Bezaleel: capacitado pelo Espírito Santo

 
BEZALEEL:

CAPACITADO PELO ESPÍRITO SANTO

 

 

Depois falou o Senhor a Moisés, dizendo: Eis que eu tenho chamado por nome a Bezaleel, o filho de Uri, filho de Hur, da Tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de sabedoria, e de entendimento, e de ciência, em todo o artifício, para inventar invenções, e trabalhar em ouro, em prata, e em cobre, e em lavramento de pedras para engastar, e em artifício de madeira, para todo o lavor. E eis que eu tenho posto com ele a Aoliabe, o filho de Aisamaque, da Tribo de Dã, e tenho dado sabedoria ao coração de todo aquele que é sábio de coração, para que façam tudo o que te tenho ordenado, a saber a tenda da congregação, e a arca do testemunho, e o propiciatório que estará sobre ela, e todos os vasos da tenda, e a mesa com os seus vasos, e o castiçal puro com todos os seus vasos, e o altar de incenso, e o altar do holocausto com todos os seus vasos, e a pia com a sua base, e os vestidos do ministério, e os vestidos santos de Arão, o sacerdote, e os vestidos de seus filhos, para administrarem o sacerdócio, e o azeite da unção, e o incenso aromático para o santuário; farão conforme a tudo que te tenho mandado.

 

1. INTRODUÇÃO

 

Bezaleel é o maior artífice do Velho Testamento. Investido pelo Espírito Santo, fez, juntamente com Aoliabe, todos os utensílios do tabernáculo. Com habilidade incomum, trabalhou o ouro e a prata, o bronze e a madeira. Dos planos que lhe passou Moisés, produziu uma obra mais que admirável. 

Decorridos tantos séculos, ainda perguntamos: “Como pode Bezaleel produzir as peças do tabernáculo com tanta perfeição, se naquele tempo não havia tantos recursos como hoje, se a tecnologia ainda estava a ensaiar seus primeiros passos?”

Não nos esqueçamos, entretanto, que a capacidade de Bezaleel não vinha dele, mas era originária do Espírito Santo, que continua a capacitar-nos a realizar os trabalhos mais difíceis e as mais espinhosas tarefas. 

Vamos, pois, nos entregar inteiramente nas mãos de Deus para que, à semelhança de Bezaleel e Aoliabe, possamos ser úteis ao Reino dos Céus. 

 

 

2. O ESPÍRITO SANTO CAPACITA A BEZALEEL


 

2.1 A história de Bezaleel

 

Não temos muito a dizer acerca de Bezaleel. Filho de Uri, pertencia à Tribo de Judá. Quando da peregrinação do povo de Israel pelo deserto, foi chamado pelo próprio Senhor para encarregar-se do fabrico dos utensílios do tabernáculo (Êxodo 31:2). Embora não tenhamos outros dados biográficos de Bezaleel, sabemos que ele foi um poderoso instrumento nas mãos de Deus, porque tudo o que fez, contou com o aval do Santo Espírito.

Se confiarmos igualmente no Senhor, ainda que não tenhamos uma nobre ascendência, em  Seu nome faremos proezas. Na seara do Mestre, o mais importante é que nos esqueçamos das possibilidades humanas e nos apeguemos Àquele que tudo pode.

 

2.2 O ofício de Bezaleel

 

Capacitado pelo Espírito Santo, Bezaleel iria trabalhar os mais variados materiais para que o tabernáculo, onde estaria representada a glória do Senhor, fosse um local digno de honra. Assim, o neto de Hur começou a manejar suas ferramentas, trabalhando o ouro, a prata, o bronze, assim como também trabalhou a madeira e as pedras preciosas. Em suas mãos, os mais delicados objetos ganharam forma e beleza. Todo o Israel se orgulhava de ter um local de culto tão magnífico. Como não se extasiar diante da beleza do altar de incenso e da arca do conserto, da mesa da apresentação e do altar do holocausto? 

Quando o Espírito Santo nos investe do Seu poder, tornamo-nos capazes também de desempenhar as mais delicadas funções no Reino. Como recomenda Tiago, se alguém sente falta de sabedoria, peça-a a Deus, pois é o Senhor quem nos abre o entendimento para compreendermos Sua Palavra e expor todos os Seus mistérios.  É o mesmo Senhor quem inspira os cânticos e as poesias. Sem Ele, nada podemos fazer.

 

2.3 O companheiro de Bezaleel

 

Apesar de sua capacidade, Bezaleel não trabalharia sozinho. E o Senhor designa a Oaliabe como seu companheiro. Desta vez, entretanto, era o próprio Bezaleel quem prepararia o novo artífice, vindo a revelar-se um excelente professor. E, dentro de pouco tempo, ambos estavam executando dificílimas tarefas. Como é grato o trabalho onde há união e confiança!

O Senhor deseja de igual modo que compartilhemos nossas experiências e avanços. Caso contrário, jamais teremos obreiros preparados e que saibam manejar com perfeição a Palavra da Verdade. Acaso não surgiram assim Moisés, Samuel e Paulo? Moisés soube preparar Josué para introduzir os israelitas na Terra da Promissão; Samuel, não obstante pesaroso, ungiu a Saul como o primeiro rei de Israel; com muito carinho e paciência, Paulo deixou obreiros valorosos e fiéis, em vários continentes. E o que dizer do próprio Cristo, que soube fazer daqueles rudes galileus grandes pescadores de homens.

