Cem Perguntas Sem Resposta

 

CEM PERGUNTAS

SEM RESPOSTAS

 

 

 INTRODUÇÃO..........................................................................02

APRESENTAÇÃO.....................................................................03   

1  A Igreja................................ .................................................04

2  São Pedro.............................................................................06 

3  O Papa..................................................................................07 

4  Os sacerdotes.......................................................................08

5  A missa.................................................................................09

6  A hóstia................................................................................10

7  Virgem Maria........................................................................11

8  Os santos.............................................................................13

9  O purgatório.........................................................................14

10  As boas novas...................................................................16

11  A oração............................................................................17

12  O batismo..........................................................................17

13  As Santas Escrituras....................... .................................18

CONCLUSÃO.........................................................................18

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.......................................19

APÊNDICE  -  Novas doutrinas do Catolicismo.....................19

GLOSSÁRIO..........................................................................21

 

INTRODUÇÃO

 

É mais fácil evangelizar um ateu do que um católico. O ateu nunca experimentou chegar perto das coisas divinas, pois desconhece tanto as delícias da salvação quanto o horror de viver para sempre no inferno.

Existem católicos fervorosos que seguem os catecismos elaborados pelos papas, levam uma vida tranquila, sem muitas cobranças, alimentando a ilusão de que qualquer pecado cometido hoje pode ser perdoado por um padre amanhã, podendo novamente ser cometido depois de amanhã, pois os padres continuarão a dar “sumiço” a esses erros, com um simples “sinal da cruz”. Mandam rezar 120 ave-marias ou 80 pais-nossos e dizendo “Vai em paz, meu filho!”.

Outros tipos de católicos se encontram numa situação ainda pior, pois não frequentam missas, não se confessam com os padres, não “pagam” pelos seus pecados, mas continuam se considerando católicos pelo fato de se originarem dessa tradição de pai para filho. Se para ser católico basta ter pais católicos, temos a impressão de que os pais, quando morrerem, terão que contratar uma “van” ou um micro-ônibus para poderem levar seus filhos com eles para o céu.

Como católicos que já fomos, sabemos que é uma vida muito tranquila, sem correções, sem balizamentos, frequentando-se as missas aos domingos depois de muita orgia nas festas do sábado. Eles tomam comunhão (hóstia) sempre, ato que, independente de qualquer atitude errada, ou de pecado que se carregue, representa receber o corpo de Cristo. Até acreditam que Cristo está corporalmente inserido naquela bolachinha de trigo, chamada hóstia. Realmente, é muito fácil ser católico. 

Como os evangélicos têm o costume de colocar adesivos nos seus carros com mensagens evangelizadoras, os católicos, de uns tempos pra cá, passaram também a colocar adesivos com frases provocativas, do tipo “Sou católico e sou feliz”; “Tenho orgulho de ser católico”, “Com Jesus, tudo; sem Maria, nada”, etc.  É o mesmo que dizer:  “Vocês podem até ter razão, a minha religião pode até ser errada, mas eu não saio  dela.”

Que Deus seja paciente e dê tempo suficiente para que todas essas pessoas tenham tempo para entender tudo o que está registrado na Bíblia Sagrada, que acordem desse sono “tranquilo” e passem a enxergar as portas estreitas que levam à salvação, coisa que não fizeram até hoje. 

Que o Espírito Santo tenha misericórdia de todo esse povo, dando-lhe oportunidade de ouvir e entender as Sagradas Escrituras.

                                           Walmir Damiani Corrêa

 

APRESENTAÇÃO

 

Em meados do século XX, um ex-padre italiano, chamado Lorenzo Palmieri, converteu-se ao Protestantismo, resultado de insistentes estudos da Bíblia, que vagarosamente foram lhe abrindo o entendimento.

Mergulhado nas águas do primeiro amor, aquele tempo maravilhoso em que as pessoas passam a entender os propósitos de Deus, tempo em que o novo convertido evangeliza até poste, como se brinca por aí, ele resolveu desafiar o clero italiano a responder a 100 perguntas sobre doutrinas e costumes católicos, à luz da Bíblia. Para cada resposta respaldada pela Bíblia, o ex-padre pagaria a quantia que hoje corresponderia a 10 dólares, mas nenhum padre italiano ousou responder a qualquer uma dessas perguntas propostas. 

A intenção de Lorenzo era provar que a Bíblia não aprova a grande maioria das proposições católico-romanas, o que põe por terra a maior parte das colunas que sustentam o catolicismo. O interessante é que eles consideram a Bíblia como a Palavra de Deus, a depositária da verdade, o manual cristão de fé, mas não a conhecem, não a seguem.

A ousadia do ex-padre foi tamanha, que além dos 10 dólares, ele se propunha a retomar à sua carreira religiosa na paróquia católica, caso alguma pergunta fosse respondida à luz das Sagradas Escrituras. Na sua concepção, uma Igreja ou Religião que não tenha base na Bíblia, não é, nem poderá ser, a Igreja de Deus, embora ela se apresente ao mundo como uma instituição poderosa, rica e cheia de seguidores.

O espantoso é que esse desafio aos católicos foi adotado por outros evangélicos em outros países, como nos povos de língua inglesa, repetindo as propostas em dinheiro para os que conseguissem provar com a Bíblia as respostas em que acreditam.

No Brasil, em 1951, o Rev. Estevão Testa, também ex-padre católico, tomou posse dessa motivação, pois não admitia que tantas almas inocentes se perdessem, vítimas de má liderança, oferecendo também 10 dólares para cada respaldo bíblico a uma pergunta feita.

A seguir, exibimos as tais 100 perguntas elaboradas pelo ex-padre italiano Lorenzo Palmieri. Elas são apresentadas por assunto e, ao final de cada série, registramos comentários, à luz da Bíblia, provando a heresia com que foram criadas tais doutrinas católico-romanas. 

Para encerrar, é possível que algumas dessas “invenções” papais já não estejam mais em uso, pois a Igreja Católica Romana costuma mudar suas “verdades” de tempos em tempos, ao contrário das Sagradas Escrituras, que ainda estão aí na forma como o Espírito Santo as ditou, originalmente, para os seus profetas.

 

PARTE 1  -  A IGREJA

 

Lembramos que tanto nessa parte, como nas seguintes, as perguntas feitas representam ensinos de novas doutrinas criadas pelos papas ao longo da História. Para comprovar-se que tais afirmações não têm respaldo bíblico, desafia-se que respostas sejam encontradas na Bíblia. Repetimos que cada resposta bíblica conseguida renderia 10 dólares para os padres italianos que as respondessem.  

Observe que quase sempre anexamos às perguntas uma citação bíblica, entre parênteses, que desmente prontamente tais suposições católico-romanas.

Na última página deste trabalho, apresentamos um glossário com as palavras que possam trazer dúvida durante a leitura.

 

 

PERGUNTA 001 - Jesus Cristo fundou a Igreja Católica Romana, enquanto viveu aqui na terra?  (Mateus 16:18)

PERGUNTA 002 -  Os ensinos e práticas da Igreja Católica Romana são os mesmos da Igreja Apostólica Primitiva, a primeira cristã evangélica?

