Batismo em águas: uma ordenança

 

 

BATISMO EM ÁGUAS:

UMA ORDENANÇA

 

 

 

 (...) respondeu João a todos, dizendo: Eu, na verdade, vos batizo em água, mas vem aquele que é mais poderoso do que eu, de quem não sou digno de desatar a correia das alparcas; Ele vos batizará no Espírito Santo e em fogo”. (Lucas 3:16)

 

O texto bíblico de Joel 2:28 mostra uma profecia onde o Senhor Jesus Cristo declara que receberíamos o Espírito Santo, após Sua partida: “E acontecerá, depois, que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões”.

Porém em momento algum, durante o seu ministério terreno, vimos o Senhor abolir o batismo nas águas. Muito pelo contrário, ordenou aos Seus discípulos que continuassem batizando, tendo Ele próprio ido ao rio Jordão, onde fora batizado por seu primo João Batista, dando-nos o exemplo, conforme podemos observar nos textos bíblicos que se seguem:

 

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mateus 28:19).

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. (Marcos 16: 15-16)

Quando todo o povo fora batizado, tendo sido Jesus também batizado, e estando ele a orar, o céu se abriu; (Lucas 3:21).



A missão do Espírito Santo é de nos convencer do pecado, da justiça, do juízo; nos consolar, ensinar, e nos trazer a memória as palavras que O Senhor nos disse, dentre elas a ordem para batizar nas águas, já que, quem batiza com o Espírito Santo é o Pai, em nome de Jesus, conforme deixa claro o texto bíblico a seguir:



(...) mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. (João 14:26)



Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus.

Então, perguntou Pedro: Porventura, pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então, lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias. (Atos 10:44-48).

Mesmo após o derramamento do Espírito Santo, o Apóstolo Pedro ordenou que os novos convertidos fossem batizados nas águas.

Creio que o texto bíblico supracitado elimina toda e qualquer dúvida que até agora pudesse persistir, quanto ao devermos ou não continuar a batizar os novos convertidos nas águas, pois nele constatamos que o Apóstolo Pedro, posteriormente reconhecido, pelo próprio Apóstolo Paulo, como uma das “colunas da Igreja” (Gálatas 2;8-9) cumpriu cabalmente a ordem de seu Senhor. Porque afinal de contas: “Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus.” (Atos 4:19b)

Lembrem-se que, não são poucos os que “Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos” (Romanos 1:22).

 

AUTOR

Celso Ricardo dos Santos Conceição (2005)

 

Igreja Nova Vida (Tijuca - Rio de Janeiro) 

 

 

Por: Celso Ricardo dos Santos Conceição

Publicado em 23/10/2014

Procedência - celsoricardo70@hotmail.com

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2022