Testemunhas de jeová: O zelo por uma fraude

 


TESTEMUNHAS DE JEOVÁ:

O ZELO POR UMA FRAUDE

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

Desde a infância temos observado o trabalho das Testemunhas de Jeová pelas ruas da cidade e sempre achamos interessante a dedicação que tinham em divulgar aquilo em que acreditavam. Apesar de não sermos evangélico ainda, de não conviver de perto com as coisas de Deus, sempre fomos uma família temente a Ele.

Nunca esquecemos de uma manhã de 1º de janeiro, em que estávamos conversando com o pai, no varandão da sua casa, quando apareceram no portão aquelas duas senhoras de aparência humilde, com uma bolsa numa mão e revistas na outra.

O pai, sem ser ríspido, disse que não estava interessado em ouvir falar “daquelas coisas”. Depois que elas saíram, comentou algo como “Se isso é dia para se fazer pregação na casa dos outros!”  Lembramos bem que dissemos a ele alguma coisa a respeito de que essas pessoas poderiam estar certas e nós completamente errados, e que elas estavam fazendo algo para Deus, enquanto que nós estávamos ali apenas sentados, sem fazer nada, esperando pelo almoço. O pai não disse mais nada, e o assunto morreu por ali.

Atualmente, muitos anos depois de estar seguindo os ensinamentos do Evangelho de Cristo, continuamos preocupado com as Testemunhas de Jeová, apesar de agora conhecer o suficiente sobre suas “teorias”. Continuamos admirando o esforço das pessoas que vão de porta em porta para vender revistas doutrinárias, sua admirável força de vontade e abnegação. Nossa preocupação agora reside no fato de que essas pessoas estão iludidas, servindo a um deus que não existe, a um deus produzido nos luxuosos escritórios da Torre de Vigia, no bairro do Brooklyn, em Nova Iorque. Como diria o apóstolo Paulo, essas pessoas estão dando “socos no ar”, pois não estão conseguindo nenhuma aprovação do Deus que pensam estar servindo.

Procuraremos mostrar, à luz da Bíblia, quão errada é a doutrina pregada pelas Testemunhas de Jeová, o quanto se afastaram das Sagradas Escrituras, e o perigo que representam para as pessoas despreparadas, pois sua aparência humilde continua a causar impacto cada vez que passam por um portão e tocam uma campainha.

Caso você sinta alguma dificuldade em entender e encontrar as citações bíblicas aqui mencionadas, não tenha receio de procurar uma pessoa evangélica para ajudá-lo, pois garantimos que essa pessoa terá o maior prazer do mundo em atendê-lo. 

Encerramos dizendo que, para montar este estudo, nos fundamentamos em obras de renomados teólogos. Os leitores ficam autorizados a xerocar este trabalho e distribuí-lo para quantas pessoas desejarem. Estejam certos de que estarão fazendo um grande serviço a Deus e Ele os abençoará por isso.

 

 

1. FUNDAÇÃO E EXPANSÃO DA SEITA

 

 

1.1  Fundação

 

 

A seita “Testemunhas de Jeová” foi fundada por Charles Taze Russel, um norte-americano do Estado da Pensilvânia, simpatizante das doutrinas adventistas, que resolveu editar um livro que divulgasse suas próprias idéias. Para isso, associou-se a um outro adventista chamado Nelson Honoratio Barbour, mas logo separou-se desse companheiro por causa das calorosas discussões, uma vez que não concordava com a doutrina de expiação, defendida por Barbour. Um ano depois, em 1872, Russel lança os fundamentos do seu próprio movimento, inicialmente conhecido com o nome de “Torre de Vigia de Sião”.

Os seguidores de Cristo têm aprendido nas Sagradas Escrituras que devem dar bom testemunho para as pessoas incrédulas, ser “luz na escuridão” e “sal da terra”, pois toda pessoa que envergonhar o nome de Deus através de suas atitudes, não poderá ser considerada como Seu filho, nem um seguidor, e muito menos um profeta.

Russel, ao contrário de um líder espiritual, mostrava possuir um comportamento agressivo, crítico, causando escândalos até com as autoridades. Casando-se em 1879, não viveu bem com sua esposa, sendo levado por ela várias vezes aos tribunais, acusado de maus tratos. Separaram-se com menos de oito anos de casamento. Escândalos financeiros também foram motivos de convocação para Russel perante os tribunais. Morreu em novembro de 1916.

 

 

1.2  História da seita

 

 

A criação da seita foi fruto das teorias de Charles Taze Russel, em 1872, como se viu acima, com o nome inicial de “Torre de Vigia de Sião” e como “Arauto da Presença de Cristo”, mas atualmente conhecida como Testemunhas de Jeová.   Dois anos após a fundação, a seita criava um jornal para divulgar suas crenças, inicialmente com o nome de Torre de Vigia de Sião, hoje conhecido  com o nome de A Sentinela.

