Imperador Diocleciano

 IMPERADOR DIOCLECIANO

 
 
 
 
 
Dados Biográficos
 
 
Seu nome completo em latim era Gaius Aurelius Valerius Diocleciano Augustus, mas não possuímos registro exato da data do seu nascimento, que deve ter acontecido em Salona, na costa da Damácia,  no dia 22 de dezembro de 244. Ele era filho de um escriba e ex-escravo.
 
 
Funções administrativas
 
 
Antes de ocupar o cargo de imperador, Diocleciano foi comandante da escolta imperial num período de profunda crise, situação que não pode ser contornada por ele.
 
Em 284, após o desaparecimento do Imperador Carino, o Senado Romano reconheceu Diocleciano como o novo Imperador. Com uma personalidade dominadora e contraditória seu objetivo era se defender dos bárbaros e dos frequentes golpes militares que pretendiam desmembrar o império.
 
Para facilitar sua tarefa, Diocleciano dividiu o poder com Maximiano, seu homem de confiança, a quem entregou a parte ocidental, enquanto ele ficou com a parte oriental, e também com  Galério e Constâncio Cloro.
 
Em 303, o imperador Diocleciano e seus parceiro emitiram uma série de éditos em que revogavam os direitos legais dos cristãos e exigiam que estes cumprissem as práticas religiosas tradicionais. Decretos posteriores dirigidos ao clero exigiam o sacrifício universal, ordenando a realização de sacrifícios às divindades romanas.
 
A “Grande Perseguição”, como foi chamada, foi a última e talvez a mais sangrenta perseguição aos cristãos no Império Romano, também conhecida como “A era dos mártires”. O primeiro édito imperial de 303 DC ordenava a destruição geral de igrejas, objetos de culto cristãos, e a destituição de funcionários que fossem adeptos da ‘nova religião’. O  segundo édito ordenou a prisão geral do clero. O terceiro previa a libertação dos cristãos em caso de apostasia, e o quarto e último, de 304, ordenava toda a população do império a sacrificar aos deuses sob pena de morte ou trabalhos forçados em minas.
 
A perseguição variou em intensidade nas várias regiões do império, sendo que as repressões menos violentas ocorreram na Gália e Britânia, onde se aplicou apenas o primeiro édito. As mais violentas se deram nas províncias orientais.
 
Embora as leis persecutórias tenham sido anuladas por diversos imperadores nas épocas subsequentes, tradicionalmente o fim das perseguições aos cristãos foi marcada pelo Édito de Milão, de Valério Licínio e por Constantino, o Grande.
 
O período de governo imperial de Diocleciano foi chamado de “Baixo Império Romano”, por resultar na parte final da história do Império Romano. Seu predecessor foi o Imperador Carino, e seu sucessor Constâncio Cloro. O tempo total de governo foi de 284 a 305.


AUTOR DA PESQUISA
 
 
Walmir Damiani Corrêa
www.elevados.com.br
 
 
 
 
 

Por: Walmir Damiani Corrêa

Publicado em 24/06/2021

Procedência - www.elevados.comn.br

Todos os direitos reservados ©elevados.com.br 2013 - 2021