Ezequias: a carta da Afronta

 

EZEQUIAS

A CARTA DA AFRONTA

 

 

Recebendo Ezequias a carta das mãos dos mensageiros, e lendo-a, subiu à casa do Senhor, e a estendeu perante o Senhor. E orou Ezequias, perante o Senhor: Ó Senhor, Deus de Israel, que habitas entre os querubins, Tu mesmo, só Tu és Deus de todos os reinos da terra. Tu fizeste os céus e a terra. Inclina, Senhor, o Teu ouvido, e ouve; abre, Senhor, os Teus olhos, e vê; ouve as palavras que Senaqueribe enviou para afrontar o Deus Vivo.  

Verdade é, ó Senhor, que os reis da Assíria assolaram estas nações e as suas terras.  Lançaram os seus deuses no fogo, e os destruíram, pois não eram deuses, mas obra de mãos de homens, madeira e pedra.  Agora, ó Senhor nosso Deus, livra-nos das suas mãos, para que todos os reinos da terra saibam que só Tu é o Senhor Deus.”

Naquela mesma noite saiu o anjo do Senhor, e feriu no arraial dos assírios a 180 mil deles. Levantando-se os assírios pela manhã cedo, viram que todos estes eram cadáveres.  Assim Senaqueribe, rei da Assíria, levantou o acampamento e partiu.  Voltou e ficou em Nínive.  

Certo dia, quando ele estava adorando na casa de Nisroque, seu deus, seus filhos Adrameleque e Sarezer o mataram à espada, e escaparam para a terra de Arará.  E esar-Hadom, seu filho, reinou em seu lugar.  (2 Reis 19:14-19;35-37)

 

Ezequias serve de exemplo para todos nós, que vivemos neste mundo de hoje, cercado de tantas dificuldades.  Na realidade, muitos de nós estamos vivendo sob uma pressão terrível. 

Quanto mais o tempo passa, mais nos aproximamos do final de todas as coisas, mais perto está a volta do Senhor Jesus, conforme Sua promessa.  Há uma pressão tremenda, e é muito grande o combate contra os dons do Espírito, contra a Igreja, contra aqueles que andam com Deus.

Não está fácil! As lutas aparecem em todos níveis, desestabilizando famílias, amizades, ambientes de trabalho... Mais do que nunca, precisamos ter a fé do rei Ezequias!

 

 

EZEQUIAS LEVAVA DEUS A SÉRIO

 

 

Uma das principais coisas que percebemos na vida de Ezequias é que ele levava a sério sua vida com Deus. O capítulo anterior a este que enfocamos diz que a primeira coisa que ele fez, ao assumir do reinado, foi acabar com a idolatria reinante no meio do povo de Israel, destruindo os altares edificados a outros deuses. 

Esses costumes, introduzidos por povos pagãos da vizinhança, foram crescendo graças à conivência de reis anteriores, que faziam “vista grossa” aos cultos em altares pagãos. Outros, inclusive, mandavam, eles mesmos, levantar esses altares.

Com a posse do rei Ezequias, sua primeira ordem baixada foi acabar com altares e qualquer objeto de culto idólatra, fazendo aquilo que era reto aos olhos do Senhor. Retirou os altos, quebrou estátuas, colocou abaixo os bosques e fez em pedaços a serpente de metal que Moisés fizera, para a qual os filhos de Israel queimavam incenso e chamavam de Neustã, que quer dizer Pedaço de Cobre

 

 

O culto idólatra estava tão impregnado na nação israelita, que não se contentando em adorar deuses pagãos, passaram a adorar objetos que em outros tempos serviram de livramento a esse mesmo povo, como a serpente de metal, que era levantada por Moisés no deserto, sempre que alguém era picado por serpentes. As pessoas olhavam para a imagem da serpente de metal e eram curadas. Porém, Deus usou esse instrumento materializado para que aquele povo incrédulo direcionasse melhor sua fé, mas não para que a o adorassem.

Essa imagem da serpente, historicamente, tipifica o Senhor Jesus Cristo, levantado sobre o madeiro. Quando os homens pecadores, enraizados no pecado, olham para o Senhor Jesus na cruz, são libertados, sarados, purificados.  A situação é semelhante.

Ali estava o grande erro: eles queimavam incenso à imagem da serpente, adorando ao objeto que Deus criou e não ao próprio Deus Criador.  

Por falar nisso, chama-nos a atenção, hoje em dia, uma espécie de idolatria que acontece no meio evangélico:.ao invés de adorarem a Deus, muitos crentes adoram sua denominação religiosa, embora inconscientemente.  O diabo é sutil, quando nos incute esses princípios errôneos. Precisamos pedir a Deus que nos renove no poder do Espírito Santo, para que tenhamos discernimento e possamos perceber os descompassos e erros do Povo de Deus. Há evangélicos que têm a ousadia de dizer que só serão salvos aqueles que pertencerem à sua denominação religiosa!  Colocam o nome da sua Igreja à altura da salvação que só Jesus pode operar!