Com a morte de Russel, Joseph Franklin Rutherford assumiu o comando do movimento, consolidando em torno de si o domínio e o controle da organização, imprimindo idéias próprias sobre os fundamentos da seita, efetuando 148 alterações doutrinárias. Imediatamente após sua posse, lançou a revista Despertai, com uma tiragem de um milhão de exemplares e o livro O Mistério Consumado. Excedendo em muito o egocentrismo de Russel, Rutherford acrescentou um sétimo volume à obra Estudo das Escrituras, que passou a delimitar a fé desse movimento.

Também não perdeu para seu antecessor quanto aos escândalos. Ele foi preso várias vezes, acusado de liderar “atividades antiamericanas”, exatamente no momento em que os Estados Unidos resolvia entrar na I Guerra Mundial. Rutherford costumava chamar de “Organização do Diabo” para qualquer organização política ou religiosa que se opusesse às suas doutrinas. Foi pouco depois disso que o movimento instalou-se no Brasil, tendo sua sede nacional da cidade de São Paulo, em 1920. 

Com a morte de Rutherford em 1942, Nathan Knorr assumiu a direção da organização, mudando tudo de novo. Knorr publicou um ensaio com o nome de Testemunhas de Jeová dos Tempos Modernos, onde afirma que a origem da seita vem de Isaías 43:10, (“Vós sois minhas testemunhas, diz Jeová “), acreditando ser Jeová o organizador de Suas testemunhas sobre a terra.

 

 

1.3  Expansão 

 

 

Em 1949 uma publicação chamada Anuário das Igrejas Americanas divulgava um levantamento do crescimento físico e espiritual das seitas nos Estados Unidos, apresentando um dado preocupante, com o seguinte teor:

 

As Testemunhas de Jeová têm grupos em quase todas as cidades dos Estados Unidos, bem como em outras partes do mundo, com o propósito de estudar a Bíblia. Não fazem relatório de membros, nem anotam a assistência às reuniões. Reúnem-se em salões alugados e não constroem templos para uso de seus próprios seguidores. [...] “A maior parte da arrecadação é investida no convencimento de pessoas já membradas em outras igrejas, cujos preconceitos são postos em dúvida por meio de ensinos subversivos. Enviam seus próprios representantes para os campos missionários estrangeiros, onde, em geral, se colocam em constantes conflitos com as autoridades locais.

 

 

 

2. O ZELO POR UMA FRAUDE



2.1  Um zelo extraordinário

 

 

É impressionante o empenho que as Testemunhas de Jeová demonstram na divulgação da sua doutrina, dedicando-se diariamente à venda de livros e revistas, de porta em porta. Embora muitas pessoas vivam desse trabalho, todos os seguidores dão a sua parcela de colaboração.

William Schnell, uma pessoa que conseguiu abandonar esse movimento, diz que as “Testemunhas” vivem sob constantes pressões, alimentando um medo mortal por seus líderes, uma vez que são ameaçadas de serem rebaixadas à classe de “maus servos” ou “servos inúteis”, caso diminuam o seu desempenho na venda de literatura.

 

 

2.2  Profecias e Adulterações

 

 

Mateus 24:11 diz que “no final dos tempos aparecerão muitos falsos profetas, os quais enganarão a muita gente.” Agora, observe o teor de algumas profecias bombásticas feitas pelos principais líderes do movimento jeovista:

 

 

2.2.1  Charles Taze Russel

 

 

Esse homem profetizou que a Batalha do Armagedon aconteceria em 1914, e que nesse mesmo ano ocorreria a volta de Jesus, depois de um período de tribulação. A tribulação deve ter vindo, pois estourou a Primeira Guerra Mundial nesse ano. Como Jesus não voltou, Russel refez seus cálculos e estabeleceu o ano seguinte para tal acontecimento, e depois para 1918. Porém ele morreu antes, em 1916, pondo fim à sua insistente marcação de datas para a volta de Jesus. 

Entretanto, algumas vezes ele chegou a dizer que o Reino Milenar (vinda de Cristo) já deveria estar ocorrendo, só que de forma invisível.  Russel nunca deve ter lido Mateus 24:30 que explica como vai acontecer a vinda de Jesus: “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.” Verão! Não será invisível, como pretendia Russel. No mesmo capítulo 24 de Mateus aprendemos que sobre esse dia e hora ninguém sabe: nem os anjos, nem o Filho, mas somente o Pai. Não existe data para o estabelecimento do Reino de Deus aqui na terra.

