Seita Hell: o nome já diz tudo

 

SEITA HELL

 

 

 

1. INTRODUÇÃO

 

 

Da mesma forma como este site tratou até agora as demais seitas estabelecidas por aí, tentaremos dar um tratamento igual a esta, que é chamada de “Seita Hell”, que poderia ser traduzido literalmente como “Seita do Inferno”.

Comparando-se a outras seitas estabelecidas, a diferença que notamos aqui é que seus seguidores não possuem registros escritos sobre seus pontos de vista, ou doutrinas estabelecidas sobre aquilo que acreditam. Seus seguidores se contentam em postar anonimamente ideias críticas ao Cristianismo, num sentido muito geral, em momento algum demostrando conhecimento sobre as diferenças entre o Cristianismo genuíno da Igreja Primitiva de Cristo e o Catolicismo Romano, que criou um gigantesco distúrbio nas doutrinas iniciais, chegando ao ponto de acontecer uma separação enorme, entre católicos romanos e os protestantes, a partir da Idade Média.

As demais seitas, como dissemos anteriormente, apresentam sua fé, sua doutrina, os nomes dos seus líderes e fundadores do movimento, sendo que, a partir daí, fornecem ferramentas para que as religiões tradicionais e outras seitas estabelecidas possam traçar um paralelo comparativo entre o modus operandi de cada uma delas. 

Já estamos ouvindo sobre pessoas próximas a nós que começam a mostrar simpatias por esse movimento, o que nos incita em mostrar aos cristãos o quê essa gente pensa, o quê eles querem.

Porém, como seus líderes não mostram sua cara e não escrevem o que defendem, apenas tentando “emporcalhar” tudo o que lembre Cristianismo, fica difícil para nós estudarmos suas ideias à luz da Bíblia Sagrada. 

Mesmo assim, a partir de agora, tentaremos organizar o que eles têm falado anonimamente na Internet, separando os assuntos de modo que nossos leitores possam entender com o quê e quem estão lidando. Lembramos que o texto que captamos não tem autor, e a pessoa que escreveu apenas "vai falando” o que lhe vem à cabeça, como se estivesse num botequim falando sobre futebol, sobre mulheres, etc. Tudo o que registrarmos a partir de agora foi extraído desse texto anônimo.

 

 

2.  PARA QUEM SERVE A SEITA HELL

 

 

Segundo o autor, esta seita foi criada para agasalhar todas as pessoas que não concordam com a visão das religiões e seitas já existentes, sobre a existência de Deus, sobre qualquer tipo de fé, espiritualidade e outros valores e conceitos relacionados à moral da sociedade, que chama de “alienação”.  

Eles não se conformam com o comportamento considerado aceitável pela moral vigente, a respeito do que é certo e errado. Na verdade, a seita prega mais a “lucidez”, o racionalismo, uma postura crítica e original perante a vida.

 

 

3.  AS ORIGENS

 

 

Quanto à questão dos começos, falando-se de religião, eles não concordam que o universo (matéria, a vida) tenha surgido por acaso.  mas acreditam que existem muitas coisas que não são conhecidas pela humanidade e que pelo fato de não percebermos certas coisas não significa a inexistência delas.  O exemplo barato que dão é que pelo fato de um cego não conseguir perceber a luz, não indica que ela não exista.

Para eles, tudo é interpretação, e todas as explicações dadas pelos religiosos são meramente humanas. Acreditam que, como não possuímos uma certeza absoluta sobre as coisas, não deveríamos ficar inventando e fantasiando nada. “Não temos provas de que tenha sido um tal Deus que tenha surgido do nada, e que disse: haja luz, haja isso, haja aquilo... E então tudo foi surgindo.”

Em certos momentos, o autor da postagem parece preocupar-se em estar agredindo os sentimentos dos leitores, e procura amenizar as coisas que diz. Mas conclui dizendo que realmente não há provas daquilo que o Cristianismo prega, mas que é um direito das pessoas acreditarem nisso. E arremata: “Mas quem quiser acreditar... ótimo, parabéns, pois cada um tem o direito de acreditar no que quiser.”