É a isso que chamamos de idolatria, pois estão idolatrando à criação e não ao Criador! Se não vigiarmos, corremos o risco de colocar outros valores ao nível de comparação com o Senhor!  Só Jesus salva! Só a Bíblia Sagrada é regra de fé, se quisermos viver com vitória neste mundo!

 

 

RESTABELECENDO O ALTAR

 

 

Ezequias retirou todos esses pecados, quebrou imagens, queimou bosques e teve o discernimento de fazer em pedaços a serpente de metal.  Levou as coisas de Deus a sério!  A seguir, ele edificou o altar espiritual do povo, que estava quebrado. 

Se não voltarmos à oração, ao jejum, à Palavra, à pureza no coração, se não tivermos o temor de Deus no coração, não conseguiremos fazer frente aos obstáculos que estão por aí, crescendo de maneira assustadora.

 

 

 

A SIMPLICIDADE DE EZEQUIAS

 

 

O que nos falta, muitas vezes, é a oração pura, genuína, aquela que sai do coração, que brota do Deus Vivo, igual a do rei Ezequias:  “Oh, Senhor, para saber que só o Senhor é Deus, opera e faz o que eu estou Te pedindo!”  É uma oração simples, sem retórica, não correndo o risco de afastar-se da simplicidade e singeleza de Jesus. Ezequias chegava a Deus com simplicidade.

Nossas orações não precisam ser feitas de palavras rebuscadas, mas cheias de sentimentos, emoção e fé.  Basta ouvirmos as orações dos novos-convertidos, ainda envolvidos pelo primeiro amor, ou as pregações do obreiro que está dando as primeiras passadas do seu ministério, com seus corações transbordando de paz, de esperança, os olhos cheios de lágrimas... Não serão encontrados vícios naquelas linguagens sem retórica. Podem ter certeza! 

Com o passar do tempo, há uma tendência, nas Igrejas, de que possíveis ensinos errados, maus exemplos de superiores, etc., comecem a tirar totalmente aquela pureza inicial, e as pessoas passem a fazer uso das potencialidades humanas aprendidas nos bancos escolares. As orações passam a ser muito técnicas, estimuladas por ensinamentos diversos, as pregações passam a ser obras-primas da Homilética, mas perdendo a essência herdada do Espírito, no momento em que d’Ele nos aproximamos.

Simplicidade, honestidade, temor de Deus e fé no coração: esses são os ingredientes que vão encher nossas orações de poder, que vão fazer com que elas atinjam seus objetivos, ou seja, que venham a ser respondidas por Deus.

 

 

 

A FÉ DE EZEQUIAS

 

 

Vamos entrar definitivamente no texto-base da nossa mensagem: Ezequias, certa vez, recebeu uma carta desaforada de um rei chamado Senaqueribe, homem de guerra, líder de um exército numeroso, o qual invadia e tomava territórios com uma fúria tremenda.  Sua carta dizia mais ou menos assim: Olha, Ezequias, não adianta fazer nada porque nós entraremos aí e acabaremos com tudo. 

O rei Ezequias pegou aquela carta, entrou no templo e apresentou o problema ao Senhor. Seria o mesmo que você receber uma carta de um assassino, dizendo que vai lhe matar, e você vem à Igreja para orar a Deus e expor o problema.

Nas suas orações, Ezequias mostrava consciência do poder do exército de Senaqueribe, mas demonstrava fé de que o poder de Deus era infinitamente maior. É essa fé que percebemos estar faltando nos dias de hoje, se nos compararmos aos homens de Deus do passado.

Dias atrás, em Içara, um homem passava pela frente da Igreja, drogado, saído naquele dia da cadeia, e perguntou que reunião era aquela. Ao saber que era uma Igreja, pediu que orassem por ele.  O ministro pôs fé na sua oração, creu que o Senhor poderia libertar aquele homem, e começou a sair demônios, um falando grosso, outro falando fino, e até voz de mulher foi ouvida, saindo daquele homem!  E ele foi liberto!

 

 

O EFEITO SOBRENATURAL

 

 

Se trinta irmãos se consagrarem, se pagarem o preço, o número de membros desta Igreja dobra em pouco tempo.  Pela fé conseguiremos ver cegos enxergarem, paralíticos andarem, demônios sendo expulsos, e principalmente, veremos a glória de Deus cair em nosso meio.  Os demônios estão operando milagres nos centros de macumba!  Se não trouxermos o efeito sobrenatural para dentro de nós, as pessoas terão grandes dificuldades de chegarem até nós. Serão bloqueadas, desviadas!