 

 

2.2.2  Joseph Franklin Rutherford

 

 

Como bom sucessor de Russel, continuou a refazer esses cálculos, estabelecendo 1925 como o início do milênio. Nathan Knorr e Raymond Victor Franz, que vieram depois, continuaram com os cálculos dos dois primeiros, marcando 1975 como a nova data. À medida que essas datas eram marcadas, muitos seguidores iam vendendo propriedades, outros iam abandonando os estudos e carreira profissional, em função desses possíveis acontecimentos.

 

 

2.2.3  Uma nova Bíblia

 

 

A doutrina das Testemunhas de Jeová deve ser a que mais deturpa a espinha dorsal das doutrinas básicas do evangelho. O maior perigo é que eles usam a Bíblia, aproveitando de textos isolados para justificarem as teorias de seus fundadores e líderes. 

Segundo eles, ninguém consegue compreender a Bíblia sem a ajuda da revista A Sentinela, não reconhecendo nenhuma versão existente da Bíblia, a não ser a sua versão deturpada, chamada Tradução do Novo Mundo das Sagradas Escrituras, uma obra mutilada e tendenciosa. Essa nova tradução foi feita para dar respaldo às suas teorias.

Por bom tempo, essa obra não divulgava os nomes dos seus autores, o que, por si só, já parecia estranho. Talvez o motivo que os levou a isso tenha sido o medo de assumirem a responsabilidade pelas barbaridades ali acrescentadas ou suprimidas, ou de alguém descobrir a ignorância desses autores no conhecimento do grego e do hebraico, para se darem o direito de enfrentarem tal desafio. 

No livro Seitas e Heresias, de Raimundo de Oliveira, página 98, lemos uma parte do diálogo travado entre Frederick William Franz, (um dos tradutores dessa Bíblia) e o Procurador da Coroa Escocesa, durante o seu julgamento em 1954. Acuado pelos advogados, Franz mostrou total ignorância no manejo da língua hebraica. Foi uma cena ridícula e vexatória.

O próprio Russel, fundador da seita, quase nada sabia da língua grega. Ao ser desmascarado por um pastor canadense em 1912, Russel ofendeu-se, abriu processo, sendo que o pastor foi absolvido, provando a veracidade da acusação. Um diálogo esclarecedor, durante o julgamento, também está registrado no livro de Raimundo Oliveira, página 99. Foi outra cena ridícula.

 

Dr. Bruce Manning Metzger, da Universidade de Princeton, Estados Unidos, professor de Línguas e Literatura do Novo Testamento, classificou essa tradução jeovista como “horripilante..., errônea..., perniciosa..., repreensível...” Metzger afirmou ainda o seguinte: “Se as Testemunhas de Jeová levam mesmo a sério essa tradução, elas são politeístas.”

 

Uma das adulterações escandalosas, que podemos antecipar aqui, foi feita no primeiro versículo do Evangelho de João, onde está a clássica frase: “...e o verbo era Deus!”  Esta frase foi adulterada para  “...e a Palavra era [um] deus.”

Principais líderes da história inicial das Testemunhas de Jeová:

 

 

3. DOUTRINAS HERÉTICAS

 

 

Não existe uma pessoa sequer no mundo que tenha se tornado Testemunha de Jeová só por causa de estudos com a Bíblia. As pessoas que conseguem se afastar do movimento são as primeiras a declarar isso. O que os líderes chamam de “Estudo Bíblico” é, na verdade, um estudo da revista A Sentinela e de outras publicações da Sociedade Torre de Vigia, instituição que dirige internacionalmente a seita.

Na rede social, por exemplo, podemos ver a declaração de três pessoas que fizeram parte dos TJs, sendo que uma delas diz o seguinte: “Entrei para essa organização religiosa com quase 11 anos de idade. Mas, durante os 10 anos em que fui TJ foram roubados meu amor, alegria, liberdade, família, sonhos e esperanças, carreira e formação.” 

Os ensinamentos pregados pelas Testemunhas-de-Jeová chegam às raias do absurdo e se constituem em verdadeiros sacrilégios ao que há de mais sagrado. Veja alguns desses absurdos: 

 

a) A invenção da Trindade é obra de Sataná

b) Cristo não é eterno, apenas o ser mais excelente criado por  Deus;

c) Cristo há de vir de forma invisível;

d) O Juízo Final começou na primavera de 1918;

e) Não existe alma humana;Não existe inferno como lugar de sofrimento;

f) Apenas 144 mil pessoas irão para o céu;

g) A Batalha do Armagedon aconteceu em 1914.

