A verdadeira entrega

 

 

A VERDADEIRA ENTREGA

 

 

 

  

“Entrega o teu caminho ao Senhor, confia  n’Ele, e o mais Ele fará.” (Salmos 37:5)

 

Aprendendo a orar


Como substantivo, a palavra “Entrega” não sugere maiores dificuldades, mas na sua forma verbal ela se reveste de um sentido de ação, como render-se, submeter-se, tornando difícil pôr em prática.

Explicando melhor, usando outro exemplo, Marinete estava com seu esposo José internado na UTI de um hospital. Depois de alguns dias de incerteza e muita oração, ela entregou o caso nas mãos de Deus.

De madrugada, porém, o telefone de sua casa tocou e era do hospital. Uma ligação telefônica àquela hora, e do hospital, não podia ser boa notícia, pensou. Ainda meio sonolenta, perguntou: "Meu esposo faleceu"? "Sim", respondeu a voz do outro lado da linha. Foi um choque. Essa era a notícia que ela jamais queria receber. "Por que aconteceu isso? Nós esperávamos morrer juntos", falava ela de si mesma.

Ela havia entregue o caso do marido nas mãos de Deus e esperava que Ele resolvesse do modo como ela desejava. Não foi nada fácil aceitar o que aconteceu, mas Deus lhe deu forças para suportar a dor da separação, e hoje ela se sente confortada pelo que Ele fez e continua fazendo em sua vida.

 

Como entregar algo a Deus

 

São várias as maneiras de entregarmos algo a Deus e todas elas são acompanhadas de uma reação da nossa parte.

 

a) A primeira é simplesmente entregar e confiar nas Suas providências.

 b)  A segunda, é quando entregamos o nosso caso nas mãos de Deus e pretendemos ajudá-Lo na solução, como aconteceu com Abraão e Sara, quando, através da serva Hagar, lhes nasceu Ismael, o não-prometido por Deus. Apressaram-se e tudo deu errado.

c)  A terceira, é entregar tudo nas mãos de Deus e aguardar o resultado com paciência.

 

Na verdade, às vezes somos muito apressados. Temos que orar e aguardar que os resultados aconteçam conforme a vontade de Deus. Quando Abraão esperou a solução, segundo Deus, é que lhe nasceu o filho da promessa.

O rei Saul, por outro lado, aguardou Samuel por sete dias, mas como o profeta não apareceu dentro desse prazo, e como estava sendo forçado pelas circunstâncias e pelas ameaças dos inimigos, Saul se adiantou aos planos de Deus, oferecendo holocaustos, iniciativa que não lhe cabia (1 Sm 13:8,12,13), e o resultado lhe foi irremediavelmente funesto: perdeu a confiança de Deus e o reino de Israel.

O melhor mesmo a fazer é aguardar pelas soluções de Deus, mesmo que não seja como ou quando desejamos e esperamos.

 

REFLEXÃO FINAL

 "Deixe nas mãos do Senhor tudo o que você for fazer. Confie n’Ele de todo o coração e Ele fará o que for necessário [...] Descanse no Senhor, espere pacientemente pela Sua ação" (Sl 37:5, 7).

 

 

AUTOR DESCONHECIDO

 

 

 

 

 

 

Por: AUTOR DESCONHECIDO

Publicado em 26/05/2021

Procedência - www.elevados.comn.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021