Vamos, portanto, preparar melhor nossos obreiros. Que venhamos a ensinar-lhes os segredos deste ofício maravilhoso, compartilhando com eles nossas dores e também nossas alegrias. Vamos conscientizá-los de que, em Cristo, nosso trabalho não é em vão.

 

 

3.  O ESPÍRITO CAPACITA OS OBREIROS

 

 

Foi no Dia de Pentecostes que os discípulos receberam diversos dons ministeriais que os transformaram em grandes ministros de Deus. Sem aquele batismo de fogo, jamais teriam capacidade para revolucionar o mundo. O aposto Pedro, por exemplo, com o seu sermão, ganhou três mil almas e inaugurou uma era de poder e milagres que só será encerrada quando Cristo voltar. Mais tarde, sob a mesma unção, Paulo evangeliza o Império Romano, quando pequenos e grandes ouvem a sua voz e se conscientizam de que não existe nenhuma mensagem mais poderosa do que a da cruz de Cristo.

Eis o que o apóstolo diz em sua Epístola aos Efésios: 

 

E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas. E outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo. (Efésios 4:11,12)

 

Desta forma, mune-se a Igreja de Cristo com os obreiros necessários para que os santos não percam o vínculo de sua perfeição. Os obreiros, portanto, nada podem fazer se não contarem com a unção do Espírito. 

À semelhança de Bezaleel e Aoliabe, os apóstolos precisaram de capacitação espiritual para abrirem novas frentes de trabalho, pois sem essa mesma capacitação os profetas jamais poderão entregar os recados de Cristo. Se os evangelistas prescindirem do auxílio do Espírito, não ganharão uma alma sequer. E o que dizer dos pastores? Sem a orientação do Santo Preceptor, não passariam de mercenários.

Paulo ainda dá outras duas listas de dons ministeriais:  em   Coríntios 12:28 e em Romanos 12:6-8. É com esses dons maravilhosos que o Senhor Jesus tem capacitado Seus Bezaleéis e Aoliabes para a grande tarefa da dispensação. 

 

 

4.  O ESPÍRITO SANTO CAPACITA A IGREJA

 

 

No capítulo 12 da Primeira Epístola aos Coríntios Paulo discorre acerca dos dons espirituais. Nesta relação, deparamo-nos com três categorias de dons que, desde o Dia de Pentecoste, têm capacitado milhões de homens e mulheres a desempenharem as mais  diversas funções na Igreja de Cristo.

 

4.1 Os dons verbais

 

Através do dom de línguas, de interpretação e de profecia, a Igreja de Cristo fala sobrenaturalmente. Com as línguas estranhas, o crente ora em espírito e é fortalecido, e a sua comunhão é estreitada com o Senhor. Mas, se no momento em que falamos línguas, alguém as interpretar, então teremos uma mensagem profética.

Finalmente, temos o dom da profecia que tem tríplice finalidade: consolar, edificar e exortar. Aos desorientados coríntios, recomenda o apóstolo a procura dos melhores dons principalmente o de profetizar.

 

4.2 Os dons de inspiração

 

Por intermédio desses dons, a Igreja de Cristo conhece sobrenaturalmente. Se algum fato precisa ser revelado, manifesta-se o dom da ciência. Se algum problema difícil precisa ser resolvido, entra em ação a palavra da sabedoria. E, se não sabemos se determinada manifestação procede de Deus, contamos com o dom de discernir os espíritos. Que o Senhor continue a capacitar mais Bezaleéis com esta categoria de dons.

 

4.3 Os dons de poder

 

Por meio dos dons de curar, da fé e da operação de milagres, a Igreja de Cristo age sobrenaturalmente. Não podemos desprezar esses dons, pois são uma prova bastante palpável de que o Senhor Jesus Cristo ainda opera em nosso meio. Lembre-se de que o Senhor prometeu: “Estes sinais seguirão aos que crerem” (Marcos 16:17).  Busquemos também esses dons para que a Igreja de Cristo jamais deixe de operar de forma sobrenatural.

 

 

5.  CONCLUSÃO

 

 

Não podemos nos mostrar negligentes ao buscar os dons de Deus, pois estamos no fim dos tempos. A Igreja de Cristo precisa de homens e mulheres verdadeiramente poderosos e que exerçam os dons concedidos pelo Cordeiro. 

Onde estão os nossos Bezaleéis? Onde estão os nossos Oaliabes? Na seara do Mestre há lugar para todos trabalharem, bastando apenas disposição e coragem.

 

AUTOR

Adílson Faria Soares

 

 

Adílson Faria Soares, Pastor da Assembleia de Deus em Mutuá/RJ, é membro do Conselho Sudeste da CGADB e conferencista internacional. O estudo aqui exibido faz parte do livrinho Lições Bíblicas do 3º Trimestre de 1991, editado pela CPAD, tratando dos Personagens do Antigo Testamento.

 

Por: Adílson Faria Soares

Publicado em 04/08/2014

Procedência - CPAD

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021