 

Para que se consiga traçar paralelos e distinguir os pontos de heresia dessa seita, vamos ver, a partir de agora, o que eles pensam sobre os pontos mais importantes das Sagradas Escrituras:

 

 

3.1  Deus 

 

 

O Deus das Testemunhas de Jeová parece não saber de todas as coisas. Dizem que Ele não sabia qual seria o resultado da prova de Abraão (Gênesis 22:12) e que também desconhecia o que se passava na Terra, mais especificamente em Sodoma e Gomorra (Gênesis 18:20,21). Também dizem que o verdadeiro Deus não é onipresente. 

 

 

3.2  Trindade

 

 

Poucos aspectos do cristianismo têm sofrido tantos ataques das “Testemunhas” quanto a doutrina cristã da Trindade. Seus livros, revistas e panfletos trazem constantes e violentas críticas a esse respeito. O livro Seja Deus Verdadeiro (página 81) diz que “...Satanás deu origem à doutrina da trindade.”

Já o livro Que tem feito a religião pela Humanidade? (página 261) diz que foi Tertuliano, um escritor latino, quem criou a doutrina da Trindade, através do seguinte comentário: “Daquele tempo em diante a doutrina trinitária veio a infectar cada vez mais a crença dos cristãos professos (...)Nem se encontra a palavra trias nas inspiradas Escrituras gregas cristãs, tampouco se acha a palavra trinitas na tradução latina da Bíblia, a Vulgata.”

Quando fizeram a crítica acima, as “Testemunhas” foram tendenciosas e más, pois Tertuliano apenas descobriu essa verdade na Bíblia e passou a divulgá-la, na sua época. Isso é muito diferente de se dizer que ele a “inventou”.

Esta é mais absurda ainda: Russel, o fundador da seita, baseando-se num estranho casamento de Ninrode com sua própria mãe Semíramis, declara que foi dessa situação que os cristãos criaram a doutrina da Trindade, pois Ninrode passou a ser, ao mesmo tempo, seu próprio pai e seu próprio filho. Parece uma anedota, mas isso está no livro Estudo das Escrituras, de Charles Russel, pretendendo ser uma refutação para a doutrina da Trindade.

Apesar de reconhecermos que a palavra “Trindade” não aparece textualmente na Bíblia, são inúmeras as citações comprobatórias da sua existência.  Se fôssemos pensar dessa forma, também não são encontradas expressões como “Testemunhas de Jeová”, “Salão do Reino” e outras. 

a) Façamos o homem à nossa imagem... (Gênesis 1:26)

b) ...cada um de nós... (Gênesis 3:22)

c) ...desçamos e confundamos... (Gênesis 11:7)

d) ...quem há de ir por nós... (Isaías 6:8)

e) O Filho, a pomba e a vos dos céus (Mateus 3:16,17)

f) ...e, nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo... (Mateus 28:19)

g) Distribuição dos dons espirituais (1 Coríntios 12:4-6)

h) Bênção Apostólica (2 Coríntios 13:13)

i) Unidade da fé (Efésios 4:4-6)

 

 

3.3  Jesus

 

 

Segundo a seita, Jesus não é Deus, tendo sido apenas uma pessoa muito espiritual durante sua vida terrena, mas criado pelo Pai como as demais coisas e criaturas. Assim sendo, Jesus não teria participado da criação do mundo (Gênesis 1:26) e também não seria o Todo-poderoso.

Entretanto, veja o que diz a Bíblia a esse respeito:

 

EU SOU O QUE SOU [...] Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.”  Ao nos transportarmos para o Evangelho de João (8:57,58), veremos Jesus repetindo as mesmas palavras do Pai: “Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão nascesse, EU SOU.  (Êxodo 3:14)

 

Nas páginas 34 e 35 do livro Seja Deus Verdadeiro, as “Testemunhas” declaram tudo isso que mencionamos acima e muito mais. Dizem, por exemplo, que “este” (Jesus) existiu antes de todas as criaturas por ser o primeiro filho de Jeová. Assim, Jesus apenas teria ajudado Deus como um obreiro associado, ou quem sabe um capataz de peões na criação do mundo, ou ainda, quem sabe, um gerente a serviço de Deus, mas nunca um coautor. As TJ também afirmam que Jesus Cristo teria sido apenas o arcanjo Miguel e que NUNCA afirmou ser Deus. 

Por outro lado, segundo o artigo “Arauto de Sião” na rede social, Rogério Loureiro denuncia que os TJ precisaram adulterar esses dois textos bíblicos (Êxodo e João) para que suas heresias ficassem de acordo com o que eles pensam. As adulterações envolvendo termos originais gregos constam nesse artigo entre as Referências Bibliográficas, no final deste trabalho. E vai por aí... 

