A vida eterna

 

A VIDA ETERNA

João 11:23-45

 

 

Havia um homem chamado Lázaro, da aldeia de Betânia, que possuía duas irmãs: Maria e Marta. Esta Maria, por sinal, era a mesma que ungiu o Senhor com bálsamo, e lhe enxugou os pés com os próprios cabelos. Os três eram amigos íntimos de Jesus, tanto que sua casa era usada para hospedar o Mestre quando passava por aquelas redondezas.

Lázaro estava doente e as irmãs apressaram-se a mandar avisar a Jesus, que se encontrava longe, mas Ele demorou-se ainda dois dias, antes de iniciar a viagem em direção a Betânia. Porém, Jesus disse, no momento: “Esta enfermidade não acabará em morte, mas é para a glória de Deus, para que o Filho do Deus seja glorificado por causa dela.” Apesar das ideias contrárias dos Seus discípulos, Jesus respondeu: “Nosso amigo Lázaro dorme, mas vou despertá-lo.”

Quando Jesus chegou a Betânia, já fazia quatro dias que Lázaro havia sido enterrado, e muitos judeus encontravam-se na casa consolando a Maria acerca da morte do seu irmão.

Marta, sua irmã, vendo que Jesus estava chegando saiu-lhe ao encontro, falando das tristezas que estavam passando, mas Jesus a interrompeu, dizendo: “Teu irmão vai ressuscitar”. Maria, porém, entendeu que Jesus estava falando da ressurreição dos mortos que haverá de acontecer no final dos tempos.

Jesus, porém, não perdeu a oportunidade para dizer:  “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá, e todo aquele que vive e crê em mim, nunca morrerá. Você crê nisto?” Marta apressou-se em responder: “Sim, Senhor. Creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que haveria de vir ao mundo.”

Ao contínuo, Marta foi avisar sua irmã Maria de que o Mestre havia chegado e desejava falar com ela. Ouvindo isso, Maria levantou-se depressa e foi encontrar-se com Jesus, que ainda não tinha entrado na aldeia. Atrás dela foram também os judeus que a consolavam.

Quando Maria chegou aonde Jesus estava, caiu-lhe aos pés, dizendo: “Se o Senhor estivesse aqui, meu irmão não teria morrido!”

Jesus viu Maria chorar, e notou que os judeus que estavam com ela também choravam. Comoveu-se profundamente em espírito e perturbou-se. Perguntou, então: “Onde é que vocês o sepultaram?” 

Chegando à entrada da gruta onde Lázaro fora sepultado, vendo a pedra que a fechava, Jesus chorou, para admiração dos judeus. Chegaram a arrazoar que aquele homem que fizera cegos enxergarem também deveria ter poder para impedir a morte do Seu amigo Lázaro.

Jesus comoveu-se profundamente outra vez e dirigiu-se ao sepulcro, ordenando: “Tirai a pedra!” 

Maria, a irmã de Lázaro, apressou-se em dizer ao Senhor que o corpo já deveria estar cheirando mal, pois estava sepultado há quatro dias. Jesus não perdeu a oportunidade de lembra-la: “Eu não disse que, se você crer, verá a glória de Deus?” 

Em seguida, em silêncio a pedra foi sendo retirada, enquanto Jesus olhava para o céu e dizia:  “Pai, eu te agradeço porque me ouviste. Eu sei que sempre me ouves; mas eu falei assim por causa da multidão que está aqui, para que acreditem que tu me enviaste.” 

Então, diante da estupefação de todos os presente, Jesus diz aos gritos: “Lázaro, venha para fora!”  E Lázaro saiu, tendo ainda as mãos e pés enfaixados com tiras de pano, e uma faixa em volta do rosto. Então Jesus disse: “Desenrolem suas faixas, e deixem que ele vá.”

Muitos judeus que tinham ido visitar Maria viram o que Jesus fez, e creram n’Ele.

 

PUBLICAÇÃO

Sociedade Bíblia do Brasil

Folheto Evangelístico dos Anos 80

 

Por: AUTOR DESCONHECIDO

Publicado em 27/06/2017

Procedência - www.elevados.com.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021