PERGUNTA 003 - A Igreja de Roma é a Igreja que Cristo fundou, com essas características: 

     a)  Igreja Una

     b) Igreja Santa, constituída de santos, apartados do mundo, e que                 trabalham pela redenção espiritual da humanidade; 

     c)  Igreja Apostólica, que permanece fiel à crença, pregação e                       práticas dos apóstolos; 

     d) Igreja Católica, cujos dogmas atuais em todos os tempos                           universalmente sustentados por todos os cristãos; 

     e)  Igreja Evangélica, apegada estritamente aos ensinos do Novo                  Testamento?

PERGUNTA 004 - Pecadores impenitentes, como ladrões, assassinos, adúlteros, detratores, fraudulentos, blasfemos, idólatras, etc., também podem pertencer à Igreja de Deus? (Efésios 5:5 e  Apocalipse 22:15)

PERGUNTA 005 - Não há salvação fora da Igreja Católica Romana? (Atos 4:12)

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

O Senhor Jesus fundou Sua Igreja (Mateus 16:18), que era e é cristã e evangélica. Ele é a cabeça da Sua Igreja, tendo esta, por guia, o Espírito Santo, e a Bíblia por sua única regra de fé e prática. 

A Igreja constituía-se de seguidores que haviam nascido de novo e que haviam feito voto de continuar na terra a obra de redimir o mundo e era católica, no sentido de destinar-se a ser universal, de todos os povos da terra. 

A Igreja de Cristo conservou-se pura e fiel ao Evangelho por cerca de 300 anos, época que constitui a idade de ouro dos mártires e dos santos, perseguidos pela Roma pagã. 

Depois da chamada conversão do Imperador Constantino, no ano 310 AD, o Cristianismo foi declarado a religião oficial do Estado. A partir daí, verdadeiras multidões de pagãos entraram para a Igreja, sem nunca terem experimentado a conversão. Nada, ou quase nada sabendo das doutrinas e práticas cristãs, trouxeram para dentro da Igreja de Cristo suas idéias e cerimoniais e ritos pagãos, práticas que foram gradativamente introduzidas na Igreja Primitiva, corrompendo a fé inicial, paganizando e romanizando a Igreja de Cristo. Historicamente, esse é o marco inicial da Igreja Católica Romana.

À simplicidade da Igreja Cristã Apostólica, a Igreja Romana acrescentou o Papado e muitas outras doutrinas e práticas, a ponto de ela não poder mais ser reconhecida nem como genuinamente cristã. 

Os reformadores, alguns já bem antes do século XVI, viram que a Igreja se transformara naquela “Babilônia” de que falam as Santas Escrituras, ou a “Igreja Apóstata”, claramente predita na Bíblia e que nos últimos tempos seria castigada e destruída (2 Tessalonicenses 2:3-12) (1 Timóteo 4:1-3) (Apocalipse 17 e 18) e para fora da qual Deus clama que o Seu povo se ponha, dizendo: “Sai dela, povo meu, para que não sejais participantes dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apocalipse 18:4). 

A Reforma do século XVI foi um protesto contra as doutrinas pagãs que se haviam aninhado na Igreja de Cristo, provocando uma saída a granel da Igreja Oficial, para se voltar ao Cristianismo primitivo e apostólico do Novo Testamento. 

A Igreja Católica Romana de hoje poderá voltar a ser a verdadeira Igreja Católica quando acabar com o Papado e quando rejeitar os dogmas e ritos contrários à Palavra de Deus, e ainda quando se firmar novamente no seu primitivo fundamento, pois nesta base todas as Igrejas Cristãs do mundo se podem reunir e congraçar. Doutra maneira, o nome católica, aplicado exclusivamente à Igreja de Roma, não passa de grosseiro embuste, pois tal nome mui merecidamente cabe à Igreja Protestante, que se conserva fiel aos ensinos bíblicos e ao Credo dos Apóstolos, sem nada lhes haver aditado ou retirado (Apocalipse 22:18,19).

A verdadeira Igreja de Cristo é invisível, constituída de gente verdadeiramente convertida e que são encontradas em todas as igrejas visíveis, e cujos nomes estão escritos no Céu; as Igrejas visíveis existem para preparar os santos para o reino de Cristo (Lucas 10:20 e  Apocalipse 21:27)

 

PARTE 2  -  O APÓSTOLO PEDRO

 

PERGUNTA 006  -  Pedro foi Papa?

PERGUNTA 007 - Ele exerceu o ofício de Papa em Roma, por 25 anos?

PERGUNTA 008 - Ele foi chefe da Igreja Cristã? (Mt 20:26-28) (1 Pe 5:1-3)

PERGUNTA 009  -  Ele recebeu do Senhor Jesus o primado de jurisdição sobre toda a Igreja Cristã?

PERGUNTA 010 - Tais prerrogativas foram transmitidas por Pedro aos Bispos de Roma, como seus legítimos sucessores até o dia de hoje?

PERGUNTA 011 - Pedro alguma vez pediu ou aceitou ofertas em dinheiro “para adquirir para si um tesouro de prata e de ouro” que se chamaria “O Tesouro de São Pedro”?  (Atos 3:6  e  Atos 8:20).

PERGUNTA 012 - Pedro alguma vez recebeu honrarias mundanas, como ser carregado nos ombros de discípulos na “sedia gestatória”, dar os pés para serem beijados, e muitas vezes outras honrarias idolátricas copiadas dos povos pagãos? (Atos 10:25,26)

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

Pedro nunca foi papa, nem sacerdote, e muito menos católico-romano. Foi um pescador judeu da Palestina e homem casado. Seu irmão André foi quem o trouxe à presença de Jesus, quando se converteu, tornando-se discípulo e, mais tarde, apóstolo. 

Foi Pedro o primeiro a fazer a confissão pública de que Jesus era “O Cristo, o Filho do Deus Vivo”, e Jesus fez dessa declaração o fundamento da Sua Igreja. 

Foi homem bastante impulsivo, mas sincero. Cometeu muitos erros e, certa vez, Jesus o chamou de Satanás. Mais tarde, negou a Cristo três vezes. Arrependeu-se, porém, e confessou seu pecado diretamente a Cristo (Mateus 4:18-20 -  Mateus 16:18-23  -  Mateus 26:69-75). 

No Pentecostes, com sua calorosa pregação, levou à conversão 3.000 judeus, e daí continuou a ser um grande pregador ao ar livre e um ancião (presbítero).  

Pedro protestou contra os sacerdotes judeus que queriam negar-lhe o direito de pregar o Evangelho em Jerusalém. Com esse projeto, tornou-se o primeiro protestante do Cristianismo (Atos 4:17-20 e Atos 5:7-30).  

Quanto às atividades em Roma, podemos garantir que ele pregou muitos anos para judeus, mas a Bíblia não menciona que ele tenha estado alguma vez em Roma e muito menos que lá  tivesse morado.  

Pregou sempre o Evangelho de Cristo com muito calor e sem medo algum, afirmando que só Jesus Cristo é o Chefe da Igreja Cristã e o único nome dado, debaixo do céu, entre os homens, pelo qual nos podemos salvar eternamente.  