 

 

 

4.  FILOSOFANDO UM POUCO

 

 

O autor tenta, então, explicar, segundo suas ideias, como é que as coisas foram “aparecendo” no mundo em que vivemos, atirando para todos os lados, contra os cristãos, contra os evolucionistas, enfim, tenta improvisar uma nova ideia sobre a criação.  E ele vai falando:

 

Certamente isso teve uma origem, uma causa. Tudo no universo apresenta uma organização muito consciente, que não poderia ter surgido por acaso. Mas o que é uma "organização consciente? Talvez tudo seja bastante desorganizado, não temos padrões pra comparar, porque essa é a única organização que conhecemos, ou seja, é relativamente organizado, e pode ser relativamente desorganizado. Alguém pode dizer que o universo teve origem com o "Big-Bang", uma grande explosão de matéria e energia que formou tudo. Mas, de onde surgiu o Big-Bang? O que o ocasionou?  E antes do Big Bang?  Uma explosão inteligente, não é mesmo?  Pois ao invés de destruir e desordenar, pôs ordem em todas as coisas, galáxias inteiras em harmonia com bilhões de estrelas e planetas girando ao redor delas. Geralmente as explosões desordenam e destroem

Ele meio a todo esse devaneio, "nosso" autor conclui que é possível que algo ou alguém tenha criado o universo, mas nem consegue imaginar quem seria, ou o quê criou tudo?

Como ele mesmo não sabe e nem desconfia, imagina que possa ter sido alguma energia, alguma força ou inteligência, mas que não sabe o nome dessa coisa. Assim, o autor do texto facilita as coisas, dizendo que podemos chamá-lo do que quisermos, como Deus, por exemplo, pois não importa o nome pelo qual o conheçamos --  o que importa é o conceito. 

 

 

5.  UM DEUS TIRANO

 

 

O autor faz questão de deixar claro que não acredita nesse deus das igrejas, ou que exista esse deus que fica julgando e controlando a vida das pessoas. E diz ainda:

 

Se esse Deus existir, talvez ele tenha mais o que fazer, ou será que é tão tirano assim? E ainda por cima, desocupado! Normalmente as pessoas procuram um deus criador e bondoso e encontram um patrão que lhes dá mil ordens e obrigações sem oferecer muita coisa em troca.

 

A pessoa que escreveu a postagem ainda afirma que os seguidores da Seita Hell não acreditam nesse "Deus velhinho e barbudo", que fica sentado no céu controlando a vida das pessoas e as julgando, para ver se elas merecem ir para lá ou se vão queimar no fogo do inferno. Eles não acreditam “nesse Deus pretensioso e vaidoso que precisa de milhões de pessoas para louvá-lo, adorá-lo ou exaltá-lo."

No seu ímpeto de ir escrevendo tudo o que lhe vem à cabeça, o autor chega ao ponto de perguntar: “Será que Deus é adepto do escravismo, e nos criou só pra sermos seus escravos, para seguirmos as regras que ele estipulou e obedecer única e exclusivamente a ele?”  E deve admirar-se da própria inteligência e sagacidade em imaginar isso, quando diz: “Nem tinha pensado nessa possibilidade... Deus é adepto da escravidão!!!”

 

 

6.  DEUS E SUAS QUALIDADES DUVIDOSAS

 

 

A partir daí, o autor diz que em nome desse Deus da Igreja foram inventadas coisas horríveis, que deixariam até o próprio "diabo" com inveja.  

 

Essa história de que Deus é onipresente, onipotente e onisciente é claramente uma invenção de quem não queria deixar saída nenhuma para quem pensa ao contrário, não deixando qualquer forma de se desmentir esse deus!  É notório que ele é inventado! Tipo quando se inventa alguma coisa pra fazer medo numa criança. Isso é patético. Deus vê tudo e lê a mente de todas as pessoas [...]