Embora seja desnecessário, vamos comprovar biblicamente a divindade de Jesus, bastando para isso que se relacione algumas passagens: 

 

a) No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo     era Deus. (João 1:1)

b) Eu e o Pai somos um. (João 10:30)

c) Porque um menino nos nasceu... (Isaías 9:6)

d) Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo. (2 Co       5:19)

e) Sendo em forma de Deus, não teve por usurpação... (Fp 2:6)

f) É sobre todos Deus bendito, eternamente. (Romanos 9:5)

g) O Filho é o resplendor de Sua glória (Hebreus 1:3)

h) Que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim... (João    17:21)

i) Ele é a imagem do Deus invisível... (Colossenses 1:15)

 

Para completar a veracidade sobre a divindade de Jesus, também podemos tomar algumas afirmações feitas sobre Jeová, no Antigo Testamento, que se cumpriram no Novo Testamento, através de Jesus:

 

a)  Números 21:6,7 ........................1 Coríntios 10:9

b)  Isaías 6:10 ............................... João 12:37,41

c) Isaías 30:19 ............................. Lucas 2:32 

d) Êxodo 3:14 .............................. João 8:56-58 

e)  Isaías 8:12,13 .......................... 1 Pedro 3:14,15

f)  Isaías 8:13,14 .......................... 1 Pedro 2:7,8  

g) Jeremias 17:10 ........................ Apocalipse 2:23

h) Ezequiel 34:11,12 .................... Lucas 19:10

i) Deuteronômio 6:16 ..................  Mateus 4:10

 

As afirmações que as “Testemunhas” fazem a respeito de Jesus são incríveis, sem nenhum respaldo bíblico e vão se modificando seguidamente. Já afirmaram que Miguel não era Jesus, mas agora dizem que Jesus é Miguel. A Bíblia, pelo menos, afirma que Jesus é o Criador, enquanto que Miguel é criatura (Colossenses 1:16-18 e Hebreus 1:5). Dizem que Jesus é um “deusinho”; ao contrário, a Bíblia O declara como o Deus Verdadeiro (1 João 5:20)

Eles também costumavam ensinar que Jesus foi adorado e que deveria continuar a ser adorado, mas a partir de 1954 proibiram essa adoração. A primeira edição da tradução jeovita Novo Mundo traz Hebreus 1:6 com a seguinte deturpação: “E todos os anjos de Deus o adorem.”  Porém, como isso contradizia a sua nova tendência, tiveram que modificar a sua “tradução” das Sagradas Escrituras, sendo que o mesmo texto, obedecendo à vontade deles, passou a ter outra tradução: “E todos os anjos de Deus prestem-lhe homenagem.”

É comum aparecerem novas traduções das Escrituras Sagradas, visando atualizar o vocabulário, as expressões antigas e fora de uso, mas de forma alguma é permitido por Deus que se altere o sentido da mensagem. Os jeovitas, porém, mudam a Bíblia cada vez que mudam o modo de pensar.

Sobre a alteração que fizeram em João 1:1 (“No princípio era a Palavra e a Palavra estava com Deus e a Palavra um deus) e reforçando o que já afirmamos, vemos que este mesmo texto foi traduzido da mesma forma nas mais variadas traduções bíblicas existentes, como King James Version, The New International Version, Rotherham, Douay, Jerusalém Biblie, The New Testament in Modern English, etc.

Raimundo Oliveira, em seu livro Heresiologia, relaciona 31 traduções diferentes, do mundo inteiro, confirmando a mesma frase do original: “A Palavra era Deus.”  Apenas quatro versões das Escrituras o fazem de forma diferente, e coincidentemente todas são publicadas e distribuídas pelas Testemunhas de Jeová: “The Kingdom Interlinear of the Scriptures”, “The Kingdom Interlinear”, The New World Translation of the Holy Scriptures” e “Enphatic Diaglott”. 

 

 

3.4  Espírito Santo

 

 

As Testemunhas de Jeová ensinam que o Espírito Santo é uma força ativa e impessoal de Deus, negando tanto a Sua Divindade quanto a Sua Personalidade. 

A Bíblia, porém, O apresenta como a terceira pessoa da Trindade (2 Coríntios 3:18), possuindo intelecto e penetrando em todas as coisas (2 Coríntios 2:10,11), sendo inteligente (Romanos 8:27), tendo moções e sensibilidade (Romanos 15:30 e Efésios 4:30) e tendo vontade (Atos 16:6-11 e 1 Coríntios 12:11). 

Inteligência, sensibilidade e vontade: resumindo, são essas três faculdades que caracterizam a personalidade do Espírito Santo.