Ele também promoveu e recomendou a todos a leitura das Santas Escrituras (Atos 4:12  -  1 Pedro 1:23  -  1 Pedro 2:2  e  1 Pedro 5:1)

 

PARTE 3  -  OS PAPAS

 

PERGUNTA 013 - A palavra “Papa” se encontra na Bíblia, à exceção de seu sinônimo que refere ao anti-Cristo? (2 Tessalonicenses 2:3-12)

PERGUNTA 014  -  O Papa de Roma é o sucessor do apóstolo Pedro?

PERGUNTA 015  -  O Papa é o vice-gerente ou vice-administrador de Deus aqui na Terra, e o vigário de Jesus Cristo? (2 Tes  2:3-12)

PERGUNTA 016  -  O Papa é infalível? (Roma 3:4 e Rom 10:23)

PERGUNTA 017  -  Deve-se chamar ao Papa de “O Santo Padre”?  (Mateus 23:9 e João 17:11)

PERGUNTA 018 - O Papa pode canonizar santos, ou seja, transformar em santos pessoas falecidas há muitos anos?  (2 Coríntios 1:1  - Filipenses 1:1  -  1 Coríntios 1:2)

PERGUNTA 019 - O Papa deve ter o poder temporal, com soldados e guardas em armas, o poder político sobre todas as nações da Terra? (João 18:36)

PERGUNTA 020 - O Papa pode excomungar Igrejas e indivíduos, declarar povos inteiros livres de obedecer a seus governantes, e interditar e excomungar todas as nações?

PERGUNTA 021 - O Papa pode se opor à unidade, liberdade e independência das nações, como fez na Itália, com suas pretensões sobre Roma, a capital da Itália Unida?

PERGUNTA 022 - O Papa pode conceder e vender indulgências plenárias ou parciais a troco de obras realizadas e “in-articulo mortis”, perdoar os pecados pelo telégrafo, ou por qualquer outro meio de comunicação, a quem tiver pago um preço estipulado? (Marcos 2:5-10)

PERGUNTA 023 - O Papa pode, em cada vinte e cinco anos, declarar um “Ano Santo” com a promessa de indulgências especiais e de remissão de pecados a todos quantos vão a Roma para visitar certas igrejas? (Isaías 1:12-17)

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

A palavra PAPA nem sequer é encontrada na Bíblia Sagrada. O título de Papa foi recusado por muitos bispos nos primeiros séculos da Igreja Cristã, os quais tomavam tal título como um sinal do anti-Cristo. Por sinal, a palavra PAPA só veio a ser aplicada no ano 610, ao bispo de Roma, numa decisão do nefasto Imperador Focas. 

Todas as pretensões do papa são blasfêmias, de acordo com o espírito e a letra do Novo Testamento.  

Paulo e João escreveram sobre o anti-Cristo que deverá aparecer no mundo, e parece que o papa apresenta todas as características fornecidas pelo Espírito Santo (2 Tessalonicenses 2:3-12  -  Apocalipse 13:1-18)

 

PARTE 4  -  OS SACERDOTES

 

PERGUNTA 024 - Jesus instituiu uma hierarquia de sacerdotes para a Sua Igreja, como uma classe especial, separada do povo, à exceção dos apóstolos, que tinham a missão de pregar o Evangelho? (Mateus 10:1-8 – Mateus 23:8)

PERGUNTA 025 - Em algum tempo os apóstolos instituíram e ordenaram outras pessoas, fora os bispos (pastores), anciãos (presbíteros), diáconos e evangelistas?

PERGUNTA 026 - Os bispos, diáconos e sacerdotes não podem casar (1 Timóteo 3:2-4,11 - 1 Timóteo 4:3) e o sacerdote, embora solteiro, deve ser chamado de “padre” (pai)?  (Mateus 23:9).

PERGUNTA 027 - O sacerdote é pessoa de extraordinário poder, mais poderoso que os anjos, os santos, e a própria Virgem Maria; mais poderoso até do que o Senhor Jesus, pois que Jesus tem que obedecer à ordem do sacerdote; e que o padre é o segundo abaixo do Todo-Poderoso? (2 Tessalonicenses 2:4  -  Romanos 1:22).

PERGUNTA 028 - Os bispos e presbíteros devem rezar missa e ouvir as confissões do povo, que deve procurar os padres para lhes confessar seus pecados, ao menos uma vez por ano? (Salmos 51:1  - Salmos 32:5)

PERGUNTA 029 - Jesus alguma vez instituiu cardeais ou qualquer ordem de monges, freiras, monsenhores, abades, etc.?

PERGUNTA 030 - Jesus ou Seus apóstolos alguma vez recomendaram que homens se isolassem e se fizessem monges, ou que mulheres se enclausurassem em conventos, ficando proibidas de conversar e de verem seus parentes?  (Lucas 10:1-12  -  Mateus 5:13-16)

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

a) Sacerdotes

Os sacerdotes (bispos, pastores e anciãos) são encontrados no Novo Testamento, mas nunca como aqueles “sacerdotes” do Antigo Testamento, que sacrificavam ante o altar. 

É preciso que se aprenda, junto da Bíblia, que Cristo Jesus é o grande e único Sumo-Sacerdote, aquele que vive para sempre e cujo sacerdócio jamais é passado para outrem. 

Por outro lado, Seu sacrifício eterno, infinito, não deve, nem pode ser repetido, pois é sacrifício feito por todos os pecadores, um sacrifício único, perfeito e completo.   (Hebreus 7:21-24  e  Hebreus 10:11-18).  

Os sacerdotes são simples pastores, servos do povo, e nunca seus senhores.  De acordo com o que ensina o Espírito Santo, por meio do apóstolo Paulo, eles devem ser casados, ter filhos, pois doutra maneira não poderão governar a Igreja de Deus. 

Lembremo-nos de que foram sacerdotes os que condenaram à morte o Salvador Jesus. O que eles precisam é serem verdadeiros ministros de Deus, que preguem o Evangelho puro, eduquem o povo no caminho de Cristo, que receberão o louvor de Deus e dos homens. (1 Timóteo 3:2-11 e Atos 20:17-36).

b)  Confissão de pecados

A confissão dos pecados é coisa recomendada em toda a Bíblia, mas devendo sempre ser feita a Deus e nunca a homens. Há um único caso na Bíblia de confissão feita diretamente a sacerdotes: é o de Judas Iscariotes, que os buscou para isso e, depois se enforcou. (Mt 27:1-5). 

Todos os verdadeiros cristãos confessam seus pecados diretamente a Deus, logo que os cometem, e nunca deixam que se passe um dia sequer sem os confessar a Deus, na oração da noite.  

Já a confissão pública de pecados foi praticada nos primeiros dias da Igreja Primitiva, e é feita ainda hoje nas reuniões de testemunho das Igrejas e Missões protestantes. 

Também é praticada a confissão secreta ou auricular, mas com o fito único de se alcançar conforto e direção, dividir um peso, buscando aconselhamento para reencontro com a paz. Esse tipo de confiança não é para que se alcance o perdão de um homem, pois só Deus tem o poder de perdoar pecados. (Salmos 51  -  Marcos 2:5-11  -  Mateus 11:28  -  1 João 1:8,9).

 

PARTE 5  -  A MISSA

 

PERGUNTA 031  -  A missa foi instituída por Jesus Cristo?