 

 

Mostrando-se uma pessoa sem medo do futuro, nosso autor continua em suas reflexões, dizendo que a existência ou não-existência de Deus não chega realmente a fazer-lhe muita diferença, mesmo num sentido puramente filosófico, sobre o sentido da vida. Diz que tem muito o que fazer neste mundo para ficar achando prioritário descobrir que há algum outro (outro Deus?... outro mundo?).  Acha que não deve iludir-se, abrindo mão da sua inteligência por puro medo da morte. E debocha das doutrinas cristãs:

 

Quem sabe se nos comportarmos direitinho não ganharemos uma vida eterna no céu, de quebra? Quem sabe se assumirmos nossas fraquezas e baixarmos a cabeça diante de Deus, ele não tenha compaixão por nós?

 

 

 

7.  SOU EU QUEM DECIDE

 

 

Nossos “amigos” da Seita Hell não acreditam em destino, mas que cada pessoa pode decidir sobre sua própria vida e seus caminhos, através de suas atitudes e escolhas, pois são seres pensantes, livres e conscientes. Acham que cada um faz o seu destino, e não deve ser conformista, pois cada um podem mudar a direção da sua vida. 

 

 

8.  LIDERANÇAS NA SEITA HELL

 

 

Como já deu prara notar, eles mesmos dizem que não possuem líderes na Seita Hell, que não devem dar satisfações de seus atos a ninguém. Consideram que não precisam de intermediários ou representantes para lhes falar sobre sobre o "Deus" que está no céu, nem para avaliar seus atos a partir de leis desse Deus, pois acham que todas as pessoas têm o mesmo poder que esse tal Deus tem — se é que ele existe.  Eles fecham a questão dizendo que “Não devemos permitir que pessoas vazias e sem moral controlem nossas mentes! As únicas leis que existem e que devem existir são as humanas.”

 

 

9.  ESTILO LITERÁRIO

 

 

Apesar do nosso autor, em nenhum momento, pretender apresentar-se como um escritor, historiador, ou líder da seita, no final do artigo ele arroga-se a importância assustsadora de  autoridade literária, quando fecha tudo o que declarou com essa frase: “Esta foi a Parte 1. Depois te mando as outras. Vá refletindo e analisando.”

 

 

 

FONTES PESQUISADAS

 

 

Para conseguirmos alguma informação sobre o que é a SEITA HELL, fomos ao Google e tudo o que vimos ali foram postagens sobre um festival chamado “Barge do Hell”, que aconteceu durante um cruzeiro marítimo entre Miami e as Bahamas em 2012.  Ali é noticiada a presença de uma banda brasileira de rock chamada “Banda Seita”, juntamente com as bandas “Sepultura” e “Krisium” e mais 37 bandas internacionais. Tudo aconteceu em três palcos para uma plateia de dois mil adeptos do  rock Heavy Metal e "otras cositas mas".

Ali também aparece a postagem chamada Seita Hell - GEOCITIES.ws,da www.geocities.ws/maisetica/nojento.htm, onde alguém escreveu um artigo intitulado “A nojenta história da Cristianismo”.  Como se trata de um artigo longo, de difícil leitura, não atendendo às normas literárias, resumindo-se apenas num cansativo registro de denúncias sobre a história sangrenta da Igreja Católica Romana, envolvendo diversos episódios conhecidos da Inquisição Romana. A intenção dos seguidores da Seita Hell seria atingir o Cristianismo como um todo, mas, talvez por ignorância dos fatos históricos, restringiram-se aos atos e fatos do catolicismo romano. Por esse motivo, não achamos conveniente e salutar transcrevermos tal artigo, que está lá para quem se sentir tentado em ler sobre um assunto desagradável da nossa história. 

McDOWELL, Josh e STEWART, Don. Entendendo as religiões seculares. São Paulo: Editora Candeias, 1989

 OLIVEIRA, Raimundo F.de. Heresiologia discernindo entre a verdade e o erro. Campinas: EETAD, 214p.

 DA SILVA, Ezequias Soares. Seitas e Heresias. Lições Bíblicas, 2º Trim.1987. Rio de Janeiro: CPAD-Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1997.

 

AUTOR

Walmir Damiani Corrêa

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 17/08/2014

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021