1-10)

 

Este texto do apóstolo Pedro revela um aspecto de Nosso Senhor Jesus Cristo, aspecto que existe na vida de todo aquele que crê. Um dos propósitos de Deus, ao nos salvar, foi produzir em nós a natureza do Seu próprio Filho Jesus Cristo. Deus quer que nos tornemos parte da natureza divina.
 
 

A NATUREZA DE CRISTO
 
 
 
Quando nossos olhos se abrem para contemplar Cristo, quando somos impulsionados pelo Espírito para abandonarmos tudo e confiar só em Jesus,  começa uma realidade nova em nossa mente. Deus quer nos dar Sua natureza, a natureza do Seu Filho reproduzida em nós.
 
Jesus, neste texto, aparece como “Pedra Viva” e nós, seus seguidores, também deveremos ser “pedras vivas”, como reprodução d’Ele, edificados como sacerdócio real, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus.
 
Jesus é a pedra de esquina. Sejamos aparados por Ele para sermos pedras como Ele. Só quando esse edifício de pedras estiver pronto é que estaremos prontos para subir aos céus e viver com Deus na eternidade
 
 
 
AS FIGURAS DE CRISTO
 
 
 
Jesus, na Bíblia, é apresentado sob vários ângulos, de diversas maneiras e figuras. Esses são, entre outros, os aspectos de operação de Cristo nas nossas vidas: Cordeiro, Porta, Senhor, Irmão, Amigo, etc.
 
Por outro lado, Jesus, na Bíblia, também é tratado figurativamente como rocha de diversas maneiras, de diversas naturezas diferentes: Pedra Fundamental, Pedra de Remate, Pedra Angular, Pedra de Esquina, Pedra Preciosa, Pedra Provada, etc.
 
Dessas, escolhemos três aspectos para estudarmos nesta oportunidade: Pedra Fundamental, Pedra de Esquina e Pedra de Remate. Iniciando, convém lembrarmos que nós (pedras vivas) devemos descansar na pedra principal, que é Cristo. Pode cair chuva, tempestade, e a casa não cairá, pois está edificada sobre uma rocha inabalável.
 
 
 
UMA SUSTENTAÇÃO CONFIÁVEL
 
 
 
Aquele que está junto de Cristo não deve ter medo, susto, nem deve recuar. Deve, sim, ter ousadia para transmitir a Palavra de Deus. O texto nos diz que quem crê em Jesus, nunca será confundido. Nada nos tirará da presença de Jesus, nem o diabo! 
 
Normalmente as pessoas vivem procurando motivos para abandonarem a companhia de Jesus. Porém, quando cremos de verdade, não há demônio que nos afaste d’Ele. Nós não podemos confiar em Igreja, em filosofias, precisando antes olhar para Jesus, a Pedra Fundamental, onde não encontraremos escândalos. Essas fugas são resultado de desculpas esfarrapadas. Está certo que todos nós passamos por frustrações, mas nenhuma delas foram provocadas por Jesus, mas por descuido nosso.
 
Se você O ama, se você crê em Jesus, nada lhe tirará da Sua presença. Ele é a pedra capaz de sustentar todo o edifício colocado sobre a rocha. E nós somos as pedras vivas que devem compor essa base de sustentação.
 
 
 
ROCHAS, AS FIGURAS DE CRISTO
 
 
 
Na época da Antiga Palestina, as casas eram construídas com a presença de três tipos de pedras, conforme tentaremos explicar a seguir. 
 
Pedra Fundamental: É a pedra que serve de sustentação para o alicerce da casa, ficando sobre a rocha. É sobre Cristo que alicerçamos toda a nossa fé 
 
Pedra Angular:  É a pedra que segura e une as paredes, a pedra de canto. Essa pedra é Jesus, unindo irmãos, unindo tudo e todos. Irmãos que nunca se viram abrem suas casas para hospedarem outros irmãos que nunca tinham visto, mas parece que se conhecem há dezenas de anos.  É Cristo unindo, dando confiança e amor.
 
 
 
 
Pedra de Remate: É a pedra que arremata o final superior das paredes, junto ao teto. É Jesus sendo colocado sobre as nossas cabeças. Com isso, o edifício estará concluído e estaremos prontos para subir.
 
 
 
O SONHO DE NABUCODONOSOR
 
 
 
Baseados nessa segurança que a rocha inabalável dá a uma construção, lembramos da passagem de Daniel 2, quando o rei Nabucodonosor sonhou ter visto uma estátua com cabeça de ouro, frontal de prata, outras partes de bronze e pés de ferro misturado com barro. De repente, veio um monte de pedras que não foram cortadas por mãos humanas e chocaram-se violentamente contra os pés da tal estátua. Ela esborrachou-se! E o sonho acabou.
 
Como nenhum dos sábios conseguiu interpretar esse sonho do rei, alguém sugeriu que se chamasse a Daniel, homem acostumado a ser guiado pelo Espírito de Deus. Sem pestanejar Daniel foi logo dizendo o que Deus tinha lhe revelado a respeito: a estátua representava a história da humanidade; o ouro representava o reino opulento de Nabucodonosor, que viria a ser derrotado por outros reinos e impérios, os quais estavam simbolizados no sonho pela prata, pelo bronze e pelo ferro; os pés representavam os últimos períodos da história das civilizações, onde os governantes fariam acordos políticos, conchavos, etc. 
 
É bom abrir um parêntese aqui para explicar que ferro e barro não se unem, não dão uma boa liga. E assim será, pois esses acordos políticos não têm sustentação moral, nem espiritual. A pedra a derrubar esses pés é Deus, na pessoa de Jesus, que derrubará a humanidade repentinamente, vindo ninguém sabe quando.
 
 
 
 
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 
 
 
Deus não permitirá engodo, injustiça por muito tempo. Um dia as injustiças cairão por terra. Nessa hora, nós, as pedrinhas vivas, que nos unimos umas às outras, receberemos a pedra de remate sobre nós, sobre nossas cabeças, o que virá a consolidar a construção desse edifício. Viveremos, então, face a face com Jesus na eternidade.
 
Permita que Jesus atue em sua vida! Vença os pontos de vista contraditórios e fixe suas esperanças na volta de Jesus!
 
Se você não consegue se unir a outros irmãos, peça a ajuda da pedra angular, que é Jesus, para que isso venha a acontecer. Tudo se consegue pela força do amor de Deus, do amor de Cristo.
 
Diga ao seu irmão: Nós somos pedras vivas, aguardando a nossa pedra de remate. A injustiça será erradicada do nosso meio e viveremos unidos pelo amor de Deus para sempre. 
 
 
 
AUTOR
Pr. Bartolomeu Severino de Andrade
 
 
 
Esta pregação aconteceu em 23/02/1992, tendo por local a Igreja ADI, em Tubarão/SC. Os trabalhos de gravação, formatação e edição foram produzidos por Walmir Damiani Corrêa  —  www.elevados.com.br.
 

 

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 06/04/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2022