PERGUNTA 032  -  Jesus e os apóstolos rezaram missa alguma vez?

PERGUNTA 033 - A repetição diária do sacrifício de Cristo sobre a cruz acontece durante as missas? (Hebreus 10:10-18).

PERGUNTA 034 - A missa é a mesma coisa que a Santa Comunhão, ou a Ceia do Senhor? (1 Coríntios 11:23-27).

PERGUNTA 035  -  É pecado mortal não ir à missa aos domingos e nos dias de festa?

PERGUNTA 036 - A missa e outros  serviços religiosos devem ser rezados em latim ou em outra língua morta que o povo não entende? (1 Co 14:9-19)

PERGUNTA 037 - As missas devem ser rezadas à custa de dinheiro e com vários preços previamente estipulados? (Mateus 10:87)

PERGUNTA 038  -  As missas podem ser ditas para beneficiar os vivos, que pagam para que sejam rezadas, a fim de receberem favores divinos, o perdão de seus pecados e uma entrada mais fácil no céu, ao morrerem?

PERGUNTA 039 - As missas dão descanso às almas dos mortos, que se crê estejam sofrendo o fogo do purgatório?  (Lucas 23:43)

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

Não se objeta quase nada quanto às palavras e orações usadas na missa, mas há grande objeção à sua doutrina como vem sendo ensinada pelo Concílio de Constança (1414) e pelo Concílio de Trento (1545). 

O serviço religioso (culto) na Igreja Primitiva de Cristo consistia de orações, cânticos de hinos, leitura da Bíblia, pregação do Evangelho e celebração da Santa Comunhão, enquanto que a missa seria a repetição do sacrifício do Calvário, convocando-se diariamente Jesus Cristo para se consubstanciar na hóstia, onde será crucificado novamente. 

Nesse cerimonial, os sacerdotes e os fiéis comem o Cristo vivo, um absurdo grosseiro e pagão, que ao bom senso repugna, uma blasfêmia à Palavra de Deus e ao próprio Cristo. O único mistério que a missa apresenta está no fato de haver ainda na terra pessoas que nela acreditam. 

Não seria a missa o tal “mistério da iniquidade” profetizado pelo Espírito Santo por intermédio do apóstolo Paulo em 2 Tessalonicenses 2:7?

 

PARTE 6  -  A HÓSTIA

 

PERGUNTA 040  -  Jesus, ao instituir a Santa Ceia, usou uma hóstia e não pão e vinho? (Mateus 26:36-28).

PERGUNTA 041  -  A hóstia, nas mãos do sacerdote, se transforma realmente no corpo, sangue e divindade de Jesus Cristo?  (1 Co11:26)

PERGUNTA 042 -  O Cristo vivo, que se diz estar na hóstia consagrada, pode ser comido, aprisionado no tabernáculo e levado pelo padre de um lugar para outro?

PERGUNTA 043  -  A hóstia consagrada, ainda que repartida em mil pedaços, conterá em cada partícula o corpo vivo e inteiro de Jesus Cristo?

PERGUNTA 044 - Na “Sagrada Eucaristia” deve-se usar somente a hóstia (pão) e não os dois elementos (pão e vinho) como Jesus e seus apóstolos usavam? (1 Coríntios 11:23-28)

PERGUNTA 045 - Só o padre pode participar do vinho consagrado, restando ao povo receber apenas a hóstia? (Mateus 26:27)

PERGUNTA 046 - Só pela manhã se deve rezar a missa e dar a “Sagrada Eucaristia”, e isso deve ser precedido por um jejum (Mateus 26:26-28  - 1 Coríntios 11:34)

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

A instituição da Santa Ceia (que os católicos chamam de Santa Comunhão ou Santa Eucaristia) é claramente narrada nas Escrituras Sagradas (1 Coríntios 11:23-29). Como Jesus usou dois elementos (pão e vinho) para representarem Seu corpo e Seu sangue, cada comungante deveria receber a comunhão através dos dois elementos, mas só recebe um deles: o pão.  

O Sacramento é um memorial de Sua morte e é celebrado em memória de Jesus. Por séculos se deu a Comunhão em ambas as espécies, até mesmo dentro da Igreja Católica Romana e assim ela é celebrada ainda hoje, na Igreja Grega Ortodoxa e na Igreja Evangélica Protestante. 

Quando e onde Jesus deu ordem à Igreja Católica Romana para modificar o que Ele deixou tão claramente determinado? Assim, cai sobre a Igreja de Roma o labéu de sacrílega, por haver alterado, a seu bel-prazer, o santo sacramento da Ceia do Senhor e por negar ao povo, desde 1414, o segundo elemento (o vinho).

 

PARTE 7  -  A VIRGEM MARIA

 

PERGUNTA 047 - A Virgem Maria foi concebida sem pecado? (Romanos 3:10-23  e  Lucas 1:46-47)

PERGUNTA 048  -  A mãe dela se chamava Ana e por isso “Santa Ana é protetora das mulheres no parto”?

PERGUNTA 049  -  Devemos chamar Maria de “Mãe de Deus”?

PERGUNTA 050  - Maria é a porta do Céu, a despenseira da Graça Divina, a estrela da manhã, refúgio dos pecadores, co-redentora do Senhor Jesus, etc.? (João 10:9  e  Isaías 43:11)

PERGUNTA 051 - Maria, quando em vida, na terra, alguma vez recebeu ou aceitou para si esses títulos que só pertencem a Deus, a não ser o de “abençoada” (bendita) e o de “serva do Senhor”? (Lucas 1:38-48)

PERGUNTA 052 - Maria alguma vez prometeu ao povo orar por ele e ser protetora de alguém ou de alguma nação?

PERGUNTA 053 -  Maria alguma vez pediu e obteve de Deus qualquer graça para algum de seus devotos?

PERGUNTA 054 - Maria alguma vez pediu a alguém que se tornasse seu devoto, que orasse a ela, que a cultuasse ou adorasse, que lhe construísse altares e igrejas em sua honra? (João 2:5)

PERGUNTA 055 -  Maria era encarregada de levar os pedidos dos discípulos ao seu filho Jesus, pois ela era a mediadora entre Ele e os homens? (João 2:5)

PERGUNTA 056 - Maria foi católica romana?

PERGUNTA 057 - Maria não se converteu da religião em que nascera e fora criada? (Lucas 1:38  e  Lucas 11:27,28)

PERGUNTA 058  - Maria subiu ao Céu em corpo e alma? (João 3:13)

PERGUNTA 059  -  Lá do Céu, Maria pode ouvir as orações dos que a invocam aqui, sobre a face da terra?

PERGUNTA 060 - Deve-se prestar a Maria o culto de “hiperlúdia”?  (Mateus 4:10).

PERGUNTA 061 - Só no sul da Itália, Maria é chamada por 57 nomes diferentes e o povo comum pensa existirem inúmeras madonas diferentes (Nossa Senhor disto, Nossa Senhora daquilo), competindo umas com as outras, cada qual mais milagreira que as outras. Deve-se dar a Maria essa variedade de títulos diferentes?