Quando Jesus andava, o efeito sobrenatural estava junto. Existe a Palavra e o ensino, mas onde está o respaldo de que estamos falando a verdade? Nós precisamos buscar o sinal de Deus, assim como fez Ezequias!

Naquela mesma noite em que Ezequias orou, o anjo do Senhor saiu e feriu a 185 mil assírios!  Pela manhã, só se via corpos sem vida!  E o temor do Senhor caiu sobre o coração frio de Senaqueribe, que constatou o poder sobrenatural que cobria a casa de Ezequias. Senaqueribe fugiu derrotado, vendo que seu poder não representava nada diante do Deus de Ezequias.

Mais uma vez o poder de Deus respondia a uma oração sincera, cheia do Espírito Santo, uma oração simples, mas cheia de significado diante do Senhor, brotando de um coração puro, cheio de fé, confiança e simplicidade.

 

 

 

O MÉTODO DE EZEQUIAS

 

 

Deus nos ensina, com esse monumental acontecimento, que primeiro temos que colocar a nossa vida no altar, tirar tudo aquilo que não é bom, tudo que é abominável diante de Deus. A vida de Ezequias foi marcada por lutas, mas era repleta de orações sinceras e emotivas.

A Bíblia diz que os ouvidos do Senhor não estão fechados pra que não possa ouvir, nem os braços encolhidos para que não possa abençoar.  São os nossos pecados que fazem separação entre nós e Deus e que resultam no fato de nossas orações não serem respondidas.  É a nossa postura errada, a nossa atitude equivocada, a falta de espiritualidade... 

Se orarmos com o coração puro, com sinceridade de coração, com fé, simplicidade e emotividade, o fogo de Deus cairá sobre as nossas vidas e veremos os prodígios e maravilhas acontecendo conosco.  Quanto tempo faz que você não chora na presença de Deus, que não se emociona, que não tem visões, sonhos...?  A verdade é que estamos ficando vazios, mórbidos, e isso não agrada ao Senhor.  Precisamos continuamente pedir que o Senhor sare a nossa terra.

 

 

A CONFIANÇA DE EZEQUIAS

 

 

Tempos depois dessa narrativa que estamos comentando, Ezequias teve um problema de Saúde e ia morrer. O profeta Isaías o procura e diz: “Ordena a tua vida, porque vais morrer.” O rei, instantaneamente ora ao Senhor, com sinceridade, chorando muitíssimo. Isaías ainda estava saindo pelo pátio, quando veio a ele a Palavra do Senhor, dizendo: “Volta e diz a Ezequias, chefe do Meu Povo: ‘Assim diz o Senhor Deus de teu pai Davi: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas.’ ” E Deus lhe acrescentou mais quinze anos de vida.

 

 

COMO SÃO TUAS ORAÇÕES?

 

 

Você precisa herdar a sinceridade e a espiritualidade de Deus!  Você precisa fazer uma avaliação de como têm sido as tuas orações. Se não estivermos alerta, estaremos orando apenas pelo costume, com orações mecânicas, que não alcançam a Deus.

Há alguns anos atrás estivemos numa Igreja Batista em Buenos Aires, que já festejava 50 anos de fundação. Porém, nunca alguém tinha imposto as mãos nas cabeças das pessoas, quando oravam. Quando começamos a orar, juntamente com um grupo de irmãos que nos acompanhavam, a esposa do Pastor foi curada de um mal crônico.  A Igreja nem acreditava em cura divina! Era uma Igreja Batista, toda certinha, a esposa do Pastor tocando órgão, como manda a tradição, e de repente ela começa a sentir ânsia de vômito... Já tinha ido ao médico, tirara radiografia e iria ser operada na semana seguinte.

Depois de tudo isso acontecido, ela confessou que não acreditava em curas divinas, mas que quando nos ouvia orar, sentiu algo estranho no seu estômago e teve vontade de vomitar ali mesmo. Contou tudo isso chorando. O Pastor, por sua vez, confessou que não conseguia esquecer de uma coisa que eu disse numa pregação: que nós servíamos a um Deus Vivo, ao Deus da Bíblia

Encerrando, irmãos, fica aquela dúvida, aquela desesperança... Oramos, oramos e nada acontece... Afinal, o quê está errado?  Deus?  A Bíblia?... Não, somos nós que estamos errados. Oremos a Deus como Ezequias, e veremos as coisas começando a acontecer.

 

 

AUTOR

Pr. Bartolomeu Severino de Andrade

 

Esta pregação aconteceu em 07/11/1932, tendo por local a Igreja ADI, em Tubarão/SC. Os trabalhos de gravação, formatação e edição foram produzidos por Walmir Damiani Corrêa  —  www.elevados.com.br.

Por: Bartolomeu de Andrade

Publicado em 20/06/2014

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021