Ação do Deus Salvador

 

AÇÃO DO DEUS SALVADOR

 

 

 

 

Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e vive tranqüilo. Deleita-te no Senhor, e ele te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. Fará sobressair a tua retidão como a luz, e a tua justiça como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos.  (Salmos 37:3-7)
 
 
 
É interessante como no Antigo Testamento, mais especificamente nos Salmos, quando as pessoas passavam por provas, angústias ou necessidades, sempre traziam à memória o fato de que Deus é um Deus Salvador.  É quase que sistemática essa prática na Palavra de Deus, o que nos traz um estímulo para nossas almas aflitas. Em suas orações, nos cânticos, nos lamentos, diante de Deus, enfim, as pessoas faziam menção dessa certeza: Deus é um Deus Salvador.
 
Normalmente entendemos a Salvação como Deus livrando as almas da condenação eterna, pois todo aquele que crê em Jesus de todo o coração, força e entendimento, se entrega a Deus, e recebe d’Ele a premiação pretendida.
 
Salvação, na Bíblia, porém, é algo muito mais abrangente, não se limitando apenas ao livramento da condenação do inferno, pois Deus também nos salva das dificuldades do dia-a-dia, nos salva de outras coisas que são comuns à experiência humana, e é exatamente por essa razão que, na Bíblia, as pessoas confiam em Deus:  Deus é um Deus Salvador.
 
No Salmo 35:1 o salmista Davi mostra essa realidade: primeiramente ele confia em Deus, e é por esse motivo que é salmista e já anda com Deus. Porém, quando se encontra em dificuldades, em tribulação, sempre traz à memória o fato de que Deus é o Deus da Salvação.  É com essa confiança que o salmista pede que o Senhor pleiteie a sua causa, que lute contra os seus inimigos, que se arme do escudo e da rodela, e que se levante, enfim, em sua ajuda.
 
Observe que o salmista visualiza Deus, na sua fé, como se fosse um grande guerreiro, todo equipado para a batalha.  Ele pede que Deus tire a lança e obstrua o caminho dos seus perseguidores. Pede, enfaticamente, que Deus repita que é a sua salvação.  Isso confirma o que dissemos até agora: Salvação é algo muito mais abrangente do que uma pura absolvição da condenação do inferno. É fato bíblico!
 
O Deus da Bíblia age em áreas muito mais intrínsecas da existência humana, e prova disso são as histórias de tantos homens e mulheres que, apesar de viverem na dependência da proteção divina, aludiam que Deus é o Deus da Salvação, nos seus momentos de maior dificuldade.
 
O salmista Davi cita um Deus que traz refrigério às almas aflitas. É muito bom sentirmos que o Deus da Bíblia, o criador do mundo é o mesmo Deus da Salvação.  É uma verdadeira terapia espiritual lembrarmos, nos momentos de conflitos, padecendo provas e tribulações, de que o nosso Deus é o Deus da Salvação, o Deus que traz refrigério, encorajamento, estímulo, incentivo para continuarmos olhando para Ele com esperança.  Ele não traz somente a libertação eterna, mas intervém miraculosamente nos problemas mais íntimos da alma humana.
 
Para que Deus possa agir poderosamente em nossas vidas, precisamos obedecer a três passos estabelecidos por Ele: ouvir a Palavra, crer e confiar nela.
 
 
 
1º PASSO:  OUVIR A PALAVRA
 
 
 
Deus não nos salva apenas pela fé que temos em Jesus, e pelo fato de que quando morrermos habitaremos com Ele na Glória Celestial. A Salvação só se torna realidade quando exercitarmos essa fé salvadora.  Romanos 10:14 diz:  “Como crerão em quem nunca ouviram ?”  É por essa razão que afirmamos que nosso primeiro passo bíblico é o OUVIR.  Como vamos crer em algo que não ouvimos?  É necessário o ouvir da pregação, da leitura da Palavra de Deus, esse ouvir do entendimento.
 
Em Apocalipse 3, Jesus diz:  “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.”  OUVIR é necessário! Ouvir com fé!
 
Em Thiago 1:23 e também em Hebreus 4:2 se vê claramente que precisamos misturar a nossa fé com as palavras que chegam aos nossos ouvidos, pois o exercício da fé passa por esse fato essencial, que é o OUVIR.  A fé trabalha enquanto ouvimos. Precisamos tomar conhecimento das coisas que Deus fez, dos pactos que Deus propôs, das operações divinas que aconteceram, do trabalho incansável de Deus em benefício da humanidade.  A fé é exercida no momento em que ouvimos a Palavra.
 
Precisamos aprender que esse OUVIR nos aproxima muito de Deus, da solução dos problemas mais íntimos e complexos de cada um de nós.
 
 
 
2º PASSO  --  CRER
 
 
 
A Bíblia conta que Paulo e Silas foram presos por causa do testemunho da Palavra, que é o exercício da fé. Perto da meia-noite, eles oravam, cantavam hinos a Deus, estavam na presença de Deus, não murmuravam entre si sobre o porquê da injustiça de estarem ali. Afinal, o único crime cometido pelos dois fora o de anunciar que Jesus Cristo salva, liberta e batiza com o Espírito santo. Deus se agrada quando agimos de maneira valente, quando exercitamos a nossa fé.
 
E Deus ouviu aqueles louvores, aquele exercício da fé. Houve um estampido, um sinal se fez ouvir naquela prisão, abalando-a desde os seus alicerces, abrindo-se as portas, e caindo por terra todas as correntes que prendiam os prisioneiros.
 