PERGUNTA 062 - Deve-se e pode-se fazer imagens e quadros de Maria, bem como dedicar a ela altares e igrejas? (Êxodo 20:4  -  Levíticos 26:1  -  Deuteronômio 27:15)

PERGUNTA 063 - É permitido e lícito carregar nas ruas, em procissão, supostas imagens e estátuas de Maria, para que o povo as cultue e adore, acendendo-lhes velas e alfinetando em seus vestidos notas de dinheiro?

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

A Virgem Maria é a mulher mais santa que encontramos nas páginas da Bíblia. Os cristãos evangélicos (protestantes) a respeitam e a honram verdadeiramente. Todos os católicos romanos e protestantes têm o dever de seguir o glorioso exemplo de Maria.  

Foi assim que Maria se salvou: a Bíblia lhe era leitura familiar, creu na Palavra de Deus, e aceitou a mensagem que Deus lhe enviou por intermédio do anjo Gabriel, na anunciação. Assim, ela se converteu à nova religião que Deus trouxe ao mundo, abandonando os ensinamentos judaicos em que fora criada e educada. Ela abandonou a velha religião sem consultar os sacerdotes judaicos,  seus parentes ou seus amigos. 

Maria andou muitos quilômetros para visitar sua prima Isabel, que havia tido uma experiência semelhante à sua, testemunhando brilhantemente sua grande gratidão a Deus, no seu belo cântico, o “Magnificat”.  

Mais tarde, ela aconselhou os discípulos de Jesus a que fizessem tudo quanto seu Filho lhes ordenasse (João 2:5). Sempre participou das reuniões de oração com os discípulos de Jesus, e com eles recebeu também o Espírito Santo no dia de Pentecostes. Ela também estava presente na monumental reunião ao ar livre, quando 3.000 pessoas se converteram e foram batizadas.  Ela viveu e morreu como uma cristã modelar.  

Nos dias que viveu sobre a Terra, ela nunca procedeu como uma católica romana, mas como uma protestante (Lucas 1:26-56  -  João 2:5  -  Atos 1:14). Fazer orações a ela, realizar festas pagãs em sua honra, chamando-a por uma infinidade de nomes e títulos, constitui graves insultos a Maria. Ela, caso estivesse entre os católicos romanos, atualmente, seria a primeira a protestar contra esses usos e práticas.

 

PARTE 7   -   OS SANTOS

 

PERGUNTA 064  -  Só são santos aqueles canonizados pelos papas, e não os crentes em Cristo que vivem até hoje na terra? (2 Coríntios 1:1 -  Filipenses 1:1  -  Colossenses 1:2)

PERGUNTA 065  -  Os santos no Céu podem ouvir a voz dos que oram a eles, aqui da terra?

PERGUNTA 066  -  Os santos no Céu são advogados e mediadores entre Deus e os homens? (1 João 2:1  -  1 Timóteo 2:5).

PERGUNTA 067 - Deve-se prestar culto de “Dulia” aos santos, e fazer homenagens a eles? (Apocalipse 19:10).

PERGUNTA 068  -  É permitido fazer estátuas ou imagens de “Nossa Senhora” e dos santos, para que deles nos lembremos? (Isaías 44:15-19 -  Levíticos 26:12)

PERGUNTA 069  -  É legítimo levar em procissão tais imagens pelas ruas, consentir que o povo se ajoelhe diante delas, lhes acenda velas e estoure rojões e foguetes em honra e louvor às mesmas? (Êxodo 20:4 - Isaías 44:15-19)

PERGUNTA 070 -  Os cultos de “Dulia” e “Hiperdulia”, feitos a esses santos e a Maria, não constituem aquela idolatria expressamente proibida na Palavra de Deus?  (Mateus 4:10  -  Levíticos 26:1).

PERGUNTA 071 - Esses defuntos e outras mais relíquias de supostos santos têm poderes miraculosos e devem ser levados de lá para cá, fazendo-lhes orações, beijando-lhes os pés e cultuando-os? Isso é fetichismo ou Cristianismo?

PERGUNTA 072 - Algum santo na Terra alguma vez exigiu para si, ou recomendou que lhe fizessem orações, que os cultuassem e honrassem? Acaso agiram assim para com os outros santos?

PERGUNTA 073  -  Pedro e Paulo aceitaram honrarias idolátricas, não as proibindo? (Atos 10:25,26  -  Atos 14:8-18)   

PERGUNTA 074  -  Os apóstolos, os evangelistas e os primeiros mártires cristãos eram católicos romanos?

PERGUNTA 075 - Os santos da Igreja Cristã Primitiva (como Pedro e Paulo) nunca agiram como protestantes, no sentido real da palavra? (Mateus 4:17-22  -  Atos 4:18-19  -  Atos 9:1-20)

 

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

Todos os crentes em Cristo são chamados santos no Novo Testamento, ainda que vivendo na terra e ainda que não perfeitos de todo. Tornam-se santos por sua conversão a Cristo e pela obediência aos Seus mandamentos.  

Como Deus é o único que tem poder de torná-los santos, seus nomes são escritos no Céu, e não precisam, em hipótese alguma, serem canonizados pelo papa.  

Nenhum dos verdadeiros santos jamais atraiu o povo para si, mas sempre dirigiram e levaram o povo em direção a Jesus, o Salvador do mundo.  

Por tudo isso, podemos garantir, sem medo de errar, que os santos da Igreja Cristã Primitiva foram os primeiros verdadeiros santos, os primeiros a rejeitar o culto idolátrico que os católicos romanos lhes queriam prestar. 

Há no Céu um número muito maior de santos do que esse reconhecido pelos papas, e é fato que muitos que os papas canonizaram nunca foram, nem são santos. Inclusive, a história registra casos de criminosos que foram considerados “politicamente” santos, pelos papas.

Se alguém pudesse provar o contrário, o Rev. Palmieri alegremente teria dado o prêmio anunciado, na sua época.

 

PARTE 9  -  O PURGATÓRIO

 

PERGUNTA 076 -  Existe um lugar chamado “purgatório”? (Lucas 23:43 - Mateus 25:46).

PERGUNTA 077 - O fogo do “purgatório” é dez vezes mais quente que o do inferno, conforme a afirmarção muitos padres?

PERGUNTA 078 - Mesmo os católicos romanos bons não podem esperar ir diretamente ao Céu, após a morte, pois têm que passar pelas chamas do “purgatório”, e isso por milhares de anos, a fim de se purificarem dos seus pecados? (1 João 1:7  e  1 João 2:2 - Lucas 23:43 - João 14:3).

PERGUNTA 079 - Por meio de rezas, misereres, de-profundis, litanias, esmolas, indulgências e, especialmente, por meio e missas rezadas pelos padres (a peso de dinheiro) podemos aliviar as almas que sofrem no purgatório, e mesmo encurtar o tempo de seus padecimentos lá? (Salmos 49:6-8)

PERGUNTA 080 - Os cristãos podem conseguir libertar-se do purgatório, realizando certas obras enquanto vivem na terra, e caso tais obras não sejam suficientes, seus parentes e amigos poderão fazê-lo por eles, pagando-lhes missas rezadas por sua intenção, para o descanso de suas almas?

PERGUNTA 081 - As almas do purgatório, enquanto sofrem ali atrocíssimo tormento, podem ouvir e responder às orações de seus amigos que na terra os invocam?