 

 

3.5  Inferno

 

 

As Testemunhas de Jeová não creem num inferno ardente. Veja o que diz a página 79 o livro Seja Deus Verdadeiro:

 

A doutrina dum inferno ardente, onde os iníquos, depois da morte, são torturados para sempre, não pode ser verdadeira, principalmente por quatro razões: 1) porque está inteiramente fora das Escrituras; 2) porque é irracional; 3) porque é contrária ao amor de Deus; 4) porque é repugnante à justiça. (Página 7

Diante da profusão de comentários que a Bíblia faz a respeito do inferno, nos faz parecer que foi uma criança inconsequente quem escreveu a citação acima! Vejamos alguns termos bíblicos citando o inferno, mas já adiantamos que nenhum deles tem a ver com sepultura, que é “queber” (hebraico)  ou  “Mnemeion” (grego):

 

a) SHEOL, o mundo dos mortos (Deuteronômio 32:22 e Salmos 9:17);

b) HADES, lugar das almas que partiram deste mundo. (Mateus       11:23, Lucas10:15 e Apocalipse 6:8)

c) GEENA, lugar eterno de suplício. (Mt 5:22,29,30 e Lc12:5)

 

 

3.6  Salvação

 

 

Segundo eles, a salvação para a vida eterna está condicionada a se pertencer à Sociedade Torre de Vigia e estudar seus manuais de ensinamentos. Deve-se, então, retirar da Bíblia a mensagem de Jesus (João 14:6) que diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim.” O caminho passaria a ser a Sociedade Torre de Vigia. 

Eles são terrivelmente tendenciosos quando garantem que a salvação é “um alvo para ser cumprido”, enquanto que João 5:24 afirma que a salvação não é algo para o futuro, mas algo presente, que pode ser conseguida no momento em que uma pessoa se entrega a Jesus.

Segundo a crença das “Testemunhas”, em 1935 Jeová deve ter colocado uma placa no céu, que dizia: “Não há vagas!”  Só pode ter sido assim, pois Rutherford dividiu o rebanho em duas classes: a dos ungidos (apenas 144 mil pessoas) e o da grande multidão (o resto). O primeiro grupo, que por coincidência são as “Testemunhas de Jeová”, vão para o céu, enquanto que o restante não são filhos de Deus e somente herdarão a terra. 

É bom explicar que esse trecho bíblico (Apocalipse 7:4) é o que pode se chamar de uma “Passagem Parentética”, ou seja, aquela em que a Bíblia está tratando de um assunto, mas interrompe para falar de outro e depois retorna ao primeiro. 

Essa interpretação das “Testemunhas” é bastante estranha, quando se costuma ver seus seguidores indo de casa em casa para convidar pessoas a ingressarem em suas fileiras, ou seja, a fileira dos 144 mil salvos. E as pessoas que ultrapassarem a esse número (o que já aconteceu há muito tempo), para onde irão?!?  Existe mais de 5 milhões de pessoas no mundo que são Testemunhas de Jeová! Será que vai haver um sorteio entre eles para ver quais são os 144 mil sorteados? Será que vão tirar no palitinho ou no par-ou-ímpar?

Rutherford também não deve ter lido a Bíblia, em João 14:1-3, onde Jesus promete que no céu existem muitas moradas e que Ele iria na frente para preparar-nos lugar. Não pode ser só 144 mil lugares!

Mais uma vez somos obrigados a retornar à Bíblia, mencionando João 10:16 e Efésios 2:11-18 que afirmam existir apenas “um rebanho”, e que a salvação é para TODOS os que creem (João 14:1-4), e também que TODOS os cristãos autênticos são filhos de Deus (Jo 1:12 e 1 Jo 3:1-3).

Sobre a afirmação da existência de um número definido de salvos, podemos ler esse trecho bíblico: “Depois destas coisas, olhei e vi uma grande multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, que estavam em pé diante do trono e perante o Cordeiro, trajando compridas vestes brancas, e com palmas nas mãos...” (Apocalipse 7:9,10)   Mas, só 144 mil ?!?  E o resto ?!?

 

 

3.7  Final dos tempos

 

 

Apesar de não termos visto nada de proveitoso no sistema doutrinário das “Testemunhas” até aqui, ainda há aspectos mais absurdos para serem mostrados: a doutrina escatológica, ou seja, a doutrina sobre os últimos tempos.  O livro Seja Deus Verdadeiro (páginas 184 e 185), tratando da volta de Jesus, diz que Ele voltará “do mesmo modo como subiu...”, alterando os textos originais que dizem: “...assim como para o céu o vistes subir...” ou seja, com o mesmo corpo, com a mesma aparência. 