O carcereiro, ao ouvir aquele estampido, imaginou que alguém havia derrubado a porta da prisão. Temendo muito, pois era grande a sua responsabilidade em guardar os presos, tentou se suicidar, mas foi impedido por Paulo, que mostrou a ele estarem todos os presos ainda nas celas.
 
Da tentativa maligna de suicídio, ele passou para o desejo forte de libertação espiritual, pedindo luz para a sua vida.  Pulou para dentro da cela e perguntou: “Varões, que farei para ser salvo?”   Paulo respondeu-lhe que bastava crer no Senhor Jesus e tanto ele como toda a sua família seriam salvos.  É por isso que gostamos de dizer que “Crer é mais ou menos um consentimento intelectual a respeito de uma coisa.”
 
 
 
3º PASSO   --  CONFIAR
 
 
 
Se não confiarmos, não poderemos experimentar essa Salvação Eterna, essa Salvação de Deus que liberta almas da condenação do inferno, essa Salvação de Deus que vaza através da nossa vida.
 
Vale dizer que CONFIAR é muito diferente de CRER, pois o segundo diz respeito ao intelecto, à mente, enquanto que o primeiro diz respeito à vontade da alma humana. Sem sombra de dúvidas, CONFIANÇA é muito diferente de CRENÇA.
 
CONFIAR diz respeito a alguma coisa mais íntima de cada um de nós, ao hábito, ao livre exercício da nossa capacidade de escolha, no nosso livre arbítrio. Nosso texto básico diz: “Habitarás na terra e verdadeiramente serás alimentado.” São palavras que constituem o desdobramento da verdadeira confiança, pois quando confiamos no Senhor, entregamos aos Seus cuidados aquilo que é o objeto do nosso desassossego.  Quem confia, descansa no Senhor e espera n’Ele.
 
A partir de agora, veremos o que significa confiar verdadeiramente, dentro daquilo que falamos até o momento.
 
 
 
O SENHOR DISPENSA A NOSSA AJUDA
 
 
 
Quando confiamos, não precisamos nos preocupar em ajudar ao Senhor nesse livramento que Ele vai operar, em resposta à nossa confiança. É importante que se entenda que o ato de confiar dispensa o esforço humano.  Vamos explicar melhor: muita gente, ao esperar uma libertação, pensa que está confiando no Senhor, que está esperando n’Ele, mas não deixa Deus trabalhar!  Confunde confiança com esforço próprio, com esforço humano, com sua própria força!
 
Isso não resolve problemas!  Quando confiamos, entregamos!  Tem pessoas que conhecem a teoria do flutuar sobre as águas, mas não confia nas águas, querendo sempre “dar uma   mãozinha”.   CONFIAR significa ficar quieto e não tentar dar braçadas, pensando que a água não conseguirá nos suster boiando.  É Deus quem age e não nós!  É Deus quem julga e não nós! É Deus quem resolve e não nós!  Precisamos segurar nas mãos de Deus, mas como fazê-lo, se insistimos em manter nossas mãos em atividade, querendo fazer o trabalho no lugar d’Ele?
 
Quando isso acontece é porque a nossa confiança não é integral, nem total, nem genuína. Entregue o problema na mão de Deus e descanse! 
 
 
 
ESPERAR NO SENHOR
 
 
 
Quando confiamos inteiramente, podemos descansar no Senhor. Existem pessoas que confiam, mas continuam preocupadas. Essa preocupação só prova que a entrega não foi genuína. Quando seguimos o conselho de Davi (Descansa no Senhor e espera n’Ele), entregamos o nosso problema ao Senhor e descansamos, e a partir daí passamos a experimentar o gozo da estabilidade emocional, tudo pelo simples fato de termos entregue e confiado os problemas ao Deus da Glória.
 
 
 
JOGAR-SE NOS BRAÇOS DO SENHOR
 
 
 
A confiança permite que nos joguemos inteiramente nos braços de Deus sem nenhuma preocupação de que as coisas não irão dar certo. Quando confiamos, entregamos, descansamos, aguardamos o momento em que Deus irá fazer a obra maravilhosa na nossa vida. Pode não ser hoje, nem amanhã e nem no mês que vem, mas o fato é que, se confiamos, a hora de Deus vai chegar. É uma questão de tempo!
 
O tempo nos prova e revela se a nossa confiança é real e genuína. Quando somos precipitados por natureza, o nosso calendário não está em sintonia com o calendário de Deus. Muitas vezes queremos para ontem aquilo que Deus programou para amanhã, e em outras, queremos para hoje aquilo que Deus já determinou que acontecerá amanhã, ou no mês que vem! 
 
Esperemos nessa mesma confiança que o momento, a hora de Deus vai chegar. Não coloquemos nossas mãos à frente das mãos de Deus!  Assim, dessa maneira, sigamos o caminho traçado por essa Palavra de Deus para nós, a fim de sermos salvos, ouvindo, crendo e confiando no Deus Salvador de nossas vidas.
 
 
 
AUTOR
Pr. Bartolomeu Severino de Andrade
 
 
 
 
Esta pregação aconteceu em 20/106/1993, tendo por local a Igreja ADI, em Tubarão/SC. Os trabalhos de gravação, formatação e edição foram produzidos por Walmir Damiani Corrêa  —  www.elevados.com.br.
 

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 06/04/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2022