PERGUNTA 082 - As almas que sofrem no purgatório podem orar a Deus e obter favores para outros, embora nada possam conseguir para si próprias?

PERGUNTA 083 -  Tais almas ali recebem a visita da Virgem Maria todos os sábados? (Lucas 16:26).

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

O purgatório não passa de grosseira e deslavada invenção da hierarquia católico-romana. Não se acha no Novo Testamento nem sombra da palavra purgatório ou da existência de algum lugar parecido. 

Tal doutrina seria uma contradição às palavras de Jesus Cristo, pois Ele afirmou que os que n’Ele creem vão diretamente para o Céu, quando morrerem (Lucas 23-42  -  João 14:3).  

O purgatório nega, pela raiz, a eficácia do sangue de Cristo, sangue que “nos purifica de todo o pecado”, fazendo de Deus um iníquo e um traficante, pois que Ele deixaria entrar no Céu mais depressa aqueles que são ricos e que podem deixar na Terra, antes de morrerem, dinheiro para se rezarem missas suficientes pela sua alma. 

Ainda, por esta doutrina iníqua, o católico pobre não acha o menor conforto ou consolo na morte, pois só vê diante de si chamas ardentes e sofrimentos horríveis, não tendo dinheiro para conseguir fugir do purgatório. 

Quão diversa é a doutrina bíblica cristã e protestante! Na verdade, o cristão morre feliz, porque espera viver imediatamente com Cristo no Céu (Atos 7:55-60).

 

PARTE 10  -  AS BOAS OBRAS

 

PERGUNTA 084 - Pode-se alcançar a salvação por meio de obras meritórias, por obra de supererogação, ou por meio dos sacerdotes, dos sacramentos, da intercessão da Virgem Maria e dos santos? (Gálatas 2:16  -  Efésios 28:10)

PERGUNTA 085 - Deve-se entender por “obras meritórias” aquelas prescritas pela Igreja Católica Romana, tais como rezar missas, ouvi-las, rezar certas orações, usar o rosário, litanias e novenas, jejuns, abstenção de carne nas sextas-feiras que antecedem o domingo de Páscoa e noutros dias de guarda, realizar peregrinação a santuários, lamber o assoalho de certas igrejas, etc.?  (Isaías 1:12-18) 

PERGUNTA 086 - Uma pessoa pode realizar obras de supererogação, ou seja, fazer tantas boas obras que ultrapassem a medida dos méritos necessários para sua própria salvação?

PERGUNTA 087 - Tais obras de supererogatórias (méritos “plus”, mérito a mais) ficam armazenadas nos tesouros de merecimentos da Igreja Católica Romana, a fim de serem dispensados pelo Papa, em forma de indulgências àqueles que necessitarem de mais méritos, porque suas obras foram consideradas insuficientes?

PERGUNTA 088 - Se uma pessoa não se abstiver de comer carne na sexta-feira de Páscoa, ou noutros dias de jejum, incorre na perdição eterna? (1 Coríntios 10:25  -  1 Timóteo 4:1-15  -  Mateus 15:11) 

PERGUNTA 089 - Dando-se algum dinheiro ao padre, por qualquer dispensa, uma pessoa pode comer carne em qualquer dia. Da mesma forma, pode-se casar com um parente próximo (Atos 8:20).

PERGUNTA 090 - Fazer o “sinal da cruz” é um meio de graça, e por ele consegue-se afastar o diabo? (Mateus 4:10,11).

PERGUNTA 091 - Usando-se “escapulários” em contato direto com a pele, nunca morreremos afogados, nem de qualquer outro desastre, e nos salvaremos?

 

 

COMENTÁRIO SOBRE O ASSUNTO

 

Só poderemos obter salvação pela graça de Deus, mediante a fé em Cristo, e nunca pelas obras que fizermos (“para que ninguém se glorie”). 

Só pode haver boas obras quando resultantes da fé salvadora, pois elas são a necessária prova e evidência da fé verdadeira em Cristo. 

As boas obras, fruto da fé e da união vital com Cristo, nunca são, nem poderão ser, obras meritórias, e muito menos obras de supererogação. 

Os únicos merecimentos que Deus reconhece são os méritos infinitos do sacrifício perfeito realizado por Jesus Cristo, o qual sofreu e morreu por nós e “por cujas chagas seremos sarados”. 

As nossas boas obras não podem merecer a salvação, pois são como “trapos de imundície” aos olhos santos de Deus. Todos quantos buscam salvar-se por suas próprias obras, que erradamente chamam de “boas”, é porque saíram da graça de Deus e não têm parte alguma na salvação operada por Cristo  (Gálatas 2:16  e  Gálatas 5:4).

 

PARTE 11  -  A ORAÇÃO

 

PERGUNTA 092 -  Podemos orar, a qualquer pessoa, e não somente ao Deus Trino? (Mateus 6:6 - João 16:23,24)

PERGUNTA 093 -  Devemos orar mecanicamente, sendo que a mesma oração deve ser repetida muitas vezes, como se faz com o rosário nas mãos? (Mateus 6:7  e  Isaías 1:15)

PERGUNTA 094  -  A oração do “Pai Nosso” (que é feita diretamente a Deus Pai) também pode ser dirigida a Virgem Maria e aos santos, tanto masculinos como femininos?

PERGUNTA 095  -  Devemos rezar ou recitar um número prescrito de orações, como penitência ou expiação por pecados cometidos?

 

 

 

PARTE 12  -  O BATISMO

 

 

PERGUNTA 096  -  O batismo, com um mero aspergir de água “benta” sobre a cabeça de uma pessoa, a torna cristã, lava-a do pecado original e lhe salva a alma? (Marcos 10:13-16)

PERGUNTA 097 - As crianças devem ser batizadas logo após o nascimento, pois caso morram sem o batismo, suas almas irão para o “limbo”?

PERGUNTA 098 - Para batizar uma criança, o padre deve usar, além da água, os “santos óleos” e seu próprio cuspe?  

 

 

 

 PARTE 13  -  AS SANTAS ESCRITURAS

 

 

PERGUNTA 099 - Os leigos só podem ler a Bíblia com a devida licença de seu pároco?  (João 5:39  e  Mateus 23:13)

100 - A tradição católico-romana (catecismos, etc.) tem tanta autoridade quanto às Sagradas Escrituras? (Marcos 7:7-12  -  Colossenses 2:8  e  Apocalipse 22:18)

 

 

CONCLUSÃO

 

Qualquer pessoa que tiver acabado de ler esse trabalho, com certeza estará se perguntando se não existe nada de bom, nada de certo na Igreja Católica Romana. Não é bem assim. Suas doutrinas conservam verdades fundamentais da Bíblia, como a crença na Trindade, do nascimento de Cristo por obra do Espírito Santo, na encarnação, morte e ressurreição e ascensão de Cristo, que Cristo morreu em lugar dos pecadores para expiar todos os nossos pecados, na segunda vinda de Cristo e no Juízo final, entre outras doutrinas.