Quanto à Batalha do Armagedon, Charles Russel previu, no livro Estudo das Escrituras (páginas 101 a 170), que Cristo voltaria à Terra em 1914, na Batalha do Armagedon, provocando a derrocada do governo do mundo. (Sem comentários) Quanto ao Juízo Final, no livro Seja Deus Verdadeiro (página 284), Russel previu que em 1918 o Senhor viria e começaria o juízo, primeiro da “Casa de Deus” e depois das nações deste mundo. Como a previsão fracassou, Russel arquitetou uma alteração à sua falsa teoria: “A data era correta, porém equivoquei-me quanto à forma; o reino não terá caráter material e visível, como eu havia anunciado, mas será espiritual e invisível.”  Todas essas bobagens estão registradas no livro As testemunhas de Jeová (páginas 22 a 25).

Chegando o tal dia previsto e anunciado por Russel, em lugar da paz milenial do Reino de Cristo, explodiu no mundo a Primeira Guerra Mundial, que enlutou milhares de famílias por toda a terra. Voltamos a repetir aquilo que Jesus declarou em Mateus 24:36, categoricamente, ou seja, que ninguém sabe quando será o grande dia.

Poderíamos dizer novamente “Sem comentários!”, mas não resistimos em mostrar a sequência, a ordem dos acontecimentos que a Bíblia profetiza para os últimos tempos, que derruba toda e qualquer outra teoria:

a)  O arrebatamento da Igreja;

b)  Os crentes no Tribunal de Cristo e a Grande Tribulação da Terra;

c)  Manifestação de Cristo em glória, com os Seus santos e anjos;

d)  Batalha do Armagedon;

e)  O julgamento das nações;

f)  Prisão de Satanás por mil anos;

g)  Inauguração do Reino Milenial de Cristo na Terra;

h)  Satanás será solto por breve tempo e depois preso para sempre;

i)  Juízo do Grande Trono Branco;

j)  Estabelecimento do Novo Céu e da Nova Terra.

 

Será que alguém, em sã consciência, se atreveria a afirmar que já tenha ocorrido alguns desses eventos na terra? Para que algum deles tivesse ocorrido, precisaria antes que tivesse acontecido o arrebatamento da Igreja!  E onde estão o Novo Céu e Nova Terra?

 

 

3.8  Origens no Ocultismo

 

 

Antes de entrarmos no assunto, é bom registrar a definição de ocultismo dada por Mather e Nichols, autores do Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo. Segundo eles, “Ocultismo é o que está além da esfera do conhecimento empírico, é o sobrenatural, o que está secreto ou escondido.”

Vamos, agora, ver o que as “Testemunhas” têm a ver com espiritismo, sobrenatural, etc. Nós pensamos em deixar fora esse assunto, mas ele começou a aparecer em vários lugares e pensamos ser importante registrar alguma coisa. Trata-se do envolvimento de Charles Russel e Joseph Rutherford, fundadores da Torre de Vigia, com o ocultismo. 

Comprovadamente, antes do surgimento do jeovismo os dois já eram pessoas ligadas ao ocultismo, tanto que incluíram no meio das literaturas básicas do seu movimento um livro chamado Angels and women (Anjos e mulheres) que teria sido psicografado, livro que trata da queda de Lúcifer e seus anjos do céu.

Presbiteriano de formação, Charles Russel era conhecedor dos diversos conceitos místicos comuns ao século 19, mostrando-se sempre como uma pessoa sincrética. Lendo partes de um exótico discurso seu, do início do século 20, confirmaremos quanto Russel admirava e reconhecia a Maçonaria e sua ação supra religiosa. 

 

Quem pode conhecer os Segredos de Deus? [...]  Desejo chamar a sua atenção para o fato de que o próprio Deus Todo-Poderoso é fundador de uma sociedade secreta [...] Ao longo da Era do Evangelho, tem existido uma Igreja externa de Deus e outra Igreja verdadeira que estava oculta. O mundo já viu a Igreja externa, porém a oculta, esta magnífica sociedade secreta que o Senhor organizou (...]  

 

Obviamente, Russel estava se referindo à Maçonaria, quando fala de “sociedade secreta”, que age oculta, e cujo caráter sigiloso permanece até os nossos dias.

Para que se resolvesse os impasses do século 19 dentro da Igreja Presbiteriana, que agasalhava protestantes e seguidores da Maçonaria, Russel fundou um movimento chamado “Estudantes da Bíblia”, que mais tarde se tornaria o fundamento das “Testemunhas de Jeová”. 