O problema é a corrupção que ocorreu no seio da Igreja a partir do momento em que o Império Romano considerou o Cristianismo como religião oficial. A mescla da fé em Cristo com interesses políticos resultou na inserção de práticas pagãs no meio cristão, chegando ao ponto em que cristãos verdadeiros não aguentaram mais os desvios e práticas criadas para satisfazer aos interesses daqueles que governavam a Igreja. O maior problema é que as pessoas descontentes eram acusadas de bruxarias, satanismo, etc., eram condenados à morte em fogueiras, monstruosidades assistidas pelo povo em praça pública, como se fosse uma espécie de alerta aos descontentes. Daí o aparecimento da Reforma Protestante do século XVI, movimento tão discutido e ensinado nas escolas até hoje.

Aqueles cristãos sinceros e seguidores das Escrituras não conseguiam mais conviver com as falsas doutrinas, com as inovações e costumes que não tinham a menor base nas Escrituras Sagradas, procurando retomar a pureza da Igreja Apostólica e Evangélica de Cristo.

Porém, não devemos querer mal aos católicos romanos pelo fato deles não conhecerem a Bíblia como nós, pois aí está a razão deles não conseguirem distinguir o erro da verdade. Como o Rev. Palmieri dizia, os católicos pertencem a um outro rebanho que o Senhor Jesus quer trazer para o Seu aprisco (João 10:16), e cabe a nós ajudar nessa tarefa. 

O que não podemos, entretanto, é ver pessoas queridas perdendo sua salvação por desconhecerem qual o caminho certo a trilhar, entender que só Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida, e que Deus condena aqueles que alteraram as Escrituras (Apocalipse 22:18,19), retirando ou acrescentando alguma coisa que não veio do Espírito Santo.

Não é a Igreja Evangélica ou a Igreja Católica Romana que salva, mas a sã doutrina que se encontra na Bíblia Sagrada, o sangue de Cristo derramado no Calvário. É aceitar esse Cristo como Salvador de nossas vidas que nos dará a salvação. O Evangelho é simples, e não admite inserções de doutrinas pagãs nos seus ensinos. 

Finalmente, garantimos que não constitui virtude alguma permanecer-se numa religião só pelo que fato de que fomos criados nela, pois não é saudável espiritualmente perpetuar os erros de nossos antepassados. Ao contrário, é chegada a hora de acordar, de se rever convicções arraigadas, desprovidas de bom senso, que só apontam numa direção: a perda da Salvação. 

Que haja um novo nascimento (Isaías 55:6,7 - Marcos 1:15 e João 3:3), que haja uma verdadeira conversão a Jesus Cristo, pois foi Ele mesmo quem ensinou: “Se não vos converterdes, de modo algum entrareis no Reino dos Céus” (Mateus 18:3). 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

 

BÍBLIA APOLOGÉTICA. Instituto Cristão de Pesquisas. Jundiaí: ICP, 2000.

BÍBLIA VIDA, Edição Contemporânea. Editora Vida. São Paulo: ICP, 1995.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portuguesa.  15 ed.  Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1995.

OLIVEIRA, Raimundo F. de. Heresiologia: discernindo entre a verdade e o erro. Campinas: EETAD.

TESTA, Estevão. O desafio. Belo Horizonte: Arauto Cristão, 1951.

 


APÊNDICE 

DOUTRINAS CRIADAS PELO CATOLICISMO

 

 

 

GLOSSÁRIO

 

 

ALFINETAR VESTIDOS

Durante este trabalho (pergunta 63), apareceu a expressão “alfinetando-lhe notas de dinheiro”, que consiste num costume de colocar-se uma cédula de dinheiro e pregá-la com alfinete na capa da “santinha”, sempre que os católicos desejem uma bênção ou por estarem “pagando” uma promessa feita. 

ANTICRISTO

Segundo Wikipédia, “Anticristo” significa no grego o opositor a Cristo. É uma denominação comum no Novo Testamento para designar aqueles que se oponham a Jesus Cristo, e também designa um personagem escatológico, que segundo a tradição cristã dominará o mundo nos últimos dias antes que haja a segunda vinda de Cristo.

BATISMO DE ASPERSÃO

Dá-se esse nome ao batismo católico-romano, quando o padre “asperge” água sobre a cabeça do recém-nascido. Ele é diferente do batismo bíblico, que é chamado de “Batismo de imersão”, onde todo o corpo do batizando deve ser mergulhado na água, assim como aconteceu com Jesus Cristo, no rio Jordão.

CANONIZAÇÃO

Segundo o site Canção Nova, canonização é a sentença definitiva pela qual o Papa insere no “Catálogo dos Santos” alguém já proclamando bem-aventurado. Por meio dela, o Sumo Pontífice declara estar algum “servo de Deus” na glória celeste e, assim, autoriza que lhe seja prestada veneração pública em toda a Igreja. A canonização é precedida pelo processo de beatificação, cuja diferença da canonização está em que o servo de Deus seja adorado apenas na sua região ou família religiosa, menos na Igreja. 

CATECISMO

A palavra “catecismo” vem do grego “katecheo”, que significa informar, instruir e ensinar.  De acordo com Wikipedia, o Catecismo da Igreja Católica é uma exposição da fé católica e da sua doutrina, de acordo com a Sagrada Escritura e iluminado pela Tradição apostólica e pelo Magistério da Igreja Católica Romana. Através dele o católico pode conhecer o que sua Igreja professa e celebra, vive e reza em seu cotidiano.

CULTO DE DULIA    

Partindo do grego “douleuo”, essa expressão significa em português Culto de adoração, de honraria.

CULTO DE HIPERDULIA

Partindo do grego “hyper” (acima de) + “douleuo” (adorar, honrar), essa expressão significa Culto de honraria.

DE PRUFUNDIS

Essa expressão do Latim traduz-se para o português como “das profundezas”.

ESCAPULÁRIO

Originário do latim “scapula”,  o escapulário é um pedaço de pano (cordão) pendurado no pescoço, contendo duas pequenas imagens religiosa, uma virada para a frente e outra para as costas, que os católicos usam com crença e devoção. Segundo a fé católica, a pessoa que usa o escapulário nunca morrerá afogado, nem sofrerá qualquer outro desastre, e lhe trará a salvação.

EXCOMUNGAR

De acordo com o Dicionário Aurélio, é o ato de separar do convívio da Igreja Católica Romana qualquer dos seus membros, expulsá-lo, torná-lo maldito, esconjurá-lo, condená-lo. Essa pena eclesiástica exclui do gozo de todas as práticas espirituais comuns aos fiéis.

FETICHISMOS

Fetichismo é o nome que se dá à conduta de determinadas pessoas em excitar-se diante de determinados objetos, inanimados ou não, reais ou imaginários.

IGREJA DESPENSEIRA

Segundo o site do Instituto Jetro, a doutrina romana defende ser a Igreja a despenseira (guardadora) de todas graças sobrenaturais. Seu discurso era que “não é Cristo que nos leva à Igreja, mas a Igreja que nos leva a Cristo”, pressupostos que visavam o fortalecimento da Instituição Igreja Católica Apostólica Romana. A Igreja visível (mater fidelium – mãe dos fiéis) recebe toda a ênfase, e não a Igreja invisível (communio fidelium – comunidade de crentes). Destes conceitos advêm os pensamentos da infalibilidade papal e a inerrância institucional.

IN ARTICULO MORTIS

Essa expressão latina significa “à beira da morte”. Imagine a celebração de um casamento em que um dos nubentes esteja condenado à morte. Serpa diz que esse casamento foi realizado “in articulo mortis”. 

INDULGÊNCIA PARCIAL OU PLENÁRIA

Segundo o site www.gotquestions?org, de acordo com o Catecismo da Igreja Católica, uma indulgência é “A remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa (remissão), que o fiel bem-disposto obtém, em condições determinadas, pela intervenção da Igreja que, como dispensadora da redenção, distribui e aplica por sua autoridade o tesouro das satisfações (isto é, dos méritos) de Cristo e dos santos. A indulgência é PARCIAL se remover parte da pena temporal devida pelo pecado, ou PLENÁRIA, se remover toda a pena.”

LATIM

O latim era o idioma falado pelos latinos etruscos e sabinos, povos que habitavam a região central da Itália, chamada de Lacio (Latium), onde atualmente encontra-se a cidade de Roma. Da união destes três povos surgiu a civilização romana. Essa língua não existe mais, e dela se originaram línguas modernas como italiano, português, francês e espanhol.

LIMBO

Segundo a Teologia Católico-romana, é o nome do lugar para onde vão os bebês que morrem sem terem passado pelo batismo. Em 2007, porém, depois de muitos séculos de tradição, o Vaticano enterrou mais esse conceito, deixando de considerá-lo uma “visão excessivamente restritiva da salvação”. 

LITANIAS

Uma “litania” (o mesmo que “ladainha”) é uma forma de oração utilizada no culto católico-romano que consiste em uma série de preces feitas em estrutura responsiva. O termo vem do latim “litania”, derivado do grego “lite”, significando “oração” ou “súplica”. Em virtude de ser um conjunto de preces, a litania é um tipo de oração intercessória.

MAGNIFICAT

“Magnificat”, também conhecida como “Canção de Maria” é um cântico entoado (ou recitado) 

frequentemente na liturgia dos católico-romanos. O texto do cântico vem diretamente do Evangelho segundo Lucas, onde é recitado pela Virgem Maria na ocasião da visitação de sua prima Isabel. Na narrativa, após Maria saudar Isabel, que estava grávida com aquele que seria conhecido como João Batista, a criança se mexe dentro do útero de Isabel. Quando esta louva Maria por sua fé, Maria entoa o Magnificat como resposta.

MEDIADORA (VIRGEM MARIA)

Segundo o site católico “Veritatis Splendor”, dá-se o título de mediador geralmente àquela pessoa que se interpõe entre outras duas pessoas, a fim de uni-las, quando se trata de fazer uma reconciliação. Na ordem sobrenatural, as duas pessoas a se unirem são Deus e o homem que o pecado tinha separado. Para o Catolicismo, a Virgem Maria é a “mediadora” entre Deus e os homens.

MISERERE

O Salmo 51  é tradicionalmente chamado de “Miserere”, dada a sua conotação penitencial. Seu texto começa com as palavras “Miserere mei, Deus”  ("Senhor, tende misericórdia de mim"), o que fez com que viesse a ser conhecido por “Miserere”, nome que o texto recebe, inclusive, quando usado em diversas obras musicais.

OBRAS MERITÓRIAS

A Igreja Católica, o Espiritismo e outros segmentos religiosos creem que as pessoas podem se salvar por causa de “boas” obras” realizadas. Essas obras são chamadas de “meritórias” e  teriam como objetivo apagar pecados cometidos, além de abrir caminho para a salvação.

OBRAS DE SUPERERROGAÇÃO

As obras de supererrogação são aquelas que excedem os Mandamentos de Deus, ou seja, que não foram sugeridas por Deus. Essas obras, em geral, são ensinadas com arrogância e impiedade.

PENITÊNCIA

Segundo o site Wikipédia, são atos como jejuns, peregrinações, vigílias oferecidos a Deus como prova de que estão arrependidos dos seus pecados. Alguns chegam a utilizar a auto-flagelação, procurando demonstrar a Deus que a alma vale mais do que o corpo.

PURGATÓRIO

Apesar de suas raízes no Budismo da Antiguidade, o Purgatório só passou a ser citado pelo Catolicismo a partir do Papa Gregório I, adicionando-lhe um conceito de fogo purificador, um lugar intermediário entre o céu e o inferno, para onde iam as almas daqueles que não eram “maus” de todo, como uma espécie de purificação, antes de poderem ir definitivamente para o Céu.

RELÍQUIAS DE SANTOS  

São pertences ou partes dos corpos de uma pessoa considerada “santo”. No século IV começaram as descobertas, que oportunizaram cultos a esses restos. Não demoraria que as pessoas “conseguissem” milagres desses restos mortais (um dedo, por exemplo) dos santos.

REMISSÃO DE PECADOS

A Expiação dos Pecados era realizada pelo Sumo Sacerdote levita no décimo dia do sétimo mês de cada ano. Ele entrava no local chamado de “Santo dos Santos” do Tabernáculo e fazia a expiação pelos próprios pecados e do povo, durante o ano que se passara. Para isso, eram imolados animais e aves.

SACRAMENTOS

Segundo o Catecismo da Igreja Católica Romana, os sacramentos são sinais sensíveis e eficazes da graça, instituídos por Jesus Cristo e confiados à Igreja, através dos quais é dispensada a vida divina aos fiéis. Sinal sensível é uma coisa conhecida que manifesta outra menos conhecida; se vejo fumaça, descubro que existe fogo. Diz ali também que é um sinal eficaz porque não só significa, mas produz a graça (a fumaça só significa fogo, mas não o produz).

SAGRADA EUCARISTIA

Segundo o Catolicismo, quando Jesus abençoou o pão e o vinho e compartilhou com Seus apóstolos na última ceia, estava modificando o cerimonial, pois estaria li celebrando a primeira missa, consagrando o pão e o vinho, transformando-os milagrosamente em Seu corpo e Seu sangue. Ainda segundo os católicos, a presença de Jesus na “sagrada hóstia” é tão profunda e bela que pode ser estudada a vida inteira e sempre se achará algo novo.

SUMO SACERDOTE

A História dos Hebreus (Antigo Testamento) chama de Sumo Sacerdote ao sacerdote levita que adentrava ao Santo dos Santos, lugar que só ele poderia entrar, com a missão de oferecer os sacrifícios dos homens a Deus, para expiação dos seus pecados.  Mais tarde, pela Sua obra salvífica, Jesus é considerado o Sumo Sacerdote, pois ofereceu-se como sacrifício para pagamento permanente dos pecados de toda a humanidade. (Hebreus 2:17  -  Hebreus 3:1  e  Hebreus 4:14)

TABERNÁCULO

A palavra “tabernáculo” significa “Divina morada” no hebraico, nome dado ao santuário portátil onde durante o Êxodo até os tempos do Rei Davi os israelitas guardavam e transportavam a arca da Aliança, a menorá e demais objetos sagrados. Era composto de três partes: Átrio Exterior, Santo Lugar e Santo dos Santos. O catolicismo chama de “Tabernáculo” para aquele armarinho fechado onde se guarda o cálice com hóstia a serem utilizados durante a missa.

 

PESQUISADOR

 

Walmir Damiani Corrêa

 

 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 07/10/2015

Procedência - Publicações antigas

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021