Pelo fato da história ser muito longa, não dá para contá-la aqui, mas sugerimos que nossos leitores pesquisem o blog “Ex-testemunhas de Jeová”, cujo endereço colocamos nas nossas referências de pesquisa, no final deste estudo.  Porém, vamos colocar abaixo o símbolo da cruz coroada usado historicamente pelas “Testemunhas”, sem dúvida alguma copiado do símbolo do Rito de York, da Maçonaria, que já existia. Só por aí, já dá para termos uma ideia de que realmente existiu uma forte dose de ocultismo no surgimento das “Testemunhas de Jeová”.

 

 

 

4.  CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

No início deste estudo, denunciamos o desconhecimento das línguas originais bíblicas (hebraico, aramaico, grego) por parte dos tradutores da edição das Testemunhas de Jeová. Se nos determos no fato de que todos os seguidores daqueles falsos líderes são treinados até hoje, exaustivamente, para aplicação do mesmo truque, então a coisa toma uma dimensão muito maior e preocupante, passando a produzir um problema de grandes proporções, uma vez que o mundo está cheio de pessoas ignorantes, procurando por algo melhor, trilhando caminhos totalmente desconhecidos.

É muito fácil para as “Testemunhas”, defenderem as modificações que foram feitas na Bíblia Sagrada, alegando que conhecem grego!  A pura afirmação de que conhecem, é muito vaga. Precisam provar que sabem e isso faz a diferença!

Quando você for abordado por um seguidor dessa seita, peça apenas que a pessoa explique o texto de João 3:16, por exemplo: “...Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que n’Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”  Isso derruba todas as colunas do jeovismo.

Vamos encerrar dizendo que não temos medo de errar, ao dizer que a maioria dos seguidores das “Testemunhas de Jeová” são honestas, estão procurando os caminhos que levam a Deus, mas estão sendo iludidas e convencidas com falsas doutrinas, fato que Bíblia exaustivamente advertiu que aconteceria no final dos tempos. Todo aquele que segue as Sagradas Escrituras tem obrigação de orientar aos que estão desviados, seja qual for o motivo. 

Pondo fim a qualquer discussão, transcrevemos as palavras que fecharam a Bíblia Sagrada, os últimos versículos de Apocalipse, segundo o apóstolo João:

 

Eu advirto a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro. Se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro.” (Apocalipse 22:18)

 

Certamente que Russel, Rutherford, Knorr, Barbour, Franz, Schoeder, Hennschel e outros que alteraram os textos bíblicos para respaldarem suas próprias ideias, já não podem fazer mais nada para se arrependerem. O inferno será a residência eterna, deles, infelizmente, apesar de terem afirmado sempre que ele não existe.

Você, porém, que ainda tem tempo para repensar suas atitudes, suas crenças, o direcionamento da sua fé, não vá atrás de qualquer coisa que os homens digam, pois o resultado disso só poderá ser a criação de uma nova religião e, na pior das hipóteses, de uma nova seita.

Toda a verdade que pode interessar ao homem está na Palavra de Deus, a Bíblia, cujo Antigo Testamento foi escrito em hebraico e aramaico, e o Novo Testamento, em grego. Todas as versões bíblicas trazem pequenas diferenças nas traduções, quanto ao enfoque semântico das frases, mas nunca modificam a mensagem contida nos originais.

Que a misericórdia de Deus cubra a todos nós, que tenhamos oportunidade e tempo para nos redimir dos erros cometidos, e que não venhamos a chorar lágrimas amargas diante de Jesus, no momento do Grande Tribunal. Tudo aponta para esse dia, desde a fundação do mundo. Que tenhamos o discernimento claro dos propósitos de Deus para nossas vidas e que nunca venhamos a entristecer o Seu Espírito Santo com atos impensados.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

 

ALMEIDA, João Ferreira. Bíblia Sagrada. Edição Contemporânea, 01. ed. Flórida, EUA: Editora Vida.

DA SILVA, Ezequias Soares. Lições Bíblicas. 2º Trimestre de 1997. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1997. P. 60-64.

EETAD. Heresiologia. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus. P. 129-145.

OLIVEIRA, Raimundo F. Seitas e Heresias. 11. ed. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1995. P. 79-100.

LOUREIRO, Rogério. Arauto de Sião. Postado em http://www.arautodesiao.com.br/#ixzz33gJ00aeG.  Pesquisado em 26/06/2014. 

BLOG EX-TESTEMUNHAS DE JEOVÁ. Postado em http://extestemunhasdejeova.blogspot.com.br/2011_04_01_archive.html. Pesquisado em 18/06/2014. 

RODRIGUES, Eduardo. Desmascarando as mentiras dos Testemunhas de Jeová.  Instituto Bíblico transcultural. Postado em 29/07/2012. Pesquisado em 28/06/2014. 

 

 

AUTOR

Walmir Damiani Corrêa 

 

 

 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 17/08/2014

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021